Falta de saneamento contribui para disseminação de doenças. Foto: EBC

Mais de 4 milhões de brasileiros precisam defecar ao ar livre, diz relatório da ONU

Mais de 4,1 milhões de brasileiros de áreas rurais, ou 2% da população do país, não têm acesso a banheiros e precisam defecar ao ar livre, mostrou novo relatório publicado nesta quinta-feira (13) por Organização Mundial da Saúde (OMS) e Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF).

Países como Canadá, Chile e Austrália, por exemplo, não têm cidadãos sem acesso a banheiros. A Argentina tem 1% de sua população nessa condição e a Bolívia, 14%, de acordo com o documento que detalhou as desigualdades globais no acesso a água e saneamento básico.

Atendimento de saúde no Acre. Foto: Sérgio Vale/Secom/Agência de Notícias do Acre/Flickr

UNICEF promove seminário no Acre sobre educação e saúde de jovens indígenas

Para discutir desafios enfrentados pelos jovens indígenas do Brasil, o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) promove na sexta-feira (14), em Cruzeiro do Sul, no Acre, o Seminário Atenção à Criança e ao Adolescente Indígena no Selo UNICEF – Edição 2017/2020. Evento abordará estratégias para reduzir a mortalidade, a desnutrição infantil e o sub-registro civil de nascimento, além de debater iniciativas para melhorar a educação das crianças e adolescentes.

José Graziano da Silva, à esquerda, e Roberto Azevêdo, à direita. Foto: OMC

ARTIGO: Unidas pela segurança dos alimentos

Em artigo publicado na imprensa brasileira, os brasileiros Roberto Azevêdo, da Organização Mundial do Comércio (OMC), e José Graziano da Silva, da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Alimentação (FAO), explicam como as atividades das duas agências da ONU se complementam e defendem a importância dos padrões internacionais de qualidade para produtos alimentícios. Normas garantem que a comida que chega à mesa das pessoas seja mais saudável, segura e barata.

Educadores do ensino fundamental de todo o país terão à disposição oito vídeos explicando o que são nove dos 17 ODS. Foto: EBC

UNESCO e governo brasileiro lançam vídeos para auxiliar educadores a falar sobre desenvolvimento sustentável

Como falar dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) para crianças? A partir desta quinta-feira (13), os educadores do ensino fundamental de todo o país terão à disposição oito vídeos explicando o que são nove dos 17 ODS.

Em cada um dos vídeos, a explicação é apresentada por crianças. Também estará disponível a publicação “Educação para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável — Objetivos de Aprendizagem”, sobre os todos os ODS. A ideia é aumentar a conscientização da comunidade escolar sobre a importância da Educação para o Desenvolvimento Sustentável.

Fórum sobre os Princípios de Empoderamento das Mulheres foi promovido, no Rio de Janeiro, pela ONU Mulheres e Pacto Global com apoio da White Martins. Foto: Erik Barros Pinto

No Rio, empresas e ONU debatem igualdade de gênero no setor privado

No início de julho (3), a primeira edição do Fórum sobre os Princípios de Empoderamento das Mulheres (WEPs) no Rio de Janeiro reuniu cerca de 150 gestores, especialistas e representantes de companhias e das Nações Unidas para debater a promoção da igualdade de gênero no mercado de trabalho. Presença feminina na chefia de corporações foi um dos destaques das discussões. Encontro foi promovido pela ONU Mulheres e pela Rede Brasil do Pacto Global.

UNESCO e governo lançam em Manaus materiais para divulgar objetivos da ONU entre estudantes

A partir de amanhã (13), educadores do ensino fundamental de todo o Brasil terão à disposição oito vídeos explicando o que são nove dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas — os ODS. Também será possível ter acesso à publicação da UNESCO “Educação para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável – Objetivos de Aprendizagem”, em português. Lançamento ocorre em Manaus, das 8h30 às 10h30, no Centro de Convenções do Amazonas Vasco Vasques.

Edição da Pauta Feminina de julho debaterá desafios enfrentados por brasileiras afrodescendentes. Imagem: Divulgação

ONU Mulheres participa de audiência pública sobre desafios enfrentados por brasileiras afrodescendentes

Para enriquecer o debate sobre desafios enfrentados por brasileiras afrodescendentes, a ONU Mulheres participa na quinta-feira (13) da 44ª edição da Pauta Feminina, audiência pública promovida mensalmente pela Procuradoria Especial da Mulher do Senado Federal.

Encontro será realizado em alusão ao dia 25 de julho, data em que se comemora o Dia Internacional da Mulher Negra Latino-americana e Caribenha. Entre as convidadas, está Eunice Borges, associada do Programa Liderança e Participação Política da ONU Mulheres no Brasil.

A Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS) no Brasil recebeu homenagem pela contribuição que tem dado para o aprimoramento do Sistema Único de Saúde (SUS) brasileiro. Foto: EBC

Agências da ONU participam de mostra sobre experiências municipais de saúde

O Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) e a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) participam da comissão de organização da “14ª Mostra Brasil aqui tem SUS”, cujo objetivo é trocar experiências municipais bem-sucedidas no Sistema Único de Saúde (SUS), estimular, divulgar e valorizar ações municipais que inovem nas soluções visando à garantia do direito à saúde. A mostra é coordenada pelo Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (CONASEMS).

Mulheres deslocadas no Sudão do Sul voltam para seus abrigos após receber ajuda humanitária do ACNUR. Foto: ACNUR/ D.S. Majak

Comunicação para ajuda humanitária é tema de palestra do UNIC no Rio de Janeiro

O diretor do Centro de Informação das Nações Unidas, Maurizio Giuliano, participou da conferência de abertura da Oficina Regional de Comunicação para diretores de comunicação dos ministérios de saúde de países sul-americanos.

O evento é organizado pelo Instituto Sul-Americano de Governo em Saúde (ISAGS) da União das Nações Sul-Americanas (UNASUL), organismo regional formado pelos doze países da região. Maurízio relatou sua experiência de comunicação para ajuda humanitária e cooperação internacional.

Edifícios nos arredores de Wall Street. Foto: Michael Aston/Flickr (CC)

Onze bancos internacionais unem-se à ONU para promover transparência climática

Representando mais de 7 trilhões de dólares em ativos, instituições financeiras como Itaú, Bradesco, ANZ, Barclays, Citi, National Australia Bank, Royal Bank of Canada, Santander, Standard Chartered, TD Bank Group e UBS uniram-se aos esforços da ONU Meio Ambiente no sentido de fortalecer a transparência e a avaliação de riscos e oportunidades de negócios ligados à mudança do clima.

Tal iniciativa torna as instituições financeiras mais bem preparadas para apoiar a transição financeira rumo a uma economia mais estável e sustentável, disse a ONU Meio Ambiente.

Prefeitos de cidades brasileiras assinam Declaração de Paris para o combate local à epidemia de AIDS. Foto: UNAIDS

Mais oito cidades brasileiras assinam a Declaração de Paris para combate à epidemia de AIDS

Mais oito prefeitos de cidades brasileiras assinaram na segunda-feira (10) a Declaração de Paris, comprometendo-se em acelerar os esforços locais para alcançar o fim da epidemia de AIDS até 2030. A assinatura ocorreu durante encontro da Frente Nacional de Prefeitos (FNP) em Campinas, no interior paulista.

“A meta é global, mas sabemos que quem implementa na ponta são os municípios, que estão mais perto dos indivíduos e sua participação é crucial para não deixarmos ninguém para trás”, disse a diretora do UNAIDS no Brasil, Georgiana Braga-Orillard.

Artistas, especialistas e jovens participaram de debate sobre educação, diversidade e juventude. Foto: UNESCO

UNESCO e Globo promovem debate sobre juventude, diversidade e educação

Para marcar o início de mais uma Campanha Criança Esperança, a UNESCO no Brasil e a Globo promoveram o debate ‘Diálogos da Esperança – Como vai você, jovem brasileiro?’. Discussões reuniram artistas, especialistas e jovens para abordar temas relacionados a educação e diversidade. Encontros foram gravados e divididos em dois programas, que serão exibidos nos dias 23 e 30 de julho, no canal GloboNews.

Programas de alimentação escolar beneficiam um quinto das crianças em todo o mundo. Foto: PMA / Graeme Williams

Centro de Excelência contra a Fome participa de treinamento no Rio sobre proteção de civis

Representantes do Centro de Excelência contra a Fome, fruto de uma parceria entre o governo brasileiro e o Programa Mundial de Alimentos (PMA) das Nações Unidas, participaram na semana passada (7) do workshop Proteção Integrada de Civis 2017, organizado pelo Centro Conjunto de Operações de Paz (CCOPAB), no Rio de Janeiro.

O evento discutiu o trabalho de organizações envolvidas em operações internacionais para a proteção de civis em ambientes instáveis, como conflitos armados e desastres naturais.

VÍDEO: O que é desenvolvimento sustentável?

Governo brasileiro enfatiza responsabilidade fiscal em relatório sobre objetivos globais da ONU

Em relatório sobre os objetivos globais a ser apresentado na sede da ONU em Nova Iorque a partir desta semana, o governo brasileiro enfatiza a importância da responsabilidade fiscal para atingir os princípios de responsabilidade socioambiental presentes na Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável.

“No Brasil, aprendemos, na prática, que é vazio falar em responsabilidade social e ambiental na ausência de responsabilidade fiscal”, diz o texto de apresentação do relatório, assinado pelo presidente Michel Temer. “Ao repor ordem nas finanças públicas, recuperamos a confiança que se traduz em mais investimentos de qualidade, em mais atividade econômica, em mais trabalho decente”, completa.

Alimentação escolar no Senegal. Foto: PMA/Benedicte Pansier

No Senegal, programa da ONU triplica produtividade agrícola e aumenta áreas cultivadas em quase 400%

No Senegal, as regiões cobertas pelo Programa de Aquisição de Alimentos para a África — PAA África — tiveram seus índices de produtividade agrícola triplicados após a implementação da iniciativa. Taxas médias de produção passaram de 0,8 tonelada por hectare para 2,57 toneladas.

O projeto também aumentou as áreas cultivadas — de 51 hectares para 245 — e fez duplicar a produção de arroz. Avanços foram divulgados e debatidos ao final de junho, durante seminário sobre a continuidade da estratégia.

Teste nuclear conduzido pelos Estados Unidos em 18 de abril de 1953, no complexo de Nevada. Foto: Governo dos Estados Unidos

Conferência da ONU aprova tratado sobre a proibição de armas nucleares

Países que se reuniram em uma conferência das Nações Unidas em Nova Iorque adotaram na sexta-feira (7) um tratado para a proibição de armas nucleares, o primeiro instrumento multilateral vinculativo negociado em 20 anos para o desarmamento nuclear.

Em nota, o Ministério das Relações Exteriores brasileiro congratulou os países-membros da ONU pela conclusão das negociações. “A comunidade internacional já baniu as outras armas de destruição em massa, químicas e biológicas. Não há motivo para não buscar proibir, igualmente, as armas com maior poder destrutivo, capazes de exterminar a vida na Terra”, disse a chancelaria no comunicado.

Organizações alertam para riscos de o Brasil não conseguir atingir os objetivos de erradicar a pobreza e a fome. Foto: EBC

ONGs veem cenário brasileiro preocupante para os objetivos globais da ONU

Mais de 20 organizações da sociedade civil apresentam a partir desta semana em reunião da ONU em Nova Iorque relatório sobre a implementação no Brasil da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável.

Segundo as organizações, o Brasil corre risco de retrocessos na busca pelos sete Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) que serão analisados no fórum — entre eles, a erradicação da pobreza, a fome zero e a agricultura sustentável, a garantia da saúde e do bem-estar e a igualdade de gênero.

As ONGs elogiaram, por outro lado, a criação da Comissão Nacional dos ODS, a única da América Latina com representação paritária entre governo e sociedade civil. Leia a reportagem completa.

Sítio Arqueológico do Cais do Valongo não é apenas o principal cais de desembarque de africanos escravizados em todas as Américas, como é o único que se preservou materialmente. Foto: UNIC Rio/Natalia da Luz

Cais do Valongo, no Rio, é inscrito na Lista do Patrimônio Mundial da UNESCO

O Comitê do Patrimônio Mundial da UNESCO decidiu incluir em sua Lista do Patrimônio Mundial o sítio arqueológico Cais do Valongo, no Rio de Janeiro, por seu significado para gerações passadas, presentes e futuras no que se refere à história do tráfico atlântico e a escravização de africanos. A decisão ocorreu no domingo (9) durante a 41ª reunião do Comitê, realizada na Polônia.

Para a representante interina da UNESCO no Brasil, Marlova Jovchelovitch Noleto, “o Cais do Valongo tem valor histórico, arqueológico e cultural, traz memórias de um período da história que não pode se repetir jamais e, por isso mesmo, precisa ser lembrado”.

O coordenador-residente do Sistema ONU no Brasil, Niky Fabiancic (esquerda), ao lado do ministro da Secretaria de Governo da Presidência da República, Antônio Imbassahy. Foto: Wilson Mendes/SeGov

ONU e governo brasileiro oficializam parceria pelos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável

O coordenador-residente do Sistema ONU no Brasil, Niky Fabiancic, e o ministro da Secretaria de Governo da Presidência da República, Antônio Imbassahy, assinaram nesta sexta-feira (7) um memorando de entendimento entre Nações Unidas e governo federal para marcar a cooperação para desenvolvimento, implementação e promoção de iniciativas que apoiem os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), que fazem parte da Agenda 2030.

Grãos de soja. Foto: Jonas Oliveira/ANPr

ONU Meio Ambiente e parceiros promovem desafio de inovação para cadeia de grãos

SEBRAE, EMBRAPA e ONU Meio Ambiente estimulam startups e empreendedores a criar soluções sustentáveis para a cadeia de produção de grãos. As inscrições estão abertas até 16 de julho.

As propostas devem estar alinhadas à solução de problemas ou identificação de oportunidades que tragam melhoras socioambientais para a cadeia produtiva de grãos, tais como: redução de emissão de carbono, diminuição de perdas e ineficiências, gestão de resíduos, uso eficiente de energia, controle ou redução de defensivos químicos, eficiência no uso de recursos hídricos, conservação do solo e soluções colaborativas.

Taís Araújo, defensora dos Direitos das Mulheres Negras da ONU Mulheres Brasil, ao lado de Nadine Gasman, representante da ONU Mulheres Brasil, e Niky Fabiancic, coordenador-residente da ONU Brasil. Foto: ONU Mulheres/Bruno Spada

Grupo Temático de Gênero, Raça e Etnia da ONU discute situação das mulheres negras no Brasil

Recém-nomeada defensora dos Direitos das Mulheres Negras da ONU Mulheres Brasil, Taís Araújo foi apresentada pela representante da ONU Mulheres Brasil, Nadine Gasman, ao Grupo Temático de Gênero, Raça e Etnia do Sistema das Nações Unidas no Brasil, uma das instâncias de articulação e gestão da Agenda 2030 de Desenvolvimento Sustentável e da Década Internacional de Afrodescendentes. O encontro ocorreu na segunda-feira (3), na Casa da ONU, em Brasília.

ONU Mulheres foi uma das entidades apoiadoras da Marcha das Mulheres Negras, em 2015. À direita, a diretora-executiva da ONU Mulheres, Phumzile Mlambo-Ngcuka Foto: ONU Mulheres/Bruno Spada

ONU Mulheres e movimento de mulheres negras discutem em Brasília ações para Agenda 2030

A representante da ONU Mulheres Brasil, Nadine Gasman, apresentou no fim de junho (27) em Brasília a estratégia de comunicação e ação política “Mulheres Negras Rumo a Um Planeta 50-50 em 2030” para organizações brasileiras de mulheres negras.

Segundo Nadine, este é o momento de as organizações traçarem um posicionamento para atuação conjunta, garantindo o cumprimento da Agenda 2030 e por um Planeta 50-50. “Nós contamos com as organizações de mulheres negras do país para traçar os rumos dessa estratégia. Somente vamos obter êxito se trabalharmos conjuntamente. Há muito o que ser feito, e a ONU Mulheres está disposta atuar como colaboradora desse processo”, declarou.

O presidente da FNP e prefeito de Campinas, Jonas Donizzete, e o coordenador-residente da ONU no Brasil, Niky Fabiancic, firmaram acordo de parceria em Brasília. Foto: PNUD/Vivian Doherty

ONU Brasil e Frente Nacional dos Prefeitos reforçam parceria pelo desenvolvimento sustentável

O coordenador-residente da ONU no Brasil, Niky Fabiancic, e o presidente da Frente Nacional de Prefeitos (FNP) e prefeito de Campinas (SP), Jonas Donizette, firmaram na terça-feira (4) um memorando de entendimento com o objetivo de criar um marco de cooperação, além de facilitar e fortalecer a colaboração para promoção e alcance dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Parceria entre OIT e associações do setor têxtil e de vestuário visa a tornar essa indústria mais sustentável. Foto: Agência Brasil/Tânia Rêgo

OIT e associações da indústria têxtil e de vestuário lançam Laboratório de Moda Sustentável

Organização Internacional do Trabalho (OIT), Associação Brasileira do Varejo Têxtil (ABVTEX) e Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (ABIT), com o apoio do Instituto C&A e a realização do Instituto Reos, lançaram nesta sexta-feira (7) o Laboratório da Moda Sustentável — por um setor do vestuário mais sustentável e justo.

A iniciativa pretende abordar os principais desafios do setor de vestuário no Brasil em temas de sustentabilidade ambiental, trabalho decente, entre outros.

Encontro no Chile abordou desafios de saúde das mulheres, crianças e adolescentes. Foto: UNFPA

Políticas públicas devem ter perspectiva de gênero para garantir direitos das mulheres, diz CEPAL

Em evento no Chile para discutir desafios de saúde do público feminino e infanto-juvenil, a secretária-executiva da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL), Alicia Bárcena, alertou que na região “a pobreza tem o rosto de mulher”.

Segundo a dirigente, mulheres representam uma parcela desproporcionalmente maior dos segmentos de menor renda. Miséria também afeta o bem-estar das crianças e adolescentes.

Irmãs sírias que vivem no Brasil há quase dois anos posam para uma foto depois de terem plantado uma muda de uma espécie típica da Mata Atlântica em São Paulo. Foto: ACNUR/Miguel Pachioni

Crianças refugiadas participam de plantio de árvores da Mata Atlântica em São Paulo

Em São Paulo, o primeiro sábado de julho amanheceu sem sol, com frio e a famosa garoa. Mas para um grupo de cerca de 50 crianças refugiadas e brasileiras, isso pouco importava. Todas acordaram com uma missão especial: plantar mudas nativas da Mata Atlântica no Parque do Rodeio, zona leste da capital paulista. Atividade contou com a participação do ator Victor Fasano e da organização não governamental I Know My Rights (IKMR), parceira da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR).

O objetivo do encontro foi analisar as capacidades das redes de jovens vivendo com HIV, identificar barreiras e oportunidades de participação e facilitar o diálogo. Foto: UNAIDS

Redes de jovens vivendo com HIV reúnem-se em Cidade do Cabo para trocar experiências

Enquanto os jovens que vivem com o HIV estão desempenhando um papel ativo na resposta à AIDS, fornecendo informações, cuidados e apoio aos seus pares, suas redes precisam de mais suporte e recursos, segundo o Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS).

Para avançar nos esforços de engajá-los na tomada de decisões sobre questões que afetam suas vidas, 40 jovens vindos de 19 países e que representam redes de meninos e meninas vivendo com HIV se encontraram na Cidade do Cabo, África do Sul, nos dias 19 e 20 de junho. A conferência foi realizada com o apoio do UNAIDS, da Coalizão de Tratamento de Adolescentes e parceiros.

O Projeto Dom Távora foi contratado em 2013, com investimento previsto de US$28 milhões. Foto: Ministério do Desenvolvimento Agrário

Fundo da ONU visita Sergipe para avaliar projetos de desenvolvimento agrícola

Representantes do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA) reuniram-se com o governador de Sergipe, Jackson Barreto, para discutir o andamento do Projeto Dom Távora, que vem sendo executado no estado com recursos do organismo internacional.

A iniciativa tem como meta atender 10 mil famílias de pequenos produtores rurais, beneficiando 40 mil pessoas, por meio da implementação de 300 planos de negócios. O projeto atua em 15 municípios dos territórios Agreste Central, Centro Sul, Baixo São Francisco e Médio Sertão Sergipano.

Deputada Erika Kokay (PT-DF) e Georgiana Braga-Orillard, diretora do UNAIDS. Foto: Jorge Salhani/UNFPA Brasil

Grupo de trabalho critica projeto de lei que criminaliza transmissão do HIV

Para o representante do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) no Brasil, Jaime Nadal, além de reforçar a estigmatização das pessoas que vivem com o HIV, o projeto de lei pode desencorajar as pessoas a realizar testagem e tratamento, uma vez que estariam sob a ameaça de se tornarem criminosas.

Para a diretora do UNAIDS no Brasil, Georgiana Braga-Orillard, a criminalização da transmissão vulnerabiliza ainda mais as populações com estado sorológico positivo, já que “considera as mais de 800 mil pessoas vivendo com HIV no Brasil como criminosos em potencial”.