Representante do ACNUR, Jose Egas, e Prefeito de Belém, Zenaldo Coutinho, assinam Termo de Parceria. Foto: Alessandra Serrão – NID/Comus

ACNUR e Belém assinam acordo para fortalecer assistência a refugiados venezuelanos

Com o aumento do fluxo de pessoas refugiadas e migrantes venezuelanas no município de Belém (PA), especialmente de etnia Warao, a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) e a prefeitura da capital paraense assinaram na última segunda-feira (18) um Termo de Parceria para fortalecer a resposta humanitária a esta população.

Assinado pelo representante do ACNUR no Brasil, Jose Egas, e pelo prefeito de Belém, Zenaldo Coutinho, a parceria busca fortalecer o apoio técnico na área de abrigamento, o desenvolvimento de políticas públicas e de proteção para refugiados, gestão de dados, articulação institucional, sensibilização e produção de materiais informativos, entre outras ações.

O apoio do ManpowerGroup às ações do ACNUR começou em julho deste ano no Brasil com o projeto “Carreira - Impulsionando talentos”. Foto: ACNUR/Miguel Pachioni.

Parceria entre ACNUR e ManpowerGroup capacita mais de 600 profissionais em situação de refúgio no Brasil

Desde julho, parceria entre a Agência das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR) e ManpowerGroup já capacitou mais de 600 profissionais em situação de refúgio no Brasil.

Com apoio da ONU, empresa oferece workshops a refugiados e migrantes em São Paulo e em Boa Vista a fim de auxiliá-los em sua entrada ao mercado de trabalho, já que, segundo a consultora de carreira do ManpowerGroup, “ao contrário do que se costuma ouvir, em muitos casos, a dificuldade de arrumar um trabalho nem sempre é a qualificação, mas a necessidade de recuperação da autoestima e confiança em suas capacidades”.

Ações também incluem aproximar empresas locais dos profissionais que participam das capacitações. Segundo o oficial de Meios de Vida do ACNUR , agência prioriza parcerias que promovam cursos rápidos e de alto impacto, proporcionando o conhecimento necessário para essas pessoas recomeçarem suas vidas no Brasil.

Embora haja mais meninos do que meninas nascidas no , número começa a se inverter entre as idades de 30 e 40, tendo em vista que os homens morrem mais jovens. Foto: StockSnap/Pixabay.

OMS: masculinidade tóxica influencia saúde e expectativa de vida dos homens nas Américas

Lançado na última segunda-feira (18), novo relatório da Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS) destaca que um em cada cinco homens da região morre antes dos 50 anos – muitas dessas mortes estão diretamente relacionadas a uma “masculinidade tóxica”.

O documento afirma que as expectativas sociais em relação aos homens — de serem provedores de suas famílias; terem condutas de risco; serem sexualmente dominantes; e de não discutirem suas emoções ou procurarem ajuda — estão contribuindo para maiores taxas de suicídio, homicídio, vícios e acidentes de trânsito, favorecendo também o surgimento de doenças crônicas não transmissíveis.

Projeto em escola de Santa Maria (RS) resgata memória de personalidades negras como forma de empoderar e desenvolver a autoestima dos estudantes. Foto: UNFPA Brasil/Fabiane Guimarães

Alunos de escola pública de Santa Maria (RS) visitam Casa da ONU em Brasília

Jovens estudantes do Centro Educacional 310, de Santa Maria (RS), visitaram a Casa da ONU e o escritório do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) em Brasília (DF) na semana passada para conhecer as instalações, o trabalho em direitos humanos e a campanha Vidas Negras.

Os dez alunos fazem parte do projeto “365 dias de Consciência Negra”, uma iniciativa criada pela escola para desenvolver a autoestima e o potencial dos estudantes afrodescendentes.

Durantes três dias na capital federal, de 11 a 13 de novembro, os adolescentes com idades entre 13 e 20 anos redigiram a Carta de Brasília. Foto: UNICEF

Crianças e adolescentes reúnem-se em Brasília para exigir efetivação de direitos

Em comemoração aos 30 anos da Convenção sobre os Direitos da Criança, adolescentes de todo o Brasil uniram suas vozes, na capital do país, para construir a Carta de Brasília, exigindo a efetivação de seus direitos.

“Somos adolescentes em busca de um país melhor, somos de vários lugares: das cidades, do campo, da floresta, das favelas, dos quilombos, das aldeias, das fronteiras”, disse a carta. Leia a reportagem completa do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF).

A iniciativa tem o objetivo de empoderar pessoas por meio da sétima arte, e busca mostrar a importância de indivíduos e comunidades como defensores da saúde e do bem-estar. Foto: OMS

OMS abre inscrições para o 1º Festival de Cinema Saúde para Todos

A Organização Mundial da Saúde (OMS) convida cineastas de todo o mundo a participar da primeira edição do Festival de Cinema Saúde para Todos. Candidatos podem se inscrever até 30 de janeiro de 2020.

A iniciativa tem o objetivo de empoderar pessoas por meio da sétima arte, e busca mostrar a importância de indivíduos e comunidades como defensores da saúde e do bem-estar. Uma das categorias terá como tema o Ano Internacional da Enfermeira e da Parteira, que será celebrado em 2020.

ONU: trabalho decente é instrumento de combate à violência contra mulheres

O Ministério Público do Trabalho (MPT), o Escritório das Nações Unidas de Serviços para Projetos (UNOPS) e a ONU Mulheres promovem na segunda-feira (25) palestra em Brasília (DF) sobre trabalho no âmbito da campanha “16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres”.

Serão apresentadas as principais iniciativas das Nações Unidas para promover o engajamento das empresas no processo de garantir às mulheres uma vida livre de violências. O encontro é aberto ao público e não é necessário realizar inscrição prévia.

Menina espera para receber água na República Democrática do Congo. Foto: UNICEF / Olivier Asselin

UNICEF: crianças pobres do mundo estão sendo deixadas para trás

Houve ganhos históricos em geral para as crianças do mundo desde que a Convenção sobre os Direitos da Criança (CDC) foi adotada há 30 anos. No entanto, muitas das crianças mais pobres ainda não sentiram o impacto desses avanços, de acordo com novo relatório do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), lançado na segunda-feira (18).

“Houve ganhos impressionantes para as crianças nas últimas três décadas, à medida que mais e mais meninas e meninos estão vivendo mais, melhor e com mais saúde. No entanto, as adversidades continuam pesando para os mais pobres e vulneráveis”, disse Henrietta Fore, diretora executiva do UNICEF.

Falta de saneamento contribui para disseminação de doenças. Foto: EBC

Quase 16 milhões de latino-americanos e caribenhos não têm acesso a banheiros

Um total de 15,5 milhões de pessoas se veem forçadas a defecar a céu aberto na América Latina e no Caribe, uma prática que pode poluir o meio ambiente e espalhar doenças, alertou a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) na terça-feira (19), Dia Mundial do Banheiro.

Pessoas com renda mais baixa, grupos em situação de vulnerabilidade, populações rurais e povos indígenas são os mais afetados pelo saneamento deficiente.

Casas palestinas e assentamentos israelenses na área H2 em Hebron, na Cisjordânia. Foto: ONU/Reem Abaza

ONU lamenta decisão dos EUA de legitimar assentamentos israelenses

O posicionamento de longa data da ONU em relação aos assentamentos de Israel nos Territórios Palestinos Ocupados se mantém o mesmo: eles violam as leis internacionais. A afirmação foi feita pelo porta-voz da ONU Stéphane Dujarric durante coletiva de imprensa na terça-feira (19), em Nova Iorque, na qual abordou a decisão do governo norte-americano de tentar legitimar esses assentamentos.

Dujarric afirmou que a ONU “lamenta muito” o anúncio da nova posição dos Estados Unidos, comunicada na segunda-feira (18), e que a Organização se mantém “comprometida com uma solução de dois Estados, com base nas resoluções das Nações Unidas”.

A atriz Millie Bobby Brown foi nomeada nesta terça-feira (20) nova embaixadora da Boa Vontade do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF). Foto: UNICEF

Millie Bobby Brown e David Beckham lideram cúpula da ONU sobre direitos da criança

A atriz britânica Millie Bobby Brown e o ex-jogador de futebol britânico David Beckham, embaixadores do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), vão liderar nesta quarta-feira (20) uma cúpula global na sede das Nações Unidas, em Nova Iorque, onde se juntarão a crianças e jovens para exigir proteção e promoção de seus direitos.

A cúpula do UNICEF faz parte das comemorações do Dia Mundial da Criança. No mesmo dia, celebra-se o trigésimo aniversário da adoção da Convenção sobre os Direitos da Criança, tratado de direitos humanos mais amplamente ratificado da história.

Foto: UNESCO/ Mila Petrillo

UNESCO e TV Globo renovam parceria para o Criança Esperança pelos próximos seis anos

Na última terça-feira (18), em cerimônia na sede da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), em Paris, Grupo Globo renovou acordo que concede à agência da ONU continuar na gestão da campanha Criança Esperança por mais seis anos.

Reconhecida pela UNESCO como modelo internacional, a campanha tem o papel fundamental de discutir temas importantes da agenda social, principalmente em relação aos direitos das crianças e adolescentes e à redução das desigualdades no Brasil.

Em 2019, o Criança Esperança teve um recorde histórico de arrecadação, com mais de R$22,7 milhões. Os recursos apoiarão 91 projetos sociais, nas áreas de educação, cultura, esportes, juventude e inclusão, desenvolvidos em 23 estados. Com a renovação, Representação da UNESCO no Brasil continuará responsável pela seleção e monitoramento dos projetos e pela gestão dos fundos arrecadados nas campanhas.

Michelle Bachelet, alta-comissária da ONU para os Direitos Humanos. Foto: ONU/Jean-Marc Ferré

Chefe de direitos humanos da ONU diz que repressão pode piorar situação na Bolívia

A alta-comissária de direitos humanos das Nações Unidas, Michelle Bachelet, manifestou no sábado (16) preocupação com a possibilidade de intensificação da crise na Bolívia caso polícia e exército não atuem de acordo com as normas e padrões internacionais de uso da força.

“O país está dividido e as pessoas dos dois lados do espectro político estão com muita raiva. Em uma situação como esta, ações repressivas por parte das autoridades simplesmente aumentarão essa raiva e podem prejudicar qualquer caminho possível rumo ao diálogo”, declarou.

“A mídia é o único recurso das comunidades sem voz”, afirmou a rede ACM. Foto: StockSnap/Pixabay.

Capacitação promovida pela Missão da ONU na Somália inspira campanha de rádio em prol da inclusão

Workshop de dois dias sobre estratégia e engajamento de mídia promovido pela Missão de Assistência das Nações Unidas na Somália (UNSOM) capacitou grupos a usarem as tecnologias de comunicação a seu favor. Integrantes da rede dos Ativistas de Comunidades Marginalizadas (ACM) que participaram do treinamento da ONU criaram uma campanha de rádio para impulsionar a inclusão social na Somália.

As sessões de 15 minutos serão transmitidas por emissoras de rádio de todo o país, incluindo dois canais de televisão, e cobrirão tópicos como igualdade e não discriminação, participação política, empoderamento de mulheres, igualdade de acesso à educação, saúde, emprego e atividade econômica, direitos sociais e culturais.

Na sociedade somali, dividida por clãs, as minorias são excluídas da participação política, do emprego e do acesso à justiça. O objetivo da campanha intitulada “Igualdade e justiça para todos” visa incentivar governos e organizações da sociedade civil a advogar pelos direitos das minorias e a construir políticas e estratégias eficazes.

Marcha das Mulheres Negras contra o Racismo e a Violência e pelo Bem Viver, ocorrida em 2015, em Brasília. Foto: ONU Mulheres/Bruno Spada

Sede da ONU lembra Dia Internacional para Eliminação da Violência contra Mulheres

A comemoração oficial das Nações Unidas para o Dia Internacional para a Eliminação da Violência contra as Mulheres (25 de novembro) ocorrerá na próxima segunda-feira (25), na Câmara do Conselho Econômico e Social das Nações Unidas (ECOSOC), na sede das Nações Unidas, em Nova Iorque.

Sob a liderança do secretário-geral da ONU, António Guterres, a campanha terá 16 dias de ativismo com o tema “Pinte o mundo de laranja: Geração Igualdade contra o estupro!”. A campanha dura até 10 de dezembro, Dia dos Direitos Humanos. O evento na sede da Organização será transmitido ao vivo pela Internet.

UNICEF apresentará no evento um panorama sobre avanços e desafios para a garantia dos direitos de crianças e adolescente no Brasil e no estado do Rio de Janeiro. Foto: Fora do Eixo (CC)

Evento no Rio reafirma compromissos com direitos de crianças e adolescentes no Brasil

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), em parceria com o Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ), realiza na quinta-feira (21) o evento “30 anos da Convenção sobre os Direitos da Criança: Reafirmando Compromisso”.

Tratado mais ratificado da história, por 196 países, a Convenção sobre os Direitos da Criança colocou crianças e adolescentes como sujeitos de direitos. No Brasil, ela inspirou o Artigo 227 da Constituição Federal de 1988 e o Estatuto da Criança e do Adolescente (lei 8.069/90).

Jovem de Pernambuco foi o único a receber dois prêmios no Festival PLURAL+: "Vídeo" e "Prevenção da Xenofobia". Foto: ONU News.

Jovem brasileiro é premiado em festival de vídeo da ONU

Patrick Melo foi finalista e premiado em Nova York pelo vídeo produzido para o Festival PLURAL+, das Nações Unidas. O jovem pernambucano de 20 anos registrou no curta “Brasileiro, mas não jogador de futebol” algumas angústias de pessoas que são vítimas de preconceito quando migram. Na última-quarta (13), na sede da ONU, Melo foi o único reconhecido com dois prêmios: “Vídeo” e “Prevenção da Xenofobia”.

Segundo os organizadores, em um mundo frequentemente marcado pela intolerância e por divisões culturais, o concurso busca reconhecer os jovens como agentes poderosos da mudança social, capazes de estimular o respeito à diversidade. A iniciativa é promovida pela Organização Internacional para as Migrações (OIM) e pela Aliança de Civilizações das Nações Unidas (UNAOC).

Segundo o diretor-geral da OIM, António Vitorino, “Esses jovens cineastas não permitiram que as narrativas negativas sobre migração – tão popularizadas na mídia contemporânea – os privassem de empatia”. Com crescente interesse e participação a cada ano, o PLURAL + se tornou a principal plataforma global de distribuição de mídia da ONU para jovens.

Nova diretora do UNAIDS realiza 1ª reunião presencial com doadores e parceiros

Em sua primeira reunião presencial com doadores e parceiros desde que assumiu o posto de diretora executiva do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AINDS (UNAIDS), Winnie Byanyimase apontou decisão de levar a organização adiante sob uma abordagem feminista e aliada à promoção da saúde sexual e reprodutiva que, segundo a agência, é uma ferramenta importante na resposta global ao vírus.

O encontro foi organizado conjuntamente pelo ministro da Cooperação Internacional para o Desenvolvimento da Suécia, Peter Eriksson, e aconteceu antes da abertura oficial da Cúpula de Nairóbi (CIPD25), realizada na capital do Quênia entre 12 e 14 de novembro deste ano em marco aos 25 anos da Conferência Internacional sobre População e Desenvolvimento do Cairo (CPID).

A reunião também foi a primeira de uma série de eventos planejados como parte do aprimoramento do engajamento coletivo e da colaboração reforçada à agência, à medida que se inicia o processo de desenvolvimento de um novo plano estratégico para o HIV.

Representante Especial da ONU no Iraque, Jeanine Hennis-Plasschaert, visita a Praça Tahrir em Bagdá para conversar com manifestantes. Foto: UNAMI.

Iraquianos pagam ‘preço impensável’ para serem ouvidos, diz representante da ONU no Iraque

“O que testemunhei nas ruas nos últimos dias é um acúmulo de frustração com a falta de progresso nos últimos 16 anos”, relatou a representante especial do secretário-geral das Nações Unidas no Iraque, Jeanine Hennis-Plasschaert.

A representante visitou, na última terça-feira (12), o Conselho de Representantes em Bagdá, capital do país. No encontro com as lideranças iraquianas, Hennis-Plasschaert, que também é a chefe da Missão de Assistência da ONU no Iraque (UNAMI), fez um minuto de silêncio pelas vidas que foram ceifadas durante os protestos.

O Iraque é palco, desde 1º de outubro, de intensas manifestações. A população reivindica desde o fim da corrupção nos serviços públicos até uma reforma mais ampla do sistema político, incluindo a alteração da Constituição. A representante da ONU lembrou aos parlamentares que, com total respeito à soberania do Iraque, a UNAMI propôs uma série de medidas concretas para a construção de confiança e uma reforma no país.

Profissional de saúde verifica os níveis de açúcar no sangue de um paciente diabético. Foto: OMS | A.Loke.

No Dia Mundial da Diabetes, ONU lidera iniciativa de oferta de insulina mais acessível

Hoje (14) é lembrado anualmente como o Dia Mundial da Diabetes. Na véspera da data (13), a Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciou um plano piloto para diversificar a produção global de insulina, medicamente utilizado no controle da doença, e, por consequência, diminuir os preços.

Atualmente, três fabricantes controlam a maior parte do mercado global de insulina, que foi descoberto como um tratamento para o diabetes em 1921. Segundo as Nações Unidas, é essencial democratizar o acesso ao medicamento, já que, em todo o mundo, o número de pessoas com a doença quadruplicou desde 1980 – são 420 milhões de pessoas em todo o mundo, principalmente vivendo em países de baixa e média renda.

Segundo a OMS, esse aumento excessivo de casos é atribuído à má alimentação e à falta de exercício. A organização da ONU explicita que dos 65 milhões de pessoas com diabetes tipo 2 que precisam de insulina, apenas metade tem possibilidade de obtê-la.

Menino trabalha no Nepal - Foto: David Longstreath/Irin

ONU aponta que crianças respondem por 26% da mão de obra no início das cadeias produtivas na América Latina

Um novo relatório da ONU aponta uma contribuição significativa do trabalho infantil e do tráfico de pessoas nos patamares iniciais das cadeias produtivas, em atividades extrativistas e de agricultura, fazendo com que a visibilidade, diligência e identificação de tais atividades seja desafiadora. A América Latina lidera a estimativa de trabalho infantil neste setor, com 26%.

O relatório “Fim do trabalho infantil, trabalho forçado e tráfico humano nas cadeias produtivas” foi produzido pela Organização Internacional do Trabalho (OIT), Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), Organização Internacional para Migração (OIM) e Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF).

O documento fornece, pela primeira vez, estimativas de trabalho infantil associadas ao setor em várias regiões: 26% na América Latina e Caribe; 12% no sul e centro da Ásia e outros 12% na África Subsaariana, além de 9% no Norte da África e Ásia Ocidental.

Evento contou com a presença do diretor do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS) para a região da Europa Oriental/Ásia Central, Vinay Saldanha. Foto: Reprodução/UNAIDS.

Na 17ª Conferência Europeia sobre AIDS, ex-capitão de rugby Gareth Thomas fala do estigma relacionado ao HIV

Entre 6 e 9 de novembro, cidade de Basileia, na Suíça, recebeu a 17ª Conferência Europeia sobre AIDS. Participando em evento especial da Conferência, o ex-capitão de rugby do País de Gales, Gareth Thomas, falou à plateia sobre sua decisão de divulgar publicamente seu estado sorológico sobre o HIV.

O ex-atleta participou de documentário produzido pela transmissora britânica BBC que aborda o cotidiano de personalidades vivendo com o vírus. “Eu queria que as pessoas vissem que eu era capaz de nadar duas milhas e meia no mar, pedalar 112 milhas e correr uma maratona com HIV. Se eu posso fazer isso, nós podemos fazer qualquer coisa”, avaliou Thomas.

Sob o tema Together We Can (“Juntos nós podemos”, na tradução livre para o português), evento contou com a presença do diretor do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS) para a região da Europa Oriental/Ásia Central, Vinay Saldanha, que destacou o poder das parcerias para avançar no progresso pelo fim da AIDS.

A vice-secretária geral da ONU, Amina Mohammed encontra estudantes em Nairóbi, no Quênia. Foto: Goergina Sane Smith/PNUMA

Conferência de Nairobi: mulheres precisam decidir sobre concepção para alcançar igualdade de gênero

Para alcançar igualdade de gênero, as mulheres precisam ter o poder de tomar suas próprias decisões sobre concepção. A declaração foi feita pela vice-secretária-geral da ONU, Amina Mohammed, durante a abertura da Conferência Internacional sobre População e Desenvolvimento, em Nairobi.

No encontro, a diretora exectuva do UNAIDS, Winnie Byanyima, fez uma declaração de compromisso para intensificar as ações e o compromisso de acabar com a AIDS, eliminar a injustiça social e alcançar as mulheres e meninas que estão sendo deixadas para trás.

O Fundo de População da ONU (UNFPA) organiza o encontro em parceria com os governos do Quênia e da Dinamarca.

Novo relatório do UNICEF faz um balanço do impacto da Convenção sobre os Direitos da Criança no Brasil em relação à legislação, programas e políticas. Foto: UNICEF | Tremeau.

Novo relatório do UNICEF destaca progressos e desafios sobre direitos da criança no Brasil

Em marco aos 30 anos da Convenção sobre os Direitos da Criança (CDC), o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) lançou na terça-feira (12) um relatório com um balanço do impacto da CDC no Brasil em relação à legislação, programas e políticas.

O documento também analisa as principais conquistas e desafios do país para os próximos anos. Segundo dados do relatório, há ainda quase dois milhões de meninas e meninos fora da escola; 32 meninas e meninos de 10 a 19 anos são assassinados diariamente no país; e se por um lado a desnutrição crônica caiu maciçamente – com a exceção das crianças indígenas, uma em cada três crianças brasileiras de cinco a nove anos está com sobrepeso.

Segundo o UNICEF, há uma tendência de redução do orçamento voltado aos temas da infância e adolescência no Brasil que precisa ser revertida. Nesse sentido, o Fundo reforça a importância de reafirmar os compromissos do Brasil com a Convenção sobre os Direitos da Criança; colocar crianças e adolescentes como prioridade absoluta; engajar toda a sociedade; consolidar os avanços alcançados até aqui; e investir na infância e na adolescência com um foco naqueles mais vulneráveis.

Projeto oferece cursos de capacitação para incluir no mercado de trabalho seguro pessoas em situação de vulnerabilidade. Foto: Cozinha&Voz.

Cozinha&Voz lança primeira turma de capacitação para assistente de cozinha no Rio de Janeiro

O Projeto Cozinha&Voz, uma iniciativa da Organização Internacional do Trabalho (OIT) e do Ministério Público do Trabalho (MPT) em parceria com a chef de cozinha e apresentadora Paola Carosella e com a ONG Casa Poema, da poeta e atriz Elisa Lucinda, abriu na terça-feira (12) as inscrições para a primeira edição do projeto no Rio de Janeiro.

O curso conta com a parceria do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial do Rio de Janeiro (SENAC-RJ) e oferece 20 vagas para transexuais se formarem como Assistentes de Cozinha. A seleção acontece nos dias 12 e 13 de novembro, no MPT, e as aulas têm previsão de início no final de novembro, no SENAC-RJ.

O Cozinha&Voz faz parte do Projeto de Promoção do Trabalho Decente para Pessoas em Situação de Vulnerabilidade, desenvolvido conjuntamente pela OIT e pelo MPT com objetivo de promover a empregabilidade de pessoas em grupos de risco, incluindo-as no mercado de trabalho decente e seguro.

Foram apresentados na oficina promovida pela campanha Livres&Iguais da ONU os cinco padrões de conduta para o enfrentamento à discriminação LGBTI+ no setor privado. Foto: ACNUDH/Livres&Iguais.

Em Brasília, ONU realiza oficina para empresas sobre enfrentamento à discriminação LGBTI+

A Campanha das Nações Unidas Livres & Iguais e seus parceiros realizaram uma oficina para profissionais de recursos humanos e responsabilidade social da iniciativa privada na Casa da ONU, em Brasília.

Foram debatidos conceitos e terminologias relacionados à comunidade LGBTI+ e detalhes dos Padrões de Conduta para Empresas – enfrentando à discriminação contra lésbicas, gays, bissexuais, travestis, pessoas trans e intersexo. O documento, elaborado pelo Escritório do Alto Comissário das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH), visa fortalecer o envolvimento das empresas na promoção da igualdade de direitos e tratamento justo da população LGBTI.

A atividade aconteceu no dia 1º de novembro com a participação de parceiros da sociedade civil e da iniciativa privada. Mais de 20 empresas brasileiras integram a lista de apoiadores oficiais dos Padrões de Conduta do ACNUDH.

Participantes aprovam uma das propostas discutidas na Conferência Municipal de Políticas Para Imigrantes - Foto: Miguel Pachioni/ACNUR

Em São Paulo, Conferência Municipal de Políticas para Imigrantes discute políticas de integração

Entre os dias 8 e 10 de novembro, foi realizada a 2ª Conferência Municipal de Políticas para Imigrantes em São Paulo, sob o lema “Somos Todos Cidadãos”, para avaliar e discutir propostas de integração dessa população no município.

Organizada pela Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania, por meio do Conselho Municipal de Imigrantes e da Coordenação de Políticas para Imigrantes e Promoção do Trabalho Decente, a Conferência discutiu mais de 400 propostas que foram produzidas em etapas prévias. Nesta etapa, a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) realizou três encontros junto aos parceiros Aldeias Infantis, Associação Compassiva e Cáritas São Paulo.

ONU e setor privado apresentam boas práticas de contratação de refugiados no Rio de Janeiro

Na 5ª edição do lançamento da plataforma Empresas com Refugiados, 60 pessoas se reuniram no espaço da WeWork no Rio de Janeiro para apresentar boas práticas de contratação, sensibilização e atuação em rede. O evento foi realizado no início de novembro pela Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) em parceria com a Rede Brasil do Pacto Global.

“Somos trabalhadores, temos muitas contribuições para dar. Não queremos só receber assistência, e sim mostrar que temos mãos, mente e coragem para trabalhar, como fazíamos no nosso país”, afirmou a venezelana Victoria Velasquez, de 58 anos.

Pará terá apoio da OPAS/OMS para reduzir mortalidade materna em 141 municípios

O Pará apresentou a gestores, servidores e representantes de universidades estratégias para diminuir em 30% o coeficiente de mortalidade materna no estado.

A iniciativa acontece depois que a Secretaria Estadual de Saúde paraense celebrou o Pacto pela Redução da Mortalidade Materna com 141 municípios e conta com o apoio da Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS).

30 anos da Convenção sobre os Direitos da Criança. Foto: UNICEF | Dejongh.

UNICEF lança relatório sobre os 30 anos da Convenção sobre os Direitos da Criança

Em marco aos 30 anos da Convenção sobre os Direitos da Criança, o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) lança amanhã (12), em Brasília, um relatório com dados sobre os avanços e os desafios dos direitos da criança e do adolescente no contexto brasileiro desde a ratificação do documento.

Segundo o UNICEF, em 30 anos, Brasil alcançou uma redução histórica da mortalidade infantil e efetivou outros diretos, mas perdeu milhares de crianças para a violência e possui outros desafios pela frente.

A Convenção, adotada por 196 países, é o tratado de direitos humanos mais ratificado da história. No Brasil, ela inspirou o Artigo 227 da Constituição Federal de 1988 e o Estatuto da Criança e do Adolescente, de 1990.

Brasil participa da Cúpula de Nairóbi para discutir direitos sexuais e reprodutivos

Ações para salvar vidas de mães, atender a demanda mundial de contracepção e combater a violência baseada em gênero contra mulheres e meninas até 2030. Estes são os principais objetivos da Cúpula de Nairóbi CPID25, que começa nesta terça-feira (12).

O evento tem lugar 25 anos depois da Conferência Internacional sobre População e Desenvolvimento (CPID). Em 1994, 179 países fizeram um chamado ao empoderamento de mulheres e meninas em todas as esferas de suas vidas, incluindo a saúde sexual e reprodutiva.

Conferência Geral da UNESCO acontece entre 12 e 27 de novembro na sede da Organização, em Paris. Foto: UNESCO.

Cooperação global, juventude e inteligência artificial são temas da Conferência Geral da UNESCO de 2019

Entre 12 e 27 de novembro, em Paris, acontece a Conferência Geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO). A Conferência reunirá os 193 Estados-Membros além dos 10 Membros Associados da UNESCO em sua sede para definir o programa e o orçamento da Organização para os próximos dois anos.

A Conferência Geral deste ano está prevista para ser um laboratório global de ideias a fim de mapear a futura cooperação multilateral.

Durante o período da Conferência, a UNESCO sediará uma série de eventos políticos importantes, como o Fórum de Ministros da Cultura; o Fórum da Juventude da UNESCO; a Reunião Ministerial sobre Inclusão e Mobilidade; além de lançamentos de publicações e painéis de debate com a presença de crianças, jovens e líderes políticos globais.

O albinismo é uma condição rara, não contagiosa e genética presente no nascimento. É encontrada em ambos os gêneros, independentemente de etnia, em todos os países. Foto: Corbis Images/Patricia Willocq

Relatora da ONU aponta vulnerabilidade das pessoas com albinismo no Brasil

A relatora independente das Nações Unidas para os direitos humanos das pessoas com albinismo, Iponwosa Ero, concluiu nesta semana uma visita de 12 dias ao país. A especialista constatou que essa população muitas vezes passa despercebida pelas políticas públicas, já que o albinismo é uma condição relativamente rara. Ela destacou, no entanto, que com algumas ações de baixo custo, a situação pode melhorar significativamente.

Entre os dias 28 de outubro de 8 de novembro Ero teve encontros em Brasília (DF), Maceió (AL), Salvador e Ilha da Maré (BA) e São Paulo (SP). Ela se reuniu com representantes dos governos federal, estaduais e municipais, organizações da sociedade civil, acadêmicos, além de pessoas com albinismo e suas famílias.

Evento de lançamento da Cartilha de Informações reuniu servidores públicos, representantes do sistema financeiro e sociedade civil, além de refugiados e migrantes. Foto: ACNUR | Alan Azevedo.

Cartilha de Informações Financeiras para Refugiados impulsiona integração econômica no Brasil

Cartilha de Informações Financeiras para Migrantes e Refugiados traz orientações sobre Sistema Financeiro Nacional, abertura de contas e aquisição de crédito, colaborando para a inserção laboral e financeira de refugiados e migrantes.

Lançada na última quinta-feira (7) pelo Banco Central, Ministério da Justiça e Segurança Pública e Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), a cartilha também serve para sensibilizar e orientar as próprias instituições financeiras acerca dos direitos dos refugiados, avaliou o ACNUR.

“Trabalhei empreendendo por 27 anos na Venezuela. Agora, com a cartilha, vou ter informações de como obter crédito, que será fundamental para expandir meu negócio”, Ismael Navas (54), venezuelano no Brasil. O material será distribuído em locais onde há grande fluxo de migrantes e refugiados, e a versão web já está disponível nos sites do Banco Central, do Ministério da Justiça e Segurança Pública, e do ACNUR.

O guia procura preencher a lacuna da falta de compreensão entre os profissionais da educação sobre como desempenhar melhor o papel da educação na construção de sociedades justas e pacíficas. Foto: Edward Lich/CC.

UNESCO e UNODC lançam guia sobre o papel da educação na construção de sociedades justas e pacíficas

A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) e o Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) lançaram, nesta quinta-feira (7), o guia “Fortalecimento do Estado de Direito por meio da educação” para formuladores de políticas.

A publicação apresenta orientações para gestores e educadores que queiram trabalhar temas de justiça, direitos humanos e combate à corrupção com estudantes dos ensinos fundamental e médio.

UNICEF: O que você vai fazer pelos direitos das crianças?

Em comemoração aos 30 anos da Convenção sobre os Direitos da Criança, o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) lança campanha convidando o público a contar o que faz ou pretende fazer pelos direitos de meninas e meninos.

“Queremos gerar uma corrente de boas histórias e depoimentos, mostrando como os brasileiros atuam, no seu dia a dia, para efetivar os direitos de meninas e meninos”, Michael Klaus, chefe de Comunicação e Parcerias do UNICEF no Brasil.

A Convenção é o tratado de direitos humanos mais amplamente ratificado da história. A partir dela, existem salvaguardas mais fortes para proteger as crianças e os adolescentes contra a violência e a exploração. O documento também permitiu que mais crianças e adolescentes tivessem suas vozes ouvidas e participassem de suas sociedades.