O especialista em gestão de projetos e ponto focal em Justiça e Cidadania do Escritório das Nações Unidas de Serviços para Projetos (UNOPS) na América Latina, Jack Camelq, participou do debate “Panorama e perspectivas para o sistema socioeducativo em meio fechado no Brasil e em Santa Catarina”, em Florianópolis. Foto: MPSC

UNOPS discute em Florianópolis qualidade das instalações do sistema socioeducativo

O especialista em gestão de projetos e ponto focal em Justiça e Cidadania do Escritório das Nações Unidas de Serviços para Projetos (UNOPS) na América Latina, Jack Camelq, participou na sexta-feira (23) de debate em Florianópolis (SC) sobre perspectivas para o sistema socioeducativo em meio fechado no Brasil.

Na ocasião, Camelq explicou que o UNOPS tem contribuído com o Ministério de Direitos Humanos para a redução do custo de obra de unidades de internação socioeducativa, preservando a qualidade do atendimento do sistema.

Indígenas venezuelanos da etnia warao e eñepas em abrigo em Boa Vista, Roraima. Foto: OIM

ONU e governo levam assistência para indígenas venezuelanos no Pará

Em Belém (PA), a Defensoria Pública da União (DPU) levou assistência jurídica e social para mais de 300 indígenas venezuelanos da etnia warao. Em outubro e novembro, o organismo implementou na capital paraense o seu programa itinerante de apoio, com o intuito de identificar violações dos direitos dessa população.

Iniciativa teve a participação da Ação Global contra o Tráfico de Pessoas e o Contrabando de Migrantes (GLO.ACT), um projeto do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crimes (UNODC).

A violência contra as mulheres – particularmente a violência por parte de parceiros e a violência sexual – é um grande problema de saúde pública e de violação dos direitos humanos das mulheres. Foto: George Campos/USP Imagens

ONU promove mais de 30 atividades no Brasil pelo fim da violência contra mulheres

Mais de 30 atividades estão programadas para a campanha global 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres, a serem realizadas por agências das Nações Unidas em nove cidades brasileiras — Brasília (DF), Boa Vista (RR), Campo Grande (MS), João Pessoa (PB), Juazeiro (BA), Manaus (AM), Natal (RN), Rio de Janeiro (RJ) e São Paulo (SP) — até 10 de dezembro.

As iniciativas são lideradas por Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), ONU Mulheres, Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) e Escritório das Nações Unidas de Serviços para Projetos (UNOPS) no contexto da campanha do secretário-geral da ONU “UNA-SE pelo fim da violência contra as mulheres”.

Ato em Brasília contra a LGBTfobia (2016). Foto: Mídia NINJA

Ministério da Justiça e ACNUR divulgam plataforma sobre refúgio devido a orientação sexual

Um levantamento inédito sobre as solicitações de reconhecimento da condição de refugiado feitas no Brasil relacionadas a orientação sexual e identidade de gênero será divulgado nesta quarta-feira (28) pelo Ministério da Justiça e pela Agência da ONU para Refugiados (ACNUR).

O levantamento reúne solicitações de reconhecimento da condição de refugiado submetidas às autoridades brasileiras entre 2010 e 2016 e as decisões do Comitê Nacional para os Refugiados (CONARE) referentes a estes casos proferidas entre 2010 e 2018.

Mais de mil alunos da rede pública do DF participaram do projeto e desenharam a sua visão sobre um dos artigos da Declaração Universal dos Direitos Humanos. Desenhos escolhidos a partir da mobilização agora estão estampados em mural na saída do metrô Galeria dos Estados. Foto: Julia Matravolgyi

Alunos do DF inauguram painel sobre Declaração Universal dos Direitos Humanos

Um painel de 110 metros quadrados foi inaugurado neste mês (22) em Brasília como parte das celebrações dos 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos. Feito de azulejos de cerâmica, o mural é composto por desenhos de estudantes de duas escolas públicas do Distrito Federal.

O projeto é uma parceria entre o Ministério dos Direitos Humanos e o Governo do Distrito Federal e tem apoio da UNESCO​ e do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD)​.

Yusra, seu marido Khaled, sua filha Hanna e sogra Ranoulf na sala de casa. Foto: ACNUR/Érico Hiller

Família síria reconstrói vida em SP após dois anos em campo de refugiados na Jordânia

Yusra e sua família fugiram da guerra na Síria. Eles viveram por dois anos em um campo da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) em Zaatari, na Jordânia, até conseguir viajar ao Brasil e recomeçar a vida em São Paulo.

Foi uma longa e perigosa jornada desde Idlib, próximo à fronteira com a Turquia, até o Brasil. O caminho foi marcado por perdas, violência e tristeza. Mais de 50 amigos da família morreram. Bombas estouraram perto de Yusra e de seus filhos. Com o tempo, cenas de violência e histórias de barbárie se tornaram cotidianas.

Hoje, a vida de Yusra se divide entre tarefas da casa, cuidar da família, frequentar aulas de português e estudar na mesquita do bairro onde mora, na capital paulista. O filho Mustafa trabalha e sustenta a casa, enquanto o marido Khaled busca recolocação no mercado de trabalho. Leia o relato completo.

Projeto do PNUD e do Ministério do Meio Ambiente apoiou comunidades indígenas, quilombolas e extrativistas. Foto: Ministério do Meio Ambiente/Paulo de Araújo

PNUD avalia 10 anos de apoio a comunidades indígenas, quilombolas e extrativistas

O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) promoveu neste mês, em Brasília, um seminário para avaliar os dez anos de um projeto que impulsionou a formulação e implementação de políticas públicas para comunidades indígenas, quilombolas e extrativistas.

Iniciativa fortaleceu várias cadeias produtivas, como a castanha do Brasil, o babaçu, o açaí e o pequi, além de promover a conservação da biodiversidade e dos recursos naturais em todos os biomas brasileiros.

Ao centro da imagem, com a camisa com inscrições 'Te Amo Filho', Bruna da Silva, a mãe do jovem Marcos Vinícius da Silva, assassinado em junho no Complexo da Maré. Imagem feita durante o enterro do estudante de 14 anos. Foto: Agência Brasil/Fernando Frazão

MP-RJ adota resolução para priorizar investigações de homicídios de jovens

No Brasil, 31 adolescentes são assassinados por dia. Em cada dez dessas mortes, uma acontece no estado do Rio de Janeiro. A fim de combater a violência e esclarecer episódios de homicídio, o Ministério Público do RJ assinou neste mês (21) uma resolução que prioriza a investigação e responsabilização de crimes contra jovens.

Medida foi adotada em meio às atividades do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) para lembrar o Dia Mundial da Criança, 20 de novembro. No Brasil, a data coincide com o Dia da Consciência Negra.

O Pró-Semiárido é um projeto de desenvolvimento regional, atuante em 32 municípios com mais baixo índices de pobreza do semiárido baiano. Foto: EBC

Comunidades do semiárido baiano recebem missão do FIDA para avaliação do Pró-Semiárido

Comunidades quilombolas, de fundo de pasto, reassentadas e acampadas no meio rural do semiárido baiano receberam na terça-feira (20) representantes do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA). A visita ocorreu em meio à missão de avaliação de meio termo do Pró-Semiárido, projeto executado pela Secretaria Estadual de Desenvolvimento Rural por meio da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR).

O coordenador-residente do Sistema ONU no Brasil, Niky Fabiancic (direita) e o vice-governador eleito de Roraima, Frutuoso Lins. Foto: PNUD

Vice-governador eleito de Roraima reúne-se com representantes da ONU no Brasil

O vice-governador eleito de Roraima, Frutuoso Lins, visitou na quinta-feira (22) a Casa da ONU em Brasília (DF) para reunião com representantes do Sistema das Nações Unidas no Brasil.

Na ocasião, ele mencionou uma série de desafios enfrentados pelo estado, entre eles o alto fluxo de entrada de migrantes e solicitantes de refúgio da Venezuela e a pobreza extrema.

O coordenador-residente do Sistema ONU no Brasil, Niky Fabiancic, ofereceu ajuda das agências das Nações Unidas para enfrentar os desafios mencionados, e propôs nova reunião para março ou abril do ano que vem, a ser realizada em Roraima.

O diretor de cooperação técnica da Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (UNIDO), Philippe Scholtès (direita), ao lado do ministro das Relações Exteriores do Brasil, Aloysio Nunes Ferreira. Foto: UNIDO

UNIDO participa de evento em Brasília sobre desenvolvimento tecnológico nos BRICs

O diretor de cooperação técnica da Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (UNIDO), Philippe Scholtès, participou nesta semana (22) de seminário em Brasília (DF) sobre inovação e parques científicos dos países dos BRICS — grupo formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul.

O Seminário Internacional sobre Diplomacia da Ciência foi organizado por parceria entre Ministério das Relações Exteriores e Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicação. Reuniu gestores públicos, acadêmicos e especialistas do setor privado, assim como cientistas e gestores de parques tecnológicos, incubadoras e aceleradoras dos países dos BRICs.

O evento discutiu o papel dessas instituições no impulso ao desenvolvimento sustentável e às novas tecnologias, identificando os principais obstáculos para incentivar a cooperação entre os sistemas de inovação dos países do grupo.

A ONU Brasil, em parceria com a Frente Nacional de Prefeitos e a Prefeitura de Recife, realizou o primeiro seminário “Vidas Negras: diálogos sobre ações governamentais de enfrentamento à violência contra as juventudes”. Foto: UNFPA Brasil/Thais Rodrigues

Gestores públicos, ONU e sociedade civil discutem em Recife violência contra juventude negra

Uma pessoa negra entre 15 e 19 anos tem hoje três vezes mais chance de ser assassinada do que uma pessoa branca na mesma faixa etária no país. Pesquisas recentes mostram que este fenômeno também se distribui de forma desigual pelos municípios brasileiros. Em 2015, 111 municípios — ou seja, 2% do total — responderam por metade dos homicídios.

Os dados demonstram que o enfrentamento à violência no Brasil merece atenção de gestoras e gestores públicos. Pensando nisso, a ONU Brasil, em parceria com a Frente Nacional de Prefeitos e a Prefeitura de Recife, realizou esta semana na capital pernambucana o primeiro seminário “Vidas Negras: diálogos sobre ações governamentais de enfrentamento à violência contra as juventudes”.

Campanha Mares Limpos visa combater poluição dos oceanos causada pelo consumo e produção de plástico. Foto: ONU Meio Ambiente/Shawn Heinrichs

Plano nacional para combater poluição no mar lança consulta pública

A poluição plástica é um problema grave no Brasil? Você ou sua organização tem boas ideias para minimizar o lixo que invade nossos oceanos? O Ministério do Meio Ambiente quer saber essas e outras opiniões do público sobre o tema, para fundamentar a construção do Plano de Ação Nacional para o Combate ao Lixo no Mar. Para isso, lançaram um questionário online para entender o que os diversos setores da sociedade pensam e propõem para uma das maiores ameaças aos oceanos: o lixo.

O lançamento aconteceu a Waste Expo Brasil, em São Paulo, dando início à etapa de consulta pública para a elaboração do Plano Nacional — um dos compromissos voluntários assumidos pelo Brasil na Conferência dos Oceanos da ONU, em junho de 2017. O plano, que também é impulsionado pela Campanha Mares Limpos, da ONU Meio Ambiente, tem lançamento previsto para junho do ano que vem e deverá conter uma série de medidas para evitar a poluição da zona costeiro-marinha brasileira.

Evento de lavagem do Cais do Valongo, em 2015. Foto: Milton Guran

Cais do Valongo, no Rio, recebe oficialmente título de Patrimônio Mundial da UNESCO

A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) entrega na sexta-feira (24), às 10h, o título de Patrimônio Mundial da UNESCO do sítio arqueológico Cais do Valongo.

Descoberto em 2011, o sítio foi inscrito na Lista do Patrimônio Mundial da UNESCO em 2017.

O título será entregue pela diretora e representante da UNESCO no Brasil, Marlova Jovchelovitch Noleto, para representantes de instituições federais, estaduais e municipais, assim como para membros da sociedade civil.

Ao longo da programação, os participantes de sete painéis discutirão o papel da inovação e da tecnologia no desenvolvimento sustentável. Foto: PEXELS

Rio receberá 1° Fórum Global de Inovação e Tecnologia em Sustentabilidade

O Centro Mundial para o Desenvolvimento Sustentável (Centro RIO+), do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), realiza no Rio de Janeiro na semana que vem (28 e 29) o 1° Fórum Global de Inovação e Tecnologia em Sustentabilidade (FITS).

Nos dois dias do evento, realizado com o Centro Global de Inovação e Tecnologia em Sustentabilidade, em parceria com o Museu do Amanhã, especialistas discutirão o papel da inovação e da tecnologia no desenvolvimento sustentável.

Projeto busca reduzir emissões de gases de efeito estufa na produção de ferro-gusa, aço e ferroligas, e promover a adoção de boas práticas produtivas na siderurgia para se alcançar sustentabilidade ambiental, social e também econômica. Foto: Rooseveelt Almado (CC)

Workshop discute desempenho socioambiental e econômico no setor siderúrgico

O desempenho socioambiental e econômico das empresas que participam do Projeto Siderurgia Sustentável é tema do workshop realizado esta semana em Inhaúma (MG).

Implementado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e coordenado pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA), o projeto financia empresas selecionadas por meio de edital para o desenvolvimento e adoção de processos produtivos mais limpos.

Anna Cunha, oficial de programa do UNFPA no Brasil. Foto: UNFPA/Webert da Cruz

Seminário em Brasília chama a atenção para pessoas em situação de rua

A autonomia e a transformação social de pessoas que vivem em situação de rua foram tema de seminário realizado esta semana, em Brasília (DF). Promovido por Revista Traços, Universidade de Brasília (UnB) e Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), o evento contou com o apoio e participação do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA).

No evento, o UNFPA levou para o debate a campanha da ONU Brasil Vidas Negras, que defende o fim da violência contra a juventude negra no país e lembra a importância do enfrentamento ao racismo.

Lista da OMS apresenta diagnósticos essenciais para melhorar tratamento e saúde da população. Foto: Agência Brasil

São Paulo promove ações para incentivar testagem de HIV, sífilis e hepatites entre jovens

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), o Instituto Cultural Barong e o Programa Municipal de DST/AIDS (PM DST/AIDS), da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) de São Paulo, lançam no próximo domingo (25) o Viva Melhor Sabendo Jovem.

A iniciativa tem como objetivo incentivar a testagem de HIV, sífilis e hepatites B e C em jovens da capital paulista, além de reforçar a adesão ao tratamento em caso de positividade do(s) exame(s). Para isso, leva uma van a locais que os jovens mais frequentam, e utiliza a metodologia de educação entre pares, isto é, jovens abordando e orientando jovens. O resultado dos testes é informado em cerca de 30 minutos.

Médico cubano do Programa Mais Médicos, Javier Lopez Salazar, atendendo habitante da Aldeia Kumenê. Foto: OPAS

Médicos cubanos da cooperação internacional começam a sair do Brasil

Já estão confirmadas as datas de saída dos primeiros voos de retorno dos médicos cubanos mobilizados por meio da cooperação internacional entre Brasil, Cuba e a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS). Os cinco primeiros partem na próxima quinta-feira (22), sexta-feira (23) e no sábado (24), em direção a Havana.

Alguns dos profissionais da cooperação internacional já começaram a sair dos municípios em direção aos respectivos polos de saída de voo. Está previsto que, até o dia 12 de dezembro deste ano, todos os mais de 8 mil médicos deixem gradualmente o programa.

Jefferson, de 18 anos, da Venezuela (à direita), trabalha no McDonald’s em São Paulo, Brasil. Foto: ACNUR/Miguel Pachioni.

Solicitantes de refúgio venezuelanos fortalecem mercado de trabalho brasileiro

Iniciativas inovadoras criadas no Brasil pelo setor público — envolvendo governo federal, estados e municípios, em colaboração com empresas, Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) e parceiros locais — estão promovendo o acesso ao mercado de trabalho para refugiados e migrantes venezuelanos em diversos setores econômicos, como indústria, serviços, varejo, construção e agricultura.

Desde 2015, 3 milhões de pessoas deixaram a Venezuela. Até o momento, mais de 150 mil venezuelanos entraram no Brasil por Roraima, estado localizado no norte do país, e mais de 75 mil solicitaram refúgio.

Da esquerda para a direita, coordenador-residente do Sistema das Nações Unidas, Niky Fabiancic, encarregada de negócios da UE no país, Claudia Gintersdorfer, e a procuradora-geral da República do Brasil, Raquel Dodge. Foto: Delegação da União Europeia para o Brasil

Evento da União Europeia em Brasília celebra 70 anos da Declaração dos Direitos Humanos

A União Europeia (UE) promoveu no início do mês (10) em Brasília (DF) a 13ª edição da Feira Internacional das Embaixadas, cujo tema deste ano foram as celebrações dos 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos (DUDH).

O evento, que reuniu mais de 80 países e cerca de 50 mil pessoas, teve uma cerimônia institucional conduzida pela encarregada interina de negócios da União Europeia no Brasil, Claudia Gintersdorfer, juntamente a seus convidados, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, e o coordenador-residente do Sistema Nações Unidas no Brasil, Niky Fabiancic.

Meninas fazem lição de casa em frente a tenda em campo de refugiados sírios no oeste de Erbil, no Iraque. Foto: UNICEF/Romenzi

Crianças migrantes e refugiadas do mundo estão sendo excluídas da educação, diz relatório

Crianças migrantes e refugiadas enfrentam duras dificuldades para frequentar escolas e acessar a educação, revelou novo relatório das Nações Unidas divulgado na terça-feira (20), que destacou também falhas estruturais nos sistemas nacionais de ensino, que muitas vezes excluem crianças em situação de deslocamento.

Segundo a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), fatores como escolas não certificadas, idioma diferente e recursos limitados estão mantendo crianças refugiadas e migrantes longe do aprendizado e de perspectivas de um futuro melhor.

“O direito dessas crianças à educação de qualidade, mesmo que cada vez mais reconhecido no papel, é desafiado diariamente em salas de aula e negado por alguns governos”, disse a agência da ONU em comunicado à imprensa, anunciando seu novo Relatório Global de Monitoramento da Educação.

Vista aérea de Brasília. Foto: Agência Brasil

Brasília terá monumento sobre a Declaração Universal dos Direitos Humanos

Como parte das comemorações no Brasil dos 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos (DUDH), o Ministério dos Direitos Humanos, em cooperação com a UNESCO Brasil, inaugura em Brasília uma obra de arte monumental do projeto “Inscrever os Direitos Humanos”. Painel sobre a declaração será instalado na saída do Metrô da Galeria dos Estados, na Asa Sul. Cerimônia de inauguração acontece na quinta-feira (22), às 10h.

Edifício-sede do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro. Foto: MP-RJ/Alziro Xavier

Ministério Público do RJ assina resolução para priorizar apuração de crimes contra jovens

Ação faz parte da mobilização pelo Dia Mundial da Criança, comemorado em 20 de novembro pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e incorporado ao calendário anual do Ministério Público estadual.

Resolução aborda crimes que resultem na morte de crianças e adolescentes. A medida determina que os trâmites relativos à apuração e à responsabilização dessas violações sejam priorizados pelas Promotorias de Justiça.

Governos, setor privado, sociedade civil e academia trabalham pela implementação da Agenda 2030 no Brasil. Foto: PNUD Brasil/Guilherme Larsen

Ipea realiza consulta pública para adaptar metas da ONU à realidade brasileira

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) promove até 16 de dezembro uma consulta pública sobre as metas brasileiras para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas (ODS).

Em 2018, a instituição coordenou o processo governamental de adaptação dos ODS, uma iniciativa pioneira no mundo, que readequou a agenda da ONU às prioridades do Brasil. Agora, a sociedade pode dar sua opinião e enviar sugestões sobre os objetivos adaptados.

Prefeito de Vitória, Luciano Rezende, com os adolescentes Lara Viana, de 14 anos, e Davi Calazans, de 15, em foto de novembro de 2017. Foto: UNICEF

Adolescentes reúnem-se em Vitória para discutir maior participação na gestão municipal

Cerca de 50 estudantes da rede municipal de educação se reuniram nesta terça-feira (20) em Vitória (ES) para discutir caminhos para uma maior participação de adolescentes no desenvolvimento da cidade.

A atividade faz parte da celebração do Dia Mundial da Criança, promovido pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e que integra o calendário do município desde 2017. Celebrada no mundo todo, a data ganha ainda mais importância no Brasil por coincidir com o Dia da Consciência Negra.

Surto de zika é oportunidade de país discutir temas como autonomia sexual e reprodutiva das mulheres, segundo especialistas da ONU. Foto: OPAS

UNICEF discute gravidez na adolescência em Fortaleza

Em 2017, 5.160 bebês nasceram de mães adolescentes em Fortaleza. Diante dessa realidade, o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e a Prefeitura da capital promovem a V Semana do Bebê com o tema “Gravidez na Adolescência: Precisamos conversar sobre isso”.

Com oficinas até a próxima sexta-feira (23) em diferentes espaços públicos, a iniciativa vai difundir informações para evitar as gestações não planejadas entre os jovens.

Jovens negros são as principais vítimas e estão em situação de maior vulnerabilidade à violência no Brasil. Foto: EBC

Articulado pelo UNICEF, comitê de prevenção a homicídios de jovens será lançado em Salvador

Será lançado em Salvador (BA) nesta quarta-feira (21) o Comitê de Prevenção de Homicídios de Crianças, Adolescentes e Jovens.

Articulado pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), o comitê será instituído formalmente pelo Ministério Público do Estado da Bahia e será liderado por um grupo gestor composto por 13 instituições.

Somente na capital baiana, 260 meninos e meninas com idades entre 10 e 19 anos foram assassinados em 2016. Desse total, 237 eram negros, representando 91% do total de adolescentes assassinados.

Profissionais do Mais Médicos levam serviços de saúde para populações indígenas no Norte do Brasil. Foto: Karina Zambrana

Mais Médicos: profissionais cubanos da cooperação internacional sairão do Brasil até 12 de dezembro

Brasil, Cuba e a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) definiram nesta segunda-feira (19) que cerca de 8.300 médicos cubanos do Mais Médicos deverão deixar gradualmente o programa até a data prevista de 12 de dezembro deste ano. A medida foi tomada após a decisão do governo cubano de encerrar sua participação no programa Mais Médicos.

A Organização possui acordos com os governos de ambos os países para o Mais Médicos, mas não faz contratos com médicos. Os médicos, de qualquer nacionalidade, fazem contratos ou com o governo cubano (no caso dos médicos cubanos cooperados) ou com o governo brasileiro (no caso dos médicos que não são da cooperação internacional, como brasileiros, argentinos, estadunidenses, cubanos intercambistas individuais etc.).

Estudos mostram que a cor da pele é componente central na estruturação das desigualdades no Brasil, afetando o acesso ao emprego e a maiores níveis de desenvolvimento. No país, negros vivem, estudam e ganham menos do que brancos. Foto: Agência Brasil/Valter Campanato

Pacto Global discute racismo na sociedade e no mercado de trabalho brasileiros

Seminário “Abolição: 130 anos depois”, promovido pela Rede Brasil do Pacto Global da ONU e pelo governo do estado de São Paulo, discutiu os efeitos do racismo ainda presente na sociedade brasileira.

O evento debateu ainda o papel do setor privado nesse contexto. Segundo estudo de ONU Mulheres, Instituto Ethos e Organização Internacional do Trabalho (OIT), menos de 5% dos executivos de empresas brasileiras são afrodescendentes e, destes, apenas 0,4% são mulheres negras.

Agricultora alimenta animais de criação na Nicarágua. Foto: FAO

FAO: pobreza rural aumenta pela 1ª vez em dez anos na América Latina e Caribe

Pela primeira vez em uma década, a miséria no campo aumentou na América Latina e Caribe. O alerta vem da primeira edição do relatório Panorama regional da Pobreza Rural, que será divulgado na próxima quarta-feira (21) pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO). Lançamento da publicação acontece em Buenos Aires, na Argentina, em coletiva de imprensa com transmissão ao vivo pela internet.

Oficiais da Brigada Militar do Rio Grande do Sul. Foto: Brigada Militar

ONU divulga estatísticas sobre atuação de policiais no Rio Grande do Sul

O Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) lança no próximo 29 de novembro, em Porto Alegre, o Índice de Compliance da Atividade Policial.

O indicador da agência da ONU foi concebido com base em quase 30 dados sobre a ação das forças de segurança no Rio Grande do Sul. Entre os números avaliados, estão as mortes de civis em confronto com a polícia, bem como casos de discriminação e de agressões físicas por oficiais durante abordagens policiais.

Selo do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) reconhece qualidade nos serviços de saúde oferecidos a adolescentes no DF. Foto: EBC

Selo de qualidade para atendimento de saúde a adolescentes certifica 19 iniciativas

O processo de certificação do selo de qualidade Chega Mais encerrou-se nesta segunda-feira (19). A iniciativa do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) buscou reconhecer profissionais e serviços públicos de saúde que trabalham no cuidado e atenção de adolescentes em Brasília (DF).

Ao final, 19 ações foram certificadas, entre serviços e equipes que demonstraram contemplar dimensões como acessibilidade, equidade, educação permanente, gestão participativa e intersetorialidade.

Representantes do Centro de Excelência contra a Fome — fruto de uma parceria entre o governo brasileiro e o Programa Mundial de Alimentos (PMA) das Nações Unidas — participaram de evento em Moçambique este mês para harmonizar as ferramentas de gestão do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PRONAE). Foto: PMA

Com apoio do Brasil, Moçambique revisa estratégia nacional de alimentação escolar

Representantes do Centro de Excelência contra a Fome — fruto de uma parceria entre o governo brasileiro e o Programa Mundial de Alimentos (PMA) das Nações Unidas — participaram de evento em Moçambique este mês para harmonizar as ferramentas de gestão do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PRONAE).

O encontro teve como objetivo revisar a proposta da Estratégia de Alimentação Escolar do país junto aos atores envolvidos na implementação do PRONAE.

O GEM 2019 analisa o impacto da movimentação de pessoas nos sistemas educacionais e mostra que milhões de crianças refugiadas em todo o mundo não têm acesso à educação. Foto: PMA

UNESCO divulga relatório sobre impactos da migração nos sistemas educacionais

A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) lançará em Berlim, na Alemanha, na terça-feira (20), o Relatório de Monitoramento Global da Educação 2019, cujo tema deste ano é “Migração, deslocamento e educação: construir pontes, não muros”.

No Brasil, o documento será apresentado ao público no dia seguinte (21), no Memorial da América Latina, em São Paulo, SP, das 13h30 às 17h30.

Reduzir emissões de gases do efeito estufa é uma responsabilidade assumida por todos os países signatários do Acordo de Paris. Foto: PEXELS

ARTIGO: Qual é a importância do Brasil no Acordo do clima de Paris

Em artigo publicado na imprensa brasileira, o especialista sênior do Banco Mundial, Alexandre Kossoy, explica detalhadamente os compromissos que o Brasil assumiu para combater o aquecimento global.

O profissional do organismo financeiro alerta que as mudanças climáticas podem levar à pobreza 100 milhões de pessoas em todo o mundo, pelos próximos dez anos. Para o analista, preparar-se para os futuros desastres naturais extremos e ajudar a evitá-los faz sentido economicamente e é também um imperativo moral.