Criança desacompanhada é deportada de volta para a Guatemala por autoridades mexicanas. Foto: UNICEF/Tanya Bindra

UNICEF alerta para traumas provocados por deportações de crianças em EUA e México

Os muitos perigos enfrentados por crianças da América Central que estão sendo deportadas dos Estados Unidos e do México são destacados em novo relatório do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) publicado nesta quinta-feira (16), que também chama a atenção para as consequências traumáticas da separação familiar promovida por autoridades de migração.

Nos primeiros seis meses deste ano, quase 25 mil mulheres e crianças do norte da América Central foram deportadas após chegarem ao México e aos EUA em busca de refúgio ou de uma vida melhor.

Cartaz de Mulheres Divinas

Consulado da Suíça no Rio exibe filme sobre a luta das mulheres pelo direito de votar; participe

O Consulado Geral da Suíça no Rio de Janeiro, com apoio do Centro de Informação das Nações Unidas no Brasil (UNIC Rio), realiza neste sábado (18) às 15h, no teatro do Centro Cultural Correios, a apresentação do filme suíço “Mulheres Divinas”, que narra a campanha das mulheres suíças pelo direito ao voto nos anos 1970.

A entrada é franca, com espaço sujeito à lotação (200 lugares).

Comemoração do Dia Mundial Humanitário na ONU no Rio de Janeiro. Foto: UNIC Rio/Brenno Felix

Livro e documentário sobre Sergio Vieira de Mello são lançados no Rio

A contribuição do diplomata brasileiro Sergio Vieira de Mello para os direitos humanos e o trabalho humanitário globalmente foi tema do livro e do documentário “Sergio Vieira de Mello: o legado de um herói brasileiro”, lançados nesta quinta-feira (16) no Rio de Janeiro.

Morto em 19 de agosto de 2003, em um atentado terrorista em Bagdá, Sergio Vieira de Mello atuou durante mais de 30 anos nas Nações Unidas, tendo como última função o cargo de alto-comissário da ONU para os direitos humanos e de chefe da missão da Organização no Iraque.

A data da morte do diplomata foi escolhida pela ONU como o Dia Mundial Humanitário, lembrado anualmente.

Caritas São Paulo e ACNUR promovem primeiro atendimento com venezuelanos recém-interiorizados na sede da organização. Foto: CASP/NiltonCarvalho.

Parceira da ONU, organização Cáritas atende venezuelanos em São Paulo

O Centro de Referência para Refugiados da Cáritas Arquidiocesana de São Paulo (CASP) realizou na última semana o atendimento de cadastro inicial aos venezuelanos que chegaram à capital paulista na quinta etapa do processo de interiorização do governo federal, realizada no fim de julho (24).

Assim como no caso dos demais grupos interiorizados, o atendimento de cadastro inicial teve apoio da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR). Os venezuelanos se cadastraram para tirar dúvidas sobre documentação e obter informações sobre serviços que o centro de referência oferece às pessoas em situação de refúgio.

Zeid Ra’ad Al Hussein em reunião com líderes indígenas da Guatemala em novembro de 2017. Foto: ACNUDH

ENTREVISTA: ‘Defenda as pessoas, não os Estados’, diz alto-comissário da ONU em fim de mandato

Nos últimos quatro anos, Zeid Ra’ad Al Hussein, alto-comissário da ONU para os direitos humanos, têm pressionado governos no mundo todo, exposto violações dos direitos humanos e defendido firmemente os direitos das vítimas. Ele está no fim de seu mandato, e será substituído a partir de setembro pela ex-presidente chilena Michelle Bachelet.

“Governos são mais do que capazes de se defender. Não é meu trabalho defendê-los. Tenho que defender a sociedade civil, os grupos vulneráveis, os marginalizados, os oprimidos. Essas são as pessoas que nós, no nosso escritório, precisamos representar”, declarou, alertando que a “opressão está retornando” globalmente. Leia a entrevista completa.

Menina caminha em rua severamente danificada por ataques de Israel na Faixa de Gaza. (2014) Foto: UNICEF/Eyad El Baba

ONU elogia reabertura de passagem comercial entre Israel e Faixa de Gaza

O secretário-geral da ONU, António Guterres, elogiou nesta quarta-feira (15) a decisão do governo de Israel de reabrir a única passagem comercial funcional entre o país e a Faixa de Gaza, que havia sido fechada à movimentação de mercadorias havia algumas semanas.

As equipes humanitárias da ONU esperam que cerca de 400 caminhões de ajuda consigam chegar a Gaza depois de a passagem de Kerem Shalom ter sido reaberta na manhã desta quarta-feira (15), quase um mês depois de ter sido fechada como resposta a ataques palestinos promovidos a partir do enclave controlado pelos militantes do Hamas e de protestos na fronteira.

Documento pediu que países desenvolvam estratégias e políticas públicas nacionais com perspectiva de gênero e participem de iniciativas regionais dirigidas a pessoas idosas. Foto: Allan Rostron/CC

Países latino-americanos e caribenhos reafirmam importância do Consenso de Montevidéu

Os países da América Latina e do Caribe reafirmaram na semana passada (9) o Consenso de Montevidéu, o acordo intergovernamental mais importante assinado até agora na região em matéria de população e desenvolvimento, no encerramento da terceira reunião da conferência regional sobre o tema, ocorrida em Lima, no Peru.

Ao término da conferência, os países aprovaram um projeto de resolução no qual se comprometem a acelerar o cumprimento das medidas prioritárias relevantes do Consenso de Montevidéu através da designação adequada de recursos, da criação e do fortalecimento de mecanismos institucionais para sua implementação e acompanhamento.

Protestos na Nicarágua começaram em abril, após anúncio de proposta de reforma da previdência. Foto: Artículo 66/Álvaro Navarro

Nicarágua precisa pôr fim à ‘caça às bruxas’ contra vozes dissidentes, dizem relatores da ONU

Especialistas em direitos humanos das Nações Unidas pediram na semana passada (9) que o governo da Nicarágua interrompa a repressão contra manifestações que deixou ao menos 317 mortos e 1,8 mil feridos desde meados de abril.

“Informações indicam que houve um aumento da repressão, da criminalização e da detenção arbitrária, o que está criando uma atmosfera de medo e incerteza entre diferentes comunidades e entre representantes da sociedade civil no país”, disseram os especialistas da ONU.

Segundo os especialistas, a decisão foi um "reconhecimento significativo" das responsabilidades que as fabricantes de produtos químicos precisam ter com os consumidores. Foto: UN News

Relatores da ONU elogiam decisão judicial nos EUA contra Monsanto

Relatores de direitos humanos das Nações Unidas elogiaram nesta quarta-feira (15) a decisão judicial nos Estados Unidos que obrigou a Monsanto a pagar indenização de 290 milhões de dólares a um homem que sofre de um câncer terminal que teria sido provocado por herbicida produzido pela empresa.

Segundo os especialistas, a decisão foi um “reconhecimento significativo” do direito humano das vítimas e das responsabilidades que as fabricantes de produtos químicos precisam ter com os consumidores.

Sumaiya Akter, de 12 anos, refugiada rohingya em Kutupalong, campo de refugiados em Bangladesh. Foto: ACNUR/Roger Arnold

Agência da ONU enfatiza importância de garantir educação de meninas refugiadas

Garantir que meninas refugiadas tenham acesso à educação é crucial para seu empoderamento e para prosperidade de suas famílias e comunidades, na avaliação da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR).

Se todas as meninas refugiadas estudarem, suas famílias e comunidades terão mais chances de melhorar sua posição social e econômica. Quanto maior o nível de educação, maiores são os benefícios.

O navio Aquarius no porto de Valência, na Espanha, no mês passado. Foto: ACNUR/Markel Redondo

ONU pede abordagem mais previsível para desembarque de solicitantes de refúgio no Mediterrâneo

A Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) cumprimentou nesta quarta-feira (15) a decisão tomada na véspera pelo governo de Malta de permitir o desembarque de 141 solicitantes de refúgio e migrantes resgatados no Mediterrâneo Central por um barco não governamental, o Aquarius.

No entanto, o ACNUR alertou que a situação do Aquarius, em particular o impasse dos últimos dias, destaca novamente a necessidade de um procedimento regional no Mediterrâneo que forneça clareza e previsibilidade sobre onde os barcos que transportam passageiros resgatados podem atracar.

Fundo de População da ONU apresenta campanha em congresso paulista de ginecologia e obstetrícia

O Fundo de População da Nações Unidas (UNFPA) apresentará no fim de agosto durante o 23º Congresso Paulista de Ginecologia e Obstetrícia, em São Paulo (SP), a campanha “Ela Decide”, focada no empoderamento de jovens e mulheres.

Painel no congresso terá diálogos entre profissionais da saúde e jovens com o objetivo de ampliar o entendimento sobre desafios específicos no campo da saúde sexual e dos direitos reprodutivos.

Manifestação pela legalização do aborto em Buenos Aires. Foto: Flickr/CSP-Conlutas (CC)

Relatores da ONU lamentam rejeição da legalização do aborto pelo Senado argentino

Especialistas em direitos humanos da ONU lamentaram na sexta-feira (10) que o Senado argentino tenha rejeitado um projeto de lei que teria legalizado o aborto durante as primeiras 14 semanas de gravidez, considerando a decisão uma oportunidade perdida de promover os direitos das mulheres no país.

“A votação do Senado falhou com as mulheres na Argentina e, mais amplamente, com uma região que em geral tem leis muito restritivas em termos de interrupção da gravidez”, disseram os especialistas.

Michele Bachelet discursa como presidente do Chile em sessão especial do Conselho de Direitos Humanos da ONU em março de 2017. Foto: ONU/Jean-Marc Ferre

Ex-presidente do Chile é oficialmente nomeada chefe de direitos humanos da ONU

A Assembleia Geral das Nações Unidas aprovou na sexta-feira (10) a nomeação da ex-presidenta do Chile Michelle Bachelet como próxima alta-comissária da ONU para os direitos humanos, a partir de 1º de setembro.

Como este ano marca o 70º aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos, em um momento em que “o ódio e a desigualdade estão em alta”, o secretário-geral da ONU disse que era essencial ter uma “forte defensora de todos os direitos humanos” no posto, e que não poderia pensar em uma escolha melhor.

A escalada das hostilidades no sudoeste da Síria representa um perigo para cerca de 750 mil pessoas — quase metade das quais são crianças. Foto: UNICEF/Al-Faqir

UNICEF pede fim da ‘guerra contra crianças’ na Síria e no Iêmen

Os ataques contra crianças em meio aos conflitos em andamento na Síria e no Iêmen devem ser imediatamente interrompidos, pediu na segunda-feira (13) o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF).

Em comunicado com palavras firmes, o UNICEF apontou que, desde domingo (12), 28 crianças foram assassinadas em Idlib e no oeste de Alepo, no norte da Síria. Estes últimos incidentes ocorrem após a morte de 21 crianças no Iêmen na semana passada, quando um ônibus escolar foi atingido durante um ataque aéreo.

Após receber ameaças e muitas casas terem sido demolidas por uma milícia local, a população da cidade líbia de Tawergha deixou para trás o acampamento de Triz al Matar. Foto: ACNUR/Tarik Argaz

Milícias forçam deslocamento de 2 mil pessoas na capital da Líbia

As milícias líbias forçaram quase 2 mil pessoas de uma minoria étnica provavelmente visada por supostas ligações com ex-ditador Muammar Kadafi a fugir de abrigos há muito estabelecidos na capital, Trípoli, informou a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) nesta terça-feira (14).

Em um apelo para que os direitos humanos das famílias com origem na cidade de Tawergha sejam respeitados, o porta-voz do ACNUR, William Spindler, disse que o deslocamento aconteceu na semana passada, após ataques perpetuados por grupos não identificados.

Criança e avó no interior do Rio Grande do Norte. Foto: Mariana Ceratti/Banco Mundial

UNICEF: 6 em cada 10 crianças e adolescentes brasileiros vivem na pobreza

Estudo lançado pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) nesta terça-feira (14) mostrou que 61% das crianças e dos adolescentes brasileiros são afetados pela pobreza, em suas múltiplas dimensões.

De acordo com o levantamento, a pobreza na infância e na adolescência vai além da renda, sendo necessário observar o conjunto de privações de direitos a que meninas e meninos são submetidos. O estudo analisou o acesso a educação, informação, proteção contra o trabalho infantil, moradia, água e saneamento.

Centro de atenção materna em La Paz, Honduras. Foto: OPAS

Agência da ONU divulga guias para profissionais de saúde tratarem hemorragias no pós-parto

Nas Américas, a hemorragia no pós-parto é uma das maiores causas de mortalidade materna. No Brasil, em algumas regiões, a taxa chega a 300 óbitos de gestantes para cada 100 mil nascidos vivos. Para diminuir o número de falecimentos entre as mães de recém-nascidos, a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) lançou recentemente dois guias para gestores e profissionais de saúde, com orientações sobre sangramentos após o nascimento dos bebês.

Numeir (na extrema direita) reencontra os parentes no aeroporto. Foto: ACNUR/Chris Melzer

Com ajuda da ONU, adolescente sírio reencontra a família na Alemanha

Com medo de ser recrutado pelo exército, Numeir fugiu da Síria, seu país de origem, quando tinha apenas 15 anos. “Dizer adeus foi terrível”, conta o jovem sobre o momento de se despedir dos pais e irmãos, incluindo a caçula da família, Anmar, de apenas quatro anos à época. Vivendo na Alemanha desde 2015, o sírio conseguiu trazer os parentes para o país europeu em maio último, com o apoio da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR).

No campo de Nduta, na Tanzânia, vivem 125 mil refugiados burundineses. Como há carência de salas de aula, as crianças estudam embaixo de árvores. Há uma professora para cada 200 alunos. Só 7% do apelo humanitário do ACNUR para 2017 foi financiado. Foto: ACNUR/Georgina Goodwin

Agência da ONU inaugura exposição no Rio sobre refúgio e migração forçada

A Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) inaugura na próxima quarta-feira (15) a mostra “Faces do Refúgio”, que leva para o Centro Cultural dos Correios 52 fotografias sobre migrações forçadas. Essa é a primeira vez em que a exposição desembarca na capital fluminense. Iniciativa aborda as principais crises de deslocamento da atualidade, em países como Síria, Sudão do Sul, República Democrática do Congo e Mianmar.

Mulheres representam 20% da mão de obra do setor agrícola na América Latina e Caribe. Foto: Banco Mundial/Romel Simon

No Rio, Consulado do México e ONU debatem participação da mulher na política e educação

O Consulado Geral do México no Rio de Janeiro, com apoio da Organização das Nações Unidas (ONU) no Brasil, promove nesta terça-feira (14), às 16h, no Centro Cultural dos Correios, o debate “Os desafios da mulher na participação de uma vida política e educativa plena”.

O evento terá como palestrantes Nadine Gasman, representante da ONU Mulheres no Brasil, Telma Marques Taurepang, integrante da União das Mulheres Indígenas da Amazônia Brasileira (UMIAB), e Linda Marina Munive, consulesa-geral do México.

A entrada é franca, com espaço sujeito à lotação (40 lugares).

A ONU Brasil realiza até setembro exposição no Rio com obras do artista paulistano Otávio Roth, que em 1978 criou e imprimiu xilogravuras que ilustram os trinta artigos da Declaração Universal dos Direitos Humanos. Foto: UNIC Rio/Pedro Andrade

Exposição no Rio reafirma importância da Declaração dos Direitos Humanos 70 anos após adoção

Ao completar 70 anos, a Declaração Universal dos Direitos Humanos permanece necessária e atual em um mundo marcado por crescentes conflitos, desigualdades sociais, racismo, deslocamento forçado e violência, especialmente contra ativistas.

A avaliação é de diplomatas, representantes do Sistema ONU e de organizações da sociedade civil presentes na abertura da exposição de xilogravuras do artista plástico brasileiro Otávio Roth, na quarta-feira (8), no Rio de Janeiro. A exposição fica no Centro Cultural Correios até 9 de setembro.

Angelina Jolie durante viagem a Mossul, no Iraque. Foto: ACNUR

ARTIGO: Uma carta de Mossul

Em artigo para a imprensa norte-americana, a atriz e enviada especial da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), Angelina Jolie, alerta que Mossul, no Iraque, ainda é um cenário apocalíptico de ruínas, mais de um ano após o fim dos confrontos entre governo e Estado Islâmico.

Artista cobra apoio da comunidade internacional para reconstruir a cidade, que foi esquecida pelo mundo, segundo Jolie. A enviada especial questiona por que a recuperação do município não mereceu a mesma atenção que a Europa recebeu na sequência da Segunda Guerra Mundial.

Estudantes em Cotonou, no Benim. Foto: UNFPA/Ollivier Girard

Em dia mundial, ONU defende espaços seguros para promover direitos dos jovens

Em mensagem para o Dia Internacional da Juventude, comemorado pela ONU em 12 de agosto, o secretário-geral António Guterres defendeu a criação de espaços seguros para os jovens, onde crianças e adolescentes tenham seus direitos protegidos e suas vozes, ouvidas.

Atualmente, existem no mundo 1,8 bilhão de pessoas de dez a 24 anos de idade — o maior contingente nessa faixa etária já registrado em toda a história.

Manifestante diante da Guarda Nacional da Venezuela, em protesto em maio de 2017. Foto: Wikimedia Commons/Efecto Eco

Equador declara emergência com a chegada de 30 mil venezuelanos em agosto

O governo do Equador declarou estado de emergência nesta semana (8) devido ao deslocamento contínuo de venezuelanos para o país. Decisão contempla as províncias de Carchi, Pichincha e El Oro. Apenas na primeira semana de agosto, cerca de 30 mil venezuelanos chegaram ao território — mais de 4 mil por dia. Desde o começo do ano, 547 mil venezuelanos entraram na nação equatoriana pela fronteira com a Colômbia.

Bandeira do Paraguai. Foto: Flickr (CC)/Tetsumo

Paraguai é 1º país das Américas a aprovar lei especial para proteção de pessoas sem nacionalidade

O Senado do Paraguai aprovou na quinta-feira (19) uma lei específica para estabelecer procedimentos de determinação da apatridia — quando uma pessoa não tem nacionalidade. Medida foi elogiada pela Agência da ONU para Refugiados (ACNUR).

É a primeira vez em que um parlamento na América Latina adota legislação especial sobre o tema. Texto define normas para a proteção dos indivíduos sem cidadania, além de facilitar seu processo de naturalização.

Equipes de militares preparam operações de mergulho para resgatar meninos tailandeses que ficaram presos em uma caverna em Chiang Rai, na Tailândia. Foto: Força Aérea dos Estados Unidos/Jessica Tait

Tailândia dá cidadania para meninos e professor de futebol resgatados em caverna

A Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) celebrou a decisão do governo tailandês de conceder cidadania a três meninos que foram resgatados da caverna de Tham Luang em julho último, quando fortes chuvas deixaram 12 adolescentes e seu professor presos em galerias subterrâneas, em Chiang Rai. Os jovens integravam o time de futebol Javalis Selvagens. O docente de educação física e técnico da equipe, Ekapol Chanthawong, também receberá a nacionalidade tailandesa.

O brasileiro Sergio Vieira de Mello em uma de suas últimas reuniões na ONU em Nova York, em julho de 2003. Foto: ONU/Mark Garten

Livro e documentário contam trajetória do diplomata brasileiro Sergio Vieira de Mello

Em meio às homenagens pelos 15 anos da morte de Sergio Vieira de Mello, a ZAZ Produções lança na quinta-feira (16), no Palácio do Itamaraty, no Rio de Janeiro, livro e documentário sobre a trajetória do diplomata brasileiro.

O lançamento da obra “Sergio Vieira de Mello: o legado de um herói brasileiro” tem o apoio do Centro de Informação das Nações Unidas para o Brasil (UNIC Rio).

Famílias venezuelanas deixam país de origem em busca de melhores oportunidades de vida. Foto: ACNUR

ONU elogia decreto da Colômbia para regularizar situação de 442 mil venezuelanos

Na Colômbia, a ONU elogiou a promulgação do decreto presidencial 1.288, que autoriza a distribuição de permissões especiais de permanência para os 442.462 venezuelanos em situação migratória irregular. O documento dá aos estrangeiros a oportunidade de permanecer legalmente, por dois anos, em território colombiano. Com o registro, migrantes e refugiados também terão acesso aos serviços nacionais básicos de educação e saúde, além de poderem trabalhar.

Evento de abertura da terceira edição do Empoderando Refugiadas. Foto: Pacto Global/Fellipe Abreu

ONU e setor privado promovem integração de refugiadas no mercado de trabalho brasileiro

Teve início na quinta-feira (8), em São Paulo, a terceira edição do Empoderando Refugiadas, um projeto das Nações Unidas para promover a inserção de mulheres refugiadas no mercado de trabalho brasileiro. A iniciativa deverá atender 50 estrangeiras, que participarão de oito sessões de coaching e quatro workshops sobre carreira e empregabilidade. Programa tem apoio da ABN AMBO, Carrefour, Facebook, Pfizer, Renner e Sodexo.

Michele Bachelet discursa como presidente do Chile em sessão especial do Conselho de Direitos Humanos da ONU em março de 2017. Foto: ONU/Jean-Marc Ferre

Secretário-geral da ONU indica Michelle Bachelet como alta-comissária de direitos humanos

O secretário-geral da ONU, António Guterres, indicou na quarta-feira (8) a ex-presidente chilena Michelle Bachelet para ocupar o cargo de chefe do Escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH).

Guterres nomeou Bachelet após amplas consultas com presidentes de grupos regionais de Estados-membros da ONU. O nome de Bachelet será agora analisado pelos 193 países-membros da Assembleia Geral.