Marcha das Vadias de 2015 no Rio de Janeiro, contra o machismo e a violência de gênero. Foto: Mídia Ninja

Agência da ONU para Refugiados apoia campanha pelo fim da violência sexual e de gênero

Em meio à campanha 16 Dias de Ativismo Contra Violência Sexual e de Gênero, a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) está liderando e participando de atividades como oficinas, debates e treinamentos em três capitais brasileiras.

Os eventos buscam estimular a conscientização sobre a necessidade de erradicar a violência sexual e de gênero, assim como alertar sobre suas graves consequências. A campanha acontece no mundo inteiro até 10 de dezembro.

Foto de 2008 mostra meninas afro-colombianas deslocadas no bairro de Famílias em Ação, na cidade colombiana de Tumaco. Foto: ACNUR/ Marie-Helene Verney

ONU alerta para aumento dos assassinatos de líderes comunitários na Colômbia

A Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) alertou para o aumento do número de assassinatos e de ameaças contra defensores dos direitos humanos e líderes comunitários na região da Costa do Pacífico da Colômbia. Na maior parte dos casos, as vítimas pertencem às comunidades indígenas e afro-colombianas.

A implementação do acordo de paz com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC), anunciado em 2016, significou muitos desafios para as comunidades afetadas pela presença de grupos armados e de atividades ilícitas como tráfico de drogas e extração ilegal de minérios. O vazio de poder deixado pela desmobilização das FARC transformou muitas áreas em territórios em disputa entre grupos armados ilegais, novos e antigos, de acordo com a agência da ONU.

O Nepal é um dos países mais atingidos pelas mudanças climáticas. Os agricultores são os mais afetados, levando mais pessoas a migrar. No sul do país, a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) apoia cerca de 3 mil agricultoras e agricultores por meio de 120 escolas agrícolas, para que as famílias possam ser reunidas e os agricultores possam continuar a viver de suas terras. Confira neste vídeo

No Nepal, FAO apoio milhares de agricultores a se adaptar às mudanças climáticas

O Nepal é um dos países mais atingidos pelas mudanças climáticas. Os agricultores são os mais afetados, levando mais pessoas a migrar. No sul do país, a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) apoia cerca de 3 mil agricultoras e agricultores por meio de 120 escolas agrícolas, para que as famílias possam ser reunidas e os agricultores possam continuar a viver de suas terras. Confira neste vídeo.

Foto: UIT

Fórum internacional identifica oportunidades econômicas de tecnologias emergentes

Oportunidades econômicas de tecnologias inovadoras de informação e comunicação (TIC) – como a Internet das Coisas, computação em nuvem, inteligência artificial e dados para cidades inteligentes e sustentáveis – foram identificadas neste mês de novembro em Hammamet, na Tunísia, durante a 15ª edição do Simpósio Global de Indicatores de TIC e Telecomunicações da União Internacional de Telecomunicações (UIT).

Cerca de 600 mil rohingyas já deixaram Mianmar em busca de segurança em Bangladesh, desde o final de agosto. Crise foi lembrada pela diretora-executiva do UNFPA, Natalia Kanem, em mensagem para 25 de novembro, Dia Internacional pelo Fim da Violência contra as Mulheres. Foto: UNFPA/Naymuzzaman Prince

Uma em cada três mulheres já foi vítima de violência, alerta Fundo de População da ONU

Em pronunciamento para o Dia Internacional para a Eliminação da Violência contra a Mulher, observado em 25 de novembro, a diretora-executiva do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), Natalia Kanem, lembrou a história de Shakila, uma integrante do povo rohingya que fugiu de Mianmar, seu país de origem, em busca de segurança em Bangladesh, nação vizinha. A refugiada conta que foi estuprada depois de ter sido forçada a assistir ao assassinato de seu marido e de sua filha.

ONU e federação de jornalistas conscientizam profissionais sobre violência e estereótipos de gênero

Ao longo dos 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres, a Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ) e a ONU Mulheres promoverão ações de conscientização sobre a cobertura de episódios de violência de gênero. Objetivo da iniciativa, voltada para profissionais de mídia, é melhorar o trabalho de repórteres que divulgam informações sobre esse tipo de violação, contribuindo para eliminar estereótipos e representações preconceituosas.

Projeto do UNODC visa a prevenir a violência por meio das práticas esportivas. Foto: UNODC

ONU reúne profissionais esportivos internacionais no Rio para discutir prevenção à violência

O Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) realiza até 1º de dezembro no Rio de Janeiro uma missão de intercâmbio de experiências sobre prevenção ao crime e às drogas por meio dos esportes.

O evento terá a participação de profissionais de educação física, gestores esportivos e especialistas de países como África do Sul, Bangladesh, Bélgica, Colômbia, Índia, Quirguistão, Palestina, Peru, República Dominicana e Uganda.

Insegurança em campus da UnB já foi motivo de protestos dos alunos, em 2013. Foto: Agência Brasil/Fabio Rodrigues Pozzebom

Governo do DF e agências da ONU combatem violência contra mulheres na capital brasileira

Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), ONU Mulheres e Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) participaram no sábado (25), Dia Internacional pela Eliminação da Violência contra as Mulheres, da assinatura de um protocolo de intenções com o governo do Distrito Federal tendo como objetivo desenvolver uma série de ações de combate a esse problema na capital do país.

Nadine Gasman, representante da ONU Mulheres Brasil, e Taís Araújo em frente ao espaço Lélia Gonzalez, uma das pioneiras do movimento de mulheres negras. Foto: ONU Mulheres/Bruno Spada

ONU expressa solidariedade a Taís Araújo e critica ataques racistas ‘abomináveis’

Taís Araújo é uma das apoiadoras públicas da ONU Mulheres Brasil e ocupa o cargo honorário de defensora dos Direitos das Mulheres Negras. Ataques racistas feitos à artista foram duramente criticados pela representante da agência no país, Nadine Gasman, que alertou: ‘o discurso de ódio visa à desmobilização do debate central acerca do racismo e dos seus efeitos na vida da população negra’.

A família de Tatiana, na Ucrânia, foi destruída pelos abusos do marido. Ele já se foi, mas ela e as seis crianças ainda tentam reconstruir a vida. Foto: UNFPA/Maks Levin

Fundo de População da ONU reúne relatos de mulheres que viveram situações de violência

Neste sábado (25), começa em todo o mundo a campanha anual de 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência Baseada em Gênero. No Brasil, o lançamento aconteceu um pouco mais cedo, na segunda-feira (20), Dia da Consciência Negra, para lembrar que as mulheres negras brasileiras são as principais vítimas deste tipo de agressão. Como parte da iniciativa global, o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) reuniu relatos de mulheres de diferentes lugares do mundo sobre o tema.

Phumzile Mlambo-Ngcuka, diretora-executiva da ONU Mulheres, ao lado de António Guterres, secretário-geral das Nações Unidas. Foto: Eskinder Debebe

ONU pede fim da impunidade para a violência de gênero

Em pronunciamento em Nova Iorque para o Dia Internacional para a Eliminação da Violência contra a Mulher, lembrado no próximo 25 de novembro, o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, defendeu a igualdade de gênero e o empoderamento feminino como soluções para as violações dos direitos das mulheres.

“Em todo o mundo, mais de uma a cada três mulheres enfrentará violência ao longo de suas vidas; 750 milhões de mulheres se casaram antes de completar 18 anos e mais de 250 milhões foram submetidas à mutilação genital feminina”, lembrou o dirigente máximo do organismo internacional.

MINUSTAH realiza sua última patrulha no bairro de Bel Air, Porto Príncipe. Foto: ONU/MINUSTAH/ Jesús Serrano Redondo

ONU convida Brasil a participar de missão de paz na República Centro-Africana

O secretário-geral da ONU, António Guterres, convidou oficialmente o Brasil na quarta-feira (22) a participar da missão de paz na República Centro-Africana (RCA) com 750 militares, afirmou o último comandante das forças militares das Nações Unidas no Haiti, o general brasileiro Ajax Porto Pinheiro.

Em evento realizado nesta quinta-feira (23) no Centro de Informação das Nações Unidas para o Brasil (UNIC Rio), na capital fluminense, o general disse esperar que o Brasil aplique na República Centro-Africana as lições aprendidas em 13 anos de liderança militar da Missão das Nações Unidas para a estabilização no Haiti (MINUSTAH).

Lei brasileira permite o casamento de meninas com qualquer idade em caso de gravidez. Foto: EBC

No Nordeste, 17% das mulheres já foram agredidas fisicamente, revela ONU

Às vésperas do Dia Internacional para a Eliminação da Violência contra a Mulher, lembrado em 25 de novembro, a ONU Mulheres divulgou nesta quinta-feira (23) uma pesquisa que revela que 27% de todas as brasileiras do Nordeste com idades entre 15 e 49 anos já foram vítimas de violência doméstica ao longo da vida.

Na região, 17% das mulheres já foram agredidas fisicamente pelo menos uma vez. Salvador, Natal e Fortaleza ostentam o título negativo de cidades mais violentas para as mulheres.

Durante cinco décadas de guerra, milhões de colombianos abandonaram suas casas para fugir da violência. Para ajudar na reconstrução das áreas destruídas, a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) desenvolveu um projeto – com apoio do governo da Suécia – que fornece treinamento e equipamento para os agricultores familiares. A iniciativa colaborou também para estreitar os vínculos da comunidade.

Na Colômbia, FAO ajuda agricultores familiares a retomar suas vidas; vídeo

Durante cinco décadas de guerra, milhões de colombianos abandonaram suas casas para fugir da violência. Para ajudar na reconstrução das áreas destruídas, a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) desenvolveu um projeto – com apoio do governo da Suécia – que fornece treinamento e equipamento para os agricultores familiares. A iniciativa colaborou também para estreitar os vínculos da comunidade.

Neste Dia Mundial contra a AIDS, programa da ONU destaca a importância do direito à saúde e os desafios que as pessoas vivendo com HIV enfrentam no exercício deste direito. Foto: Imprensa MG/Adair Gomes

Fundo de População da ONU alerta para crescimento da epidemia de HIV entre os jovens

Em participação no VIII Encontro Nacional de Adolescentes e Jovens vivendo com HIV/AIDS, em Brasília, o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) alertou que a epidemia tem avançado entre os jovens brasileiros. De 2006 a 2015, a taxa de indivíduos com AIDS praticamente triplicou entre homens de 15 a 19 anos — de 2,4 para 6,9 casos por 100 mil habitantes. Entre jovens do sexo masculino de 20 a 24 anos, o índice dobrou — de 15,0 para 33,1 por 100 mil habitantes.

Atividade recreativa da IKMR reúne refugiados em parque de São Paulo. Foto: IKMR / André Teller

ACNUR elogia criação de departamento jurídico em São Paulo para menores refugiados

O Tribunal de Justiça de São Paulo formalizou no início do mês (7) a criação de um departamento dedicado exclusivamente ao atendimento de jovens refugiados e também de vítimas estrangeiras de tráfico humano. Organismo funcionará na Vara da Infância e da Juventude de Penha de França, zona leste da capital. Segundo a Agência das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR), iniciativa é pioneira na América Latina.

Livro aborda desafios de infraestrutura para a prestação adequada de serviços de saúde. Imagem: UNOPS/Reprodução

Escritório da ONU lança livro sobre infraestrutura hospitalar na América Latina

O Escritório das Nações Unidas para Serviços de Projetos (UNOPS) lançou neste mês a versão digital do livro “Arquitetura para a Saúde na América Latina”, disponibilizado gratuitamente para o público.O livro apresenta experiências de dez países — Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, Guatemala, México, Peru, Uruguai e Venezuela — e aborda conhecimentos sobre planejamento, projeto e construção sustentável e inovadora de edifícios hospitalares.

ONU Meio Ambiente decidiu somar esforços a iniciativa global contra a violência de gênero. Foto: PEXELS

ONU Meio Ambiente se une a campanha pelo fim da violência contra mulheres

Para lembrar o Dia Internacional pelo Fim da Violência contra as Mulheres, em 25 de novembro, a ONU Meio Ambiente lança a iniciativa digital “Mulheres Que Inspiram”. Estratégia de conscientização nas redes sociais convoca todos os setores da sociedade a acabar com a violência de gênero.

Com o projeto, o organismo internacional se soma aos esforços da campanha global “16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres”, coordenada pela ONU Mulheres no âmbito da campanha do secretário-geral das Nações Unidas UNA-SE.

Foto: OIM

OIM destaca contribuição da América do Sul para o Pacto Mundial sobre Migração

Representantes de dez governos da América do Sul reuniram-se nesta semana em Montevideo, no Uruguai, para a XVII Conferência Sul Americana sobre Migrações, que discutiu a inclusão e integração dos migrantes para além das fronteiras territoriais.

A conferência reuniu delegações de Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela. Trata-se do principal fórum regional de consulta e diálogo governamental não vinculante em matéria de migração na América do Sul e um dos 18 Processos Consultivos Regionais existentes no mundo.

Participantes de ato unificado pelo fim da violência contra a mulher, realizado em São Paulo. Foto: Flickr CC/Mídia Ninja

Região da América Latina e do Caribe é a mais violenta do mundo para as mulheres, diz ONU

Na América Latina e no Caribe, o número de países com políticas nacionais de proteção às mulheres aumentou de 24 em 2013 (74% do total) para 31 em 2016 (94%). No entanto, a região continua sendo a mais violenta do mundo para as mulheres, cenário de partida de um novo relatório sobre o tema produzido por Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e ONU Mulheres, lançado nesta quarta-feira (22) no Parlamento Latino-Americano (Parlatino) com mais de 120 legisladores.

Isabel (centro) se apresenta com o Coral Somos Iguais, ao lado de outras jovens em situação de refúgio no Brasil. Foto: Bruna Treme.

Refugiada congolesa participa de disputa no The Voice Brasil

Forçada a deixar a República Democrática do Congo (RDC) com sua família em 2015 devido à guerra, Isabel Antonio, de 16 anos, nunca imaginou que seria a primeira solicitante de refúgio no país a fazer parte de um dos maiores shows de talentos musicais do mundo. Atualmente, ela disputa as etapas finais do The Voice Brasil com o apoio de seu técnico, Carlinhos Brown. O relato é da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR).

Migrantes detidos na cidade de Zawiya, na Líbia. Foto: IRIN/Mathieu Galtier

Compra e venda de migrantes africanos na Líbia revolta comunidade internacional

Após divulgação de imagens de migrantes africanos sendo vendidos como escravos na Líbia, secretário-geral das Nações Unidas expressou indignação e solicitou às autoridades que investiguem urgentemente a situação – e levem os responsáveis à justiça.

“A escravidão não tem lugar no mundo. O acontecido na Líbia representa um dos abusos aos direitos humanos mais revoltantes e pode ser considerado um crime contra a humanidade”, disse António Guterres.

Cristo Redentor no Rio de Janeiro será iluminado de laranja no próximo 25 de novembro. Foto: UNIC Rio/Célio Durães

ONU ilumina cartões-postais brasileiros em campanha pelo fim da violência contra mulheres

Cristo Redentor, Elevador Lacerda e Palácio Buriti – cartões-postais do Brasil – se somam à iluminação laranja da campanha global das Nações Unidas dos 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres.

Pelo quarto ano consecutivo, a iluminação — programada para o dia 24 de novembro em Brasília e 25 no Rio de Janeiro e em Salvador — deixa as marcas em diferentes pontos do mundo em favor dos direitos de mulheres e meninas viverem sem violência.

Embaixadora da Boa Vontade do ACNUR, Kristin Davis dialoga com refugiados rohingya em Bangladesh. Foto: ACNUR/Andy Hall

Atriz norte-americana Kristin Davis pede ação urgente por crianças rohingya em Bangladesh

No marco do Dia Mundial da Criança, a atriz norte-americana e Embaixadora da Boa Vontade da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), Kristin Davis, pediu na segunda-feira (20) atenção global e recursos financeiros para aumentar a ajuda humanitária a crianças refugiadas rohingya em Bangladesh.

“Para mim, a parte mais chocante da crise de refugiados rohingya é o número de crianças que tiveram que abandonar suas casas. Mais da metade dos refugiados no campo são crianças”, disse a atriz após visita ao campo de refugiados de Kutupalong, em Bangladesh.

Mulher carrega latas de água enquanto as tropas da UNAMID realizam uma patrulha de rotina no campo para pessoas internamente deslocadas em Khor Abeche, em Darfur do Sul. Foto: UNAMID/Albert González Farran

Relatório da ONU aponta violações de direitos de milhares de pessoas deslocadas em Darfur

O relatório detalha a situação das pessoas deslocadas de janeiro de 2014 a dezembro de 2016, um período marcado por uma campanha militar do governo que levou ao deslocamento civil em massa.

Presença inadequada e, em alguns casos, a ausência total de instituições policiais e judiciais em áreas onde as pessoas deslocadas se estabeleceram levaram a graves violações dos direitos humanos, indicou a ONU.