Ao final do prefão da bolsa, representantes da ONU e do setor privado tocaram a campainha pela sustentabilidade nos negócios. Foto: Pacto Global/Bruno Noda

São Paulo recebe 1º fórum no mundo sobre investimentos nas metas sustentáveis da ONU

Em São Paulo (SP), empresas e investidores se reuniram com representantes do governo na quarta-feira (20) para discutir como o setor privado pode mobilizar investimentos em prol dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas.

Com mais de 140 representantes do mundo corporativo, setor público, sociedade civil e academia, o SDG Investment Forum — o primeiro realizado no mundo — enfatizou que a agenda da ONU é uma oportunidade para os negócios.

OIM busca sensibilizar setor privado sobre a inclusão de migrantes vulneráveis no mercado de trabalho brasileiro. Foto: Pacto Global/Fellipe Abreu

ONU recebe inscrições para oficina no Rio sobre inclusão de migrantes em empresas

No Rio de Janeiro (RJ), a Organização Internacional para as Migrações (OIM) realiza na próxima quarta-feira (27) a última oficina da série para apoiar empresas que queiram implementar políticas de inclusão de migrantes vulneráveis. Formação reunirá representantes de ONGs e consultorias que trabalham com a integração de estrangeiros. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas por meio online.

Lisiane Lemos é especialista de soluções da Microsoft e membro do Conselho Consultivo do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA). Foto: Acervo Pessoal

Atuar pelo fim da discriminação racial é fundamental para efetivação de direitos, diz executiva

Para marcar Dia Internacional para a Eliminação da Discriminação Racial, lembrado na quinta-feira (21), o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) entrevistou a advogada e executiva gaúcha Lisiane Lemos. Considerada uma das pessoas negras mais influentes do mundo, ela é uma das principais ativistas brasileiras pelo fim do racismo no mundo corporativo.

Segundo pesquisa do Instituto Ethos, pessoas negras ocupam apenas 5% dos cargos executivos no Brasil. Homens negros correspondem a 4,6% desse percentual e mulheres negras, 0,7%.

Para Lisiane, há avanços recentes, mas permanece o desafio de levar profissionais seniores negros a cargos de liderança. “Na base, enquanto ‘trainee’, jovem aprendiz, as pessoas negras são uma porcentagem alta, mas quanto mais se sobe na pirâmide, mais baixo o percentual fica. Precisamos de mais vozes que deem visibilidade para inverter esses números”, declarou.

Ações como coleta seletiva, sistemas para evitar o desperdício de água e licitações que seguem critérios de sustentabilidade são exemplos de iniciativas que podem ser submetidas ao processo seletivo. Foto: Pedro França/Agência Senado

ARTIGO: Dia Mundial da Água 2019 — ‘Não deixar ninguém para trás’

Em artigo para lembrar o Dia Mundial da Água, 22 de março, a assessora de gestão corporativa do Pacto Global da ONU no Brasil, Giuliana Moreira, alerta que cerca de 35 milhões de cidadãos não têm acesso a água potável no país. Ainda segundo a especialista, 100 milhões de brasileiros não possuem saneamento adequado.

Giuliana defende o engajamento do setor privado na busca por soluções que contribuam para o uso sustentável dos recursos hídricos e para a universalização dos serviços de água e saneamento.

O estágio visa estimular a participação das mulheres nestas missões, em concordância com os esforços das Nações Unidas de obter, até 2020, ao menos 15% do efetivo feminino nas operações de paz. Foto: CIASC

Diretor do UNIC Rio defende maior participação de mulheres em operações de paz

O diretor do Centro de Informação das Nações Unidas para o Brasil (UNIC Rio), Maurizio Giuliano, fez no início de dezembro (5) uma palestra sobre operações de paz da ONU no Centro de Instrução Almirante Sylvio de Camargo (CIASC), localizado na capital fluminense. A palestra fez parte do Primeiro Estágio de Operações de Paz para Mulheres, iniciativa da Marinha do Brasil em parceria com o UNIC Rio.

O estágio visa estimular a participação das mulheres nestas missões, em concordância com os esforços das Nações Unidas de obter, até 2020, ao menos 15% do efetivo feminino nas operações de paz.

Durante visita a São Paulo, o diretor-geral da OMC disse que políticas de abertura comercial são vitais para impulsionar competitividade. Foto: OMC

Em visita a SP, chefe da OMC defende maior integração do Brasil no comércio internacional

O diretor-geral da Organização Mundial do Comércio (OMC), Roberto Azevêdo, visitou São Paulo (SP) esta semana para participar de uma série de eventos que discutiram a importância das políticas de abertura comercial e de um sistema de comércio baseado em regras para promover a competitividade da economia brasileira.

Esses eventos incluíram o lançamento da iniciativa “O Brasil Quer Mais”, liderada pela Câmara de Comércio Internacional (ICC Brasil), que pretende mobilizar o setor empresarial e o governo brasileiro em torno da abertura comercial como caminho para o crescimento econômico.

“A maior integração comercial pode trazer muitos benefícios ao Brasil. A OMC pode ter um papel muito importante aqui — tanto como uma plataforma para resolver disputas quanto para negociar novas regras que possam melhorar a integração do Brasil à economia mundial”, declarou.

A venezuelana Alida Rodríguez (à esquerda), ao lado da brasileira Helena Maria de Araújo. Foto: Arquivo Pessoal

Refugiada venezuelana retoma vida no Rio trabalhando como cuidadora de idosos

Cuidar do outro é essencialmente um ato de amor. Por isso, através do trabalho de cuidadora de idosos, a refugiada venezuelana Alida Josefina Rodríguez diz ter reencontrado a alegria e a paz. Ela conseguiu emprego em dezembro do ano passado, por intermédio do Programa de Atendimento a Refugiados e Solicitantes de Refúgio (PARES) da organização Cáritas RJ. Não apenas sua vida mudou, como a de toda a família para a qual ela agora trabalha.​

Formada em Medicina, mas impedida de trabalhar como médica antes da revalidação do diploma, ela procurou o PARES em busca de uma especialização que tivesse relação com sua profissão original e que a ajudasse na inserção no mercado de trabalho brasileiro.

O relato é da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR).

O NAPEC conta com 129 voluntários que realizam atividades em ambulatórios e enfermarias. Foto: Arquivo Pessoal

Projeto voluntário desenvolve atividades lúdicas em hospital no Rio

É possível associar voluntariado a serviço público? Um exemplo de resposta a essa pergunta está no trabalho voluntário realizado no Núcleo de Apoio a Projetos Educacionais e Culturais (NAPEC), do Rio de Janeiro, vencedor da categoria Voluntariado no Setor Público do Prêmio Viva Voluntário de 2018.

Desde 2012, a instituição demonstra como o apoio da sociedade civil é fundamental para fortalecer iniciativas do serviço público.

Desde agosto de 2018, projetos como este podem usar a plataforma Viva Voluntário, criada mediante parceria entre o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e a Casa Civil, para cadastrar vagas de voluntariado em qualquer lugar do Brasil e procurar interessados.

Empresários e técnicos do setor de refrigeração comercial se reuniram em São Paulo (SP) na quinta-feira (14) para debater a utilização do propano R-290 como fluido frigorífico em equipamentos de refrigeração. Foto: UNIDO

Setor de refrigeração participa de workshop em SP sobre uso de propano como fluido frigorífico

Empresários e técnicos do setor de refrigeração comercial se reuniram em São Paulo (SP) na quinta-feira (14) para debater a utilização do propano R-290 como fluido frigorífico em equipamentos de refrigeração.

O evento foi organizado pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA) e pela Organização das Nações Unidas para Desenvolvimento Industrial (UNIDO) no âmbito do Programa Brasileiro de Eliminação dos HCFCs (PBH).

Refugiados venezuelanos posam para foto em seu novo abrigo em Igarassu, Pernambuco. Foto: ACNUR/Allana Ferreira

‘Interiorização é a nossa esperança por melhores oportunidades’, diz venezuelano no Brasil

Eram quatro horas da manhã e muitas pessoas dormiam no abrigo Rondon 2, um alojamento do governo para venezuelanos em Boa Vista (RR). Mas cerca de 200 moradores da residência já estavam de pé e mal conseguiam controlar a ansiedade e a animação: dali a poucas horas, os refugiados e migrantes se mudariam para outros estados brasileiros.

O grupo participou da mais recente etapa do programa de interiorização, realizada na última quarta-feira (13). O projeto do governo federal tem o apoio da ONU Brasil.

Rede Xique Xique é uma articulação de trabalhadoras rurais que busca manter os princípios da agroecologia e da economia solidária para a produção, comercialização e consumo. Foto: ONU Mulheres

Igualdade de gênero é essencial para mundo sem fome e pobreza, dizem agências da ONU

Evento realizado pelas agências de alimentação das Nações Unidas com sede em Roma, na Itália, para lembrar o Dia Internacional das Mulheres discutiu no início do mês (8) a importância da igualdade de gênero para o combate às desigualdades sociais e para a erradicação da fome e da pobreza no mundo.

O encontro, organizado por Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), Fundo Internacional para o Desenvolvimento Agrícola (FIDA) e Programa Mundial de Alimentos (PMA), teve como foco o tema da ONU para a data: “Pensar em igualdade, construir de forma inteligente e inovar para a mudança”.

Foto: EBC

Anatel e UIT oferecem curso a distância sobre direito do consumidor

A Agência Nacional de Telecomunicações (ANATEL), em parceria com a União Internacional de Telecomunicações (UIT), lançou na segunda-feira (18) o curso “Direito do Consumidor de Serviços de Telecomunicações”. O curso será realizado na modalidade a distância, por meio da plataforma ITU Academy. Qualquer interessado pode realizar o curso de forma gratuita. No portal do consumidor da agência consta um tutorial com orientações aos participantes.

O objetivo do curso é capacitar o público em geral e, principalmente, profissionais de entidades de defesa do consumidor (como PROCONS) e membros dos Conselhos de Usuários sobre relações de consumo e direitos do consumidor em telecomunicações.

Representantes da UNIDO, CIBiogás e SEBRAE-Paraná firmam parceria para estimular setor de biogás e biometano. Foto: UNIDO

Agência da ONU e indústria firmam parceria para alavancar setor de biogás e biometano no Sul do Brasil

Com o objetivo de alavancar o setor de biogás e biometano no Sul do Brasil, a Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (UNIDO) firmou nesta segunda-feira (18) uma parceria com o Centro Internacional de Energias Renováveis–Biogás (CIBiogás) e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE) do Paraná. A cooperação prevê diálogos sobre políticas públicas para a área e a elaboração de modelos de negócios.

Da esquerda para a direita: o vice-presidente da Comissão Nacional sobre Direitos das Pessoas com Deficiência do Conselho Federal da OAB, Joelson Costa Dias; a a coordenadora geral de saúde da pessoa com deficiência do Ministério da Saúde, Odilia de Souza; a chefe dos Programas de Saúde, HIV/AIDS e Desenvolvimento Infantil do UNICEF no Brasil, Cristina Albuquerque. Foto: Ministério da Cidadania/Clarice Castro

PNUD ressalta necessidade de incluir crianças com deficiências em políticas públicas

No Seminário Internacional da Primeira Infância, realizado na semana passada em Brasília (DF), o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) alertou para a necessidade de incluir crianças com deficiências em políticas para os meninos e meninas de até seis anos de idade. Investimentos nesse período inicial da vida são considerados fundamentais pela ONU para o desenvolvimento neurológico e bem-estar social dos pequenos.

Oficina em Brasília (DF) discutiu o fortalecimento de políticas públicas para combater a escravidão moderna na região latino-americana e caribenha. Foto: OIM

OIM realiza oficina em Brasília (DF) sobre políticas de combate à escravidão moderna

A Organização Internacional para as Migrações (OIM) realizou na semana passada (12 e 13) em Brasília (DF) uma oficina para discutir o fortalecimento de políticas públicas para combater a escravidão moderna na região latino-americana e caribenha.

A iniciativa contou com a participação de representes governamentais de Brasil e Colômbia, bem como de representantes de OIM, Embaixada Britânica, Organização dos Estados Americanos (OEA) e pesquisadores de Brasil, Colômbia e Venezuela.

Vinte representantes do setor privado participaram na quinta-feira (14) de uma oficina de treinamento em São Paulo (SP) sobre a inclusão de migrantes internacionais no mercado de trabalho brasileiro. Foto: OIM

Oficina em São Paulo aborda integração de migrantes no mercado de trabalho

Vinte representantes do setor privado participaram na quinta-feira (14) de uma oficina de treinamento em São Paulo (SP) sobre inclusão de migrantes internacionais no mercado de trabalho brasileiro. O objetivo foi esclarecer mitos e tirar dúvidas sobre o processo de contratação, prestação de assistência, documentação, além de abordar benefícios e importância do processo de integração e da diversidade para o desenvolvimento de estratégias corporativas.

Este é o quinto encontro da série de oficinas lançadas em dezembro pela Organização Internacional para as Migrações (OIM), com o apoio do Fundo da OIM para o Desenvolvimento (IDF, na sigla em inglês), sendo a quarta realizada com atores corporativos na capital paulista. As oficinas foram idealizadas a partir dos resultados de uma pesquisa da OIM, em parceria com a Rede Brasil do Pacto Global da ONU para empresas e direitos humanos.

Projeto do Banco Mundial impulsionará agricultura sustentável no Brasil. Foto: Governo da Paraíba

Projeto do Banco Mundial impulsionará agricultura sustentável no Brasil

O Banco Mundial e o governo da Paraíba assinaram na quarta-feira (13), em Brasília (DF), projeto para melhorar o acesso a água, reduzir a vulnerabilidade agroclimática e aumentar o acesso da população rural aos mercados. A meta é atender 150 mil pessoas.

O projeto investirá em sistema de abastecimento de água em comunidades rurais e em tecnologias agrícolas que protegem os cultivos dos efeitos das mudanças climáticas, além de um sistema de informações sobre riscos agroclimáticos.

Projeto em Samambaia, no Distrito Federal, estimula brincadeiras ao ar livre e ocupação dos espaços públicos pela comunidade. Foto: Curumim Cultural

Líder voluntário incentiva brincadeiras de rua e cria fontes de renda em comunidade do DF

A iniciativa Curumim Cultural começou quando Bruno Lopes, morador de Samambaia, no Distrito Federal, percebeu que as crianças de seu bairro não tinham o costume de brincar ao ar livre. Na quadra em que vive, há muitos jovens que raramente eram vistos na rua, por diversos motivos, desde o fácil acesso aos equipamentos eletrônicos à sensação de insegurança que existe no ambiente externo.

O líder voluntário decidiu então criar um projeto que estimulasse a ocupação dos espaços públicos e a educação dos jovens por meio de atividades lúdicas. A iniciativa foi uma das vencedoras do prêmio Viva Voluntário em 2018, uma parceria entre a Casa Civil da Presidência da República e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).

O cientista político Cleiton Euzébio de Lima assumiu a a função de diretor interino do UNAIDS após a saída de Georgiana Braga-Orillard. Foto: UNAIDS

Cientista político assume cargo de diretor interino do UNAIDS no Brasil

A partir desta quinta-feira (14), o Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS) está sob a coordenação do cientista político Cleiton Euzébio de Lima. Ele assume a função de diretor interino após a saída de Georgiana Braga-Orillard, que esteve à frente do escritório de 2013 a 2019 e deixou o país para assumir o posto de representante residente do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) em El Salvador.

Cleiton tem mais de dez anos de experiência com a resposta ao HIV no Brasil, tendo trabalhado com foco em prevenção e promoção da saúde e dos direitos humanos das pessoas vivendo com HIV e das populações mais vulneráveis ao vírus.

Manifestação durante o Dia Internacional das Mulheres em São Paulo (SP) em 2019. Foto: Ian Maenfeld (CC)

Centro de pesquisa vinculado à ONU seleciona artigos dedicados à igualdade de gênero

Para lembrar o Dia Internacional da Mulher, o Centro Internacional de Políticas para Crescimento Inclusivo (IPC-IG) selecionou artigos dedicados ao empoderamento das mulheres e à igualdade de gênero.

O tema escolhido este ano para lembrar a data foi “Pensar igual, construir de forma inteligente, inovar para mudar”, cujo objetivo é buscar formas inovadoras de avançar na igualdade de gênero e no empoderamento das mulheres, particularmente nas áreas de sistemas de proteção social, acesso a serviços públicos e infraestrutura sustentável.

A Estratégia de Igualdade de Gênero 2018-2021, a terceira do tipo elaborada pelo PNUD, fornece um roteiro para ampliar e integrar a igualdade de gênero em todos os aspectos do trabalho da organização. Foto: Thiago Siqueira

PNUD Brasil adota nova estratégia para impulsionar igualdade de gênero

A igualdade de gênero é um direito humano básico e uma necessidade na busca por um mundo sustentável. Ao lado do empoderamento das mulheres, ela é vital para o alcance da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, que prevê o respeito universal pela dignidade e pelos direitos humanos em um mundo onde todas as mulheres e meninas experimentem a igualdade de gênero completa em que todas as barreiras legais, sociais e econômicas sejam removidas.

O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) está empenhado em fazer desse cenário uma realidade. A Estratégia de Igualdade de Gênero 2018-2021, a terceira do tipo elaborada pela agência da ONU, fornece um roteiro para ampliar e integrar a igualdade de gênero em todos os aspectos do trabalho da Organização a fim de reduzir a pobreza, construir resiliência e alcançar a paz em comunidades e territórios, ajudando a acelerar o desenvolvimento sustentável.

Vista panorâmica do centro da capital federal do Brasil. Foto: Isac Nóbrega/PR

Brasil é aceito como membro permanente do Comitê de Concorrência da OCDE

O Brasil foi aceito como membro permanente do Comitê de Concorrência da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). O anúncio foi feito em 22 de fevereiro e recebido com entusiasmo por autoridades do governo federal e do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE).

A OCDE é segmentada em diretórios, subdivididos em comitês que se reúnem para discutir temas como macroeconomia, comércio, desenvolvimento, educação, ciência e inovação. O Comitê de Concorrência tem dois grupos de trabalho que tratam da interface entre concorrência e regulação e da cooperação e implementação das leis antitrustes.

A participação do Brasil como membro permanente foi apoiada pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), por meio de projetos de cooperação com o CADE.

Cerca de 90 adolescentes e mulheres participaram da oficina de artes marciais promovida pelo UNFPA. Foto: UNFPA Brasil/Thais Rodrigues

Venezuelanas participam de oficina de caratê em Roraima

“Todas com o braço direito na frente. Vamos dar três golpes mudando os braços”. Entre gritos, sorrisos e palmas, cerca de 90 adolescentes e mulheres venezuelanas participaram de uma oficina de artes marciais promovida pelo Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) em Pacaraima (RR).

Realizada num abrigo de passagem para refugiados e migrantes, a atividade aconteceu na última sexta-feira em comemoração ao Dia Internacional das Mulheres, 8 de março.

Agentes de saúde fazem visita para prevenção e diagnóstico de hanseníase no Brasil. Foto: OPAS

No Rio, agência da ONU pede fim do estigma para combater a hanseníase

No Rio de Janeiro (RJ), a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) — braço regional da Organização Mundial da Saúde (OMS) — afirmou nesta semana (12) que o estigma associado à hanseníase tem dificultado os esforços para acabar com a transmissão da doença.

Atualmente, mais de 200 mil novos casos de hanseníase são detectados no mundo a cada ano. Dessas ocorrências da doença, 80% são registradas em três países – Brasil, Índia e Indonésia.

A ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, participa na sede das Nações Unidas, em Nova Iorque, da 63ª Sessão da Comissão sobre o Estatuto da Mulher (CSW63). Foto: ONU News

Ministra dos Direitos Humanos diz que objetivo do Brasil é erradicar violência contra mulheres

A ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, participa na sede das Nações Unidas, em Nova Iorque, da 63ª Sessão da Comissão sobre o Estatuto da Mulher (CSW63), que ocorre até 22 de março com foco em temas de proteção social, acesso a serviços públicos e infraestrutura sustentável para mulheres e meninas do mundo todo.

Em entrevista à ONU News, a ministra afirmou que o combate à violência contra a mulher é um objetivo definido no Brasil. Segundo dados da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL), o país lidera a taxa de feminicídios entre 23 países da região. Em 2017, foram confirmadas 1.333 vítimas.

Para a ministra, deve haver reforço e coesão de uma série de serviços envolvendo setores de polícia, Justiça e segurança para proteção das mulheres.

Projeto SensibilizArte animou posto de triagem em Boa Vista (RR). Foto: UNFPA/Thais Rodrigues

Em Boa Vista, estudantes de Medicina promovem brincadeiras em posto para venezuelanos

Em Boa Vista (RR), o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) surpreendeu venezuelanos num posto de triagem com música e uma atividade lúdica para crianças. Treze voluntários vestidos de palhaços animaram o centro de atendimento com performances artísticas para mais de 200 pessoas. Iniciativa realizada neste mês (1º) foi fruto de parceria da agência da ONU com a Federação Internacional das Associações dos Estudantes de Medicina (IFMSA).

Vereadora Marielle Franco na Câmara Municipal do Rio de Janeiro. A política e ativista foi executada em 14 de março de 2018, com o seu motorista Anderson Gomes. Foto: Câmara do Rio/Renan Olaz

Com apoio da ONU, Defensoria Pública da União promove seminário sobre mulheres em espaços de poder

Com apoio da ONU Mulheres, a Defensoria Pública da União promove a partir de amanhã (14), em São Paulo (SP), o Seminário Nacional Mulheres em Espaços de Poder e Decisão. Ao longo de dois dias, especialistas vão discutir temas como a participação das mulheres no sistema de Justiça, na produção do conhecimento, na representação política e em posições de liderança. Inscrições são gratuitas e serão feitas no dia.