Os acidentes de trânsito matam 1,35 milhão de pessoas por ano no mundo. Foto: Fotos Públicas/Paulo Pinto

OMS destaca progressos insuficientes para enfrentar falta de segurança nas vias do mundo

Um novo relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS) indica que as mortes no trânsito continuam aumentando, com um total anual de 1,35 milhão. O Relatório Global da OMS sobre o Estado da Segurança Viária 2018 destaca que as lesões causadas no trânsito são hoje a principal causa de óbito de crianças e jovens entre 5 e 29 anos no mundo.

“Essas mortes são um preço inaceitável a pagar pela mobilidade”, disse o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus. “Não há desculpa para a inação. Este é um problema com soluções comprovadas. Este relatório é um apelo aos governos e parceiros para que tomem ações muito maiores para implementar essas medidas”.

Países do Cone Sul tem taxa maior de gravidez na adolescência quando comparada à taxa global e de outros países em desenvolvimento. Foto: Solange Souza/UNFPA Brasil

Fundo de População da ONU e Itaipu Binacional promovem seminário sobre gravidez na adolescência

Nas próximas terça (11) e quarta-feira (12), a cidade de Foz do Iguaçu, no Paraná, recebe o I Seminário Internacional para a Prevenção e Redução da Gravidez não Intencional na Adolescência.

Com o envolvimento da Associação dos Municípios do Oeste do Paraná (AMOP), o encontro reúne gestores públicos, técnicos, especialistas e a sociedade civil do Brasil e outros países da América Latina.

Um menino de sete meses de idade é avaliado com desnutrição pela equipe do UNICEF em uma clínica de saúde apoiada pela agência da ONU no campo para deslocados internos em Muna Garage, Maiduguri, no estado de Borno, nordeste da Nigéria. Foto: UNICEF/Katerina Vittozzi

Cientistas da saúde reúnem-se em São Paulo para discutir objetivos globais da área

Especialistas em informação de ciências da saúde analisarão nesta semana as contribuições da evidência e do conhecimento científico para o alcance da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, em particular na área da saúde.

Esse é o principal tema do 10º Congresso Regional de Informação em Ciências da Saúde, organizado pelo Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde (Bireme), parte da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), e que ocorre até esta quinta-feira (6) em São Paulo.

Representantes do setor privado e do UNFPA discutiram ações em saúde sexual e reprodutiva para 2019. Foto: UNFPA/Paola Bello

Fundo de População da ONU e setor privado discutem projetos de saúde sexual e reprodutiva para 2019

Em São Paulo, o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) encontrou-se com parceiros do setor privado para discutir o atual cenário da saúde e dos direitos sexuais e reprodutivos no Brasil. Diálogo reuniu empresas que integram uma coligação do UNFPA em prol de uma sexualidade segura, com gestações desejadas e decisões informadas sobre ter filhos ou não. Instituições debateram ainda parcerias e ações para 2019.

Com base em abordagem histórica, documentário trata do modo como o HIV é encarado na sociedade brasileira atual. Foto: Reprodução

Documentário ‘Carta para Além dos Muros’ reconstrói trajetória do HIV e da AIDS no Brasil

O documentário “Carta para Além dos Muros” reconstrói a trajetória do HIV e da AIDS, com foco no Brasil, por meio de entrevistas com médicos, ativistas, pessoas vivendo com HIV e outros atores, além de farto material de arquivo.

Do pavor inicial às campanhas de conscientização, passando pela discriminação imposta aos doentes, o documentário apoiado pelo Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS) mostra como a sociedade encarou essa epidemia devastadora ao longo de duas décadas.

Workshops abordam como empresas podem melhorar suas políticas de inserção laboral para migrantes internacionais. Fotos: OIM

Agência da ONU promove workshops sobre inclusão de migrantes no setor privado

A Organização Internacional para as Migrações (OIM) deu início a uma série de workshops para apoiar o setor privado na implementação de políticas para migrantes vulneráveis. O primeiro treinamento foi realizado na terça-feira (4), na Casa da ONU em São Paulo, com a parceria da Rede Brasil do Pacto Global das Nações Unidas. Até fevereiro de 2019, estão previstos cinco capacitações. A próxima acontece em Boa Vista, Roraima, estado que é a principal entrada do fluxo de venezuelanos no Brasil.

Programas de alimentação escolar podem fortalecer agricultura local e garantir que crianças frequentam o colégio. Foto: PMA / Vinícius Limongi

Subsecretário-geral da ONU elogia liderança do Brasil em alimentação escolar

“O Brasil tem sido um líder absoluto na alimentação escolar”, afirmou o diretor-executivo do Programa Mundial de Alimentos (PMA) e subsecretário-geral das Nações Unidas, David Beasley.

Em encontro recente em Roma com representantes do país sul-americano e também de nações africanas, o dirigente lembrou que o programa brasileiro de refeições em escolas é o segundo maior do mundo, o que representa “um grande compromisso”.

Maria do Carmo Vieira Araujo, 50, Ednalva Maria de Jesus, 31, e Dilma Jesus Panteleon, 40, descascam raízes de mandioca na Cooperativa na Aldeia Marcação Kiriri, perto de Ribeira do Pombal, no Estado da Bahia (12 de abril de 2016). O projeto permitiu mulheres a trabalhar, socializar, processar e vender os seus produtos de modo a sustentar a sua comunidade. O Projeto de Desenvolvimento Rural Sustentável da Região Semiárida da Bahia (Projeto Pró-semiárido), cofinanciado pelo FIDA, tem trabalhado com o povo Kiriri para permitir que eles utilizem seu conhecimento tradicional e tradições como fundamento para construir seu sustento. Foto: IFAD/Lianne Milton/Panos

Fundo da ONU elogia ações da Bahia para promover participação das mulheres na economia do semiárido

Representantes do governo da Bahia e do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA), um organismo das Nações Unidas, reuniram-se em novembro (30) para avaliar a execução do Pró-Semiárido, projeto que fomenta o crescimento sustentável em 32 municípios. Iniciativa foi elogiada por especialistas da ONU por promover, de forma pioneira, a participação das mulheres e jovens nas economias locais.

Campanha Mares Limpos visa combater poluição dos oceanos causada pelo consumo e produção de plástico. Foto: ONU Meio Ambiente/Shawn Heinrichs

Evento em São Paulo discute soluções para lixo plástico nos oceanos

Promovido pela organização Proteção Animal Mundial e pela ONU Meio Ambiente, o evento “Oceano Plástico: como escapar desse emaranhado?” acontece na sexta-feira (7) na Unibes Cultural, em São Paulo (SP), para debater a situação atual e as soluções inovadoras para a questão da “pesca fantasma” e do lixo plástico nos oceanos.

A “pesca fantasma” ocorre quando equipamentos e redes de pesca são perdidos ou abandonados nos oceanos, prejudicando a vida marinha. Um dos grandes desafios ambientais dos dias de hoje, a poluição plástica nos oceanos também afeta diretamente boa parte da fauna marinha e traz consequências para a vida humana. 

Tudo o que foi produzido durante a oficina ficou no espaço dedicado para acolhimento de mulheres, adolescentes, população LGBTI, idosos e pessoas com deficiência. Foto: UNFPA Brasil/Yare Perdomo

Fundo de População da ONU promove espaço seguro para mulheres e meninas em Roraima

Para marcar os 16 dias de ativismo contra a violência de gênero, jovens brasileiras e venezuelanas se uniram na tarefa de construir um espaço seguro para mulheres, adolescentes e pessoas em vulnerabilidade que chegam aos postos de triagem para migrantes e refugiados de Boa Vista e Pacaraima (RR). A iniciativa é do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), em parceria com o Projeto Crescer, ação social da Prefeitura Municipal de Boa Vista.

O estudo do IPEA faz parte de uma pesquisa regional intitulada "Millennials na América Latina e no Caribe: trabalhar ou estudar", que entrevistou mais de 15 mil jovens entre 15 e 24 anos, em nove países da região da América Latina e do Caribe. Foto: EBC

Estudo mostra que 23% dos jovens brasileiros não trabalham nem estudam

Cerca de 23% dos jovens brasileiros não trabalham nem estudam, um dos maiores percentuais entre os países da região da América Latina e do Caribe, segundo pesquisa do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) divulgada na segunda-feira (3) e que teve apoio operacional do Centro Internacional de Políticas para o Crescimento Inclusivo (IPC-IG), vinculado às Nações Unidas.

A pesquisa refuta a ideia de que esses jovens sejam improdutivos, destacando que 31% deles, principalmente homens, estão à procura de trabalho, e mais da metade, 64%, dedicam-se a trabalhos de cuidado doméstico e familiar, o que ocorre principalmente entre as mulheres.

A OPAS se comprometeu a elaborar um plano regional que forneça orientação e estabeleça ações para atender às necessidades de saúde dos migrantes. Foto: EBC

OPAS e ministros identificam ações para melhorar saúde de migrantes nas Américas

A Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) se comprometeu a elaborar um plano regional com orientações para atender às necessidades de saúde dos migrantes, tanto no âmbito nacional como por meio de acordos bilaterais em áreas de fronteira e zonas de transição. Esse plano será desenvolvido em consulta com os Estados-membros.

“Essas ondas migratórias continuarão sendo um desafio em médio e longo prazo. Este é o momento em que devemos nos unir em solidariedade como região para proteger a saúde e o bem-estar dos povos das Américas, sejam eles cidadãos ou migrantes, reconhecendo que as doenças não conhecem fronteiras e que ninguém deve ficar para trás”, afirmou a diretora da OPAS, Carissa F. Etienne.

A jornalista Ângela Bastos, repórter especial do Diário Catarinense, foi uma das convidadas do workshop. Foto: UNFPA Brasil/Yare Perdomo

Em Roraima, ONU discute cobertura jornalística de situações de refúgio e migração

“O papel do jornalista local é o papel de qualquer jornalista no mundo, que é um olhar focado nas pessoas”, defendeu em Roraima a repórter Ângela Bastos, do Diário Catarinense, de Florianópolis (SC). A jornalista esteve em Boa Vista para o workshop “Jornalismo Além das Fronteiras”, promovido pela ONU para discutir o papel da imprensa em contextos de migração e refúgio. Encontro abordou xenofobia e desafios das mulheres e crianças deslocadas.

UNAIDS lança site ‘Deu Positivo, e Agora?’ com informações essenciais para jovens recém-diagnosticados com HIV

UNAIDS lança site ‘Deu Positivo, e Agora?’ com informações essenciais para jovens recém-diagnosticados com HIV

O Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS) lança hoje a plataforma online Deu Positivo, e Agora? (deupositivoeagora.org): um site que reúne informações sobre HIV em linguagem atualizada, clara, acessível, com foco em jovens que acabaram de receber diagnóstico positivo para o HIV, o vírus da imunodeficiência humana.

A iniciativa conta com o apoio da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Comunicação (UNESCO).

Profissionais de saúde do DF exibem o certificado do selo Chega Mais, para serviços de atendimento voltados à população adolescente. Foto: UNFPA/Thais Rodrigues

Fundo de População da ONU reconhece 19 unidades de saúde do DF

Um serviço de saúde inclusivo, que se preocupa com as questões sexuais e reprodutivas dos jovens, é acessível e livre de discriminação. Essas são características comuns às 19 iniciativas e unidades de atendimento certificadas na quinta-feira (29), em Brasília, pelo Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA).

Agência da ONU reconheceu centros clínicos do Distrito Federal que oferecem serviços adequados para os adolescentes, considerando as peculiaridades dessa população.

Katowice, na Polônia, sediará a 24ª Conferência das Partes da Convenção Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (UNFCCC). Foto: ONU

Empresas e governo brasileiro mobilizam setor privado na Conferência do Clima da ONU

A Rede Brasil do Pacto Global — uma aliança do setor privado que promove padrões responsáveis de produção — desembarca na próxima segunda-feira (3) em Katowice, Polônia, para a Conferência da ONU sobre Mudanças Climáticas, também conhecida como COP24. A iniciativa nacional promove debates com o empresariado no chamado Espaço Brasil, criado pelo Ministério do Meio Ambiente e pelo Ministério das Relações Exteriores.

Ato inter-religioso no Rio de Janeiro. Foto: Flickr (CC)/Mídia Ninja/Luisa Medeiros

ONU abre consulta sobre estratégia para apoiar mulheres defensoras dos direitos humanos

Na semana em que o mundo comemora o Dia Internacional das Mulheres Defensoras dos Direitos Humanos, 29 de novembro, a ONU Mulheres lançou uma consulta pública em português para elaborar uma estratégia de apoio e proteção a essas ativistas. Iniciativa tem por objetivo conhecer os desafios enfrentados pela sociedade civil. Até 6 de janeiro de 2019, é possível enviar contribuições por meio online.

Da esquerda para direita, Bernardo Laferté, coordenador-geral do CONARE, Federico Martinez, representante adjunto do ACNUR, e Lara Lopes, refugiada LGBTI de Moçambique. Foto: ACNUR/Nicole Minvielle

Brasil recebeu quase 400 solicitações de refúgio de pessoas LGBTI em 2010-2016

Até julho de 2018, 134 pedidos já haviam recebido resposta positiva do governo brasileiro. Número inédito foi divulgado nesta semana pelo Comitê Nacional para Refugiados (CONARE) e pela Agência da ONU para Refugiados (ACNUR).

Com a divulgação das estatísticas, Brasil se torna o quarto país no mundo a tornar público esse tipo de informação desagregada sobre refúgio, orientação sexual e identidade de gênero.

Equipe Malaika, cujo significado em árabe é “anjos da guarda”, posa para a foto oficial ao receberem o troféu de campeã da Copa do Brasil de Refugiados 2018. Foto: ACNUR/Miguel Pachioni

Seleção Malaika é campeã da Copa do Brasil de Refugiados

A seleção Malaika, time misto formado por jogadores refugiados sub-20 de oito países, participou como equipe convidada da Copa do Brasil de Refugiados, e se sagrou campeã do torneio na semana passada (21). 

O tema da Copa dos Refugiados deste ano, “não me julgue antes de me conhecer”, sintetiza os objetivos traçados pela África do Coração, organização parceira da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) e responsável pela realização do torneio em três capitais.

Com apoio do Facebook, agência da ONU lança ‘bot’ com perfil de refugiada síria

Para gerar empatia e informar sobre a trajetória e o dia a dia de pessoas refugiadas no Brasil, a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) lançou nesta quinta-feira (29), com o apoio do Facebook, a “bot” para Messenger Salam. A intenção é sensibilizar o público para a realidade enfrentada pelas pessoas refugiadas que buscam segurança, proteção e uma vida digna. Não à toa, Salam – que é uma refugiada síria virtual – significa “paz” em árabe.

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ), o PNUD e o Ministério das Relações Exteriores assinaram um projeto de cooperação técnica internacional para o fortalecimento do monitoramento e da fiscalização do sistema prisional e socioeducativo. Foto: Agência CNJ

CNJ e PNUD fecham acordo para enfrentar desafio da questão carcerária no Brasil

Com a terceira maior população carcerária do mundo, o Brasil tem quase dois presos para cada vaga no sistema penitenciário, o que tem levado o país a recorrentes episódios de violência em presídios. Segundo os dados mais recentes do Levantamento Nacional de Informações Penitenciárias (Infopen), o total de encarcerados no país chegou a 726.712 em junho de 2016, enquanto o número de vagas no sistema era de 368.049.

Nesse contexto, com ênfase na redução da população carcerária, o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e o Ministério das Relações Exteriores assinaram na terça-feira (27) um projeto de cooperação técnica internacional para o fortalecimento do monitoramento e da fiscalização do sistema prisional e socioeducativo.

Exposição sobre o Mais Médicos na Faculdade de Ciências da Saúde da UnB. Foto: Unb

OPAS lança relatório apontando importância de atenção primária de saúde no Brasil

A Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) lançou na terça-feira (27) a versão final do relatório “30 anos de SUS – Que SUS para 2030?”. O documento apresenta uma série de evidências que mostram como o programa Mais Médicos, criado em 2013 pelo governo do Brasil, aumentou o acesso da população brasileira à saúde.

O relatório aponta que a Estratégia de Saúde da Família tem sido o principal mecanismo para induzir a expansão da cobertura de atenção primária de saúde. Esse modelo apresenta melhores resultados quanto à ampliação do acesso ao sistema de saúde e em indicadores como diminuição de internações e redução da mortalidade infantil, materna e por causas preveníveis.

Nildo Muniz, bailarino e policial, trabalha em prol de crianças no Rio de Janeiro, com apoio de um projeto das Nações Unidas. Ele promove a socialização de crianças e adolescentes no Centro Esportivo Miécimo da Silva, em Campo Grande, na zona oeste da cidade. Realizada pelo Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime, #UNODC, a campanha “Escolha o Esporte” — #ChooseSport, no original em inglês — apresenta histórias de treinadores, professores e jovens brasileiros que tiveram sua vida transformada pela prática de atividades esportivas.

Com apoio da ONU, bailarino e policial trabalha em prol de crianças no Rio de Janeiro; vídeo

Nildo Muniz, bailarino e policial, trabalha em prol de crianças no Rio de Janeiro, com apoio de um projeto das Nações Unidas. Ele promove a socialização de crianças e adolescentes no Centro Esportivo Miécimo da Silva, em Campo Grande, na zona oeste da cidade.

Realizada pelo Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC), a campanha “Escolha o Esporte” — #ChooseSport, no original em inglês — apresenta histórias de treinadores, professores e jovens brasileiros que tiveram sua vida transformada pela prática de atividades esportivas.

O 1° Fórum Global de Inovação e Tecnologia em Sustentabilidade ocorre entre os dias 28 e 29 deste mês, no Museu do Amanhã, no Rio de Janeiro. Foto: CITS

Evento no Rio destaca importância da inovação para desenvolvimento sustentável e inclusivo

A inovação e a tecnologia são ferramentas aliadas na definição de políticas públicas e podem auxiliar os países a atingir um desenvolvimento mais inclusivo e sustentável, na avaliação de oficiais das Nações Unidas presentes nesta quarta-feira (28) no 1º Fórum Global de Inovação e Tecnologia, realizado no Rio de Janeiro (RJ).

O fórum é uma co-realização entre o Centro Global de Inovação e Tecnologia em Sustentabilidade, o Museu do Amanhã e o Centro Rio+ para o Desenvolvimento Sustentável do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).

Todos os migrantes devem ter seus direitos humanos respeitados. Para garantir que isso aconteça, a ONU defende uma maior cooperação na gestão dos processos migratórios por meio da implementação do Pacto Global para a Migração. O acordo, negociado pelos governos na ONU, abordará a migração internacional de modo amplo. Foto: ONU

Autoridades sul-americanas participam conferência sobre migrações na Bolívia

Representantes de governos de Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela reuniram-se na semana passada (22 e 23) em Sucre, na Bolívia, para a 28ª Conferência Sul-Americana sobre Migrações (CSM).

A conferência, cuja secretaria técnica está a cargo da Organização Internacional para as Migrações (OIM), incluiu discussões sobre gênero e políticas migratórias, tráfico de pessoas, gestão de fluxos migratórios, ferramentas normativas regionais para regular a mobilidade dos migrantes, migração na infância, governança local da migração internacional e o Pacto Global para a Migração, entre outros temas.

Oficiais do UNFPA e da ONU Mulheres participaram de atividade em Brasília (DF) para o Dia Internacional para a Eliminação da Violência Contra a Mulher. Foto: UNFPA/Thais Rodrigues

Agências da ONU se reúnem no DF pelo fim da violência contra mulheres no Brasil

Estimativas globais da Organização Mundial da Saúde (OMS) indicam que aproximadamente 35% das mulheres em todo o mundo sofreram violência física ou sexual por parte de parceiro ou terceiros durante a vida.

Diante desse cenário, o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) e a ONU Mulheres participaram na segunda-feira (26) de atividade em Brasília (DF) para o Dia Internacional para a Eliminação da Violência Contra a Mulher, lembrado no dia 25 de novembro.

Organizado pela Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), o evento também lembrou os 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência Contra as Mulheres que, no Brasil, se inicia em 20 de novembro com o Dia da Consciência Negra.

O UNFPA e a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) estão recebendo apoio da União Europeia para intensificar e aprimorar os esforços de apoio a venezuelanos. Foto: UNFPA/Yare Perdomo

União Europeia apoia esforços da ONU no atendimento a venezuelanos no Brasil

Desde 2015, mais de 85 mil venezuelanos e venezuelanas procuraram a Polícia Federal para solicitar refúgio ou residência no Brasil. A maior parte dessas pessoas chega ao país por via terrestre, cruzando a fronteira em Roraima. Para oferecer atendimento humanitário a essa população, várias agências da ONU têm trabalhado na região junto ao governo federal. Desde julho, o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) e a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) estão recebendo apoio da União Europeia para intensificar e aprimorar esses esforços.

Relatório da OIT indicou que mulheres recebem 20% menos que os homens, exercendo as mesmas funções. Foto: OIT/Marcel Crozet

OIT: salários crescem mais nos países em desenvolvimento, mas desigualdades permanecem

Os salários cresceram mais nos países em desenvolvimento no ano passado, mas permaneceram bem abaixo do nível salarial das nações desenvolvidas, disse a Organização Internacional do Trabalho (OIT) em relatório publicado na segunda-feira (26).

“Parece uma boa notícia, porque todos nós queremos ver uma convergência (entre os salários nos países) no mundo. Mas não podemos exagerar, porque as desigualdades ainda são muito grandes. Frequentemente, o nível salarial não é suficiente para as pessoas atenderem suas necessidades básicas”, disse o diretor-geral da OIT, Guy Rider.

Porto de Santos, em São Paulo. Foto: Prefeitura de Santos

Banco Mundial: 1/4 das exportadoras brasileiras respondem por quase todas as vendas ao exterior

Um quarto das empresas exportadoras do Brasil respondem por 98% das vendas do país ao exterior. Os números foram divulgados neste mês (14) pelo Banco Mundial, que criou uma nova plataforma para analisar dados sobre comércio exterior.

Organismo financeiro descreveu mercado de exportações brasileiro como “altamente concentrado”. Instituição também alerta para a baixa taxa de entrada de novas corporações no ramo das exportações.

Os Recursos Educacionais Abertos (REA) são materiais de ensino, aprendizado e pesquisa em qualquer meio disponível no domínio público, que foram disponibilizados com licenças abertas. Foto: EBC

Especialistas debatem em Brasília uso de materiais abertos para ensino e pesquisa

A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) no Brasil, em cooperação com o Ministério da Educação e a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), reunirá esta semana, em Brasília (DF), representantes da educação e pesquisadores do Mercosul para discutir uma agenda conjunta de trabalho em torno dos Recursos Educacionais Abertos (REA) do bloco formado por Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai.

Os REA são materiais de ensino, aprendizado e pesquisa em qualquer meio disponível no domínio público, que foram disponibilizados com licenças abertas, que permitem acesso, uso, redestinação, reutilização e redistribuição por terceiros.

Hugo em um campo para deslocados internos na República Centro-Africana. Foto: ACNUR

Brasileiro lembra impacto ‘imensurável’ do trabalho da ONU em prol dos refugiados

O brasileiro Hugo Reichenberger trabalha há dez anos para a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR). Com as cores e o uniforme da instituição, o profissional humanitário já atuou em oito países.

Em depoimento para a instituição, o brasileiro explica as motivações que o levaram a trabalhar para ONU. Hugo lembra que sempre foi bem recebido em assentamentos de refugiados — independentemente de etnia e religião, todos os deslocados queriam conhecer quem era o funcionário do país do futebol.

Edifício da Controladoria Geral da União em Brasília (DF). Foto: pixabay/janio_df (CC)

Agência da ONU e CGU discutem alternativas para combate à corrupção

A educação como ferramenta para o enfrentamento da corrupção no Brasil foi um dos assuntos discutidos durante reunião na quarta-feira (14) entre o representante regional do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC), Rafael Franzini, e o ministro da Transparência, Fiscalização e Controladoria-Geral da União (CGU), Wagner Rosário, em Brasília (DF).

Rosário e Franzini debateram a importância do fomento de uma mudança de cultura ética e do papel transformador da educação como fator estratégico nesse processo. O ministro mencionou os esforços que estão sendo empreendidos pela CGU no sentido de produzir material didático-pedagógico para ser compartilhado com alunos da rede pública do ensino fundamental e médio do Brasil.