Eiman Haru, refugiada sudanesa, hoje ajuda mulheres na mesma situação pelo IMDH. Foto: ACNUR

Com experiência humanitária, sudanesa ajuda outras refugiadas a recomeçar a vida no DF

Atuando no projeto “Mulheres Unidas”, o trabalho de Eiman Haru é exemplo da luta pelo fim da violência contra as mulheres refugiadas – e pauta do Dia Laranja pelo Fim da Violência contra as Mulheres, marcado todo dia 25. Iniciativa do Instituto de Migrações e Direitos Humanos (IMDH) tem o apoio da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR).

Como grande parte das mulheres forçadas a se deslocar, a trajetória de Eiman é marcada pela superação das dificuldades inerentes ao refúgio e à integração local. Confira nesse vídeo e nessa reportagem especial.

Parada do Orgulho LGBT em São Paulo, 2015. Foto: Leo Pinheiro / Fotos Públicas

Agências da ONU lançam cartilha sobre proteção refugiados e solicitantes de refúgio LGBTI

No marco da campanha Livres & Iguais, a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) e o Escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH) lançarão a Cartilha Informativa sobre a Proteção de Pessoas Refugiadas e Solicitantes de Refúgio LGBTI na terça-feira (27) a partir das 9h30, na Sala Jardel Filho do Centro Cultural São Paulo, na capital paulista.

O evento, que recebe o apoio da Prefeitura de São Paulo, terá a participação de refugiados, representantes da sociedade civil engajados com a temática do refúgio e populações LGBTI, além de representantes de universidades, governo local e das Nações Unidas.

Foto: Diogo Felix/ACNUR/Cáritas Arquidiocesana do Rio de Janeiro

Mudanças climáticas devem intensificar deslocamentos forçados, dizem especialistas

As mudanças globais do clima são uma ameaça à segurança humana e comprometem a cultura e identidade de populações inteiras. O alerta foi feito por especialistas que discutiram nesta semana os deslocamentos causados por questões climáticas durante o seminário ‘Vozes do Refúgio’, no Museu do Amanhã, no Rio, para marcar o Dia Mundial do Refugiado (20).

Durante o encontro, os participantes pediram comprometimento com os acordos climáticos e a criação de políticas de proteção para populações em maior situação de vulnerabilidade. O evento e a exposição são uma parceria do Museu com o ACNUR (Agência da ONU para Refugiados) e a Agence France-Presse (AFP).

certificação contribui para estruturar a cadeia têxtil, gerando oportunidades de negócios e favorecendo a oferta de boas condições de trabalho. Foto: Elói Corrêa/ AGECOM

Setor têxtil certifica empresas para eliminar trabalho escravo de cadeias produtivas

A garantia de direitos trabalhistas e a eliminação do trabalho escravo são os principais objetivos do Programa de Monitoramento de Cadeia Produtiva do Vestuário e Calçados, uma iniciativa desenvolvida pela Associação Brasileira do Varejo Têxtil (ABVTEX), com empresas do segmento em todo o país.

O programa tem o papel de assegurar segurança e saúde ao trabalhador, além da formalização das oficinas de costura e empresas de produção de vestuário.

Estudos estabeleceram relação entre microcefalia e zika. Foto: EBC

Feira apoiada por agências da ONU em Salvador apresenta soluções de combate ao zika

Centenas de expositores apresentarão um conjunto de soluções de combate a doenças transmitidas por mosquitos na Feira de Soluções para a Saúde — Zika, que ocorre em Salvador (BA) de 8 a 10 de agosto. Os interessados podem cadastrar suas soluções até 14 de julho no site www.feirazika.unb.br.

Reunindo parceiros nacionais e internacionais, a feira é apoiada por Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), ONU Mulheres e do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), sendo patrocinada pela Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS/OMS).

Realizada pelo ACNUR, a mostra de filmes “Olhares sobre o Refúgio” trará para os cinemas de cinco capitais brasileiras diferentes perspectivas sobre a vida de vítimas de deslocamento forçado. Foto: ACNUR/Sebastian Rich

São Paulo lembra Dia Mundial do Refugiado com debates e eventos culturais

O lançamento do relatório “Tendências Globais 2016” da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) foi marcado por eventos no Brasil esta semana que colaboraram para reforçar as contribuições que as pessoas refugiadas podem trazer aos países de acolhida.

A capital paulista sediou um evento para apresentar o documento “Tendências Globais – Deslocamentos Forçados em 2016” e a mostra internacional de documentários “Olhares sobre o Refúgio”.

Pedro Piauí (primeiro à direita), sua mulher e seus oito filhos. Foto: CPT

‘Depois de trabalhar três meses em uma fazenda, não quiseram me pagar’

Após trabalhar três meses em uma fazenda de Campos Lindos, no Tocantins, dormindo em uma barraca de lona e comendo pouco, o trabalhador rural Pedro Alves dos Santos foi informado de que não receberia pelo trabalho efetuado. Pedro procurou sindicatos e autoridades locais e só assim conseguiu garantir seus direitos.

A história de Pedro assemelha-se às de mais de 50 mil pessoas resgatadas do trabalho escravo no Brasil desde 1995. Entrevistados pelo Centro de Informação das Nações Unidas (UNIC Rio), especialistas e representantes da ONU instam o Brasil a continuar o combate a esse crime ainda frequente no país, garantindo a manutenção da legislação para o tema, as fiscalizações e a publicação do cadastro de empregadores flagrados.

Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

Assédio sexual no trabalho é tema de nova cartilha da OIT e do MPT

Uma nova cartilha com orientações sobre assédio sexual no ambiente de trabalho será lançada pelo Ministério Público do Trabalho (MPT) e pela Organização Internacional do Trabalho (OIT). Produzida em formato de perguntas e respostas, a publicação traz informações sobre como identificar e denunciar o assédio sexual no trabalho, além de explicar as responsabilidades e consequências para trabalhadoras(es) e empregadoras(es) nessas situações.

O lançamento da cartilha acontece nesta quarta-feira, às 18h, na Procuradoria-Geral do Trabalho em Brasília.

Juba, Sudão do Sul. Foto: ONU/Eskinder Debebe

Crise de refugiados no Sudão do Sul é a que mais cresce no mundo

O Sudão do Sul substituiu a Síria como a crise de refugiados que mais cresceu no mundo no ano passado, de acordo com o relatório “Tendências Globais”, divulgado esta semana pela Agência da ONU para Refugiados (ACNUR).

“Uma das maiores crise em 2016 deixou de ser a Síria — que infelizmente está entrando em seu sexto ano (de conflito) —, e passou a ser o Sudão do Sul”, disse a representante do ACNUR no Brasil, Isabel Marquez, durante evento realizado pelo Centro de Informação das Nações Unidas (UNIC Rio) na capital carioca na terça-feira (20), Dia Mundial do Refugiado.

Milhares de crianças chegam a Tapachula, no México, fugindo da violência em países da América Central. Foto: ACNUR

ONU lança no Brasil campanha para apoiar crianças que fogem da violência na América Central

A Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) lançou na terça-feira (20) no Rio de Janeiro a campanha “Crianças em Fuga”, que alerta para o flagelo de milhares de crianças que fogem da violência de gangues nos países do Triângulo Norte da América Central (El Salvador, Honduras e Guatemala).

“Lançamos essa campanha em todo o mundo para promover uma melhor resposta a essa emergência”, disse a representante do ACNUR no Brasil, Isabel Marquez, durante o evento para o Dia Mundial do Refugiado realizado pelo Centro de Informação das Nações Unidas (UNIC Rio) no Palácio Itamaraty, centro da capital fluminense.

Imagem: Divulgação

Com apoio da ONU, 2º Festival Internacional de Cinema LGBTI começa na quinta-feira (22) em Brasília

De 22 de junho a 2 de julho, o 2º Festival Internacional de Cinema LGBTI levará para as salas do Cine Brasília 13 longas-metragens de diversos países e dez curtas da campanha das Nações Unidas ‘Livres e Iguais’.

A mostra é organizada pelas embaixadas da Austrália, Bélgica, Dinamarca, Estados Unidos, França e Países Baixos no Brasil. A ONU, o governo brasileiro e outras missões diplomáticas na capital também apoiam a iniciativa. A entrada é franca.

Evento foi realizado no Palácio do Itamaraty, centro do Rio de Janeiro. Foto: UNIC Rio

ONU reúne refugiados, autoridades e sociedade civil no Rio para debater crise humanitária global

No Dia Mundial do Refugiado, cerca de 100 pessoas reuniram-se nesta terça-feira (20) no Palácio Itamaraty, no Rio de Janeiro, para discutir questões relacionadas ao alto número de refugiados e deslocados no mundo devido a conflitos, violência e perseguições.

O evento, promovido pelo Centro de Informação das Nações Unidas (UNIC Rio), teve a presença de representantes da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), da Cáritas Arquidiocesana, do Comitê Nacional para os Refugiados (CONARE), do Ministério das Relações Exteriores, da sociedade civil, da academia e da imprensa.

Refugiados de países como Síria, Colômbia, República Democrática do Congo e Gâmbia que vivem no Rio também estiveram presentes, e contaram em uma roda de conversa suas dificuldades e conquistas desde que chegaram ao país.

Ao centro, o representante da FAO no Brasil, Alan Bojanic. Foto: FAO/Palova Souza

FAO discute como usar estatísticas para monitorar políticas agroambientais na América Latina

Em evento sobre políticas agroambientais na América Latina e Caribe, o representante da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) no Brasil, Alan Bojanic, enfatizou que a produção de alimentos no futuro depende de modelos sustentáveis de crescimento econômico. Encontro reuniu mais de 70 especialistas em Brasília para debater como o uso de estatísticas pode acelerar a implementação de recomendações da agência da ONU sobre o tema.

Segurança alimentar é um dos destaques da cooperação entre Brasil e países da África. Foto: Centro de Excelência contra a Fome

Agência brasileira lança publicações sobre estratégias para Cooperação Sul-Sul

Como parte das comemorações por seus 30 anos, a Agência Brasileira de Cooperação (ABC) lançou três publicações que discutem os caminhos da cooperação brasileira para o desenvolvimento e possíveis estratégias para monitorar e avaliar iniciativas de Cooperação Sul-Sul.

Uma das publicações cita o Centro de Excelência contra a Fome — fruto de parceria entre o governo brasileiro e o Programa Mundial de Alimentos (PMA) das Nações Unidas — como exemplo de parceria entre o Brasil e agências internacionais para a cooperação na área da segurança alimentar e nutricional.

Alimentação escolar. Foto: Agência Brasil

Seminário em Washington discute cooperação internacional em alimentação escolar

O Centro de Excelência contra a Fome, fruto de parceria entre o Programa Mundial de Alimentos (PMA) das Nações Unidas e o governo brasileiro, participou na semana passada (15) de seminário em Washington (EUA) para discutir evidências sobre os impactos de programas de alimentação escolar nos países. O evento foi organizado pela Global Child Nutrition Foundation e pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA).

Porto no Sri Lanka. Foto: Banco Mundial/Dominic Sansoni

Banco Mundial vê alta de 2,7% do PIB mundial em 2017; Brasil deve crescer 0,3%

Graças a uma retomada da manufatura e do comércio, a economia global está se recuperando, mas a fraqueza da produtividade e do investimento ameaçam as perspectivas de longo prazo nas economias em desenvolvimento, informou o Banco Mundial no início de junho (5).

Em seu mais novo relatório de expectativas, o Banco Mundial prevê crescimento global de 2,7%, conforme relatado em janeiro. Para o Brasil, a previsão é de avanço de apenas 0,3% em 2017 e de 1,8% em 2018.

Mulheres carregando símbolos religiosos em imagem que faz parte da mostra 'Vidas Deslocadas', em exibição a partir do dia 21 de junho no Museu do Amanhã. Foto: AFP/Philippe Lopez

Seminário e exposição fotográfica marcam Dia Mundial do Refugiado no Museu do Amanhã

Como parte das celebrações do Dia Mundial do Refugiado, lembrado em 20 de junho, o Museu do Amanhã realiza nesta semana, em parceria com a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) e a Agence France-Presse (AFP), um seminário na terça-feira um seminário sobre deslocamento forçado causado pelas mudanças climáticas. No dia seguinte (21), tem início uma mostra fotográfica sobre o mesmo tema.

Desde 2008, uma média de 25 milhões de pessoas foram forçadas a se deslocar, a cada ano, por causa de intempéries como inundações, tempestades, incêndios florestais e temperaturas extremas.

Plantação de arroz em Chengdu, Sichuan, na China. Foto: ONU/John Isaac. (arquivo)

BRICS podem ter papel de liderança no combate à fome, diz agência da ONU

Enquanto o tempo passa rumo ao prazo de 2030 para atingir os objetivos globais de erradicar a fome e a pobreza, a agência das Nações Unidas para a agricultura afirmou que cinco importantes economias emergentes, conhecidas como BRICS, estão bem posicionadas para ter papel de liderança em ajudar o mundo a atingir essas metas.

Para a representante regional da FAO, Kundhavi Kadiresan, os programas de proteção social adotados nesses países têm papel essencial no desenvolvimento rural, reduzindo a pobreza, beneficiando a saúde e fortalecendo a confiança dos agricultores familiares.

ONU realiza concurso universitário de fotografias sobre desenvolvimento sustentável, migração e refúgio

Estão abertas até 30 de agosto as inscrições para um concurso de fotografia da ONU sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) e também sobre a aceitação de refugiados e migrantes. Promovido pelo Centro de Informação das Nações Unidas no Japão (UNIC Tóquio) e pela Universidade de Sophia, a iniciativa é destinada a estudantes universitários — graduandos e pós-graduandos — ou de escolas técnicas e/ou profissionalizantes do mundo inteiro.

Participaram da oficina de capacitação gestores e funcionários públicos, representantes de movimentos sociais e organismos não-governamentais, bem como estudantes. Foto: UNFPA/Divulgação

Agência de população da ONU participa de programa de capacitação em dinâmica demográfica

O Fundo de População da ONU (UNFPA) participou em junho do programa de capacitação “População, Cidades e Políticas Sociais”, realizado no âmbito do Programa de Seminários do Observatório das Migrações (NEPO/UNICAMP), em parceria com a Fundação Carlos Chagas, em São Paulo.

O evento teve como objetivos centrais a sensibilização e a capacitação de gestores públicos municipais, estaduais e federais acerca de temas relacionados com a dinâmica populacional e as políticas sociais, com ênfase nas políticas educacionais.

Discutir como novas tecnologias podem colaborar com o cumprimento da Agenda 2030 para fortalecer a inclusão, a erradicação da pobreza, o crescimento econômico e a sustentabilidade do planeta é a proposta do estande ODS na Campus Party Brasília. Foto: ONU

Estande na Campus Party Brasília debate novas tecnologias e desenvolvimento sustentável

O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e a estatal Furnas, do grupo Eletrobras, promovem até sábado (17) na Campus Party Brasília discussões sobre como as novas tecnologias podem colaborar para o cumprimento da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável.

O estande ODS servirá de espaço colaborativo para a troca de informações sobre iniciativas para a implementação dos objetivos globais.

Grãos de soja. Foto: Jonas Oliveira/ANPr

ONU Meio Ambiente, SEBRAE e EMBRAPA lançam edital para cadeia produtiva de grãos

Em iniciativa inédita, startups e empreendedores de todo o país poderão participar de edital para projetos de inovação e sustentabilidade na cadeia produtiva de grãos, fruto de parceria entre ONU Meio Ambiente, SEBRAE e EMBRAPA.

O lançamento do edital, que selecionará ideias inovadoras e sustentáveis para o setor, ocorrerá nesta sexta-feira (16), às 17h30, no estande do SEBRAE na “open area” (área de acesso gratuito) da Campus Party Brasília.

O ativista indiano Kailash Satyarthi durante o lançamento da iniciativa "100 Milhões por 100 Milhões" no Brasil. Foto: OIT

No dia do combate ao trabalho infantil, OIT se une a campanha de Nobel da Paz

A iniciativa “100 Milhões por 100 Milhões” foi lançada na segunda-feira (12) em Brasília com a presença do ativista indiano que é ícone na luta contra o trabalho infantil, Kailash Satyarthi, e do diretor da Organização Internacional do Trabalho (OIT) no Brasil.

O objetivo da iniciativa é mobilizar 100 milhões de pessoas, especialmente os jovens, para lutar pelos direitos de 100 milhões de crianças que vivem na extrema pobreza, sem acesso à saúde, educação e alimentação, em situação de trabalho infantil e completa insegurança.