Na cerimônia de assinatura, o presidente do CNJ, ministro Dias Toffoli, afirmou que os três termos de cooperação técnica estão voltados à concretização de importantes projetos no âmbito do Judiciário. Foto: CNJ

CNJ e PNUD firmam parceria para impulsionar Agenda 2030 no Judiciário

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) assinaram na terça-feira (17) projetos de cooperação internacional em prol da Agenda 2030.

O acordo envolve três projetos: a consolidação dos Laboratórios de Inovação, Inteligência e Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (LIODS); o fortalecimento da gestão de informações sobre a atenção às crianças no Sistema de Justiça; e a revisão do projeto “Fortalecimento do Monitoramento e da Fiscalização do Sistema Prisional e Socioeducativo”.

Lagoa Azul, em Primavera do Leste, no estado do Mato Grosso. Foto: Reprodução/PNUMA.

PNUMA: Turismo sustentável é oportunidade de negócio em Mato Grosso

O programa Turismo Sustentável, uma iniciativa conjunta do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), estado do Mato Grosso, Parceria para Ação pela Economia Verde (PAGE) e Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), visa impulsionar a atividade no Mato Grosso, lugar que abriga três biomas – Amazônia, Pantanal e Cerrado – com polos de exuberante beleza.

Fruto desta parceria é o manual “Diretrizes para Normalização e Certificação de Turismo Sustentável”, lançado em março deste ano com o objetivo de auxiliar a construção de uma política pública efetiva de desenvolvimento de turismo sustentável na região.

Segundo a oficial sênior de programas do PNUMA, Regina Cavini, há uma demanda cada vez maior das pessoas por experiências de turismo que contribuam para o desenvolvimento social, econômico e ambiental das comunidades locais. “É uma tendência global que também sinaliza uma oportunidade de negócios aliada à conservação da natureza”, afirmou.

Foto: UNICEF/Fabio Caffé

Projeto do UNICEF envolve jovens na criação de soluções para problemas que os afetam

De diferentes áreas da cidade do Rio de Janeiro (RJ), 105 jovens e adolescentes estão sendo chamados a participar da jornada criativa do projeto Chama na Solução Rio de Janeiro.

Uma iniciativa do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) em parceira com o CEDAPS – Centro de Promoção da Saúde, o projeto busca envolver jovens na criação de soluções para os problemas que os afetam, especialmente em relação à inserção no mundo do trabalho.

"A masculinidade não é natural, nem unívoca, mas produzida em contextos históricos e reproduzida ritualmente no cotidiano”, Osmundo Pinho, professor da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB). Foto: Egg Studios NY/Unplash.

Repensando masculinidades: especialistas sugerem boas práticas no enfrentamento à violência de gênero

É necessário que sociedade repense a normalidade com a qual encara o comportamento masculino violento, uma vez que ele afeta negativamente principalmente as mulheres, mas também os homens.

De acordo com o 13º Anuário Brasileiro de Segurança Pública, em 2018, 1.206 mulheres foram vítimas de feminicídio, sendo 61% delas mulheres negras e 52,3% dos assassinatos foram cometidos com arma de fogo.

Em 88,8% dos casos, o autor era o companheiro ou o ex-companheiro da vítima. Leia a reportagem do UNFPA Brasil.

Circuito de turismo indígena do Rio Negro foi um dos projetos do estado do Amazonas selecionados. Foto: Federação das Organizações Indígenas do Rio Negro (FOIRN).

12 projetos de inovação no Amazonas e Piauí são selecionados pelo PNUD

Entre os cerca de 80 projetos inscritos em edital do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento – PNUD Brasil, 12 serão contemplados com 100 mil reais cada para ampliar, aprimorar ou dar continuidade a atividades que promovem o desenvolvimento sustentável no Amazonas e no Piauí.

Projetos selecionados incluem um circuito de turismo indígena do Rio Negro, no Amazonas, e uma cooperativa de mulheres artesãs de Poty Velho, no Piauí.

Dentre as 26 empresas brasileiras que receberam o Prêmio Empresa Pró-Ética, 18 são signatárias da Rede Brasil do Pacto Global da ONU. Foto: Adalberto Carvalho/AscomCGU.

Controladoria-Geral da União premia empresas signatárias do Pacto Global por luta anticorrupção

A edição 2018-2019 do Prêmio Empresa Pró-Ética, oferecido pela Controladoria-Geral da União (CGU), condecorou 26 empresas brasileiras comprometidas com a luta anticorrupção em seus negócios. Dentre as iniciativas premiadas, 18 são signatárias da Rede Brasil do Pacto Global das Nações Unidas.

Premiação aconteceu em Brasília, durante a 1ª Conferência Internacional de Promoção da Integridade promovida pela CGU entre os dias 12 e 13 de dezembro. O Empresa Pró-Ética é uma iniciativa que há nove anos busca promover um ambiente corporativo mais íntegro, ético e transparente no país.

A Rede Brasil trabalha o tema com as empresas signatárias a partir do seu Grupo de Trabalho Anticorrupção, que analisa que a prática impede o crescimento econômico, aumenta os custos de transação e cria um mercado desequilibrado, levando à instabilidade social, alimentando a desconfiança pública e minando o Estado de Direito.

Lixão na região da Estrutural, em Brasília, operou por mais de 5 décadas, gerando impactos ambientais que serão analisados pelo Projeto CITInova. Foto: Dênio Simões/Agência Brasília.

PNUMA integra projeto de descontaminação de área onde operou maior lixão a céu aberto da América Latina

Projeto CITinova busca elaborar um diagnóstico de contaminação do que foi o maior lixão a céu aberto da América Latina, o Lixão da Estrutural em Brasília, fechado em janeiro de 2018.

Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) implementa o projeto, que é uma realização do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) com o apoio do Fundo Global para o Meio Ambiente (GEF, na sigla em inglês) e demais parceiros.

O acúmulo de resíduos, durante o período de 50 a 60 anos em que o lixão operou, gerou impactos sobre os corpos hídricos que convergem para o Lago Paranoá. Foram cerca de 40 milhões de toneladas despejadas no local, em processo de deposição irregular de rejeitos em área localizada na divisa com o Parque Nacional de Brasília.

Início do estudo possibilitado pela parceria foi apresentado pela Secretaria do Meio Ambiente do Distrito Federal (SEMA-GDF), coexecutora do CITinova, em Brasília, no dia 26 de novembro. Projeto possibilitará a apresentação de propostas ao governo de tecnologias mais adequadas para o efetivo controle da contaminação e remediação dos danos causados.

Um dos objetivos do seminário foi capacitar os técnicos para a preparação a eventuais emergências de febre aftosa. Foto: OPAS

Centro Pan-Americano de Febre Aftosa discute cooperação com Ministério da Agricultura

A ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) do Brasil, Tereza Cristina, recebeu o diretor do Centro Pan-Americano de Febre Aftosa e Saúde Pública Veterinária (PANAFTOSA), Ottorino Cosivi, para uma audiência em Brasília (DF) no fim de novembro na qual foram discutidas possibilidades de projetos de cooperação.

Tais iniciativas ajudarão a melhorar a eficiência do sistema de inspeção e segurança dos alimentos, e contribuirão para o avanço do Programa Hemisférico para a Erradicação da Febre Aftosa (PHEFA) nas Américas.

Teste rápido de HIV. Foto: UNICEF/Sewunet

Campanha do Ministério da Saúde incentiva testagem para HIV

A partir da estimativa de que 135 mil pessoas vivam com HIV no Brasil sem sabê-lo, o Ministério da Saúde lançou nova campanha publicitária para incentivar a testagem e, consequentemente, o diagnóstico precoce.

“A prevenção é feita com informação. É necessário que as organizações façam esse trabalho em conjunto”, afirmou a representante-residente do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) no Brasil, Katyna Argueta, que participou do evento de lançamento da campanha, em Brasília (DF).

Venezuelanas abrigadas nos espaços da Operação Acolhida participaram de uma oficina de fotografia promovida pela agência. Foto: UNFPA/Yareidy Perdomo.

Fundo de População da ONU promove atividades com venezuelanas pelo fim da violência contra mulheres

Em marco à campanha global dos 16 dias de ativismo pelo fim da violência contra a mulher, escritórios do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) em Roraima e em Manaus promoveram atividades com mulheres venezuelanas para abordar o tema dentre a população refugiada e migrante vivendo no país.

Atividades envolveram parceiros e demais agências do sistema ONU no Brasil, como a ONU Mulheres e a Agência das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR), e incluíram oficina de fotografia, exposição de retratos, rodas de conversa e debates sobre saúde sexual e reprodutiva. Segundo o chefe de escritório do UNFPA em Roraima, Igo Martini, “mulheres e meninas defensoras dos direitos humanos deram visibilidade às suas lutas de todos os dias”.

Em Pacaraima, cidade na fronteira entre os dois países que concentra grande parte do fluxo migratório, uma dos encontros promovidos pela agência foi uma roda de conversa com homens para debater masculinidades e combater à violência baseada em gênero em suas comunidades.

Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

Gestores são capacitados a prevenir e responder à violência de gênero em RR e AM

O escritório regional do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) para América Latina e Caribe realizou em novembro oficina de formação de combate à violência de gênero para gestores que trabalham na assistência humanitária em Manaus (AM), Boa Vista e Pacaraima (RR).

“Temos observado que, com a resposta ao atual fluxo migratório proveniente da Venezuela, o número de pessoas enfrentando incidentes de violência baseada em gênero tem aumentado consideravelmente”, disse Victoria Laroche, especialista em violência baseada em gênero em emergência do escritório regional do UNFPA.

“Por isso a importância de fortalecer as capacidades de resposta em cada país que recebe pessoas deste fluxo migratório, para que a prevenção e a resposta seja a mais adequada possível”, completou.

Cooperação irá criar um banco de dados dos médicos ativos nas emergências brasileiras, além de capacitá-los no processo de doação de órgãos. Foto: Tânia Rêgo/ABr.

OPAS assina parceria para fortalecer sistema brasileiro de transplantes

Firmado na última quinta-feira (12), acordo entre a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) e a Associação Brasileira de Medicina de Emergências (ABRAMEDE) visa trabalhar em melhorias para o Sistema Nacional de Transplantes (SNT) brasileiro, considerado o maior do mundo.

Esforços incluem a criação de uma base de dados dos médicos ativos nas emergências brasileiras, através do mapeamento nos Serviços de Atendimento Móvel de Urgência (SAMUs), nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e nos serviços hospitalares de emergência.

Iniciativa do projeto é do Ministério da Saúde, e também prevê capacitações no processo de doação de órgãos aos médicos da rede pública. Segundo a representante da OPAS no Brasil, Socorro Gross, o projeto inova ao unir estrategicamente os temas da emergência e do transplante de órgãos.

Serão interiorizados aqueles que já conseguiram emprego ou possuem família ou amigos em outras municípios brasileiros, mas não têm meios para viajar. Foto: OIM

OIM inicia interiorização de migrantes em Manaus nesta terça-feira (17)

A partir desta terça-feira (17), a Organização Internacional para as Migrações (OIM) inicia o processo de interiorização de venezuelanos que vivem atualmente em Manaus (AM). No total, 58 pessoas estão incluídas nos primeiros embarques, que acontecerão entre os dias 17 e 20 de dezembro para várias cidades do Brasil.

A partir deste primeiro grupo, a meta da OIM é apoiar pelo menos 100 refugiados e migrantes por mês a buscar novas oportunidades em todas as regiões do país. São venezuelanos que estão nos abrigos, em situação de rua ou mesmo vivendo em moradias alugadas em bairros da cidade.

A estratégia de interiorização é realizada pelo governo federal com apoio de agências da ONU e sociedade civil e segue regras nacionais. No Amazonas, os principais parceiros são o governo do estado e a Prefeitura de Manaus. As duas esferas governamentais atuam para acolher e facilitar o trabalho de todos que fazem parte da Operação Acolhida.

Brasília recebe última etapa do Cine Migração com oito filmes na programação e atividades culturais

O festival internacional de cinema sobre migração, o Cine Migração, chega à tela do Cine de Brasília no próximo domingo (22). A capital do Brasil é a última etapa do festival que passou também por Roraima, São Paulo, Minas Gerais, Paraná e Amazonas.

Realizado pela Organização Internacional para as Migrações (OIM), o festival, gratuito, ocorre paralelamente em 100 países e ativa as comemorações do dia internacional dos migrantes, festejado em 18 de dezembro.

Mulheres venezuelanas escrevem suas histórias de vida durante atividade em Boa Vista (RR). Foto: UNFPA/Yareidy Perdomo

Luxemburgo apoia programa da ONU para empoderamento de mulheres venezuelanas no Brasil

Luxemburgo firmou o seu apoio ao programa conjunto “Liderança, empoderamento, acesso e proteção para mulheres migrantes, solicitantes de refúgio e refugiadas no Brasil”, liderado por ONU Mulheres, em parceria com Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) e Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), em Roraima.

O acordo foi assinado este mês (12) pela secretária-geral assistente das Nações Unidas e diretora-executiva adjunta da ONU Mulheres, Åsa Regnér, e pelo embaixador Christian Braun. A assistência humanitária tem duração estimada de dois anos, com contribuição de 600 mil euros do governo de Luxemburgo ao programa conjunto implementado pelas três agências da ONU no Brasil.

Em Berlim, na Alemanha, a manifestação de jovens 'Fridays for Future' pede ações urgentes contra as mudanças climáticas. Foto: Fridays For Future/Jörg Farys

Quase 180 empresas do mundo assinam compromissos de combate às mudanças climáticas

Cento e setenta e sete empresas já estão trabalhando para atingir um patamar alto de ambição e reduzir a emissão de Gases de Efeito Estufa (GEE), limitando os piores efeitos da mudança do clima. O movimento Business Ambition for 1,5ºC – Our Only Future, do Pacto Global das Nações Unidas, mais que dobrou de tamanho desde que um primeiro grupo de empresas anunciou o compromisso na Cúpula das Nações Unidas de Ação Climática, em setembro deste ano.

A erradicação da pobreza é um dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). Foto: Agência Brasil / Marcello Casal Jr

Territorialização e Aceleração dos ODS será tema de curso para gestores públicos

O projeto “Territorialização e Aceleração dos ODS”, resultado de parceria entre a Petrobras e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), iniciará 2020 com um trabalho conjunto com os municípios selecionados para a segunda etapa da iniciativa.

Estão previstas, ao longo do primeiro semestre, nove atividades presenciais nos estados de Rio de Janeiro, Sergipe, Espírito Santo e São Paulo. Representantes da sociedade civil organizada, de governos e do setor privado participarão do “Programa Presencial de Capacitação”, curso de 40 horas que capacita os gestores a se tornarem multiplicadores dos ODS para implementar um plano de trabalho local com base na Agenda 2030.

Jason Morrison, presidente do CEO Water Mandate, iniciativa do Pacto Global da ONU, lançou um chamado às empresas brasileiras por mais atenção ao tema da eficiência hídrica. Foto: Rede Brasil do Pacto Global.

“Precisamos dobrar nossos esforços relacionados à água”, afirma presidente de iniciativa do Pacto Global

Pela primeira vez realizado no Brasil, evento anual da plataforma CEO Water Mandate, iniciativa do Pacto Global das Nações Unidas, reuniu em São Paulo, na última quinta-feira (11), lideranças do setor privado com projetos na promoção da eficiência hídrica no país. Evento foi organizado pela Rede Brasil do Pacto Global e demais parceiros.

Na ocasião, o presidente da plataforma CEO Water Mandate, Jason Morrison, ressaltou que 9 em cada 10 desastres naturais são relacionados à água, e destacou que as mudanças do clima podem tornar esses eventos mais comuns. “Não temos muito tempo, por isso convido a todos para acelerar suas ações e aumentar sua ambição”, pontuou.

O evento também contou com o lançamento da versão em português do relatório “Fortalecendo o argumento comercial de água, saneamento e higiene” e a premiação das 12 iniciativas contempladadas pela iniciativa “Cases de sucesso em ODS 6”, que reconhece os melhores projetos desenvolvidos por membros da Rede Brasil do Pacto em práticas de sustentabilidade.

Programa 'Criança Feliz' de Atenção à Primeira Infância do governo federal já promove a transformação na vida de mais de 754 mil crianças e gestantes entre as famílias mais pobres do país. Foto: Ministério da Cidadania.

Ministério da Cidadania homenageia OPAS/OMS por apoio ao projeto Criança Feliz

A Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS) recebeu do Ministério da Cidadania prêmio pelo apoio concedido ao Projeto de Atenção à Primeira Infância do governo federal, Criança Feliz.

Placa em homenagem ao trabalho da agência foi entregue na última quinta-feira (12) à representante da OPAS e da OMS no Brasil, Socorro Gross, pelo ministro Osmar Terra. Na ocasião, Organização das Nações Unidas no Brasil, Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) também receberam homenagens.

O Criança Feliz atua desde 2016 em 2.787 municípios brasileiros e já alcançou mais de 850 mil crianças e gestantes. Trabalho articula setores da saúde; assistência social; educação; justiça; cultura; e direitos humanos, e promove o acompanhamento e o desenvolvimento saudável de crianças até seis anos de idade, auxiliando na redução das desigualdades e a erradicação da pobreza no país.

No Rio de Janeiro, oficinas com trabalhos manuais e rodas de conversas propiciaram a construção de vínculos entre mulheres que vivenciaram relacionamentos abusivos. Foto: CARJ/Luiza Trindade.

ACNUR e parceiros promovem atividades em SP e Rio sobre prevenção à violência de gênero

No contexto da campanha dos “16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres”, mobilização global liderada pelas Nações Unidas anualmente entre 25 de novembro e 10 de dezembro, a Agência das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR) e parceiros promoveram debates e capacitações em prevenção à violência de gênero.

Oficinas ocorreram nas cidades de São Paulo e Rio de Janeiro para as equipes de trabalho e a população refugiada e migrante, com o intuito de assegurar os direitos e a participação de mulheres cis, trans e travestis nos espaços onde circulam.

Iniciativa também promoveu atividades culturais, em que mulheres refugiadas e migrantes puderam se expressar artisticamente, compartilhar histórias e superar traumas relacionados à violência de gênero. No Rio, resultado do trabalho poderá ser conferido no Sesc Madureira, a partir do dia 21 de dezembro.

Houve 14 candidaturas, entre as quais se elegeu o jogo "Cidade do Amanhã", idealizado por uma equipe de cinco jovens do Rio de Janeiro. Foto: PEXELS

Jogo virtual estimula jovens brasileiros a pensar o desenvolvimento sustentável

Na semana em que se comemora o Dia de Combate à Corrupção, o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) anunciou o projeto vencedor de seu 1° Concurso de Jogos Digitais.

A premiação é realizada em parceria com o Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE) e o programa Nordic Dialogues. O concurso selecionou um game de interesse público que receberá apoio financeiro para seu desenvolvimento.

“Cidade do Amanhã” é um jogo virtual de cartas e estratégias para estimular jovens a pensarem os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) e incentivar a participação social.

Agência da ONU para as migrações (OIM) promove junto com seus parceiros a inclusão socioeconômica dos venezuelanos interiorizados no Brasil. Foto: OIM.

OIM realiza oficina no Rio para inclusão de migrantes no mercado de trabalho

A Organização Internacional para as Migrações (OIM) realiza na terça-feira (17) mais uma capacitação voltada à implementação de políticas para migrantes em situação de vulnerabilidade no mercado de trabalho. Nesta última edição de 2019, a atividade acontece no Rio de Janeiro (RJ), e é aberta ao público.

O objetivo do evento é sensibilizar o setor privado para a inserção laboral de pessoas refugiadas e migrantes. Na capital carioca, também serão dados esclarecimentos sobre a estratégia de interiorização dos venezuelanos e venezuelanas, que os leva voluntariamente de Roraima a outros estados do Brasil visando uma melhor integração socioeconômica.

O Centro Pan-Americano de Febre Aftosa (PANAFTOSA) é um centro científico da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) localizado em Duque de Caxias, Rio de Janeiro. Foto: PANAFTOSA

Reunião no Rio visa discutir plano regional de erradicação da febre aftosa

Acontece até esta sexta-feira (13) no Rio de Janeiro (RJ) a reunião para discussão e análise dos delineamentos estratégicos e necessidades de ação do Programa Hemisférico para a Erradicação da Febre Aftosa (PHEFA), com base na elaboração do novo Plano de Ação 2021-2025, coordenado pelo Centro Pan-Americano de Febre Aftosa e Saúde Pública Veterinária (PANAFTOSA) com a colaboração de um grupo de especialistas da região.

A ideia por trás do projeto Escolas Ativas é fazer com que as escolas sejam espaços em que o movimento e as atividades físicas sejam valorizados. Foto: PNUD

Projeto busca valorizar atividades físicas em escolas municipais de Maceió

A Secretaria Municipal de Educação de Maceió (SEMED) e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) apresentaram os resultados do projeto Escolas Ativas, implementado desde agosto de 2018 em dez escolas públicas da cidade.

A ideia por trás da iniciativa é fazer com que as escolas sejam espaços em que o movimento, as atividades físicas cotidianas e as práticas corporais sejam valorizadas e incorporadas nas ações pedagógicas, para além da prática esportiva pontual na aula de Educação Física.

Fundo de População da ONU apoia coral para jovens de comunidade vulnerável no Paraná

A voz é a ferramenta utilizada por crianças e adolescentes para superar a timidez. Da garganta, vem o desejo de serem escutadas como sujeito de direitos. Produzir alternativas de vida para os recentes coralistas que vivem em contextos de vulnerabilidade é o principal intuito do Coral Anjo Gabriel, em Foz do Iguaçu (PR).

Apoiado pelo Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), o coral foi formado em 2019 e é composto por crianças e adolescentes, dos quais cerca de 70% vivem no Jardim Canadá, comunidade de extrema vulnerabilidade social no município.

Mulheres empreendedoras posam em frente aos produtos feitos a partir de figuras femininas histórias e atuais. Foto: ACNUR/Alan Azevedo

Campanha pelo fim da violência de gênero dá voz a refugiadas e migrantes venezuelanas

“Vivi muitos anos sofrendo violência, sem ao menos perceber”. “Não entendia que os gritos e palavras rudes eram também um tipo de violência”. “O que mais me doía era quando ele usava meus filhos contra mim”. “Nós mulheres somos penalizadas por tentar manter a família unida, por tentar fazer o certo”.

As autoras destas frases são refugiadas e migrantes venezuelanas que participaram, no último dia 10, em um dos eventos promovidos pela Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) e parceiros para marcar o fim dos “16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres” em Boa Vista, capital de Roraima.

Oficial para HIV e Juventude do UNFPA, Caio Oliveira, se reuniu com equipe da Fiocruz, do projeto Agenda Jovem, no Rio de Janeiro. Foto: UNFPA Brasil/Fabiane Guimarães

Fundo de População da ONU e Fiocruz estudam criação de Observatório da Juventude

O Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) no Brasil e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) estudam criar um observatório com a presença de líderes do movimento jovem brasileiro para monitorar o estabelecimento das metas da Conferência Internacional sobre População e Desenvolvimento (CIPD) em relação à juventude.

As duas instituições analisam a possibilidade de produzir materiais informativos sobre saúde sexual, reprodutiva e direitos, incluindo informações sobre a prevenção de infecções sexualmente transmissíveis e HIV, com linguagem acessível e dinâmica.

Agricultor da Aldeia Marcação Kiriri, comunidade alcançada pelo Projeto Pró-Semiárido, financiado pelo FIDA. Foto: Lianne Milton/Panos/FIDA.

Fundo agrícola da ONU promove workshop sobre gestão financeira para equipes de projetos no Brasil

Desde a última quarta-feira (11), capital da Bahia sedia o Workshop de Gestão Financeira promovido pelo Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA) para equipes dos projetos desenvolvidos no Brasil em parceria com o Governo Federal, estados do nordeste e instituições e organizações parceiras.

Segundo o Oficial Sênior de Finanças do Escritório Regional do FIDA, Dario Rimedio, objetivo é aperfeiçoar a performance e práticas de gestão financeira dos projetos financiados pelo Fundo no país, a fim de garantir o alcance das metas e exponenciar o impacto das iniciativas.

Encontro acontece até sexta-feira (13) e discute temas como avaliação de risco; ações de planejamento; controles internos e auditorias externas. Abertura do workshop contou com a participação via videoconferência da diretora da divisão financeira do FIDA, Ruth Farrant, que se conectou da sede do Fundo, em Roma, Itália.

Madri sedia, entre 2 e 13 de dezembro, a 25ª Conferência das Partes (COP25).

COP 25 será tema de debate acadêmico e consular no UNIC Rio

O Centro de Informação das Nações Unidas (UNIC Rio) e os consulados da Espanha e do Chile no Rio de Janeiro realizam na próxima terça-feira (17) a mesa redonda COP 25: Reflexões e Desafios para o Futuro.

O encontro reúne representantes consulares, acadêmicos e de governo para discutir os resultados da Conferência da ONU sobre Mudanças Climáticas (COP 25), que ocorre em Madri sob a presidência chilena. A COP 25  termina nesta semana.

O período de 2014-2020 será o de menor crescimento para as economias da América Latina e do Caribe nas últimas sete décadas, segundo a CEPAL. Foto: Lukas Blazek/Unsplash

América Latina e Caribe: período de 2014-2020 será o de menor crescimento em 7 décadas

A região da América Latina e do Caribe apresenta uma desaceleração econômica generalizada e sincronizada em países e setores, completando seis anos consecutivos de baixo crescimento, afirmou nesta quinta-feira (12) a Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL) em seu último relatório anual divulgado em sua sede em Santiago, Chile.

Os países da região devem crescer este ano apenas 0,1%, em média, enquanto as projeções de crescimento para 2020 permanecerão baixas, cerca de 1,3% para a região em seu conjunto. Consequentemente, o período de 2014-2020 será o de menor crescimento para as economias da América Latina e do Caribe nas últimas sete décadas.

O representante da UNIDO no Brasil, Alessandro Amadio, entregou os certificados a Rogério Marson Rodrigues, engenheiro da empresa Eletrofrio e responsável pela execução do projeto. Foto: UNIDO

Projeto brasileiro de refrigeração recebe certificados de prêmio internacional

O projeto brasileiro “Resfriador de Propano de Baixa Carga para Sistema de Refrigeração Comercial de Supermercado” recebeu na quarta-feira (11) os certificados de prêmio internacional por sua contribuição na redução dos impactos da tecnologia de refrigeração na camada de ozônio.

O projeto faz parte do Programa Brasileiro de Eliminação dos HCFCs (PBH), coordenado pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA) e executado no Brasil em parceria com a Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (UNIDO) e a empresa Eletrofrio Refrigeração.

Festejos do Bumba meu boi no Maranhão. Foto: IPHAN/Edgar Rocha

Bumba Meu Boi do Maranhão passa a ser Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade

O Complexo Cultural do Bumba Meu Boi do Maranhão foi reconhecido na quarta-feira (11) como Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade. O título foi concedido pelo Comitê Intergovernamental para a Salvaguarda do Patrimônio Cultural Imaterial da UNESCO, que está reunido nesta semana em Bogotá, Colômbia.

O complexo é o sexto elemento brasileiro a integrar a lista, junto com a Arte Kusiwa, o Samba de Roda, o Frevo, o Círio de Nossa Senhora de Nazaré e a Roda de Capoeira.

Direitos humanos: jovens fotógrafos retratam uma outra favela

Matheus Affonso é um fotógrafo e designer gráfico de 20 anos que mora no bairro de Nova Holanda, parte do complexo de favelas da Maré, zona norte do Rio de Janeiro. Ele retrata a comunidade LGBT do entorno onde vive. Jacqueline Fernandes é uma jornalista de 33 anos que vive no bairro Riachuelo, também localizado em uma região periférica da cidade. Ela mantém um portal de comunicação comunitária. Os dois são jovens fotógrafos que registram, com um novo olhar, o dia a dia das comunidades cariocas.

Ambos participaram em novembro das oficinas de fotografia do projeto Imagens do Povo, uma iniciativa da organização não governamental Observatório de Favelas que visa criar novas representações de territórios periféricos e desconstruir estigmas.

O resultado desse trabalho fez parte de uma exposição no Museu do Amanhã, no Rio de Janeiro (RJ), realizada por Escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH) e Centro de Informação das Nações Unidas para o Brasil (UNIC Rio) para celebrar o Dia dos Direitos Humanos.

Promotores são grupo de voluntários que disseminam informações para a comunidade refugiada na cidade. Foto: ACNUR/Felipe Irnaldo

Refugiadas e migrantes venezuelanas acessam rede de proteção para mulheres no Amazonas

Refugiadas e migrantes venezuelanas em Manaus podem acessar uma rede de serviços de proteção para casos de violência contra a mulher. Uma oficina realizada na semana passada por Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), Instituto Mana e Secretaria de Estado de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc-AM) apresentou a promotores comunitários venezuelanos e de outras nacionalidades o sistema local de assistência e combate à violência de gênero, disponível gratuitamente na cidade.

O evento faz parte da campanha 16 Dias de Ativismo Contra a Violência de Gênero, promovido pela Nações Unidas com o objetivo de conscientizar sobre a erradicação da violência sexual e de gênero e alertar sobre suas graves consequências.

Estudo inédito revela como o estigma e a discriminação impactam pessoas vivendo com HIV e AIDS no Brasil. Foto: Imprensa MG/Adair Gomes

Mais de 64% das pessoas que vivem com HIV no Brasil sofreram discriminação

A maioria das pessoas que vivem com HIV e das pessoas que vivem com AIDS no Brasil já passou por pelo menos alguma situação de discriminação ao longo de suas vidas. É o que indica um estudo feito com 1.784 respondentes, em sete capitais brasileiras, entre abril e agosto de 2019.

Comentários discriminatórios ou especulativos já afetaram 46,3% delas, enquanto 41% disseram ter sido alvo de comentários feitos por membros da própria família.

O levantamento também evidencia que muitas destas pessoas já passaram por outras situações de discriminação, incluindo assédio verbal (25,3%), perda de fonte de renda ou emprego (19,6%) e até mesmo agressões físicas (6,0%).

Representante do UNFPA no Brasil, Astrid Bant, reforçou a importância deste tipo de educação como forma de empoderamento e alcance de direitos para a juventude. Foto: UNFPA Brasil/Fabiane Guimarães

Educação não formal pode ser ferramenta para ampliar competências da juventude

A educação que fornece habilidades e conhecimento para uma vida inteira, mas não necessariamente passa pelos currículos e sistemas tradicionais de ensino, é tema de evento que ocorre até esta quarta-feira (11), no Rio de Janeiro (RJ).

O Fórum Mundial de Educação Não Formal é organizado pelo Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), em parceria com o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e a Organização Mundial do Movimento Escoteiro.

Na imagem, a sala principal do Conselho de Direitos Humanos da ONU, em Genebra. Crédito: ONU/Jean-Marc Ferré

ACNUDH e CIDH emitem nota sobre lideranças indígenas

A Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) e o Escritório para a América do Sul do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH) divulgaram uma nota condenando os assassinatos das lideranças indígenas no Maranhão.

Os caciques Firmino Praxede Guajajara, da Terra Indígena Cana Brava, e Raimundo Belnício Guajajara, da Terra Indígena Lagoa Comprida, foram atingidos por disparos de arma de fogo no dia 7 de dezembro em Jenipapo dos Vieiras, no Maranhão. Outros dois indígenas estão gravemente feridos.

“Buscamos não apenas a disponibilidade, mas também o acesso, a qualidade dos medicamentos e a informação e educação de profissionais e pacientes”, Tomás Pipo, coordenador de Medicamentos e Tecnologias em Saúde do escritório da OPAS e da OMS no Brasil. Foto: Freestocks/CC.

OPAS: Uso racional de medicamentos é elemento chave para alcançar metas dos ODS

Presente no 7º Congresso Brasileiro sobre o Uso Racional de Medicamentos, em Brasília, a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) recomenda que os países adotem estratégias abrangentes e integradas para a avaliação, seleção, adoção e utilização de medicamentos e outras tecnologias de saúde.

“Buscamos não apenas a disponibilidade, mas também o acesso, a qualidade dos medicamentos e a informação e educação de profissionais e pacientes”, afirmou o coordenador de Medicamentos e Tecnologias em Saúde do escritório da OPAS e da Organização Mundial da Saúde (OMS) no Brasil, Tomás Pipo, em fala na abertura do evento (10).

Congresso é organizado pelo Ministério da Saúde, por meio do Departamento de Assistência Farmacêutica e Insumos Estratégicos (DAF) da Secretaria de Ciência, Tecnologia, Inovação e Insumos Estratégicos em Saúde, e reúne, até quinta-feira (12), gestores, profissionais de saúde, estudantes e outros interessados em debater os desafios e as perspectivas para o uso racional de medicamentos na prática interprofissional.

Ao abrir a cerimônia, a representante-residente do PNUD no Brasil, Katyna Argueta, destacou que o RDH explora, com novas lentes, as diferentes desigualdades nos distintos grupos populacionais. Foto: Pedro Maziero

PNUD destaca necessidade de combater desigualdades para além da renda

O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) lançou na segunda-feira (9), em Brasília (DF) o Relatório de Desenvolvimento Humano (RDH) de 2019, intitulado “Além da renda, além das médias, além do hoje: desigualdades no desenvolvimento humano no século 21”.

A representante-residente do PNUD no Brasil, Katyna Argueta, destacou que o relatório explora, com novas lentes, as diferentes desigualdades nos distintos grupos populacionais, e propõe que a desigualdade seja explorada além da renda, além das médias e além do hoje.

“Além da renda porque existem fatores relacionados às oportunidades de acesso à dignidade, ao respeito e aos direitos, não necessariamente vinculadas a desigualdades econômicas. Além das médias porque a tirania das médias simplifica e distorce o debate. Além do hoje porque o mundo está mudando muito rapidamente, e devemos considerar os novos fatores que estão delineando as iniquidades do futuro”, afirmou Argueta.

"A lógica é mostrar que é possível, sim, ter uma trajetória de vida baseada em escolhas seguras”, Junia Quiroga, representando do UNFPA Brasil. Foto: Rubens Fraulini/Itaipu Binacional.

Ação itinerante do UNFPA leva informação sobre gravidez não intencional na adolescência ao Paraná

Com o objetivo de percorrer 15 municípios do oeste do Paraná levando uma exposição interativa que dialoga com o tema da prevenção da gravidez na adolescência, o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) no Brasil e a ITAIPU Binacional inauguraram em 22 de novembro, em Foz do Iguaçu, uma caravana informativa sobre saúde sexual e reprodutiva.

“Esta é uma campanha muito bonita, com uma linguagem desenvolvida especificamente para o público adolescente, mas que também dialoga com a família, profissionais de saúde, escolas e a comunidade em geral”, avaliou a representando do UNFPA, Junia Quiroga.

Caravana faz parte da campanha ‘Tá no Rumo’, iniciativa do UNFPA e da ITAIPU Binacional que integra o projeto ‘Prevenção e Redução da Gravidez Não Intencional na Adolescência nos Municípios do Oeste do Paraná’. Ação itinerante começou na cidade de Foz do Iguaçu e termina em Ubiratã, no dia 20 de dezembro.