Criança na aldeia de Mcuba, na Suazilândia. Foto: OMM/Luke Romick

Conferência mundial prioriza sustentabilidade como solução para escassez de água

Com o clima extremo custando centenas de bilhões por ano, a comunidade internacional teme que, até 2050, uma em cada quatro pessoas esteja vivendo em um país afetado pela escassez de água. O tema foi discutido neste mês durante uma conferência mundial de três dias realizada pela agência meteorológica das Nações Unidas. Os participantes abordaram a necessidade urgente de melhorar o gerenciamento do recurso de maneira mais sustentável.

Cerca de 420 mil pessoas estão sob cerco na Síria – sem alimentos e remédios, famílias com fome e crianças malnutridas e definhando. Elas precisam de ajuda agora, precisam de paz agora. O Programa Mundial de Alimentos das Nações Unidas (PMA) precisa de financiamento e acesso para ajudar.

Conselho de Segurança aprova resolução para proteger populações em conflito da fome

Agências da ONU celebraram a adoção pelo Conselho de Segurança de uma resolução que proíbe governos e grupos em conflito de atacarem locais necessários à produção e distribuição de alimentos. Aprovada unanimemente na quinta-feira (24), medida é histórica, pois é a primeira da entidade a reconhecer os vínculos entre guerra e fome. Atualmente, pessoas em zonas de conflito representam 60% dos 815 milhões de indivíduos vivendo com fome crônica.

Hoje, a historiadora Heliana Hemetério, que também é especialista em gênero e raça, compõe a vice-presidência da Associação Brasileira de Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT). Foto: Alexander Hugo

Dia Laranja: historiadora Heliana Hemérito é símbolo do combate a violência, racismo e LGBTIfobia

Aos 65 anos, Heliana Hemetério tem muitas histórias para contar. Mulher negra e lésbica, iniciou sua vida na militância social em 1986, quando se engajou politicamente com o movimento negro. Percebeu posteriormente que uma pauta importante não estava sendo abordada naquele espaço — o gênero. Naquele momento, transitou para o movimento de mulheres negras e, em seguida, para o movimento feminista. No início da década de 1990, começou a frequentar espaços de discussões relacionadas à população LGBTI.

Heliana Hemérito deu entrevista à Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS) como parte da ação digital “Destaque-Laranja”, uma iniciativa que diversas agências do Sistema ONU no Brasil farão, ao longo do ano, em reconhecimento a pessoas, cidades, escolas, universidades, empresas e outras instituições com atuação relevante para a prevenção e eliminação da violência contra as mulheres e meninas no país.

Capoeira, 1835. Desenho de Johann Moritz Rugendas

ESPECIAL: Entre o Brasil e a África houve uma troca forte e poderosa, diz Alberto da Costa e Silva

Durante mais de 350 anos de tráfico transatlântico, o Brasil recebeu cerca de 5 milhões de africanos escravizados.

Entre os séculos 16 e 19, este brutal comércio fez prisioneiros de diferentes partes da África. Cerca de 12 milhões de pessoas foram retiradas de seus lares e, nesta travessia, mais de 2 milhões de africanos perderam suas vidas.

O Brasil foi o maior receptor desse fluxo forçado, o que deu ao país o título de segunda maior população negra do mundo, atrás apenas da Nigéria, na África.

Neste especial sobre o Dia da África, criado em 25 de maio de 1963 e marcado anualmente pela comunidade internacional, o Centro de Informação das Nações Unidas para o Brasil (UNIC Rio) entrevista Alberto da Costa e Silva – ex-embaixador em países africanos e membro da Academia Brasileira de Letras (ABL) – sobre a importância do continente africano para a formação do Brasil e sobre o cruel tráfico transatlântico.

Confira o vídeo especial.

A Assembleia Mundial da Saúde é a principal instância de decisão da Organização Mundial da Saúde (OMS). Foto: OMS

Em encontro global, ONU pede sistemas de saúde mais fortes e democráticos

Os principais funcionários das Nações Unidas afirmaram, na segunda-feira (21), durante a abertura da 71ª sessão da Assembleia Mundial da Saúde, em Genebra, que todas as pessoas, em todos os lugares, devem ter igual acesso a sistemas de saúde de qualidade.

A Assembleia Mundial da Saúde é a principal instância de decisão da Organização Mundial da Saúde (OMS). Ela determina as políticas da agência, supervisiona as políticas financeiras e revisa e aprova o orçamento.

Em Belo Horizonte, jovens realizam uma partida de 'queimado' temática, para discutir questões de gênero e orgulho LGBTI. Imagem de 2016. Foto: Mídia Ninja (CC)

Inteligência artificial para reconhecer pessoas traz riscos à população LGBTI, diz pesquisadora

Na Inglaterra, o casamento do Príncipe Harry e de Meghan Markle fez história — por vários motivos. Pela primeira vez no telejornalismo, uma emissora de notícias, a Sky News, usou inteligência artificial (IA) para identificar ao vivo os convidados do matrimônio real. Mas para Cynthia Weber, professora de Relações Internacionais e Estudos de Gênero na Universidade de Sussex, a utilização do software de reconhecimento facial, embora tenha funcionado como um truque elegante, causa preocupação.

A detecção e o tratamento precoce do câncer de colo do útero podem aumentar drasticamente a chance de sobrevivência de uma mulher. Foto: UNAIDS

Iniciativa da ONU e parceiros trata e previne câncer de colo do útero em países africanos

Estudos mostram que as mulheres vivendo com HIV têm entre quatro e cinco vezes mais chances de desenvolver câncer invasivo de colo do útero. No entanto, a doença pode ser evitada por meio da exames e do tratamento precoce de lesões pré-cancerosas.

Uma nova parceria de 30 milhões de dólares com o objetivo de ajudar a acabar com o câncer de colo do útero, liderada por Plano de Emergência do Presidente dos Estados Unidos para Alívio da AIDS (PEPFAR), Instituto George W. Bush e Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS) vai acelerar os esforços capazes de salvar vidas em oito países africanos.

Plenário da 71ª Assembleia Mundial da Saúde em Genebra, na Suíça. Foto: OMS

Ministros das Américas reúnem-se em Genebra para discutir formas de atingir saúde universal

Encorajados a debater formas de alcançar saúde para todos e assumir o compromisso com a cobertura universal, ministros e delegados das Américas compartilharam suas experiências no plenário da 71ª Assembleia Mundial da Saúde, que ocorre esta semana em Genebra, na Suíça.

Em seu discurso perante a Assembleia Mundial da Saúde, o ministro da Saúde do Brasil, Gilberto Occhi, falou sobre os desafios de gerir um sistema de saúde universal para os países em desenvolvimento. Afirmou que, por essa razão, o Brasil presta cooperação internacional em saúde como uma estratégia para promover o desenvolvimento sustentável.

O refugiado hondurenho Armando* conversa com funcionários em um abrigo para deslocados forçados no México. Foto: ACNUR/Yolanda Azucena Mendez Davila

Refugiado hondurenho arrisca sua vida em busca de segurança no México

Armando era motorista de táxi em Honduras e vivia ameaçado por gangues de rua que lhe cobravam um ‘imposto de guerra’ para rodar pela cidade. De 2010 a 2016, 667 motoristas de táxi foram assassinados no país. Depois de fugir para o México, ele foi mais uma vez vítima da violência — num trem, bandidos o atacaram e o jogaram debaixo das rodas do veículo em movimento. Armando sobreviveu, mas teve a perna direita amputada.

Foto: Marcello Casal/ABr

Em dia internacional, Fundo de População da ONU pede fim da fístula obstétrica

No Dia Internacional pelo Fim da Fístula Obstétrica, lembrado nesta quarta-feira (23), a diretora-executiva do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), Natalia Kanem, disse que a gravidez e o parto deveriam estar entre as ocasiões mais felizes na vida de uma mulher. Infelizmente, este não é o caso para muitas das mulheres mais pobres e marginalizadas do mundo, lembrou.

“A fístula obstétrica, uma lesão causada por trabalhos de partos prolongados e obstruídos sem cuidado médico imediato, está silenciosamente privando milhões de mulheres e garotas de sua saúde, esperança e dignidade. A condição frequentemente deixa a mulher com incontinência urinária crônica e normalmente resulta na morte do bebê”, declarou Natalia em comunicado para a data.

Plantação de algodão em Catuti (MG). Foto: OIT

Brasil e Paraguai criam projeto para promover trabalho decente na cadeia do algodão

Autoridades dos governos de Brasil e Paraguai e representantes da Organização Internacional do Trabalho (OIT) se reuniram no mês passado na capital paraguaia para assinar o documento que formaliza a criação do projeto Algodão com Trabalho Decente no país.

Elaborada de maneira conjunta e participativa com representantes de instituições brasileiras e paraguaias e apoio técnico da OIT, a iniciativa será implementada nos próximos dois anos com o objetivo de fortalecer as instituições paraguaias para que elas possam promover o trabalho decente na cadeia produtiva do algodão.

Debate na sede da ONU, em Nova Iorque, lembrou contribuições das mulheres do Sul Global para o debate sobre igualdade de gênero dentro da Organização. Foto: ONU/Manuel Elias

Evento em NY lembra importância das diplomatas do Sul Global na criação da ONU

As diplomatas do Sul Global, entre elas a brasileira Bertha Lutz, tiveram papel essencial nas Nações Unidas desde sua concepção, em 1945, inclusive nas negociações do primeiro acordo internacional a mencionar a igualdade de gênero como direito humano fundamental: a Carta da ONU.

De acordo com estudos acadêmicos recentes, as delegadas mulheres dos países em desenvolvimento tiveram papel significativo em garantir que a Carta fizesse menção à igualdade de gênero. Elas eram apenas quatro dos 850 delegados que assinaram o documento histórico que criou as Nações Unidas na Conferência de San Francisco 73 anos atrás.

Evento na sede da ONU em Nova Iorque na terça-feira (22) lembrou o legado dessas diplomatas, com a presença das pesquisadoras Elise Dietrichson e Fatima Sator, da Escola de Estudos Orientais e Africanos (SOAS, na sigla em inglês), da Universidade de Londres.

FAO: Um terço de toda a comida produzida no mundo é desperdiçada. Foto: ONU Meio Ambiente

FAO recomenda ações para evitar perder um terço da comida no mundo

Um terço de toda a comida produzida no mundo é desperdiçada, segundo a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura, a FAO. Isso representa 1,3 bilhão de toneladas de comida todos os anos.

A agência da ONU cita alimentos usados em celebrações como o Ramadã, o Ano Novo na Rússia, o solstício na Coreia do Sul e o Natal no Reino Unido ao detalhar seis ações estratégicas. A meta é acabar com este problema, “seja qual for o feriado”.

Em Viena, Zeid Ra'ad Al Hussein, alto-comissário das Nações Unidas para os Direitos Humanos, discursa na Conferência Internacional de Especialistas que celebra o 25º aniversário da Conferência Mundial sobre Direitos Humanos. Foto: UNIS Viena/Lilia Jiménez-Ertl

Direitos humanos estão sob ataque e ‘não são mais prioridade’, alerta representante da ONU

Chefe de Direitos Humanos da ONU alertou que, particularmente na Europa, os partidos “etno-populistas” – que promovem ideias racistas – estão em ascensão em muitos países, alimentando o ódio e a divisão. Uma vez no poder, esses partidos estariam deliberadamente espalhando “visões distorcidas e falsas” de migrantes e ativistas de direitos humanos.

Em um discurso contundente que marcou o 25º aniversário da Conferência Mundial sobre Direitos Humanos, que ressaltou a natureza “universal, indivisível, interdependente e inter-relacionada” dos direitos humanos, o alto-comissário da ONU para Direitos Humanos, Zeid Ra’ad Al Hussein, disse que nos próximos 25 anos o mundo parecia estar “indo em outra direção”.

Mais de 200 crianças foram libertadas de grupos armados no Sudão do Sul em abril. Esse foi o segundo resgate em série, apoiado pelo UNICEF, que verá quase mil crianças livres nos próximos meses. Apesar deste progresso, ainda existem cerca de 19 mil crianças-soldado no Sudão do Sul. O UNICEF precisa de 45 milhões de dólares para apoiar a desmobilização e reintegração de todas elas nos próximos três anos.

UNICEF: Mais de 200 crianças-soldado são libertadas no Sudão do Sul em abril; vídeo

Mais de 200 crianças foram libertadas de grupos armados no Sudão do Sul em abril. Esse foi o segundo resgate em série, apoiado pelo UNICEF, que verá quase mil crianças livres nos próximos meses.

Apesar deste progresso, ainda existem cerca de 19 mil crianças-soldado no Sudão do Sul. O UNICEF precisa de 45 milhões de dólares para apoiar a desmobilização e reintegração de todas elas nos próximos três anos. Confira neste vídeo.

Mais de 1 milhão de pessoas fugiram para a Alemanha nos últimos dois anos, vindos de países como a Síria e o Afeganistão. Apesar da perda e do trauma, a maioria está determinada a construir um futuro melhor. Malakeh Jazmati é de Damasco, na Síria, mas foi obrigada a fugir para a Alemanha por causa da guerra. Apesar das dificuldades de adaptação, abriu uma pequena empresa e lançou um livro de culinária síria. Confira nesse vídeo especial.

Nova vida, nova ambição: refugiados e migrantes da Alemanha; vídeo

Mais de 1 milhão de pessoas fugiram para a Alemanha nos últimos dois anos, vindos de países como a Síria e o Afeganistão. Apesar da perda e do trauma, a maioria está determinada a construir um futuro melhor.

Malakeh Jazmati é de Damasco, na Síria, mas foi obrigada a fugir para a Alemanha por causa da guerra. Apesar das dificuldades de adaptação, abriu uma pequena empresa e lançou um livro de culinária síria. Confira nesse vídeo especial.

Recife e UNICEF promovem 4ª Semana do Bebê na capital pernambucana. Foto: UNICEF

UNICEF e prefeitura de Recife promovem nesta semana mais de 600 atividades sobre primeira infância

Acontece nesta semana a 4ª Semana do Bebê do Recife, iniciativa promovida pelo governo municipal em parceria com o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF). Projeto promoverá rodas de conversa, atividades recreativas, contação de histórias, resgate de cantigas de ninar, orientações de saúde, aulas de esporte e outros serviços. A primeira criança nascida nesta terça-feira (22) recebeu a chave da cidade e o cargo simbólico de bebê-prefeito.

No Rio, o "Vamos Nessa" capacitou cinco professores de jiu-jitsu da Geração UPP, projeto que leva técnicas e doutrina das artes marciais a jovens de comunidades por meio de policiais militares. Foto: UNODC

ONU ajuda professores de artes marciais a prevenir violência entre jovens pelo esporte

O programa do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crimes (UNODC) “Vamos Nessa” oferece a profissionais de educação física e professores de artes marciais envolvidos com projetos sociais um treinamento focado na prevenção da criminalidade e da violência através do esporte.

O objetivo é construir habilidades para a vida por meio de jogos e dinâmicas esportivas a partir das quais os participantes debatem fatores que levam ao envolvimento em crimes, violências e drogas.

O Rio de Janeiro, juntamente com o Distrito Federal, foi o primeiro a receber a iniciativa no Brasil, que depois foi estendida a países como África do Sul, Quirguistão, Uganda, Palestina, Peru e República Dominicana.

Jovens refugiados salvadorenhos andam pelas ruas de sua nova cidade, Tapachula, no sudoeste do México, próximo à fronteira com a Guatemala, em setembro de 2016. Foto: ACNUR/Daniele Volpe

ONU manifesta preocupação com aumento do deslocamento forçado no norte da América Central

A Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) tem visto um aumento significativo do número de pessoas que são forçadas a fugir da violência e da perseguição no norte da América Central. Com muitos indivíduos em movimento e em grave perigo, a agência das Nações Unidas pede à comunidade internacional que defenda suas necessidades de proteção, ao mesmo tempo em que ajuda os países do norte da América Central a lidar com a raiz do problema.