Na Líbia, dezenas de migrantes dormem em cela de centro de detenção em Trípoli. Foto: ACNUR

Detenção de migrantes na Líbia é um ‘ultraje à consciência da humanidade’, diz ONU

O apoio da União Europeia (UE) à guarda costeira da Líbia, o que resultou na detenção de milhares de migrantes em condições “degradantes”, é “desumano”, disse na terça-feria (14) o alto-comissário das Nações Unidas para os direitos humanos, Zeid Ra’ad al Hussein.

“Os relatores ficaram chocados com o que testemunharam: milhares de homens, mulheres e crianças definhando, traumatizados e empilhados uns nos outros, trancados em hangares sem acesso às necessidades básicas e despojados de sua dignidade humana”, disse um porta-voz do ACNUDH em uma coletiva de imprensa em Genebra.

Membro das forças de paz da ONU planta árvore em El Fasher, no Sudão. Foto: ONU/Albert Gonzalez Farran

Meio ambiente também é vítima de guerras e conflitos, diz chefe da ONU

Lembrando o Dia Internacional para a Prevenção da Exploração do Meio Ambiente em Tempos de Guerra e Conflito Armado, 6 de novembro, o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, ressaltou a necessidade de reconhecer que o meio ambiente também é vítima das guerras.

“Áreas da Europa ainda são afetadas por contaminação por metais pesados de munições utilizadas durante a Primeira Guerra Mundial”, disse Guterres.

Uma criança carrega uma bolsa com lenha que ela comprou para sua família em Ghouta, cidade sitiada na Síria. Foto: UNICEF / Al Shami

Rússia veta pela 10ª vez medidas do Conselho de Segurança para a Síria desde início da guerra

Estados-membros do Conselho de Segurança rejeitaram duas propostas de resolução que buscavam levar adiante as investigações sobre o uso de armas químicas na Síria. Medidas renovariam por um ano o mandato do Mecanismo Investigativo Conjunto da ONU e da Organização para a Proibição de Armas Químicas. Operações da entidade se encerram nesta sexta-feira (17).

Na quinta-feira (16), os Estados Unidos apresentaram um texto vetado pela Rússia. A votação teve um voto negativo da Bolívia e abstenções da China e do Egito. Essa foi a décima vez em que a Rússia vetou ações do Conselho de Segurança para a Síria desde o início da guerra.

Crianças se banham em um lago formado por poços de escavação em Bentiu, Sudão do Sul. Em todo o país, apenas 41% das crianças têm acesso a água segura e limpa. Foto: UNICEF / Hatcher-Moore

Papa Francisco faz doação para ajudar 30 mil pessoas no Sudão do Sul

Cerca de 5 mil famílias vivendo no Sudão do Sul são as beneficiárias de uma doação de 25 mil euros feita neste mês pelo Papa Francisco. A verba foi doada para a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), que usou o montante para fornecer sementes e outros insumos agrícolas para pequenos produtores da região de Yei, na província de Equatoria Central. Financiamento está melhorando a vida de 30 mil pessoas.

Aluno de Marabá apresenta o resultado de atividades realizadas em sala de aula com a metodologia ECOAR. Foto: Magno Barros

OIT capacita educadores do Pará no combate ao trabalho infantil

Após dois meses de atividade em sala de aula, alunos das redes de escolas municipais de Marabá e Xinguara — localizados na região de Carajás, no sudeste do Pará — apresentaram os resultados alcançados com a metodologia Educação, Comunicação e Arte na Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente (ECOAR), uma estrutura multidisciplinar que estimula o debate, a criatividade nas práticas escolares para a conscientização e o enfrentamento do trabalho infantil.

Desenvolvido pela Organização Internacional do Trabalho (OIT), o ECOAR é um material didático composto por 18 módulos. Ele permite que educadores trabalhem temas relacionados aos direitos humanos das crianças em suas atividades educativas, estimulando o protagonismo de meninas e meninos, propondo o debate e disseminando práticas que promovam a prevenção e a eliminação do trabalho infantil.

Em Kidal, norte do Mali, soldado das forças de paz da ONU caminha em meio a campo da MINUSMA destruído por ataque em junho de 2017. Foto: ONU/Sylvain Liechti

Países reunidos no Canadá comprometem-se a melhorar eficiência das missões de paz da ONU

A Conferência Ministerial da Defesa da Paz, realizada esta semana em Vancouver, no Canadá, estabeleceu 46 compromissos com o objetivo de tornar as missões de paz das Nações Unidas mais eficientes.

O evento reuniu cerca de 550 representantes de 79 Estados-membros para discutir os desafios cada vez mais complexos enfrentados pelas forças de paz e por agentes de campo nas 15 missões da ONU pelo mundo.

Secretário-geral da ONU, António Guterres. Foto: ONU/Mark Garten

Zimbábue: ONU pede que diferenças políticas sejam resolvidas de forma pacífica

Forças armadas do Zimbábue colocaram o presidente Robert Mugabe, que chefia o país desde 1980, sob prisão domiciliar. Secretário-geral da ONU elogiou esforços iniciados pela Comunidade de Desenvolvimento da África Austral “para facilitar uma solução pacífica para a situação” e “permanece em contato com o presidente da Comissão da União Africana e líderes regionais em apoio a tais esforços”.

Secretário-geral da ONU, António Guterres. Foto: ONU/Violaine Martin

‘Unidade, solidariedade e colaboração’ podem derrotar terrorismo e reforçar direitos, diz Guterres

No ano passado, mais de 25 mil pessoas morreram e 33 mil ficaram feridas em pelo menos 11 mil ataques terroristas em mais de 100 países; quase três quartos de todas as mortes causadas pelo terrorismo se deram em apenas cinco países: Iraque, Afeganistão, Síria, Nigéria e Somália.

“O terrorismo é fundamentalmente a negação e a destruição dos direitos humanos”, disse o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, durante palestra na Universidade de Londres nessa quinta-feira (16).

Papa Francisco discursa na 2ª Conferência Internacional sobre Nutrição (ICN2) na sede da FAO, em Roma. Foto: FAO / Giulio Napolitano

Papa Francisco critica gastos com armas nucleares e pede mais investimentos para combate à pobreza

Investimentos em armas nucleares poderiam ser redirecionados para resolver os reais problemas do mundo, como a pobreza, a falta de educação e a proteção ambiental. A avaliação é do papa Francisco, que se pronunciou neste mês (10) contra o que chamou de “corrida armamentista”. Segundo o pontífice, armamentos atômicos “não podem constituir a base de uma coexistência pacífica” entre os povos.

Plantação de papoulas no Afeganistão. Foto: UNODC

Produção de ópio no Afeganistão tem aumento de 87% este ano

Foram 9 mil toneladas em 2017, um aumento recorde se comparado a 2016. Dados foram divulgados pelo Ministério Antinarcótico do país e pelo Escritório da ONU sobre Drogas e Crime, UNODC.

Aumento também da insurgência e das atividades grupos terroristas, bem como da oferta em heroína de alta qualidade e baixo custo, alcança consumidores em todo o mundo – aumentado assim as desastrosas consequências desse tipo de comércio.

Abdullah, de 6 anos, no leste Ghouta, perto de Damasco, na Síria; eles fugiram de um bombardeio recentemente. Foto: UNICEF/Almohibany

Síria: ONU pede acesso imediato e irrestrito para salvar vidas em zona rural de Damasco

Situação volta a se complicar após comboio ter alcançado região no final de outubro. Milhares de pessoas continuam vivendo em dez áreas sitiadas na Síria.

Segundo a OMS, há relatos de escassez grave de alimentos e de itens médicos no leste de Ghouta, zona rural da capital Damasco, onde até 400 mil pessoas continuam sitiadas e sem acesso a assistência vital.

Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) relata lenta volta à normalidade em Alepo, onde combates chegaram ao fim.

UNESCO: filosofia ajuda a construir sociedades mais tolerantes e respeitosas

Em mensagem para o Dia Mundial da Filosofia, lembrado nesta quinta-feira (16), a diretora-geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), Audrey Azoulay, afirmou que esta estimula o diálogo entre as culturas.

“Para a UNESCO, a filosofia também é o meio de liberar o potencial criativo da humanidade, e fazer emergir as novas ideias. A filosofia cria condições intelectuais para a mudança, o desenvolvimento sustentável e a paz.”

Mercado em Gaza. Foto: Banco Mundial/Arne Hoel

Enviado da ONU elogia retorno do controle das fronteiras de Gaza à Autoridade Palestina

O enviado especial das Nações Unidas para o Processo de Paz no Oriente Médio, Nickolay Mladenov, elogiou no início de novembro (1) a devolução completa das passagens de fronteira de Gaza ao controle da Autoridade Palestina.

“A devolução das passagens deve facilitar a revogação dos bloqueios fronteiriços ao abordar as preocupações de segurança legítimas de Israel e resultar no aumento do apoio internacional para a reconstrução, crescimento, estabilidade e prosperidade de Gaza”, disse Mladenov.

Civis desalojados no Iêmen. Foto: ACNUR

Iêmen poderá passar por ‘maior fome que mundo já viu em décadas, com milhões de vítimas’

Chefe humanitário da ONU visitou país abalado por conflitos no final de outubro e alertou sobre bloqueio promovido pelo país. Apesar das condições desafiadoras e da falta de financiamento, as Nações Unidas e parceiros humanitários estão prestando assistência direta a mais de 7 milhões de pessoas por mês.

Desde março de 2015, o número de mortos nos combates no Iêmen é de 5.295. Mais de 8,8 mil pessoas ficaram feridas. O país também está passando pela epidemia de cólera de crescimento mais rápido já registrado. Até o dia 1º de novembro, houve cerca de 895 mil casos suspeitos – mais da metade em crianças –, com cerca de 2,2 mil mortes associadas desde 27 de abril.

Destroços e alguns prédios remanescentes na cidade de Mossul, Iraque, após intenso conflito armado entre as forças iraquianas e o ISIL. Foto: OCHA/Themba Linden

Na Síria, governo e ISIL são responsáveis por armas químicas; crimes também ocorreram em Mossul

Chefe de uma investigação encomendada pelo Conselho de Segurança das Nações Unidas informou que o Estado Islâmico do Iraque e do Levante (ISIL/Da’esh) foi o responsável pelo uso do agente mostarda de enxofre num ataque em Umm Hawsh, em setembro de 2016, e o governo sírio foi responsável pela liberação de gás sarin em Khan Shaykhun, em abril de 2017. Crimes em Mossul, no Iraque, também são alvo de investigação.

O campo de Zaatari, na Jordânia, fez a mudança para energia limpa no dia 13 de novembro, inaugurando a maior usina de energia solar já construída num campo de refugiados. Foto: ACNUR/Yousef Al Hariri

Campo na Jordânia inaugura maior usina de energia solar construída em assentamento de refugiados

A maior usina de energia solar já construída em um campo de refugiados foi inaugurada no início da semana (13), na Jordânia. Instalado nos arredores do acampamento de Zaatari, o sistema levará mais energia para mais de 80 mil refugiados sírios que vivem no local. A nova fonte de energia também vai permitir à Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) economizar cerca de 5,5 milhões de dólares. A verba será reinvestida em outros projetos de assistência humanitária.

Nova missão da ONU no Haiti sucederá MINUSTAH e terá pouco mais de mil policiais em seu efetivo. Foto: ONU/Marco Dormino

Falta de profissionais e equipamentos em operações de paz da ONU será debatida em conferência no Canadá

Atualmente, as operações de paz da ONU registram uma carência de 580 veículos de combate e outros mil de apoio militar. Em entrevista para o serviço de notícias da ONU em português, o subsecretário-geral da ONU para Apoio ao Terreno, Atul Khare, alertou ainda para a falta de médicos e remédios em hospitais. Problemas das missões são tema de conferência internacional que começou nesta terça-feira (13) em Vancouver, no Canadá.

Divulgação/ONU

Campanha Vidas Negras é apresentada ao Conselho Nacional de Promoção da Igualdade Racial, em Brasília

Conselheiras e conselheiros de promoção da igualdade racial puderam conhecer mais a fundo na segunda-feira (13), durante reunião em Brasília (DF), o conteúdo e a estratégia da Vidas Negras, campanha nacional das Nações Unidas pelo fim da violência contra a juventude negra.

A ONU foi representada no encontro por Ismália Afonso, do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), e Lázaro Silva, do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS), que apresentaram propostas e materiais da iniciativa e buscaram, sobretudo, ouvir as expectativas de representantes da sociedade civil e do governo federal.

Palácio da Paz em Haia, sede da Corte Internacional de Justiça, em 1957. Foto: ONU/VW

Juiz brasileiro será responsável pelos arquivos do tribunal que julgou nazistas alemães

Os arquivos do Tribunal Militar de Nuremberg — a corte responsável por julgar réus envolvidos nas atrocidades cometidas pelo regime nazista da Alemanha — passarão a fazer parte das exposições permanentes do Museu do Holocausto, em Washington, e do Memorial da Shoa, em Paris. A informação foi dada ao serviço de notícias da ONU em português, a ONU News, pelo brasileiro e juiz da Corte Internacional de Justiça (CIJ), Antônio Augusto Cançado Trindade, que ficará encarregado da custódia do acervo.

Jovens são 11% da população do Brasil. Foto: AGECOM/Carol Garcia.

Fundo de População da ONU destaca importância da juventude para conquista de objetivos globais

Os jovens devem estar engajados com os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) para garantir que suas metas sejam cumpridas, disse a oficial de programa do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), Anna Cunha, na sexta-feira (10), durante evento em Brasília (DF).

“Para isso, se faz necessário adotar medidas eficazes que contribuam para mudar a realidade dessa parcela da sociedade que em muitos casos se encontra em vulnerabilidade social e à margem de direitos humanos que são essenciais para uma vida digna”, ressaltou.

Vigília na sede da OEA, em Washington, nos Estados Unidos, pela ativista ambiental e líder indígena hondurenha Berta Cáceres, assassinada em 2016. Foto: CIDH/Daniel Cima

ONU e CIDH lançam mecanismo conjunto de proteção a defensores dos direitos humanos

O escritório de direitos humanos das Nações Unidas e sua homóloga nas Américas lançaram um novo e mais profundo plano de cooperação para abordar um dos problemas mais proeminentes da região — a proteção dos defensores dos direitos humanos.

Em 2016, três em cada quatro assassinatos de defensores de direitos humanos em todo o mundo ocorreram nas Américas, e 41% desses assassinatos foram de pessoas que se opuseram a projetos extrativistas ou de desenvolvimento ou defenderam o direito à terra e a recursos naturais por parte de povos indígenas.

(Imagem: divulgação/Marinha do Brasil)

ONU e Marinha promovem evento no Rio sobre participação brasileira na MINUSTAH

A Marinha do Brasil, o Centro de Informação das Nações Unidas para o Brasil (UNIC Rio) e outras instituições promovem nos dias 28 e 29 de novembro no Rio de Janeiro evento para analisar os 13 anos de participação brasileira na Missão da ONU para Estabilização do Haiti (MINUSTAH).

Entre os palestrantes, estarão presentes o ministro da Defesa, Raul Jungmann; o subsecretário-geral da ONU para Operações de Paz, Jean-Pierre Lacroix; e autoridades nacionais e internacionais.

Uma criança carrega uma bolsa com lenha que ela comprou para sua família em Ghouta, cidade sitiada na Síria. Foto: UNICEF / Al Shami

Conflito na Síria já durou mais que Segunda Guerra Mundial, lembra enviado humanitário da ONU

Embora tenha havido um período de redução dos conflitos em muitas áreas da Síria – reduzindo o sofrimento humano até certo ponto –, as batalhas agora parecem estar retornando em alguns dos “dias mais sombrios” do conflito. O alerta foi feito por um representante das Nações Unidas nessa semana.

A situação é particularmente preocupante no leste de Ghouta, perto da capital Damasco, onde cerca de 400 mil homens, mulheres e crianças vivem em cidades e aldeias sitiadas. Preços extremamente altos colocaram alimentos e suprimentos básicos fora do alcance da maioria da população.

Volker Türk, alto-comissário assistente do ACNUR para proteção, visita refugiados no campo de Kutupalong, em Bangladesh. Foto: ACNUR/Roger Arnold.

Mianmar: população rohingya precisa ter garantias de retorno seguro, afirma oficial da ONU

O alto-comissário assistente para proteção da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), Volker Türk, concluiu na terça-feira (7) sua visita a Bangladesh com um apelo pela diminuição do impacto de refugiados em comunidades de acolhida, e pelo respeito ao direito dos rohingya de retornarem para casa.

Durante sua visita de cinco dias, Türk reuniu-se com alguns dos cerca de 600 mil refugiados forçados a fugir devido a atos de violência em Rakhine, ao norte de Mianmar, desde meados de agosto. Ele testemunhou em primeira-mão a relação entre deslocamento forçado e apatridia.

Laís Abramo, diretora da Divisão de Desenvolvimento Social da CEPAL,. participou da reunião no Rio. Foto: UNIC Rio/Pedro Andrade

Nações Unidas discutem abordagem policial e racismo no Brasil

Jovens negros brasileiros são frequentemente vítimas de ações abusivas das forças policiais que, de maneira seletiva, prendem, fazem buscas pessoais e operações de vigilância que geram taxas desproporcionais de aprisionamento dessa população.

Pensando nesse problema, o Escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH) promoveu esta semana (8 e 9) no Rio de Janeiro uma reunião sobre o chamado “racial profiling”, ou “perfilamento racial”.