Vista de Florianópolis, Santa Catarina. Foto: EBC

Região metropolitana de Florianópolis ocupa 1º lugar em ranking de desenvolvimento humano

A Fundação João Pinheiro (FJP), o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) acabam de lançar novos dados para o Atlas do Desenvolvimento Humano nas Regiões Metropolitanas Brasileiras.

Nesta nova fase, o site do Atlas (www.atlasbrasil.org.br) recebeu indicadores de quatro regiões metropolitanas: Florianópolis (SC), Grande Teresina (PI), Juazeiro-Petrolina (BA/PE) e Sorocaba (SP). As quatro novas regiões somam-se a outras 20 cujos indicadores foram divulgados entre 2014 e 2015.

(Imagem: divulgação/Marinha do Brasil)

ONU e Marinha promovem evento no Rio sobre participação brasileira na MINUSTAH

A Marinha do Brasil, o Centro de Informação das Nações Unidas para o Brasil (UNIC Rio) e outras instituições promovem nos dias 28 e 29 de novembro no Rio de Janeiro evento para analisar os 13 anos de participação brasileira na Missão da ONU para Estabilização do Haiti (MINUSTAH).

Entre os palestrantes, estarão presentes o ministro da Defesa, Raul Jungmann; o subsecretário-geral da ONU para Operações de Paz, Jean-Pierre Lacroix; e autoridades nacionais e internacionais.

O estudo fornece uma visão geral do progresso da América Latina na redução da desigualdade salarial durante um período de alto crescimento econômico na primeira década dos anos 2000. Foto: EBC

Banco Mundial promove debate online sobre desigualdade salarial na América Latina

O centro de estudos Wilson Center e o escritório do economista-chefe do Banco Mundial para a América Latina e o Caribe convidam para uma discussão sobre o novo relatório da instituição — “Desigualdade Salarial na América Latina — Compreender o Passado para se Preparar para o Futuro”.

O debate poderá ser acompanhado na próxima terça-feira (14), das 12h às 14h, pelos canais do Banco Mundial no Facebook.

Plantação de algodão em Catuti (MG). Foto: OIT

Estudo mapeia informações sobre setor algodoeiro em seis países da América Latina

O algodão é um dos produtos agrícolas mais importantes do mundo. Estima-se que haja cerca de 35 milhões de hectares no produto plantados em 60 países. Na América Latina e no Caribe, esta cultura representa 80% das unidades produtivas da agricultura familiar.

A partir deste contexto, o projeto regional +Algodão publicou estudo que busca analisar a cadeia de valor do algodão em seis países da América Latina, a partir de um conjunto de marcos regulatórios para o seu desenvolvimento. O relato é da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO).

Guia foi lançado em Bonn, na Alemanha, por Ministério do Meio Ambiente e PNUD. Foto: Guilherme Larsen/PNUD Brasil.

Governo brasileiro e PNUD lançam na Alemanha publicação sobre créditos de carbono

Representantes do Ministério do Meio Ambiente (MMA) e do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) lançaram nesta semana em Bonn, na Alemanha, o Guia sobre Mecanismos Voluntários de Compensação Individual de Emissões de Gases de Efeito Estufa.

A publicação é resultado de um esforço conjunto entre as instituições para incentivar organizações e indivíduos a promover o mecanismo de cancelamento voluntário das emissões de gases de efeito estufa, por meio de Reduções Certificadas de Emissões (RCEs), também chamadas de “créditos de carbono”.

Embalagem fictícia e meramente ilustrativa.

ONU recomenda que embalagens de alimentos no Brasil tenham advertência nutricional frontal

Em um painel técnico realizado na quinta-feira (9) pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) e pelo Ministério da Saúde, a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) reforçou suas recomendações para a adoção de ícones frontais de advertência nutricional na rotulagem de alimentos no Brasil.

Governo federal, pesquisadores, especialistas, organizações e indústria de alimentos, entre outros atores, participaram da discussão e apresentaram suas propostas de modelos para que o país possa avançar nesse processo regulatório.

Laís Abramo, diretora da Divisão de Desenvolvimento Social da CEPAL,. participou da reunião no Rio. Foto: UNIC Rio/Pedro Andrade

Nações Unidas discutem abordagem policial e racismo no Brasil

Jovens negros brasileiros são frequentemente vítimas de ações abusivas das forças policiais que, de maneira seletiva, prendem, fazem buscas pessoais e operações de vigilância que geram taxas desproporcionais de aprisionamento dessa população.

Pensando nesse problema, o Escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH) promoveu esta semana (8 e 9) no Rio de Janeiro uma reunião sobre o chamado “racial profiling”, ou “perfilamento racial”.

Foto: Poppy/Flickr/CC

Com início de julgamento no STF, OMS volta a pedir proibição de cigarros com sabor

O Brasil foi o primeiro país no mundo a proibir, em 2012, o uso desses aditivos. Nos anos seguintes, pelo menos 33 outros países baniram produtos de tabaco com flavorizantes. “Retroceder nessa medida pode atrapalhar a bem-sucedida trajetória brasileira na redução do número de pessoas que fumam”, alertou a agência especializada da ONU.

O uso do tabaco é a principal causa evitável de mortes em todo o mundo, matando mais de 7 milhões de pessoas por ano. Os seus custos econômicos também são enormes, totalizando mais de US$ 1,4 trilhão – ou cerca de R$ 4,5 trilhões – em custos de saúde e perda de produtividade.

Segundo os especialistas, a mudança do clima precisa entrar nas discussões gerenciais das empresas para que bancos e investidores possam direcionar seus recursos de forma sustentável Foto: FIESP

Debate em SP discute papel do mercado financeiro no combate às mudanças climáticas

Os mercados financeiros vêm incorporando cada vez mais elementos socioambientais em seus índices, o que, consequentemente, influencia na escolha de projetos para investimento. Por esse motivo, empresas precisam monitorar, relatar e mitigar a emissão de carbono que geram em suas atividades.

Este foi um dos principais pontos debatidos no 4° Workshop “Diálogos de Financiamento Climático”, promovido pelo Grupo de Trabalho de Energia e Clima da Rede Brasil do Pacto Global no fim de outubro (17) na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP), na capital paulista.

Ar-condicionado regularizado traz economia de energia elétrica e maior conforto para os usuários. Foto: Flickr /Jan Tik

Projeto do PNUD promove maior eficiência energética em edifícios brasileiros

Resultados de estudos sobre eficiência energética em edificações, promovidos pelo Ministério do Meio Ambiente e pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), foram apresentados no fim de outubro a cerca de 30 síndicos reunidos no Rio de Janeiro.

A iniciativa foi realizada no âmbito do Protocolo de Montreal, um tratado internacional para proteger a Camada de Ozônio. “Percebemos que, com a implementação dos resultados obtidos no estudo, temos maior eficiência energética e deixamos o edifício mais atrativo para o mercado, nos preocupando também com a questão da sustentabilidade”, disse um dos síndicos presentes no evento.

Seminário discutirá a importância dos jardins botânicos, papel dos setores público e privado, soluções locais e interface entre ciência e tecnologia. Foto: Instituto Inhotim.

BID e Inhotim realizam seminário internacional sobre mudança do clima e biodiversidade

O Instituto Inhotim e o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) realizam entre 29 de novembro e 1º de dezembro em Brumadinho (MG) o seminário internacional “Mudança Climática e Biodiversidade: Ideias e Atitudes que Fazem Diferença”. O evento reunirá especialistas brasileiros e estrangeiros, e as palestras terão transmissão ao vivo pela Internet.

O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) participará do evento, moderando a mesa de debate “Interface entre ciência, tecnologia e tomada de decisão pública e privada para o combate à mudança climática”.

Seminário no Rio discutiu acúmulo de lixo nos mares e oceanos. Foto: EBC

No Rio, especialistas buscam soluções para problema sistêmico do lixo nos oceanos

A responsabilidade sobre as toneladas de lixo jogadas todos os anos nos oceanos do mundo é compartilhada. Trata-se de um problema sistêmico cuja solução poderá vir da ação de empresas e do poder público, mas também de indivíduos e da sociedade civil. A conclusão é de especialistas que participaram de seminário esta semana no Rio de Janeiro sobre o tema.

Organizado pela ONU Meio Ambiente e parceiros, o I Seminário Nacional sobre Combate ao Lixo no Mar foi concluído nesta quarta-feira (8) após debates, compartilhamento de dados e detalhamento de práticas bem-sucedidas.

Rótulos de alimentos no Brasil devem ser mais claros, defende agência da ONU

A Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), escritório da Organização Mundial da Saúde (OMS) nas Américas, acredita que o Brasil se beneficiará da adoção de um novo modelo de rotulagem de alimentos, que permita ao consumidor fazer escolhas mais saudáveis. O tema está sendo analisado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), com a participação de diversas instituições.

A OPAS defende que os rótulos de alimentos processados e ultraprocessados tenham em sua embalagem um selo em formato de octógono, com fundo preto e letras brancas, que informe sobre o alto teor de nutrientes críticos da seguinte forma: “muito açúcar”, “muito sódio”, “contêm adoçantes”, entre outros.

O coordenador-residente da ONU no Brasil, Niky Fabiancic, cobrou uma resposta da sociedade e do poder público à dura realidade enfrentada pela juventude afrodescendente. Foto: UNFPA/Agnes Sofia Guimarães

‘O racismo mata e não podemos ser indiferentes’, diz ONU Brasil em lançamento da campanha #VidasNegras

A ONU Brasil lançou na terça-feira (7) a campanha #VidasNegras, iniciativa de conscientização nacional pelo fim da violência contra a juventude afrodescendente. Em cerimônia que reuniu em Brasília cerca de cem autoridades públicas e representantes da sociedade civil e do corpo diplomático, dirigentes das Nações Unidas alertaram que cinco jovens negros morrem a cada duas horas no país. Por ano, o número chega a 23 mil.

O organismo internacional fez um apelo à sociedade brasileira e ao poder público por repostas ao racismo e à discriminação. Um jovem negro é assassinado a cada 23 minutos no Brasil.

Foto: J. Ripper/OIT

Brasil deve agir com urgência para evitar enfraquecimento da luta contra a escravidão moderna, alertam especialistas da ONU

Especialistas em direitos humanos das Nações Unidas pediram nesta quarta-feira (8) ao governo do Brasil que adote ações urgentes para pôr um fim a medidas que possam reduzir a proteção das pessoas contra a escravidão moderna e fragilizar os regulamentos corporativos. Em declaração conjunta, solicitaram que o governo reverta permanentemente a portaria ministerial 1129, criticada por limitar a definição de escravidão contemporânea.

Todd Cort ressaltou o potencial da sustentabilidade para investimentos, uma vez que o mercado exigirá num futuro próximo que as empresas calculem, por exemplo, o risco climático de suas operações Foto: Rede Brasil do Pacto Global/Luísa Monteiro

Mercado exigirá que empresas calculem risco climático, diz especialista da Universidade de Yale

As pessoas que falam de sustentabilidade não são as mesmas que falam de finanças. Foi assim que Todd Cort, professor da Escola de Administração de Yale, nos Estados Unidos, resumiu o desafio que a sustentabilidade corporativa encontra na tradução de seus valores aos investidores financeiros, durante palestra na Fundação Getulio Vargas (FGV), em São Paulo, no fim de outubro (19).

De acordo com o especialista, os últimos relatórios da força-tarefa global para encorajar empresários a divulgar voluntariamente dados sobre riscos ambientais apontam que, no futuro próximo, o mercado exigirá que as empresas calculem o risco climático. O relato é da Rede Brasil do Pacto Global.

Oficina reuniu cerca de 70 executivos do Ceará e de outros estados do Nordeste. Foto: UNIMED Fortaleza

Pacto Global da ONU discute corrupção no setor privado em seminário no Ceará

A Rede Brasil do Pacto Global da ONU levou ao Nordeste, pela primeira vez, uma capacitação sobre combate à corrupção no setor privado. O workshop “Avaliação de riscos de corrupção” reuniu em Fortaleza, em outubro (25), cerca de 70 empresários do Ceará e de outros estados da região. Durante o encontro, especialistas da área de compliance frisaram que a integridade das companhias interessa a clientes e consumidores.

O Centro de Excelência contra a Fome contribuiu para mudar o entendimento de governos de cerca de 30 países sobre o potencial da alimentação escolar. Foto: Jaelson Lucas/SMCS

Políticas agrícolas devem melhorar qualidade dos alimentos, diz FAO

Para enfrentar a má nutrição — seja sob a forma da fome ou da obesidade —, países terão de implementar políticas agrícolas para garantir o abastecimento da população com produtos nutritivos. É o que defende a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO). Segundo a ONU, problemas como o sobrepeso colocaram em evidência a necessidade de fornecer alimentos saudáveis para as pessoas.

Selo do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) reconhece qualidade nos serviços de saúde oferecidos a adolescentes no DF. Foto: EBC

Selo reconhece qualidade nos serviços de saúde oferecidos a adolescentes no DF

Reconhecer e incentivar que unidades de saúde do Distrito Federal ofereçam atendimento e serviços adequados para adolescentes. Este é o objetivo da iniciativa “Chega Mais – Selo de Qualidade de Serviços para Adolescentes”, que será lançada na quinta-feira (9), em Brasília. O selo é resultado de parceria firmada entre Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal (SES-DF) e Secretaria de Estado de Políticas para Crianças, Adolescentes e Juventude do Distrito Federal (SECriança-DF).

Jornalistas a trabalho no México. Foto: Flickr (CC)/Ester Vargas

América Latina precisa aumentar participação das mulheres na chefia de meios de comunicação

Em encontro com o setor privado, em Buenos Aires, a ONU Mulheres e a Associação Internacional de Radiodifusão (AIR) anunciaram em finais de outubro (31) um pacto para que países da América Latina suprimam estereótipos de gênero na mídia e estimulem a participação feminina em meios de comunicação, sobretudo em posições de liderança. Desigualdades entre homens e mulheres no setor foram apontadas como uma das áreas com maior “tarefas pendentes” para o cumprimento de metas internacionais.

Maha Mamo, jovem apátrida e refugiada no Brasil, participou das reuniões. Foto: ACNUR/ Santiago Bernaudo

Países latino-americanos e caribenhos pedem proteção a refugiados e fim da apatridia

Representantes de países latino-americanos e caribenhos reuniram-se no início de novembro (2 e 3) em Buenos Aires, na Argentina, para uma reunião regional com o objetivo de discutir programas de asilo de qualidade às pessoas refugiadas e a erradicação da apatridia — quando um indivíduo não é considerado nacional por nenhum Estado.

O evento foi organizado pelo Ministério das Relações Exteriores da Argentina e pela Agência da ONU para Refugiados (ACNUR). A reunião faz parte da avaliação trienal do Plano de Ação do Brasil de 2014, uma série de diretrizes para responder aos novos desafios da proteção internacional e da busca de soluções às pessoas refugiadas, solicitantes de refúgio, deslocadas e apátridas na América Latina e no Caribe nos próximos 10 anos.

A primeira turma do projeto Jovem Aprendiz Refugiado, promovido pelo grupo Mulheres do Brasil, exibe seus diplomas ao lado das professoras que os acompanharam ao longo de dois meses. Foto: ACNUR/Miguel Pachioni

Em São Paulo, adolescentes refugiados concluem curso para se tornarem jovens aprendizes

Em São Paulo, 24 adolescentes da Síria, República Democrática do Congo, Serra Leoa, Congo Brazzaville e Angola concluíram nesta segunda-feira (6) o projeto Jovem Aprendiz Refugiados. Ao longo de dois meses, a turma participou de formações que abordaram habilidades para a entrada no mercado de trabalho. Em cerimônia de entrega dos diplomas, os alunos contaram como a capacitação os permitiu transformar as incertezas do passado em conhecimentos para o futuro. O relato é da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR).

Jovens brasileiros acessam a Internet usando smartphones. Foto: TV Brasil.

ARTIGO: Os trabalhadores brasileiros estão preparados para o sucesso no mundo digital?

Em artigo, Rita Almeida, economista sênior do Banco Mundial, afirma que em uma economia com níveis cada vez mais elevados de adoção tecnológica e com o aumento da automação, leis trabalhistas restritivas podem acabar prejudicando os pobres (pouco qualificados) mais do que os ricos (muito qualificados).

“Com a entrada em vigor da nova lei trabalhista — que flexibiliza o procedimento de contratação e reduz os custos e incertezas das ações trabalhistas — há bastante espaço para mitigar esses impactos regressivos”, segundo a economista. Leia artigo completo.

Nações Unidas lançam emoji especial para campanha ‘Vidas Negras’

As Nações Unidas no Brasil lançaram um emoji especial para a campanha “Vidas Negras”, pelo fim da violência contra jovens negros. A imagem de um punho negro cerrado aparece na postagem dos usuários que utilizarem as hashtags #ConsciênciaNegra e #VidasNegras no Twitter.

O lançamento oficial da campanha ocorre nesta terça-feira (7), durante evento na Casa da ONU em Brasília (DF), com a divulgação de vídeos protagonizados pelos atores Taís Araújo, Kenia Maria e Érico Brás, a poeta Elisa Lucinda e o grupo Dream Team do Passinho.

Dohuk, Iraque. Foto: OCHA/Gwen McClure

ONU: 2017 deve ser um dos três anos mais quentes já registrados

É muito provável que 2017 seja um dos três anos mais quentes já registrados, com diversos episódios de efeitos devastadores, como furacões e inundações, ondas de calor e secas. A conclusão é da Organização Meteorológica Mundial (OMM).

As temperaturas de 2016 e, em certa medida, de 2015, foram mais altas devido ao fenômeno do El Niño excepcionalmente intenso. O ano de 2017 vai ser o mais quente jamais registrado sem a influência desse fenômeno.

Tirinha preparada por crianças e por Maurício de Sousa para comemorar os dez anos da nomeação da Mônica como embaixadora do UNICEF. Imagem: Maurício de Sousa Produções/UNICEF

Mônica celebra 10 anos como embaixadora do UNICEF

Há dez anos, a personagem Mônica, do quadrinista Maurício de Sousa, era nomeada embaixadora do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF). Em 2017, para celebrar uma década de engajamento pelos direitos dos jovens, o autor abriu as portas de seu estúdio em São Paulo para oito meninas e meninos entre 10 e 11 anos de idade. As crianças assumiram a direção do escritório e, ao final do dia, produziram, junto com o desenhista, uma tirinha especial para a data.

Plantação de cana-de-açúcar no Brasil. Foto: Agência Brasil/Elza Fiúza

Real enfraquecido leva a queda dos preços do açúcar no mundo, aponta FAO

Os preços globais dos alimentos caíram em outubro deste ano, chegando a um índice 27% abaixo da máxima registrada para o mês, em 2011. O cálculo é da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), que atribui a queda de 1,3% na comparação com setembro a oscilações do setor de laticínios. A agência da ONU citou ainda o enfraquecimento do real brasileiro como uma das causas da queda no preço mundial do açúcar.

Fátima Oliveira, médica e ativista brasileira. Foto: ONU Mulheres

ONU Mulheres lembra legado de médica e feminista brasileira Fátima Oliveira

Em nota divulgada nesta segunda-feira (6), a ONU Mulheres expressou pesar pela morte da médica brasileira Fátima Oliveira, falecida no último domingo (5). O organismo internacional elogiou o “legado feminista valoroso” deixado pela pesquisadora para a luta por direitos sexuais e reprodutivos. A agência das Nações Unidas também lembrou contribuições da especialista para políticas sobre saúde da população afrodescendente.