Adolescentes ouviram palestra de especialista do UNFPA. Foto: UNFPA

Venezuelanas participam de roda de conversa sobre saúde sexual e reprodutiva em Roraima

O Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) realizou na semana passada uma roda de conversa sobre saúde sexual e reprodutiva com 40 jovens do BV-8, alojamento temporário da Operação Acolhida que abriga pessoas venezuelanas refugiadas e migrantes que chegam a Pacaraima (RR).

O objetivo foi levar informação sobre métodos contraceptivos e a necessidade de prevenir Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST) e gestações precoces. A atividade foi feita em parceria com a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) e o Ministério da Cidadania.

Presídio de Águas Lindas, em Goiás, em 2009. Foto: Agência Brasil/Antonio Cruz

ONU e Judiciário brasileiro difundem audiências de custódia para evitar violações de direitos

Os 27 consultores em audiências de custódia do programa Justiça Presente – iniciativa do Supremo Tribunal Federal (STF), Conselho Nacional de Justiça e agências da ONU para enfrentar a crise do sistema penal brasileiro – reúnem-se até a próxima sexta-feira (14), em Brasília (DF), para discutir como melhorar a realização desses procedimentos jurídicos.

Como parte das atividades, acontece na quinta-feira (13) o evento Altos Estudos em Audiência de Custódia, que será realizado no STF e terá a participação dos ministros Dias Toffoli e Ricardo Lewandowski.

OIT lembra Dia Mundial contra o Trabalho Infantil em evento na quarta-feira (12) no Rio

A Organização Internacional do Trabalho (OIT) participa na quarta-feira (12) de evento no Rio de Janeiro (RJ) para lembrar o Dia Mundial contra o Trabalho Infantil, instituído pela organização em 2002.

A programação nacional para a data será lançada no Museu do Amanhã, na Praça Mauá, a partir das 9h. O Fórum Nacional de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil (FNPETI), em parceria com fóruns estaduais e suas entidades-membros, coordena campanhas e mobilizações.

A abertura do evento será feita pela coordenadora do Programa de Princípios e Direitos Fundamentais no Trabalho da OIT Brasil, Maria Cláudia Falcão, e pela secretária-executiva do FNPETI, Isa Maria de Oliveira.

Aterros sanitários são uma das maiores fontes de emissões de metano. A administração adequada pode capturar o gás como uma fonte limpa de combustível, além de reduzir riscos à saúde. Foto: Banco Mundial / Curt Carnemark

ONU lança publicação em português sobre metas de produção e consumo responsáveis

O que é gestão sustentável e eficiente dos recursos naturais? O que quer dizer manejo ambientalmente adequado? O que são práticas de sustentabilidade nas cadeias de produção e abastecimento? Esses e outros conceitos são tema do recém-publicado ‘Glossário do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas (ODS) nº 12 – Consumo e Produção Responsáveis’. Publicação foi divulgada no mês em que se comemora o Dia Mundial do Meio Ambiente, 5 de junho.

Vista de Recife. Foto: MTUR/Bruno Lima

PNUD apoia implementação de Plano Regional de Desenvolvimento do Nordeste

O Conselho Deliberativo da Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (SUDENE) aprovou em maio o Plano Regional de Desenvolvimento do Nordeste (PRDNE). A elaboração do plano recebeu apoio do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), que também trabalhará para fortalecer suas capacidades institucionais, sua implementação e seu monitoramento por meio de uma plataforma regional.

De acordo com coordenador do escritório de projetos do PNUD em Salvador, Frederico Lacerda, o plano busca encontrar soluções, tendo a inovação como eixo norteador. “Esse importante instrumento do planejamento regional também considera uma perspectiva de médio prazo, buscando um alinhamento à Agenda 2030 para colocar o Nordeste na trilha do desenvolvimento sustentável”, afirma.

O Brasil do século 21, onde existem 108 celulares para cada 100 habitantes, convive com um Brasil ainda no século 19, onde 45 a cada 100 habitantes não têm solução adequada de esgotos. Foto: EBC

ARTIGO: A agenda incompleta do saneamento básico

Em artigo publicado na Folha de S.Paulo, o coordenador da área econômica do Banco Mundial para o Brasil, Rafael Muñoz, lembra que o país precisa investir anualmente uma média de 26 bilhões de reais nos próximos 14 anos para alcançar as metas de garantir 99% de abastecimento de água e 92% de esgotamento sanitário para a população até 2033, conforme os Planos Nacionais de Segurança Hídrica e Saneamento Básico. Isso é mais do que o dobro do que o país investe hoje: cerca de 12 bilhões de reais ao ano.

“O Brasil do século 21, onde existem 108 celulares para cada 100 habitantes, convive com um Brasil ainda no século 19, onde 45 a cada 100 habitantes não têm solução adequada de esgotos, situação pior do que em Argentina, Colômbia e México, e só melhor do que na Índia entre os BRICS.” Leia o artigo completo.

O ambientalista e biólogo norte-americano Thomas Lovejoy trabalha na Amazônia há mais de 50 anos. Foto: Slobodan Randjelovic

Precisamos implementar modelos de desenvolvimento que preservem a Amazônia, diz especialista

A atual taxa de declínio da natureza, sem precedentes na história da humanidade, foi confirmada pelo novo relatório da Plataforma Intergovernamental de Ciência e Política sobre Biodiversidade e Serviços Ecossistêmicos (IPBES), o documento mais abrangente sobre o assunto, divulgado recentemente.

Em entrevista ao Banco Mundial, o ambientalista e biólogo norte-americano Thomas Lovejoy fala sobre seu trabalho de mais de 50 anos na conservação da Amazônia, região que abriga 40% da floresta tropical remanescente do mundo, 25% da biodiversidade terrestre e mais espécies de peixes do que qualquer outro sistema fluvial do planeta.

“Um dos maiores problemas é o desmatamento motivado por atividades agropecuárias. O desenvolvimento da infraestrutura também é uma grande ameaça, especialmente se alguns projetos continuarem do jeito que estão. Precisamos pensar em alternativas e trabalhar com os governos estaduais para criar modelos de desenvolvimento sustentável que preservem a floresta”, disse. Leia a entrevista completa.

Alimentos não seguros também dificultam o desenvolvimento em muitas economias de baixa e média renda. Foto: EBC

PANAFTOSA promove discussão sobre formas de fortalecer segurança dos alimentos no Brasil

Para marcar o Dia Mundial da Segurança dos Alimentos no Brasil, o Centro Pan-Americano de Febre Aftosa (PANAFTOSA-OPAS/OMS) reuniu autoridades nacionais e especialistas na sexta-feira (7), em Brasília (DF). Na ocasião, foram sintetizadas e compartilhadas as ações de cada organização para aperfeiçoar o desenvolvimento do trabalho conjunto em segurança dos alimentos no país.

A primeira celebração do Dia Mundial da Segurança dos Alimentos das Nações Unidas, a ser marcada globalmente em todo 7 de junho, visa fortalecer os esforços para garantir que os alimentos que comemos sejam seguros e destacar que esse tema é responsabilidade de todos.

A cada ano, quase uma em cada dez pessoas no mundo (cerca de 600 milhões de pessoas) adoece e 420 mil morrem depois de ingerir alimentos contaminados por bactérias, vírus, parasitas ou substâncias químicas.

Embora sejam mais da metade da população brasileira, pessoas negras ainda têm dificuldades em acessar o mercado de trabalho no Brasil, o que piora significativamente no caso de mulheres negras. Foto: UNFPA

Evento discute desigualdades de gênero e raça no mercado de trabalho brasileiro

A desigualdade racial e de gênero persiste no mercado de trabalho brasileiro e é preciso agir para combater práticas que perpetuam a discriminação, informando e promovendo espaços empresariais mais inclusivos.

Esta foi uma das conclusões do debate realizado na quinta-feira (6) em Brasília (DF) pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura no Brasil (UNESCO), em parceria com o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), a Organização Internacional do Trabalho (OIT), a ONU Mulheres e a coordenação do Sistema ONU no país.

Segundo pesquisa do Instituto Ethos, pessoas negras ocupam apenas 6,3% dos cargos de gerência e 4,7% de cargos executivos em empresas brasileiras.

Japão apoia ações da ONU na proteção de venezuelanos no Norte do Brasil

O governo do Japão assinou um acordo de cooperação com quatro agências do Sistema ONU no Brasil que prevê o repasse de 3,6 milhões de dólares para apoio a projetos desenvolvidos na proteção e assistência a venezuelanos que chegam ao país. Os recursos serão utilizados em ações em Roraima, Amazonas e Pará.

Participam do acordo a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), a Organização Internacional para as Migrações (OIM), a Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS) e o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF).

Família Schurmann. Foto: ONU Meio Ambiente

ONU Meio Ambiente apoia próxima expedição da família Schurmann

Na ocasião do Dia Mundial dos Oceanos, celebrado em 8 de junho, a ONU Meio Ambiente assinará um memorando de entendimento com a família brasileira Schurmann, conhecida por velejar pelo mundo. O acordo é mais um instrumento da campanha #MaresLimpos, maior aliança global contra o lixo nos oceanos.

O anúncio oficial do acordo acontecerá na tenda #MaresLimpos no mutirão de limpeza de praia #AqueleAbraço, organizado pela Route Brasil, na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro, no sábado (8), às 9h.

Foto: Valdecir Galor/SMCS

Jovens refugiados formam-se em curso de preparação para o mercado de trabalho

A segunda turma de estudantes refugiados que participaram das Oficinas de Criatividades, cursos de preparação para inserção no mercado de trabalho oferecidos pelo Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE), terá sua formatura nesta sexta-feira (7) em Brasília (DF).

Com apoio do Instituto Migrações e Direitos Humanos (IMDH) e da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), as atividades buscam preparar e inserir jovens refugiados e migrantes no mercado de trabalho a partir de vagas de estágio e aprendiz.

Indígenas venezuelanos em abrigo em Boa Vista, Roraima. Foto: ACNUR/Reynesson Damasceno

Número de refugiados e migrantes da Venezuela ultrapassa 4 milhões, segundo ACNUR e OIM

O número de venezuelanos deixando seu país alcançou 4 milhões, anunciou nesta sexta-feira (7) a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) e a Organização Internacional para as Migrações (OIM). Globalmente, os venezuelanos são um dos maiores grupos populacionais deslocados de seu país.

O ritmo do fluxo de saída da Venezuela tem sido impressionante. De cerca de 695 mil no final de 2015, o número de refugiados e migrantes venezuelanos disparou para mais de 4 milhões até meados de 2019, segundo dados de autoridades nacionais de imigração e outras fontes. Em apenas sete meses desde novembro de 2018, o número de refugiados e migrantes aumentou 1 milhão.

Os países latino-americanos estão recebendo a vasta maioria dos venezuelanos, com a Colômbia respondendo por cerca de 1,3 milhão, seguida por Peru, com 768 mil, Chile (288 mil), Brasil (168 mil) e Argentina (130 mil). O México e os países da América Central e do Caribe também recebem um número significativo de refugiados e migrantes da Venezuela.

Jogadores de futebol da Síria treinam para se profissionalizar no Rio de Janeiro. Foto: Vítor Madeira

Jogadores de futebol da Síria treinam para se profissionalizar no Rio de Janeiro

O campo de refugiados de Zaatari, na Jordânia, e o município de Resende, no estado do Rio de Janeiro, estão unidos por um elemento especial: o Pérolas Negras, clube de futebol da cidade.

No início de 2018, a comissão técnica do time foi a Zaatari selecionar jovens com potencial de se tornarem jogadores profissionais. Dos 150 que participaram da seleção, cinco foram escolhidos: Ahmad, Hafith, Jawdat, Omar e Quais.

Dois deles, Ahmad e Hafith, já estão inscritos oficialmente no Campeonato Carioca Série B2 Sub-20 e poderão entrar em campo já no próximo domingo (9), no estádio Alzirão, em Itaboraí, às 12h45. O Pérolas Negras enfrentará a equipe do Bela Vista. O relato é da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR).

Especialista em violência de gênero do UNFPA, Patrícia Melo, foi quem ministrou a oficina. Foto: Divulgação

Oficina em Roraima discute prevenção à exploração sexual de crianças e adolescentes

A prevenção e o combate à exploração sexual e abuso de crianças e adolescentes foi o tema de uma oficina ministrada pelo Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) no fim de maio (29) a 53 pessoas envolvidas com o trabalho de assistência humanitária em Roraima.

Participaram equipes do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), da Visão Mundial e do Instituto Pirilampos que atuam dentro de cinco abrigos da Operação Acolhida, responsável pelas pessoas venezuelanas migrantes e refugiadas que chegam ao estado.

Jackeline Lozada quer estudar artes em uma faculdade brasileira. Foto: UNFPA/Fabiane Guimarães

Refugiada venezuelana descobre talento para arte após chegar ao Brasil

Em Boa Vista, Roraima, uma colorida pintura toma conta do muro do Centro de Convivência e Atendimento Psicossocial para refugiados e migrantes venezuelanos. Na obra, uma mulher indígena carrega as bandeiras da Venezuela e do Brasil e recebe os recém-chegados com uma mensagem de acolhimento e amizade.

A artista por trás do painel saiu das fileiras de pessoas beneficiárias do centro: Jackeline Lozada, de 25 anos, trabalhou no mural enquanto estava grávida. Ela deu à luz uma menina poucas semanas após receber a equipe de reportagem do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA).

O Projeto Dove pela Autoestima (2004) ajuda os jovens a desenvolver uma relação positiva com a própria aparência. Foto: Dove

UNICEF e Dove lançam parceria para educação sobre autoestima e confiança corporal

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e a marca de produtos de higiene pessoal Dove, da empresa Unilever, firmaram na quarta-feira (5) parceria de três anos com o objetivo de apoiar, até 2022, 10 milhões de jovens de Brasil, Índia e Indonésia a aumentar sua autoestima e confiança em relação a seu corpo.

Em 2017, novas pesquisas do Projeto Dove pela Autoestima revelaram que sete em cada dez meninas com baixa autoestima no mundo não conseguem se auto-afirmar ou pedir ajuda na escola, porque não se sentem confiantes com sua aparência. A mesma pesquisa mostrou que oito em cada dez meninas com baixa autoestima corporal colocam sua saúde em risco, por exemplo, ao não comparecer a uma consulta médica ou ao pular refeições.

Cooperação técnica reforça parceria já iniciada entre as duas instituições por meio da adaptação local das Diretrizes sobre Feminicídio, desde 2016, e ações formativas, como cursos de comunicação nos anos de 2018 e 2019. Foto: TJ-MS

TJ-MS adere ao movimento ElesPorElas pela igualdade de gênero

O Tribunal de Justiça do Mato Grosso do Sul (TJ-MS) aderiu na quarta-feira (5), em Campo Grande, ao movimento ElesPorElas HeForShe, da ONU Mulheres Brasil. Termo de adesão e plano de trabalho foram firmados pelo desembargador Paschoal Carmello Leandro, presidente do TJ-MS, e pela representante interina da ONU Mulheres Brasil, Ana Carolina Querino.

A partir da adesão, o TJ-MS e a ONU Mulheres Brasil passam a colaborar, no período 2019-2020, para as seguintes iniciativas fundamentadas no ordenamento jurídico brasileiro e em normativas internacionais sobre direitos humanos das mulheres: ações de articulação e advocacy para acesso das mulheres à justiça, ações formativas, ações de mobilização social e monitoramento e avaliação.

Guia reúne diretrizes sobre questões como ampliação de acesso a serviços de HIV, qualidade dos resultados de saúde sexual e reprodutiva e direitos (SSRD) das mulheres vivendo com HIV e promoção da igualdade de gênero. Foto: UNAIDS

Guia dá diretrizes sobre igualdade de gênero em serviços de saúde para HIV

As mulheres que vivem com HIV enfrentam desafios únicos e violações de direitos relacionados à sexualidade e à reprodução, não apenas dentro de suas famílias e comunidades, mas também nas instituições de saúde onde buscam atendimento.

Diante desse cenário, uma publicação conjunta de Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS/OMS) e Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS) reúne diretrizes sobre ampliação de acesso a serviços de HIV, qualidade dos serviços de saúde sexual e reprodutiva e direitos (SSRD) para as mulheres vivendo com HIV e promoção da igualdade de gênero.

A qualidade da formação docente é apontada por especialistas como um fator-chave para a melhoria da qualidade da educação básica no Brasil. Foto: UNESCO

Associação promove seminário online sobre formação de docentes no Brasil

A Associação de jornalistas de educação — Jeduca realiza na quinta-feira (6), às 15h, o webnário “Cenários da formação do professor no Brasil e seus desafios”, pelo canal da Jeduca no YouTube.

O webnário será baseado na pesquisa de mesmo tema, realizada pela Fundação Carlos Chagas (FCC) e pela representação no Brasil da Organização das Nações Unidas para Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), no âmbito da Cátedra UNESCO sobre Profissionalização Docente.

ONU-HABITAT lança publicação sobre integração entre desenvolvimento rural e urbano

O Programa das Nações Unidas para Assentamentos Humanos (ONU-HABITAT) lançou na semana passada (30) a publicação “Conexões Urbano-Rurais: Princípios Orientadores”, cujo objetivo é estabelecer um marco de ação para promover o desenvolvimento territorial integrado entre campo e cidade.

Em muitos países, a conexão entre as zonas rurais e urbanas é uma área de enfoque cada vez mais importante para o desenvolvimento sustentável. “As áreas urbanas e rurais não são independentes entre si e suas conexões não se dão apenas em via de mão única. Para garantir que o desenvolvimento urbano seja de fato sustentável, é necessário abordar esta relação de uma perspectiva territorial integrada”, disse o coordenador do escritório do ONU-HABITAT no Brasil e no Cone Sul, Alain Grimard.

Grupo de Trabalho de Direitos Humanos promove treinamento de due dilligence para empresas. Foto: Rede Brasil do Pacto Global/Fellipe Abreu

UNESCO promove debate em Brasília (DF) sobre racismo no mercado de trabalho brasileiro

A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) no Brasil, em parceria com ONU Mulheres, Organização Internacional do Trabalho (OIT), Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) e a coordenação do Sistema ONU no Brasil, realiza na quinta-feira (6) debate em Brasília (DF) sobre as dificuldades enfrentadas por negros e, especialmente, mulheres negras, no mercado de trabalho.

A desigualdade racial é uma realidade no mercado de trabalho brasileiro, embora pretos e pardos constituam mais da metade da população no país. O ambiente empresarial ainda tem grandes dificuldades para avançar no combate ao racismo, e o quadro se agrava ainda mais quando consideramos a situação das mulheres negras.

Após uma longa viagem, venezuelanos chegam a Dourados para uma nova vida. Foto: ACNUR/Alan Azevedo

Japão doa US$3,6 milhões para resposta da ONU Brasil à população venezuelana

A Embaixada do Japão assina nesta quinta-feira (6) um acordo de cooperação com quatro agências do Sistema ONU no Brasil para contribuir com 3,6 milhões de dólares às ações de proteção e assistência aos refugiados e migrantes venezuelanos que chegam ao país.

A doação do governo japonês será direcionada a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), Organização Internacional para as Migrações (OIM), Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS) e Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF). Caberá ao ACNUR receber a doação, redistribuindo os recursos posteriormente às demais agências.

Na imagem, poluição atmosférica na cidade de São Paulo. Foto: Flickr/Thomas Hobbs (cc)

ONU e Ministério do Meio Ambiente se unem para combater poluição do ar em Dia Mundial

A poluição do ar é o principal fator de risco ambiental para a saúde em todo o mundo. No Brasil, onde 76% da população vive em cidades e respira diariamente diversos tipos de poluentes, pensar soluções políticas e técnicas para a questão é urgente.

Em sinergia com o Dia Mundial do Meio Ambiente, 5 de junho, que neste ano soma esforços para #CombaterAPoluiçãoDoAr, o governo brasileiro, por meio do Ministério do Meio Ambiente, e o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (ONU Meio Ambiente), irão promover uma discussão sobre qualidade do ar e saúde, buscando aproximar os setores e apoiar iniciativas que possibilitem avanços nas políticas públicas relacionadas ao tema.

A cidade de Belo Horizonte, no Brasil. Foto: ONU-Habitat

ONU-HABITAT acompanha processo de revisão de novo Plano Diretor de BH

Presente no Brasil há mais de 20 anos, o Programa das Nações Unidas para Assentamentos Humanos (ONU-HABITAT) tem atuado no tema da legislação urbana, acompanhando a elaboração e a implementação de Planos Diretores das cidades, por considerá-los instrumentos basilares para orientar o desenvolvimento urbano brasileiro.

O organismo internacional da ONU tem acompanhado o processo de revisão dos Planos Diretores de Belo Horizonte, Fortaleza, Recife, Rio de Janeiro, entre outras cidades.

No caso de Belo Horizonte, o Plano está prestes a ser aprovado pela Câmara Municipal em segundo turno. Para o ONU-HABITAT, a proposta avança de forma significativa na abordagem trazida pelo Estatuto da Cidade (Lei Federal 10.257/01) e pela Nova Agenda Urbana, não sendo apenas uma carta de diretrizes, mas uma ferramenta de regulação urbana que interfere no processo de produção e transformação do espaço urbano para o bem comum.

Foto: Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social

PNUD apoia elaboração de plano de desenvolvimento do Paraná

Por meio de parceria com o Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social (IPARDES), o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) apoiará a definição dos indicadores a serem usados no Plano Plurianual (PPA) e a proposição dos macro-objetivos do Plano de Desenvolvimento de Longo Prazo (PDLP) do Paraná, ambos em fase de elaboração.

O PPA é um plano de médio prazo que estabelece as diretrizes, objetivos e metas a serem seguidos pelo governo ao longo de quatro anos. Já o PDLP definirá metas e objetivos estratégicos para o estado para os próximos 20 anos.

Cartilha "Jogos e Brincadeiras das Culturas Populares na Primeira Infância" ensina atividades lúdicas para o estímulo do desenvolvimento infantil. Foto: Secretaria Especial do Desenvolvimento Social/Clarice Castro

Cartilha ensina brincadeiras que estimulam desenvolvimento infantil

O Ministério da Cidadania acaba de lançar a cartilha “Jogos e Brincadeiras das Culturas Populares na Primeira Infância”, que ensina atividades lúdicas para o estímulo do desenvolvimento infantil. A publicação, resultado de parceria com a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), divide-se por faixa etária, do nascimento aos 6 anos, levando em conta as características de cada fase da primeira infância.

Surto de zika é oportunidade de país discutir temas como autonomia sexual e reprodutiva das mulheres, segundo especialistas da ONU. Foto: OPAS

Fundo de População discute promoção da saúde reprodutiva com universitários em Foz do Iguaçu

Em Foz do Iguaçu (PR), uma equipe do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) conversou com 50 estudantes sobre o trabalho realizado pela agência no Brasil e no mundo e sobre como os direitos sexuais e reprodutivos estão associados à Agenda 2030 da ONU para o Desenvolvimento Sustentável.

Palestra na semana passada (31) fez parte do Congresso Internacional de Cooperação, Desenvolvimento e Comércio Internacional da Tríplice Fronteira.

As ações de formação fazem parte do eixo Saúde do projeto Prevenção e Redução da Gravidez Não Intencional na Adolescência nos Municípios do Oeste do Paraná. Foto: EBC/Marcello Casal Jr

UNFPA e ITAIPU capacitam profissionais de saúde, educação e assistência social no Paraná

Cerca de 200 profissionais de saúde, educação e assistência social que trabalham com o atendimento de adolescentes devem participar das duas primeiras oficinas do projeto Prevenção e Redução da Gravidez Não Intencional na Adolescência nos Municípios do Oeste do Paraná. As atividades serão realizadas em 10 e 11 de junho, nas cidades de Pato Bragado e Medianeira, respectivamente, e têm como tema Adolescências e Direitos.

Entre os objetivos da ação estão o fortalecimento da autoconfiança de profissionais da rede de atendimento, a formação com relação aos direitos e a construção de uma rede qualificada e acolhedora para adolescentes em unidades de saúde, escolas e nos serviços de assistência social. Serão feitas atividades participativas, com troca de experiências e informações. Também haverá exercícios e práticas para despertar a criatividade dos integrantes para soluções de problemas e fortalecimento das capacidades sociais e emocionais.

Seminário “Educação é Proteção contra a Violência” ocorrerá no Museu do Amanhã e no Museu de Arte do Rio de Janeiro. Foto: Divulgação

Abertas inscrições para seminário Educação é Proteção contra a Violência

Nos dias 17 e 18 de junho de 2019, o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e a Cidade Escola Aprendiz realizarão o Seminário “Educação é Proteção contra a Violência”, no Museu do Amanhã e no Museu de Arte do Rio de Janeiro (ambos na Praça Mauá, 1, Centro).

O evento tem como objetivo refletir sobre a educação como estratégia fundamental de proteção da vida e prevenção de diferentes tipos de violências contra crianças e adolescentes.

Destinado a gestores, técnicos, pesquisadores, lideranças sociais e adolescentes, o seminário tem inscrições abertas até o dia 7 de junho de 2019.

O projeto ‘Maré de Sabores’, realizado pela Redes da Maré, funciona há nove anos formando profissionais de cozinha. Nascido da demanda de mães interessadas em aprimorar as dietas dos filhos, o ‘Maré de Sabores’ hoje administra um buffet profissional com comidas típicas dos migrantes que ajudaram a formar o Complexo da Maré, no Rio de Janeiro. Pratos com referências de mulheres nordestinas, manauaras e afrodescendentes integram o cardápio, que conta com especialidades como o X-Marézinha (hambúrguer feito com pão caseiro, queijo coalho e molho de tucumã). O ‘Maré de Sabores’ participou do 1º Fórum Regional das Cidades Latino-Americanas Signatárias do Pacto de Milão sobre Política de Alimentação Urbana, que aconteceu entre os dias 29 e 31 de maio no Rio de Janeiro. A iniciativa é um modelo de integração e desenvolvimento social ancorado na gastronomia e no empreendedorismo, e colabora para a implementação e o desenvolvimento de sistemas alimentares sustentáveis para as cidades.

VÍDEO: Projeto ‘Maré de Sabores’ participa de fórum internacional sobre alimentação urbana

O projeto ‘Maré de Sabores’, realizado pela Redes da Maré, funciona há nove anos formando profissionais de cozinha. Nascido da demanda de mães interessadas em aprimorar as dietas dos filhos, o ‘Maré de Sabores’ hoje administra um buffet profissional com comidas típicas dos migrantes que ajudaram a formar o Complexo da Maré, no Rio de Janeiro.

Pratos com referências de mulheres nordestinas, manauaras e afrodescendentes integram o cardápio, que conta com especialidades como o X-Marézinha (hambúrguer feito com pão caseiro, queijo coalho e molho de tucumã).

O ‘Maré de Sabores’ participou do 1º Fórum Regional das Cidades Latino-Americanas Signatárias do Pacto de Milão sobre Política de Alimentação Urbana, que aconteceu entre os dias 29 e 31 de maio no Rio de Janeiro.

A iniciativa é um modelo de integração e desenvolvimento social ancorado na gastronomia e no empreendedorismo, e colabora para a implementação e o desenvolvimento de sistemas alimentares sustentáveis para as cidades.

Confira nesse vídeo especial do Centro de Informação das Nações Unidas para o Brasil (UNIC Rio).

FIOCRUZ no Rio de Janeiro. Foto: WikiCommons

Representante de agência da ONU integra comissão para comemorar 120 anos da Fiocruz

A representante da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) no Brasil, Socorro Gross, tomou posse na sexta-feira (31) na comissão de honra que celebrará os 120 anos da Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ), comemorados em 2020. O comitê criado para a data será responsável por discutir o futuro da instituição, inserindo a agenda da saúde em debates mais amplos sobre ciência, tecnologia e inovação.