Criança com sintomas do sarampo. Foto: Blog da Saúde/NatUlrich

OMS: casos de sarampo quase triplicaram no mundo durante o primeiro semestre

Surtos de sarampo continuam a se espalhar rapidamente pelo mundo, de acordo com os últimos relatórios preliminares fornecidos à Organização Mundial da Saúde (OMS), com milhões de pessoas em risco de contrair a doença.

Os casos de sarampo notificados nos primeiros seis meses de 2019 são os mais elevados desde 2006, com surtos sobrecarregando sistemas de saúde e levando a doenças graves, incapacidades e mortes em muitas partes do mundo. A quantidade é quase três vezes maior do que a registrada no mesmo período do ano passado.

Para o período de 1º de janeiro a 31 de julho de 2019, 182 países notificaram 364.808 casos de sarampo à OMS. Para o mesmo período do ano passado, 129.239 casos de sarampo foram registrados em 181 países.

A missão faz parte das atividades do projeto "Promoção de trabalho decente na cadeia do algodão no Peru", que reúne os governos brasileiro e peruano e conta com assistência técnica da OIT. Foto: OIT

Brasil e Peru discutem em Brasília (DF) desafios e oportunidades do futuro do trabalho

O que o setor de telecomunicações no Brasil tem em comum com a produção de algodão no Peru? Quando se trata de mapear e de entender os desafios e as oportunidades apresentados pelo presente e futuro do trabalho e de antecipar habilidades profissionais, muito conhecimento pode ser compartilhado entre os dois países.

Com esse objetivo, escritório da Organização Internacional do Trabalho (OIT) no Brasil, a Agência Brasileira de Cooperação (ABC), do Ministério das Relações Exteriores, e o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) recebem representantes do governo do Peru para uma missão de capacitação no âmbito da Cooperação Sul-Sul, que ocorre até sexta-feira (16), em Brasília (DF).

A missão de capacitação ajudará o governo peruano a mapear e antecipar as competências e habilidades profissionais para o futuro do trabalho na cadeia produtiva do algodão do país.

A 2ª edição do Circuito Urbano terá como tema geral “Cidades Inovadoras e Inclusivas” e como pergunta inspiradora “Como a inovação pode aprimorar serviços e políticas urbanas de maneira inclusiva e sustentável?”. Foto: ONU-Habitat/Lucille Kanzawa

ONU-HABITAT abre inscrições de eventos para Circuito Urbano 2019

O Programa das Nações Unidas para os Assentamentos Humanos (ONU-HABITAT) recebe até 26 de agosto inscrições de organizações interessadas em receber apoio institucional para a realização de eventos no Circuito Urbano 2019.

Os eventos devem ocorrer entre 1º e 31 de outubro em cidades de todo o Brasil e abordar inovações sociais, tecnológicas, econômico/financeiras e de políticas públicas e governança que contribuam para o aprimoramento dos serviços ou da política urbana.

A 2ª edição do Circuito Urbano terá como tema geral “Cidades Inovadoras e Inclusivas” e como pergunta inspiradora “Como a inovação pode aprimorar serviços e políticas urbanas de maneira inclusiva e sustentável?”. Saiba como se inscrever.

Grandi conversa com crianças na escola Al-Shuhada em Souran, na Síria. Foto: ACNUR/Andrew McConnell

Alto-comissário da ONU para refugiados visita Chile e Brasil esta semana

O alto-comissário da ONU para refugiados, Filippo Grandi, visita Chile e Brasil nesta semana (entre os dias 13 e 18 de agosto) para conhecer de perto a resposta humanitária a refugiados e migrantes venezuelanos que têm sido forçados a deixar o país devido à piora da situação política e socioeconômica, de direitos humanos e da ordem pública.

O chefe da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) visitará o Brasil entre os dias 15 e 18 de agosto. Seu roteiro no país inclui reuniões com o governo federal em Brasília e uma visita a Boa Vista e Pacaraima (RR).

Em Roraima, ele se encontrará com pessoas venezuelanas que recém chegaram ao Brasil e escutar os riscos que sofreram durante a jornada. Ele também terá a oportunidade de conhecer a resposta emergencial que tem sido dada no estado, incluindo ações de abrigamento, alimentação, assistência legal para venezuelanos e projetos de promoção à integração local.

Governo brasileiro prorrogou campanha de vacinação contra a pólio e o sarampo. Foto: Agência Brasil/Tomaz Silva

Brasil registra 2º maior número de casos de sarampo nas Américas

A região das Américas confirmou 2.927 casos de sarampo neste ano. Os dados são da mais recente atualização epidemiológica da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), que reuniu dados disponíveis até 7 de agosto.

A doença foi identificada em 14 países, de 1º de janeiro a 27 de julho. O maior número de episódios da infecção foi registrado nos Estados Unidos (1.172), seguido pelo Brasil (1.045) e Venezuela (417).

Membro do povo Tariana na Amazônia brasileira. Imagem de 2008. Foto: Banco Mundial/Julio Pantoja

Em dia mundial, ONU defende direito dos povos indígenas a definir estratégias de desenvolvimento

Em mensagem para o Dia Internacional dos Povos Indígenas, celebrado nesta sexta-feira (9), o secretário-geral da ONU, António Guterres, pediu que países garantam a essas populações o direito a determinar o seu próprio modelo de desenvolvimento, por meio de políticas que sejam inclusivas e igualitárias. De acordo com as Nações Unidas, existem em torno de 370 milhões de indígenas no mundo.

Indígena da etnia Bororo Boé durante os Jogos Mundiais dos Povos Indígenas. Foto: Agência Brasil/Marcelo Camargo

Em Manaus, UNESCO promove seminário sobre conhecimentos indígenas de gestão da água

No marco das celebrações do Dia Internacional dos Povos Indígenas, lembrado em 9 de agosto, a UNESCO promove na sexta-feira, em Manaus (AM), o seminário ‘Conhecimento Indígena para a gestão integrada da água na América Latina e Caribe’.

Encontro discute os aspectos técnicos, jurídicos, socioculturais, econômicos e políticos das práticas de gestão hídrica dos povos originários da região.

O processo de interiorização é coordenado pela Operação Acolhida, resposta do governo federal ao fluxo migratório de venezuelanos. Foto: UNFPA

UNFPA leva informação a refugiados e migrantes em Roraima que viajarão a outras partes do país

Em uma sala lotada, 60 pessoas refugiadas e migrantes que em breve deixarão Roraima participaram na sexta-feira (2) de mais uma sessão informativa pré-interiorização promovida pelo Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) em Boa Vista.

O processo de interiorização é coordenado pela Operação Acolhida, resposta do governo federal ao fluxo migratório de venezuelanos, e tem o objetivo levar refugiados e migrantes a outras cidades, onde possam encontrar mais oportunidades.

O UNFPA atua, nesta etapa, levando informação sobre direitos e serviços que podem ser encontrados na cidade de destino, tendo como foco a promoção da saúde reprodutiva e dos direitos humanos, a prevenção e resposta à violência de gênero e a resiliência comunitária.

O objetivo do projeto é contribuir para a defesa e o cumprimento dos direitos humanos, com enfoque nos direitos laborais e na promoção do trabalho decente para pessoas e grupos em condição de vulnerabilidade. Foto: OIT

Exposição fotográfica em Brasília mostra inclusão trabalhista de populações vulneráveis

A Organização Internacional do Trabalho (OIT) e o Ministério Público do Trabalho (MPT) inauguram na quinta-feira (8) em Brasília (DF) a exposição “Os caminhos da igualdade e o trabalho decente: uma mostra dos resultados do Projeto de Promoção do Trabalho Decente para Pessoas em Situação de Vulnerabilidade”.

A mostra reúne a obra do fotógrafo humanitário irlandês Jason Lowe, que mergulhou nos bastidores de projetos desenvolvidos por OIT Brasil e MPT. Ele captou a trajetória de pessoas em situação de vulnerabilidade que, por meio das iniciativas, conquistaram oportunidades de formação e ingresso no mercado de trabalho.

UNICEF comemora 20 anos de projeto de mobilização dos municípios brasileiros pela infância

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) começa nesta semana as comemorações dos 20 anos do Selo UNICEF — inciativa que mobiliza municípios brasileiros do Semiárido e da Amazônia em prol de políticas públicas para crianças e adolescentes. Para marcar o aniversário, o organismo internacional promove ações no XXI Encontro do Colegiado Nacional de Gestores Municipais de Assistência Social, em Belém (PA).

O bicho-de-pé é encontrado em regiões remotas e pobres do Brasil, como aldeias indígenas, comunidades rurais e favelas. Foto: OPAS/OMS/Sonia Mey-Schmidt

Agência da ONU ajuda Brasil a combater infestações de bicho-de-pé

O bicho-de-pé é identificado em aldeias indígenas, comunidades rurais e favelas de grandes cidades. Conhecida também como tungíase, a doença é provocada por uma pulga, que se alimenta do sangue de humanos e animais.

A Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) apoia o governo do Brasil a combater o bicho-de-pé. Desde 2018, a Secretaria Especial de Saúde Indígena (SESAI), do Ministério da Saúde, realiza atividades com a agência da ONU em áreas vulneráveis.

Foto: Agência Brasil/ Fernando Frazão

ARTIGO: Lei Maria da Penha, 13 anos — direito de viver sem violência

Em artigo publicado na imprensa brasileira, a diretora regional da ONU Mulheres para Américas e Caribe, Maria-Noel Vaeza, lembra o aniversário da Lei Maria da Penha nesta quarta-feira (7) e alerta para o recente aumento dos assassinatos de mulheres no Brasil.

A especialista das Nações Unidas aponta a necessidade de analisar como diferentes grupos de mulheres — das periferias, do meio rural e de comunidades tradicionais — recorrem à legislação sobre violência de gênero no ambiente doméstico e familiar.

Empresa pública lança painel de indicadores sobre transporte e logística no Brasil

A Empresa de Planejamento e Logística (EPL) lançou um painel de indicadores que traz informações periodicamente atualizadas sobre a evolução de fenômenos do transporte e da logística do país. O banco de dados foi desenvolvido no âmbito do Observatório Nacional de Transporte e Logística (ONTL), por meio de cooperação técnica com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), em parceria com a empresa espanhola INECO.

Além de reunir informações para subsidiar o planejamento de transportes, produzir e difundir conhecimento para a sociedade e fornecer informações estratégicas para a governança, o observatório fomenta a cooperação interinstitucional e a articulação público-privada, favorecendo o cenário do desenvolvimento, segundo o PNUD.

A Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável foi estabelecida pelos países-membros da ONU no fim de 2015. Foto: ONU

Órgãos brasileiros acompanham implementação nacional de objetivos globais

Desde a aprovação da Agenda 2030 pela comunidade internacional, em 2015, órgãos governamentais brasileiros começaram a avançar na identificação de indicadores nacionais para o acompanhamento das metas globais dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Um exemplo é o trabalho de adequação das metas globais para a realidade brasileira e o acompanhamento de indicadores do país, conduzido pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) e pelo Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE), respectivamente.

“Desde 2017, o IPEA faz o assessoramento técnico de políticas públicas em relação aos ODS. Dentro dessa atribuição, o instituto já realizou o trabalho de adequação das metas globais dos ODS para o Brasil”, disse a diretora-adjunta de estudos e políticas sociais do IPEA, Enid Rocha. O relato é do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).

OIT alertou que desigualdades de gênero afetam a inserção das mulheres no mercado de trabalho. Foto: Agência Brasil

Seminário em São Paulo discute avanços e desafios à participação das mulheres na economia

O Banco Mundial, o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE) e a Fundação Getúlio Vargas (FGV) promovem na próxima quinta-feira (8), a partir das 9h, o seminário “Mulheres, Empresas e o Direito 19: Uma análise de avanços e desafios à participação feminina na economia”, na Escola Superior de Empreendedorismo (ESE), em São Paulo (SP).

Como parte do evento, serão apresentados dois estudos: Mulheres, Empresas e o Direto 19: Uma década de Reformas, do Banco Mundial, e Empreendedorismo Feminino no Brasil, do SEBRAE.

A atividade faz parte do marco Plataforma Cairo + 25 Brasil. Foto: REBRAPD

Consulta visa discutir desafios de saúde sexual e reprodutiva para população LGBTI

Buscando um diálogo entre a sociedade civil acerca dos avanços da Conferência Internacional sobre População e Desenvolvimento (CIPD), que aconteceu em 1994 no Cairo, a Rede Brasileira de População e Desenvolvimento (REBRAPD) e o Centro LGBT da Bahia organizaram em Salvador a primeira consulta temática com foco na população LGBTQI. A ação contou também com o apoio do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA).

Segundo o coordenador da REBRAPD, Richarlls Martins, devido a uma herança histórica, a população LGBTQI se encontra em desvantagem perante uma parcela significativa da sociedade. Dessa forma, a consulta é uma forma de reconhecer e dar visibilidade aos avanços conquistados pela CIPD, bem como levantar os desafios que demandam especial atenção para a integral implementação da agenda.

Daiane dos Santos nos Jogos de Winnipeg, no Canadá, em julho de 1999. Foto: COB/Washington Alves

Em entrevista à ONU Mulheres, ginasta Daiane dos Santos fala sobre enfrentamento ao racismo

Em 1999, a ginasta Daiane dos Santos — na época, aos 16 anos — disputava os Jogos Pan-Americanos de Winnipeg, no Canadá. A competição lhe renderia suas primeiras medalhas na categoria sênior da ginástica artística: prata no salto e bronze por equipes.

Duas décadas depois, Daiane conversou com a ONU Mulheres Brasil sobre as conquistas nos esportes de alto rendimento e sobre o racismo enfrentado durante sua carreira.

“Posso dizer que sofri muito mais racismo no Brasil do que fora do país. Mais de 50% de nossa população é composta por pessoas que se autodeclaram negras, mas o preconceito ainda existe. Dizem que se trata de um preconceito velado, mas ele é bastante visível e cruel e, infelizmente, não recebe a punição que deveria.” Leia a entrevista completa.

Informar e empoderar as mulheres e jovens para o exercício dos direitos sexuais e do planejamento da vida reprodutiva é fundamental para que elas tenham controle sobre seu presente e seu futuro. Foto: Flickr / Andrea Moroni (CC)

Edital investirá R$380 mil em serviços sobre saúde sexual e reprodutiva na Bahia

O Fundo ELAS e o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) anunciam na sexta-feira (2) o resultado do Edital ELA Decide, que vai apoiar ações de formação e informação em saúde sexual e reprodutiva na Bahia. O edital vai investir 378,3 mil reais na qualificação da demanda da população por serviços e informações sobre o tema.

Foram selecionados oito projetos que, com diferentes estratégias, vão atuar nos municípios de Itabuna, Itacaré, Lauro de Freitas, Palmeiras, Presidente Tancredo Neves, Rio Real, Santo Amaro, Salvador e Uruçuca, além de realizar ações na internet, alcançando outros territórios.

Informar e empoderar as mulheres e jovens para o exercício dos direitos sexuais e do planejamento da vida reprodutiva é fundamental para que elas tenham controle sobre seu presente e seu futuro, segundo o UNFPA. O edital ELA Decide avança nesse sentido, fortalecendo organizações da sociedade civil que atuam na área.

Foto: EBC

OPAS ressalta avanços em 30 anos do SUS, mas destaca desafios no acesso

A Associação Brasileira de Saúde Coletiva (ABRASCO) lançou na sexta-feira (2), na sede da representação da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) e da Organização Mundial da Saúde (OMS) no Brasil, na capital federal, o documento “Pela garantia do direito universal à saúde no Brasil – Contribuição da ABRASCO para o fortalecimento da 16ª Conferência Nacional de Saúde”.

O evento foi apoiado pela OPAS, que tem um longo histórico de parceria com a ABRASCO. “Principalmente, para o desenvolvimento de estudos e pesquisas e a produção de conhecimentos para o desenvolvimento do SUS (Sistema Único de Saúde) e defesa do direito à saúde. Nos últimos anos, destacamos, dentre as diversas ações de cooperação cujos resultados se mostram relevantes, o trabalho conjunto desenvolvendo a cooperação técnica descentralizada a nível dos estados”, afirmou a representante da OPAS e da OMS no Brasil, Socorro Gross.

Ela ressaltou ainda que são muitos os avanços e conquistas do SUS nestes 30 anos de sua criação. “Contudo, persistem importantes desafios nos campos do acesso, da qualidade e da equidade. A OPAS sempre será parceira na busca de soluções efetivas, duradouras e baseadas em evidências, que garantam saúde para todas e todos, em todas as partes deste país, sem deixar ninguém para trás”.

Abertura da 16ª Conferência Nacional de Saúde, com representantes do Ministério da Saúde, do Conselho Nacional de Saúde, da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) e de outras instituições. Foto: Ministério da Saúde/Erasmo Salomão

Agência da ONU afirma que SUS representa conquista democrática

A representante da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) no Brasil, Socorro Gross, afirmou no domingo (4) que o Sistema Único de Saúde (SUS) “tem raízes em valores e princípios intrinsecamente ligados ao que representa a democracia: a proteção dos direitos humanos fundamentais”.

A especialista participou em Brasília (DF) da abertura da 16ª Conferência Nacional de Saúde, evento dedicado à participação social na gestão da saúde pública.

O casal de venezuelanos Carlos e Marifer. Foto: ACNUR/Érico Hiller

Família venezuelana reconstrói vida em solo brasileiro após sequestro na Venezuela

Carlos, de 35 anos, tinha uma vida confortável na Venezuela. Formado em Jornalismo e trabalhando como gerente de produção em uma emissora estatal de TV, levava uma vida tranquila com Marifer, que é sua companheira há oito anos.

Em 2016, em meio à crise no país, o jornalista foi sequestrado e espancado. Na sequência do crime, o venezuelano começou a receber ameaças contra seus pais. Carlos decidiu que era hora de se separar da esposa e da filha para buscar segurança no Brasil. O relato é da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR).

Centro da ONU apoia Gâmbia a mobilizar recursos para agricultura familiar

O Centro de Excelência contra a Fome da ONU enviou nesta semana uma equipe para a Gâmbia, onde especialistas vão traçar um plano de mobilização de recursos para a agricultura familiar.

O objetivo da viagem é impulsionar a produção de pequenos agricultores, por meio de estratégias que conectem esses camponeses a mercados. O país africano produz apenas 50% da comida que consome, o que deixa seus cidadãos dependentes das importações.

Colheita de milho em Sertão Santana (RS). Foto: Pedro Revillion/Palácio Piratini/CC

Aliança empresarial publica guia sobre sustentabilidade no setor de alimentos e agronegócio

A Rede Brasil do Pacto Global — aliança corporativa alinhada aos valores da ONU — lançou na quarta-feira (31) um guia para que empresas de alimentação e o agronegócio adequem suas atividades produtivas aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). O chamado Manual do Replicador vai ajudar companhias do setor a buscar modelos mais responsáveis de cultivo e fabricação de alimentos.

Setor têxtil é um dos que registra casos de trabalho análogo à escravidão no Brasil. Foto: EBC

Especialistas debatem enfrentamento do trabalho escravo no município de São Paulo

A Organização Internacional do Trabalho (OIT) e a Comissão Municipal para a Erradicação do Trabalho Escravo (COMTRAE) de São Paulo apresentaram em julho (18) os resultados preliminares do primeiro monitoramento do Plano Municipal para Erradicação do Trabalho Escravo, bem como a proposta de Fluxo de Atendimento à Pessoa Submetida ou Vulnerável ao Trabalho Escravo, durante oficina técnica realizada na capital paulista.

Os resultados preliminares mostram que 68,2% dos indicadores monitorados foram considerados cumpridos ou parcialmente cumpridos. Desses, a maioria (41,46%) necessita de acompanhamento permanente e sistemático. Dos sete eixos estratégicos, o de prevenção foi o que apresentou maior índice de ações cumpridas e parcialmente cumpridas. O eixo de geração de emprego e renda foi o que menos avançou, pois não apresentou qualquer indicador totalmente cumprido.

Os resultados serão desdobrados em outras ações coordenadas pela COMTRAE, que serão importantes na prevenção e enfrentamento do trabalho escravo em São Paulo e na construção do trabalho decente para todos.

A atividade contou com cerca de 60 participantes, entre técnicos e gestores públicos do governo do estado e de diversas prefeituras alagoanas, além de acadêmicos e representantes da sociedade civil envolvidos na elaboração de políticas, programas e projetos urbanos. Foto: SECOM/AL

Workshop sobre desenvolvimento urbano de Alagoas reúne técnicos e gestores públicos

O Programa das Nações Unidas para os Assentamentos Humanos (ONU-HABITAT) realizou no fim de julho (30 e 31), em parceria com o governo de Alagoas e a Associação dos Municípios Alagoanos (AMA-AL), o workshop “Construindo capacidades: A Nova Agenda Urbana e o desenvolvimento do estado de Alagoas”.

O workshop é a terceira atividade realizada em 2019 pelo Programa de Capacitação e Treinamento implementado pelo ONU-HABITAT em Alagoas, que tem como objetivo capacitar servidores diretamente envolvidos na formulação e implementação de políticas e programas do governo. A intenção é fortalecer o engajamento do estado com a prosperidade urbana sustentável e inclusiva.

Yennyfer decidiu vir ao Brasil para dar melhores condições de vida aos filhos. Foto: UNFPA Brasil/Fabiane Guimarães

No Brasil, mãe venezuelana encontra tratamento para filha com autismo

A distância e o sinuoso trajeto entre a Venezuela e o Brasil não assustaram Yennyfer Espinoza, de 30 anos. Mãe de três filhos, a venezuelana decidiu deixar seu país para dar melhores condições de vida para as crianças e buscar tratamento para a menina mais velha, diagnosticada com autismo.

Com o apoio do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), a família encontrou assistência médica na rede pública de Roraima, onde os remédios necessários ao tratamento saíram de graça.