Na Líbia, dezenas de migrantes dormem em cela de centro de detenção em Trípoli. Foto: ACNUR

Detenção de migrantes na Líbia é um ‘ultraje à consciência da humanidade’, diz ONU

O apoio da União Europeia (UE) à guarda costeira da Líbia, o que resultou na detenção de milhares de migrantes em condições “degradantes”, é “desumano”, disse na terça-feria (14) o alto-comissário das Nações Unidas para os direitos humanos, Zeid Ra’ad al Hussein.

“Os relatores ficaram chocados com o que testemunharam: milhares de homens, mulheres e crianças definhando, traumatizados e empilhados uns nos outros, trancados em hangares sem acesso às necessidades básicas e despojados de sua dignidade humana”, disse um porta-voz do ACNUDH em uma coletiva de imprensa em Genebra.

Uma criança carrega uma bolsa com lenha que ela comprou para sua família em Ghouta, cidade sitiada na Síria. Foto: UNICEF / Al Shami

Rússia veta pela 10ª vez medidas do Conselho de Segurança para a Síria desde início da guerra

Estados-membros do Conselho de Segurança rejeitaram duas propostas de resolução que buscavam levar adiante as investigações sobre o uso de armas químicas na Síria. Medidas renovariam por um ano o mandato do Mecanismo Investigativo Conjunto da ONU e da Organização para a Proibição de Armas Químicas. Operações da entidade se encerram nesta sexta-feira (17).

Na quinta-feira (16), os Estados Unidos apresentaram um texto vetado pela Rússia. A votação teve um voto negativo da Bolívia e abstenções da China e do Egito. Essa foi a décima vez em que a Rússia vetou ações do Conselho de Segurança para a Síria desde o início da guerra.

Fundo de População da ONU defende que serviços de saúde incluam perspectiva de direitos humanos

Em encontro na Bahia com mais de 200 gestores, assistentes sociais, enfermeiros e outros profissionais que trabalham na Fundação da Criança e do Adolescente (FUNDAC) — entidade responsável por jovens em cumprimento de medidas socioeducativas —, o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) defendeu a promoção dos direitos sexuais e reprodutivos da juventude. Agência da ONU lembrou compromissos do Brasil para incluir perspectiva de direitos humanos nos serviços de saúde.

O racismo restringe os direitos das pessoas negras, incluindo o de ir e vir. Jovens negros não podem ser impedidos de circular e permanecer em espaços públicos. A campanha #VidasNegras, pelo fim da violência contra a juventude negra, adverte: o lugar da juventude negra é em todo lugar! Lançada pela ONU no mês da #ConsciênciaNegra, a iniciativa quer chamar atenção da sociedade e dos gestores públicos sobre os prejuízos do racismo não só para a população negra, mas para todos os brasileiros.

#VidasNegras: preconceito e o direito de ir e vir

O racismo restringe os direitos das pessoas negras, incluindo o de ir e vir. Jovens negros não podem ser impedidos de circular e permanecer em espaços públicos.

A campanha “Vidas Negras”, pelo fim da violência contra a juventude negra, adverte: o lugar da juventude negra é em todo lugar! Lançada pela ONU no mês da consciência negra, a iniciativa quer chamar atenção da sociedade e dos gestores públicos sobre os prejuízos do racismo não só para a população negra, mas para todos os brasileiros.

Confira nesse vídeo com o Dream Team do Passinho.

Aluno de Marabá apresenta o resultado de atividades realizadas em sala de aula com a metodologia ECOAR. Foto: Magno Barros

OIT capacita educadores do Pará no combate ao trabalho infantil

Após dois meses de atividade em sala de aula, alunos das redes de escolas municipais de Marabá e Xinguara — localizados na região de Carajás, no sudeste do Pará — apresentaram os resultados alcançados com a metodologia Educação, Comunicação e Arte na Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente (ECOAR), uma estrutura multidisciplinar que estimula o debate, a criatividade nas práticas escolares para a conscientização e o enfrentamento do trabalho infantil.

Desenvolvido pela Organização Internacional do Trabalho (OIT), o ECOAR é um material didático composto por 18 módulos. Ele permite que educadores trabalhem temas relacionados aos direitos humanos das crianças em suas atividades educativas, estimulando o protagonismo de meninas e meninos, propondo o debate e disseminando práticas que promovam a prevenção e a eliminação do trabalho infantil.

Representantes do Fundo de População da ONU e da Revista Traços na assinatura do termo de cooperação. Foto: UNFPA/Nathalia Cassia

Fundo de População da ONU e Revista Traços firmam parceria pelos direitos humanos

O Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) firmou na última quarta-feira (15), em Brasília, uma parceria com a Revista Traços, veículo do Distrito Federal especializado em cultura. A colaboração entre a agência da ONU e o periódico resultará em matérias especiais, trazendo, a cada nova edição, personagens, dados e conteúdos relacionados à proteção e ao cuidado de mulheres, homens, jovens e crianças.

Para a UNESCO, a tolerância deve se traduzir em uma oposição contra todas as formas de discriminação. Imagem: ONU

Em dia mundial, UNESCO chama cidadãos a combater todas as formas de discriminação e ódio

Em mensagem para o Dia Internacional para a Tolerância, lembrado nesta semana (16), a nova diretora-geral da UNESCO, Audrey Azoulay, alertou para a ascensão de políticas de exclusão que dividem sociedades e rejeitam a diversidade.

Dirigente fez um chamado para que a tolerância não seja praticada simplesmente como “a aceitação passiva do outro”. Ao contrário, ela deve se traduzir em uma oposição a “todas as formas de racismo, ódio e discriminação”, incluindo o antissemitismo.

Diariamente, migrantes venezuelanos ingressam no Brasil pela fronteira com Roraima em busca de uma vida melhor. Foto: EBC

Rio de Janeiro envia donativos para migrantes venezuelanos em Roraima

O governo de Roraima, por meio da Secretaria do Trabalho e Bem-Estar Social (SETRABES), receberá na sexta-feira (17) donativos vindos do Rio de Janeiro destinados aos migrantes venezuelanos que estão em Roraima. O relato é da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR).

Os donativos, arrecadados por meio de ação realizada pela Secretaria de Direitos Humanos e Política para Mulheres e Idosos do Rio de Janeiro em parceria com a comunidade venezuelana do estado, chegaram a Roraima em quatro lotes entre os dias 10 e 14 de novembro.