Durante cinco décadas de guerra, milhões de colombianos abandonaram suas casas para fugir da violência. Para ajudar na reconstrução das áreas destruídas, a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) desenvolveu um projeto – com apoio do governo da Suécia – que fornece treinamento e equipamento para os agricultores familiares. A iniciativa colaborou também para estreitar os vínculos da comunidade.

Na Colômbia, FAO ajuda agricultores familiares a retomar suas vidas; vídeo

Durante cinco décadas de guerra, milhões de colombianos abandonaram suas casas para fugir da violência. Para ajudar na reconstrução das áreas destruídas, a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) desenvolveu um projeto – com apoio do governo da Suécia – que fornece treinamento e equipamento para os agricultores familiares. A iniciativa colaborou também para estreitar os vínculos da comunidade.

Atividade recreativa da IKMR reúne refugiados em parque de São Paulo. Foto: IKMR / André Teller

ACNUR elogia criação de departamento jurídico em São Paulo para menores refugiados

O Tribunal de Justiça de São Paulo formalizou no início do mês (7) a criação de um departamento dedicado exclusivamente ao atendimento de jovens refugiados e também de vítimas estrangeiras de tráfico humano. Organismo funcionará na Vara da Infância e da Juventude de Penha de França, zona leste da capital. Segundo a Agência das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR), iniciativa é pioneira na América Latina.

Participantes de ato unificado pelo fim da violência contra a mulher, realizado em São Paulo. Foto: Flickr CC/Mídia Ninja

Região da América Latina e do Caribe é a mais violenta do mundo para as mulheres, diz ONU

Na América Latina e no Caribe, o número de países com políticas nacionais de proteção às mulheres aumentou de 24 em 2013 (74% do total) para 31 em 2016 (94%). No entanto, a região continua sendo a mais violenta do mundo para as mulheres, cenário de partida de um novo relatório sobre o tema produzido por Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e ONU Mulheres, lançado nesta quarta-feira (22) no Parlamento Latino-Americano (Parlatino) com mais de 120 legisladores.

Isabel (centro) se apresenta com o Coral Somos Iguais, ao lado de outras jovens em situação de refúgio no Brasil. Foto: Bruna Treme.

Refugiada congolesa participa de disputa no The Voice Brasil

Forçada a deixar a República Democrática do Congo (RDC) com sua família em 2015 devido à guerra, Isabel Antonio, de 16 anos, nunca imaginou que seria a primeira solicitante de refúgio no país a fazer parte de um dos maiores shows de talentos musicais do mundo. Atualmente, ela disputa as etapas finais do The Voice Brasil com o apoio de seu técnico, Carlinhos Brown. O relato é da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR).

General Ajax Porto Pinheiro. Foto: MINUSTAH/Igor Rugwiza

No Rio, último comandante da MINUSTAH fala sobre experiência brasileira no Haiti

O Centro de Informação das Nações Unidas no Brasil (UNIC Rio) recebe nesta quinta-feira (23) o último comandante da Missão das Nações Unidas para a Estabilização no Haiti (MINUSTAH), o general Ajax Porto Pinheiro. No encontro, realizado em conjunto com o Instituto de Relações Internacionais da Pontifícia Universidade Católica (IRI-PUC Rio), o Instituto Igarapé e o Centro Conjunto de Operações de Paz do Brasil (CCOPAB), o oficial falará sobre a experiência das tropas brasileiras na ilha caribenha. O evento é aberto à imprensa.

Migrantes detidos na cidade de Zawiya, na Líbia. Foto: IRIN/Mathieu Galtier

Compra e venda de migrantes africanos na Líbia revolta comunidade internacional

Após divulgação de imagens de migrantes africanos sendo vendidos como escravos na Líbia, secretário-geral das Nações Unidas expressou indignação e solicitou às autoridades que investiguem urgentemente a situação – e levem os responsáveis à justiça.

“A escravidão não tem lugar no mundo. O acontecido na Líbia representa um dos abusos aos direitos humanos mais revoltantes e pode ser considerado um crime contra a humanidade”, disse António Guterres.

Embaixadora da Boa Vontade do ACNUR, Kristin Davis dialoga com refugiados rohingya em Bangladesh. Foto: ACNUR/Andy Hall

Atriz norte-americana Kristin Davis pede ação urgente por crianças rohingya em Bangladesh

No marco do Dia Mundial da Criança, a atriz norte-americana e Embaixadora da Boa Vontade da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), Kristin Davis, pediu na segunda-feira (20) atenção global e recursos financeiros para aumentar a ajuda humanitária a crianças refugiadas rohingya em Bangladesh.

“Para mim, a parte mais chocante da crise de refugiados rohingya é o número de crianças que tiveram que abandonar suas casas. Mais da metade dos refugiados no campo são crianças”, disse a atriz após visita ao campo de refugiados de Kutupalong, em Bangladesh.

Mulher carrega latas de água enquanto as tropas da UNAMID realizam uma patrulha de rotina no campo para pessoas internamente deslocadas em Khor Abeche, em Darfur do Sul. Foto: UNAMID/Albert González Farran

Relatório da ONU aponta violações de direitos de milhares de pessoas deslocadas em Darfur

O relatório detalha a situação das pessoas deslocadas de janeiro de 2014 a dezembro de 2016, um período marcado por uma campanha militar do governo que levou ao deslocamento civil em massa.

Presença inadequada e, em alguns casos, a ausência total de instituições policiais e judiciais em áreas onde as pessoas deslocadas se estabeleceram levaram a graves violações dos direitos humanos, indicou a ONU.

Segundo o porta-voz do ACNUR, mais de 100 refugiados rohingya morreram afogados em naufrágios e incidentes com embarcações desde o início da crise, em 25 de agosto. Foto: ACNUR/Andrew McConnell

ONU alerta para mortes no mar em meio a fuga de pessoas rohingya de Mianmar

Refugiados continuam fugindo de Mianmar em direção a Bangladesh, após quase três meses desde o início da violência, no final de agosto. Segundo o porta-voz da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), por desespero, muitos estão usando formas inseguras de transporte para escapar.

ONU aponta para “padrão de atrocidades generalizadas”, citando estupros – incluindo coletivos – “nudez pública forçada e escravidão sexual em cativeiro militar direcionada a mulheres e meninas rohingya”.

Ação digital da ONU Mulheres no Brasil visa colocar negras no centro da Agenda 2030

Na Semana da Consciência Negra, a ONU Mulheres e o Movimento de Mulheres Negras promovem uma ação digital nas redes sociais com o objetivo de colocar as afrodescendentes no centro das ações da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável.

A iniciativa se integra às ações da ONU Mulheres na campanha dos 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres, que acontece até 10 de dezembro, Dia Internacional dos Direitos Humanos.

O concurso tem como objetivo selecionar vídeos que promovam uma reflexão sobre as comunidades afrodescendentes e a busca do pleno exercício de seus direitos. Foto: EBC

Concurso recebe inscrições para vídeos sobre comunidades afrodescendentes

O programa IberCultura Viva e a representação no Brasil da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) lançam no Dia Nacional da Consciência Negra (20 de novembro) o concurso de curtas-metragens “Comunidades Afrodescendentes: Reconhecimento, Justiça e Desenvolvimento”.

As inscrições estão abertas até 15 de fevereiro de 2018. O concurso tem como objetivo selecionar vídeos que promovam uma reflexão sobre as comunidades afrodescendentes e a busca do pleno exercício de seus direitos culturais e/ou valorizem sua contribuição para a constituição, a promoção e o desenvolvimento da cultura ibero-americana.

Foto de arquivo de 2008 mostra crianças afro-colombianas deslocadas no assentamento ‘Familias en Acción’ no Pacífico, perto do porto de Tumaco. As comunidades afro-colombianas, na costa colombiana do Pacífico, sofreram altos níveis de violência. Foto: ACNUR/Marie-Helene Verney

Colômbia: suspensão do conflito com ELN teve impacto positivo

Missão da ONU estabeleceu equipes de verificação do cessar-fogo entre o governo colombiano e o Exército de Libertação Nacional (ELN) que estão em operação atualmente. Em diversas regiões na Colômbia a situação humanitária da população foi impactada de forma positiva pela suspensão do confronto armado; em outras, desafios graves permanecem.

Em comunicado separado, agência da ONU para refugiados alertou para assassinatos de líderes comunitários. Subsecretário-geral da ONU visitou o país. para avaliar rumos do acordo de paz.

A população carcerária brasileira é a quarta maior do mundo em termos absolutos e já chegou a mais de 622 mil detentos, segundo dados do Departamento Penitenciário Nacional do Ministério da Justiça. Foto: EBC

ONU e PGR lembram importância de diferenciar usuários de traficantes de drogas

Reunião realizada na semana passada (13) entre a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, e o representante regional do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC), Rafael Franzini, discutiu a importância de assegurar tratamento diferenciado para usuários e traficantes de drogas.

A procuradora-geral da República lembrou que o Ministério da Justiça trabalha na elaboração de uma resolução que trará parâmetros objetivos para assegurar a diferenciação entre usuários e traficantes, em cumprimento a uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF).

ONU Mulheres divulga novos dados de pesquisa sobre violência contra as mulheres no Nordeste. Foto: Mídia Ninja

ONU Mulheres divulga na quinta (23) estudo sobre violência de gênero no Nordeste

A ONU Mulheres divulgará na quinta-feira (23) estudo inédito sobre violência baseada em gênero no Nordeste brasileiro, detalhando situação de vulnerabilidade racial e socioeconômica das vítimas.

O estudo é realizado por Universidade Federal do Ceará, Instituto para Estudos Avançados de Toulouse e Instituto Maria da Penha, em cooperação com a Secretaria Nacional de Políticas para as Mulheres, com apoio do Instituto Avon. A divulgação é feita em parceria com a ONU Mulheres Brasil.

Na Líbia, dezenas de migrantes dormem em cela de centro de detenção em Trípoli. Foto: ACNUR

Detenção de migrantes na Líbia é um ‘ultraje à consciência da humanidade’, diz ONU

O apoio da União Europeia (UE) à guarda costeira da Líbia, o que resultou na detenção de milhares de migrantes em condições “degradantes”, é “desumano”, disse na terça-feria (14) o alto-comissário das Nações Unidas para os direitos humanos, Zeid Ra’ad al Hussein.

“Os relatores ficaram chocados com o que testemunharam: milhares de homens, mulheres e crianças definhando, traumatizados e empilhados uns nos outros, trancados em hangares sem acesso às necessidades básicas e despojados de sua dignidade humana”, disse um porta-voz do ACNUDH em uma coletiva de imprensa em Genebra.

Membro das forças de paz da ONU planta árvore em El Fasher, no Sudão. Foto: ONU/Albert Gonzalez Farran

Meio ambiente também é vítima de guerras e conflitos, diz chefe da ONU

Lembrando o Dia Internacional para a Prevenção da Exploração do Meio Ambiente em Tempos de Guerra e Conflito Armado, 6 de novembro, o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, ressaltou a necessidade de reconhecer que o meio ambiente também é vítima das guerras.

“Áreas da Europa ainda são afetadas por contaminação por metais pesados de munições utilizadas durante a Primeira Guerra Mundial”, disse Guterres.

Uma criança carrega uma bolsa com lenha que ela comprou para sua família em Ghouta, cidade sitiada na Síria. Foto: UNICEF / Al Shami

Rússia veta pela 10ª vez medidas do Conselho de Segurança para a Síria desde início da guerra

Estados-membros do Conselho de Segurança rejeitaram duas propostas de resolução que buscavam levar adiante as investigações sobre o uso de armas químicas na Síria. Medidas renovariam por um ano o mandato do Mecanismo Investigativo Conjunto da ONU e da Organização para a Proibição de Armas Químicas. Operações da entidade se encerram nesta sexta-feira (17).

Na quinta-feira (16), os Estados Unidos apresentaram um texto vetado pela Rússia. A votação teve um voto negativo da Bolívia e abstenções da China e do Egito. Essa foi a décima vez em que a Rússia vetou ações do Conselho de Segurança para a Síria desde o início da guerra.

Crianças se banham em um lago formado por poços de escavação em Bentiu, Sudão do Sul. Em todo o país, apenas 41% das crianças têm acesso a água segura e limpa. Foto: UNICEF / Hatcher-Moore

Papa Francisco faz doação para ajudar 30 mil pessoas no Sudão do Sul

Cerca de 5 mil famílias vivendo no Sudão do Sul são as beneficiárias de uma doação de 25 mil euros feita neste mês pelo Papa Francisco. A verba foi doada para a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), que usou o montante para fornecer sementes e outros insumos agrícolas para pequenos produtores da região de Yei, na província de Equatoria Central. Financiamento está melhorando a vida de 30 mil pessoas.

Aluno de Marabá apresenta o resultado de atividades realizadas em sala de aula com a metodologia ECOAR. Foto: Magno Barros

OIT capacita educadores do Pará no combate ao trabalho infantil

Após dois meses de atividade em sala de aula, alunos das redes de escolas municipais de Marabá e Xinguara — localizados na região de Carajás, no sudeste do Pará — apresentaram os resultados alcançados com a metodologia Educação, Comunicação e Arte na Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente (ECOAR), uma estrutura multidisciplinar que estimula o debate, a criatividade nas práticas escolares para a conscientização e o enfrentamento do trabalho infantil.

Desenvolvido pela Organização Internacional do Trabalho (OIT), o ECOAR é um material didático composto por 18 módulos. Ele permite que educadores trabalhem temas relacionados aos direitos humanos das crianças em suas atividades educativas, estimulando o protagonismo de meninas e meninos, propondo o debate e disseminando práticas que promovam a prevenção e a eliminação do trabalho infantil.

Em Kidal, norte do Mali, soldado das forças de paz da ONU caminha em meio a campo da MINUSMA destruído por ataque em junho de 2017. Foto: ONU/Sylvain Liechti

Países reunidos no Canadá comprometem-se a melhorar eficiência das missões de paz da ONU

A Conferência Ministerial da Defesa da Paz, realizada esta semana em Vancouver, no Canadá, estabeleceu 46 compromissos com o objetivo de tornar as missões de paz das Nações Unidas mais eficientes.

O evento reuniu cerca de 550 representantes de 79 Estados-membros para discutir os desafios cada vez mais complexos enfrentados pelas forças de paz e por agentes de campo nas 15 missões da ONU pelo mundo.

Secretário-geral da ONU, António Guterres. Foto: ONU/Mark Garten

Zimbábue: ONU pede que diferenças políticas sejam resolvidas de forma pacífica

Forças armadas do Zimbábue colocaram o presidente Robert Mugabe, que chefia o país desde 1980, sob prisão domiciliar. Secretário-geral da ONU elogiou esforços iniciados pela Comunidade de Desenvolvimento da África Austral “para facilitar uma solução pacífica para a situação” e “permanece em contato com o presidente da Comissão da União Africana e líderes regionais em apoio a tais esforços”.

Secretário-geral da ONU, António Guterres. Foto: ONU/Violaine Martin

‘Unidade, solidariedade e colaboração’ podem derrotar terrorismo e reforçar direitos, diz Guterres

No ano passado, mais de 25 mil pessoas morreram e 33 mil ficaram feridas em pelo menos 11 mil ataques terroristas em mais de 100 países; quase três quartos de todas as mortes causadas pelo terrorismo se deram em apenas cinco países: Iraque, Afeganistão, Síria, Nigéria e Somália.

“O terrorismo é fundamentalmente a negação e a destruição dos direitos humanos”, disse o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, durante palestra na Universidade de Londres nessa quinta-feira (16).

Papa Francisco discursa na 2ª Conferência Internacional sobre Nutrição (ICN2) na sede da FAO, em Roma. Foto: FAO / Giulio Napolitano

Papa Francisco critica gastos com armas nucleares e pede mais investimentos para combate à pobreza

Investimentos em armas nucleares poderiam ser redirecionados para resolver os reais problemas do mundo, como a pobreza, a falta de educação e a proteção ambiental. A avaliação é do papa Francisco, que se pronunciou neste mês (10) contra o que chamou de “corrida armamentista”. Segundo o pontífice, armamentos atômicos “não podem constituir a base de uma coexistência pacífica” entre os povos.

Plantação de papoulas no Afeganistão. Foto: UNODC

Produção de ópio no Afeganistão tem aumento de 87% este ano

Foram 9 mil toneladas em 2017, um aumento recorde se comparado a 2016. Dados foram divulgados pelo Ministério Antinarcótico do país e pelo Escritório da ONU sobre Drogas e Crime, UNODC.

Aumento também da insurgência e das atividades grupos terroristas, bem como da oferta em heroína de alta qualidade e baixo custo, alcança consumidores em todo o mundo – aumentado assim as desastrosas consequências desse tipo de comércio.

Abdullah, de 6 anos, no leste Ghouta, perto de Damasco, na Síria; eles fugiram de um bombardeio recentemente. Foto: UNICEF/Almohibany

Síria: ONU pede acesso imediato e irrestrito para salvar vidas em zona rural de Damasco

Situação volta a se complicar após comboio ter alcançado região no final de outubro. Milhares de pessoas continuam vivendo em dez áreas sitiadas na Síria.

Segundo a OMS, há relatos de escassez grave de alimentos e de itens médicos no leste de Ghouta, zona rural da capital Damasco, onde até 400 mil pessoas continuam sitiadas e sem acesso a assistência vital.

Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) relata lenta volta à normalidade em Alepo, onde combates chegaram ao fim.

UNESCO: filosofia ajuda a construir sociedades mais tolerantes e respeitosas

Em mensagem para o Dia Mundial da Filosofia, lembrado nesta quinta-feira (16), a diretora-geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), Audrey Azoulay, afirmou que esta estimula o diálogo entre as culturas.

“Para a UNESCO, a filosofia também é o meio de liberar o potencial criativo da humanidade, e fazer emergir as novas ideias. A filosofia cria condições intelectuais para a mudança, o desenvolvimento sustentável e a paz.”

Mercado em Gaza. Foto: Banco Mundial/Arne Hoel

Enviado da ONU elogia retorno do controle das fronteiras de Gaza à Autoridade Palestina

O enviado especial das Nações Unidas para o Processo de Paz no Oriente Médio, Nickolay Mladenov, elogiou no início de novembro (1) a devolução completa das passagens de fronteira de Gaza ao controle da Autoridade Palestina.

“A devolução das passagens deve facilitar a revogação dos bloqueios fronteiriços ao abordar as preocupações de segurança legítimas de Israel e resultar no aumento do apoio internacional para a reconstrução, crescimento, estabilidade e prosperidade de Gaza”, disse Mladenov.

Civis desalojados no Iêmen. Foto: ACNUR

Iêmen poderá passar por ‘maior fome que mundo já viu em décadas, com milhões de vítimas’

Chefe humanitário da ONU visitou país abalado por conflitos no final de outubro e alertou sobre bloqueio promovido pelo país. Apesar das condições desafiadoras e da falta de financiamento, as Nações Unidas e parceiros humanitários estão prestando assistência direta a mais de 7 milhões de pessoas por mês.

Desde março de 2015, o número de mortos nos combates no Iêmen é de 5.295. Mais de 8,8 mil pessoas ficaram feridas. O país também está passando pela epidemia de cólera de crescimento mais rápido já registrado. Até o dia 1º de novembro, houve cerca de 895 mil casos suspeitos – mais da metade em crianças –, com cerca de 2,2 mil mortes associadas desde 27 de abril.

Destroços e alguns prédios remanescentes na cidade de Mossul, Iraque, após intenso conflito armado entre as forças iraquianas e o ISIL. Foto: OCHA/Themba Linden

Na Síria, governo e ISIL são responsáveis por armas químicas; crimes também ocorreram em Mossul

Chefe de uma investigação encomendada pelo Conselho de Segurança das Nações Unidas informou que o Estado Islâmico do Iraque e do Levante (ISIL/Da’esh) foi o responsável pelo uso do agente mostarda de enxofre num ataque em Umm Hawsh, em setembro de 2016, e o governo sírio foi responsável pela liberação de gás sarin em Khan Shaykhun, em abril de 2017. Crimes em Mossul, no Iraque, também são alvo de investigação.

O campo de Zaatari, na Jordânia, fez a mudança para energia limpa no dia 13 de novembro, inaugurando a maior usina de energia solar já construída num campo de refugiados. Foto: ACNUR/Yousef Al Hariri

Campo na Jordânia inaugura maior usina de energia solar construída em assentamento de refugiados

A maior usina de energia solar já construída em um campo de refugiados foi inaugurada no início da semana (13), na Jordânia. Instalado nos arredores do acampamento de Zaatari, o sistema levará mais energia para mais de 80 mil refugiados sírios que vivem no local. A nova fonte de energia também vai permitir à Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) economizar cerca de 5,5 milhões de dólares. A verba será reinvestida em outros projetos de assistência humanitária.

Nova missão da ONU no Haiti sucederá MINUSTAH e terá pouco mais de mil policiais em seu efetivo. Foto: ONU/Marco Dormino

Falta de profissionais e equipamentos em operações de paz da ONU será debatida em conferência no Canadá

Atualmente, as operações de paz da ONU registram uma carência de 580 veículos de combate e outros mil de apoio militar. Em entrevista para o serviço de notícias da ONU em português, o subsecretário-geral da ONU para Apoio ao Terreno, Atul Khare, alertou ainda para a falta de médicos e remédios em hospitais. Problemas das missões são tema de conferência internacional que começou nesta terça-feira (13) em Vancouver, no Canadá.

Divulgação/ONU

Campanha Vidas Negras é apresentada ao Conselho Nacional de Promoção da Igualdade Racial, em Brasília

Conselheiras e conselheiros de promoção da igualdade racial puderam conhecer mais a fundo na segunda-feira (13), durante reunião em Brasília (DF), o conteúdo e a estratégia da Vidas Negras, campanha nacional das Nações Unidas pelo fim da violência contra a juventude negra.

A ONU foi representada no encontro por Ismália Afonso, do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), e Lázaro Silva, do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS), que apresentaram propostas e materiais da iniciativa e buscaram, sobretudo, ouvir as expectativas de representantes da sociedade civil e do governo federal.

Palácio da Paz em Haia, sede da Corte Internacional de Justiça, em 1957. Foto: ONU/VW

Juiz brasileiro será responsável pelos arquivos do tribunal que julgou nazistas alemães

Os arquivos do Tribunal Militar de Nuremberg — a corte responsável por julgar réus envolvidos nas atrocidades cometidas pelo regime nazista da Alemanha — passarão a fazer parte das exposições permanentes do Museu do Holocausto, em Washington, e do Memorial da Shoa, em Paris. A informação foi dada ao serviço de notícias da ONU em português, a ONU News, pelo brasileiro e juiz da Corte Internacional de Justiça (CIJ), Antônio Augusto Cançado Trindade, que ficará encarregado da custódia do acervo.