Fábrica da Natex, produtora de preservativos à base de látex natural, receberá visita de equipe do UNFPA. Foto: SECOM

Fundo de População da ONU debate oferta de produtos de saúde sexual e reprodutiva na América Latina

O Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) participa nesta semana de um encontro em Lima para discutir os desafios da América Latina em adquirir métodos contraceptivos e outros produtos de saúde sexual e reprodutiva. Até amanhã (22), a agência da ONU acompanha debates com delegações do Brasil, Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai e Peru. Evento visa capacitar servidores públicos para melhorar processos de compra de materiais médicos.

Secretário-geral da ONU, António Guterres, durante reunião do Conselho de Segurança sobre a situação no Oriente Médio. Foto: ONU/Loey Felipe

Chefe da ONU diz não haver alternativa à solução de dois Estados entre Israel e Palestina

Depois de mais de um século de hostilidades incluindo 50 anos de contínua ocupação militar, israelenses e palestinos ainda não estão perto da paz, disse um enviado especial das Nações Unidas nesta terça-feira (20), alertando que, enquanto muitos na região estão perdendo a esperança em uma mudança positiva, os inimigos da paz estão cada vez mais confiantes.

Também presente em reunião do Conselho de Segurança, o secretário-geral da ONU, António Guterres, enfatizou o apoio da Organização para uma solução de dois Estados, declarando que “não há plano B”.

Crianças refugiadas sírias brincando em um assentamento em Al Faida, no Vale de Bekaa, no Líbano. Foto: UNICEF/Vanda Kljajo

ONU elogia solidariedade ‘excepcional’ do Líbano para acolher refugiados da Síria

Em visita a Bourj Hammoud, município do Líbano que abriga cerca de 20 mil sírios, o chefe do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), Achim Steiner, elogiou o compromisso e a solidariedade “excepcionais” do país para receber refugiados da guerra na nação vizinha. Dirigente afirmou neste mês (16) que o Estado libanês faz “um bem público global” com suas ações para acolher deslocados forçados.

Relator especial da ONU criticou decisão da Suprema Corte israelense que isentou oficiais de segurança de investigação criminal sobre tortura contra um preso palestino. Foto: IRIN

Relator da ONU critica decisão israelense de isentar agentes acusados de tortura

O relator especial da ONU para a tortura, Nils Melzer, expressou nesta terça-feira (20) sua máxima preocupação com uma decisão de dezembro da Suprema Corte de Israel de isentar agentes de segurança de uma investigação criminal apesar de evidências do uso de “técnicas de pressão” coercitivas contra um preso palestino.

“Esta decisão estabelece um perigoso precedente, minando gravemente a proibição da tortura”, disse o especialista. “Ao isentar supostos perpetuadores de investigação criminal e processo, a Corte Suprema essencialmente deu a eles uma ‘licença para torturar’ sancionada judicialmente”.

Refugiado malinês, treinado pelo Projeto Design for Peace Artisan, trabalha em sua criação. Foto: ACNUR/6M Productions

Artesanato feito por refugiados é destaque em feira da Alemanha

Móveis customizados, joias, sacolas bordadas. Esses são alguns dos produtos vendidos na feira comercial mais importante da Alemanha. Não são produtos artesanais comuns. Para os refugiados que os criaram, podem ser a chave para uma nova vida em segurança.

Com o apoio da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), artesãos deslocados de 11 países apresentaram seus produtos na feira anual Ambiente, que aconteceu no início de fevereiro em Frankfurt.

De barco, mulheres e crianças chegam a Sebagoro. Foto: ACNUR/Michele Sibiloni

Para escapar do conflito armado, refugiados congoleses buscam segurança em Uganda

Com a ajuda de seu filho, Jack Bandinga está arrumando seus pertences na costa ugandense do Lago Alberto: “vimos corpos no chão”, relembra. “As pessoas foram cortadas a machadadas. Estas são as coisas que testemunhamos”.

Jack teve sorte de ter escapado da violência em Toregesi, na província de Ituri, nordeste da República Democrática do Congo (RDC). Após se esconder no mato por dois dias, ele, sua esposa e seus quatro filhos chegaram a Uganda, após atravessarem o lago a bordo de um barco de pesca em uma viagem perigosa de cinco horas. O relato é da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR).

Realizado pela ONG Repórter Brasil em parceria com a SEDUC e com apoio da OIT e do MPT, o projeto tem como objetivo promover a discussão sobre o tema do trabalho escravo na rede estadual de ensino do Maranhão. Foto: OIT

Escolas do Maranhão desenvolvem atividades de prevenção ao trabalho escravo

Realizado pela ONG Repórter Brasil, em parceria com a Secretaria de Estado da Educação (SEDUC) do Maranhão e com apoio da Organização Internacional do Trabalho (OIT) e do Ministério Público do Trabalho (MPT), o projeto “Escravo, nem pensar!” é focado na prevenção ao trabalho escravo e já está em sua segunda edição.

Por meio da iniciativa, escolas da rede estadual desenvolverão este ano atividades de prevenção ao trabalho escravo com alunos e pessoas da comunidade. O Maranhão é o principal estado de origem de trabalhadores resgatados do trabalho escravo no Brasil.

As remessas, dinheiro que os trabalhadores migrantes enviam para suas famílias em seus países de origem, são cruciais para apoiar milhões de pessoas nos países desenvolvidos. Foto: FIDA (arquivo)

No Dia Mundial da Justiça Social, agência da ONU pede proteção a trabalhadores migrantes

Muitos trabalhadores migrantes acabam presos em empregos inseguros, insalubres e de baixa remuneração, disse o chefe da Organização Internacional do Trabalho (OIT) na segunda-feira (19), pedindo a adoção de diretrizes para uma governança nacional, regional e global dos migrantes.

“A maior parte da migração hoje está ligada, direta ou indiretamente, à busca por oportunidades de trabalho decente”, disse o diretor-geral da OIT, Guy Ryder, em mensagem para o Dia Mundial da Justiça Social, anualmente observado em 20 de fevereiro.

Tendo como tema neste ano “Trabalhadores em deslocamento: a busca por justiça social”, a data foca nos 150 milhões de trabalhadores migrantes do mundo, muitos dos quais enfrentam exploração, discriminação, violência e falta de proteções básicas.

Parceira entre UNICEF e Facebook divulga riscos de violência online entre adolescentes. Foto: PEXELS

UNICEF e Facebook lançam ferramenta que fala com adolescentes sobre segurança online

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e o Facebook, em parceria com a empresa de comportamento Sherpas, lançaram nesta semana (19) uma experiência virtual que combina ficção e realidade para ajudar adolescentes a compreender os riscos do compartilhamento de imagens íntimas na internet.

Por meio de uma plataforma de inteligência artificial, batizada de Caretas, jovens a partir de 13 anos interagem no Messenger do Facebook com a personagem fictícia Fabi, uma adolescente muito ativa nas redes sociais. Ela está se recuperando do fim de um relacionamento quando descobre que seu ex-namorado vazou um vídeo íntimo dos dois.

Em 2016, mais de 50 mil crianças e adolescentes deixaram El Salvador. Quase um terço delas fugia da violência no país centro-americano e mais de 9 mil foram enviados de volta. Muitas enfrentaram violências novamente no trânsito de volta para casa. A Agência da ONU para Refugiados, ACNUR, e organizações parceiras estão prestando apoio a esses jovens que retornaram ao seu país de origem; confira nesse vídeo

Mais de 50 mil crianças e adolescentes deixaram El Salvador em apenas um ano; vídeo

Em 2016, mais de 50 mil crianças e adolescentes deixaram El Salvador. Quase um terço delas fugia da violência no país centro-americano e mais de 9 mil foram enviados de volta. Muitas enfrentaram violências novamente no trânsito de volta para casa. A Agência da ONU para Refugiados, ACNUR, e organizações parceiras estão prestando apoio a esses jovens que retornaram ao seu país de origem; confira nesse vídeo.

Uma escola na Inglaterra tem mostrado como um centro de ensino pode ser exemplo de diversidade. Nela, 12 crianças refugiadas estão matriculadas. Também são oferecidas aulas de inglês semanais para os pais, além de suporte para lidar com o estresse pós-traumático e apoiar outras crianças refugiadas recém-chegadas. Confira nesse vídeo da Agência das Nações Unidas para Refugiados, ACNUR

Escola na Inglaterra dá exemplo de diversidade e integração com crianças refugiadas; vídeo

Uma escola na Inglaterra tem mostrado como um centro de ensino pode ser exemplo de diversidade. Nela, 12 crianças refugiadas estão matriculadas. Também são oferecidas aulas de inglês semanais para os pais, além de suporte para lidar com o estresse pós-traumático e apoiar outras crianças refugiadas recém-chegadas. Confira nesse vídeo da Agência das Nações Unidas para Refugiados, ACNUR.

Grandi parabenizou os países da região por manterem uma política de "fronteiras abertas". Foto: ACNUR

No Brasil, alto-comissário da ONU elogia política de refúgio da América Latina e do Caribe

O alto-comissário da ONU para refugiados, Filippo Grandi, elogiou nesta segunda-feira (19) em visita a Brasília (DF) a política de refúgio dos países de América Latina e Caribe. As declarações foram feitas na abertura da reunião de consultas regionais sobre o novo Pacto Global para Refugiados, que está sendo discutido pelos Estados-membros das Nações Unidas.

Grandi cumprimentou os países latino-americanos e caribenhos por manterem uma política de “fronteiras abertas e por oferecerem proteção àqueles de dentro e de fora da região, especialmente agora, quando os números de refugiados estão aumentando”.

Filippo Grandi visita refugiados do Sudão do Sul em Al Nami, ao leste de Darfur, no Sudão. Foto: ACNUR/Petterik Wiggers

Chefe de Agência da ONU para Refugiados chega ao Brasil; crise na Venezuela está na pauta

O alto-comissário da ONU para refugiados, Filippo Grandi, chegou ao Brasil nesta segunda-feira (19) para uma viagem oficial de dois dias. Ele participará da reunião de consulta da América Latina e do Caribe sobre o Pacto Global para Refugiados, que está sendo discutido pelos Estados-membros das Nações Unidas com o objetivo de enfrentar as crises humanitárias globais.

A situação dos refugiados venezuelanos, que têm entrado no Brasil para escapar da crise política e econômica no país, deve integrar as discussões de Grandi com autoridades em Brasília, incluindo o presidente brasileiro, Michel Temer.

Crianças refugiadas na fronteira entre a Antiga República Iugoslava da Macedônia com a Sérvia. Foto: UNICEF/Tomislav Georgiev

ONU alerta para falhas nos dados disponíveis sobre crianças deslocadas no mundo

Há “falhas alarmantes” na disponibilidade, confiabilidade, tempestividade e acessibilidade de dados e evidências essenciais para entender como as crianças e suas famílias são afetadas pela migração e o deslocamento forçado, disseram as agências das Nações Unidas e seus parceiros na quinta-feira (15).

Aproximadamente um quarto dos países e territórios não têm dados de idade desagregados sobre migrantes, incluindo 43% dos países e territórios na África e apenas 56% da população de refugiados sob o mandato do ACNUR têm informação sobre idade registrada.

Chefe do ACNUR, Filippo Grandi, no campo de Kutupalong, em Bangladesh. Foto: ACNUR / Roger Arnold

ONU e governo brasileiro promovem reunião em Brasília sobre Pacto Global de Refugiados

Com a presença de delegações de 36 países e territórios da América Latina e do Caribe, além de países observadores e entidades da sociedade civil, acontece nos dias 19 e 20 de fevereiro em Brasília a reunião de consulta da América Latina e do Caribe como contribuição regional para o Pacto Global sobre Refugiados.

Organizada pelo governo brasileiro e pela Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), a reunião acontecerá no Palácio Itamaraty e contará com a participação do alto-comissário da ONU para refugiados, Filippo Grandi. As sessões de abertura e encerramento serão transmitidas pela Internet.

Mãe segura recém-nascido em maternidade de Dhaka, em Bangladesh. Foto: ONU/Kibae Park

OMS publica novas diretrizes para reduzir intervenções médicas desnecessárias no parto

A Organização Mundial da Saúde (OMS) publicou nesta quinta-feira (15) novas diretrizes sobre padrões globais de atendimento às mulheres grávidas, com o objetivo de reduzir o uso desnecessário de algumas intervenções médicas como, por exemplo, a cesárea.

“Queremos que as mulheres deem à luz em um ambiente seguro, com profissionais qualificados e em unidades bem equipadas. No entanto, a crescente ‘medicalização’ de processos normais de parto estão minando a capacidade das mulheres de dar à luz, e afetando negativamente sua experiência de parto”, disse Nothemba Simelela, diretora-geral assistente para família, mulheres, crianças e adolescentes da OMS.

Mobilização online com vlogueiras negras foi uma das ações digitais inovadoras da ONU Mulheres em 2017 para afirmar o protagonismo das mulheres negras e a priorização delas nas agendas globais das Nações Unidas. Foto: ONU Mulheres/Mara Silva

ONU Mulheres apresenta ações de comunicação em defesa dos direitos das mulheres

Representante da ONU Mulheres apresentou práticas da organização para engajar usuários na promoção de uma Internet com mais respeito e diversidade no Brasil, durante o evento Hub Dia Mundial de Internet Segura 2018, promovido pela organização não governamental Safernet em São Paulo no início de fevereiro (6).

A agência da ONU apresentou maneiras de promover mobilizações online e conteúdos colaborativos sobre direitos das mulheres. Com o tema “Crie, conecte e compartilhe respeito”, o encontro reuniu as principais organizações da sociedade civil, empresas de tecnologia e iniciativas para tornar a Internet mais inclusiva.

Países que integram a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) se comprometeram a combater o tráfico de pessoas. Foto: EBC

ONU disponibiliza dados sobre tráfico de pessoas em plataforma colaborativa gratuita

A Organização Internacional para as Migrações (OIM), uma agência das Nações Unidas, mantém uma plataforma colaborativa e gratuita com informações sobre tráfico humano. A página já recebeu mais de 80 mil contribuições. A instituição convida instituições não governamentais e governos a colaborar com o portal, disponibilizando informações úteis para profissionais, pesquisadores e gestores políticos.

Yiech Pur Biel em cerimônia da trégua olímpica em PyeongChang. Atleta carrega mensagem com dizeres "Eu amo a paz". Foto: ACNUR/H. Shin

Atleta refugiado leva mensagem de paz às Olimpíadas de Inverno

“A paz é fundamental para tudo o que um Estado pode fazer”, disse o atleta refugiado Yiech Pur Biel em palestra na Coreia do Sul sobre a ONU e os valores olímpicos. “Uma pessoa precisa de muitas coisas – abrigo, comida, água, educação e serviços médicos – para sobreviver, mas o que todos eles significam sem paz? Como um refugiado que teve que fugir de um país em conflito, eu sei o quão importante é a paz.”

Refugiados burundeses coletam água em campo na região de Kivu do Sul, na República Democrática do Congo. Foto: ACNUR/Colin Delfosse

ONU pede apoio global para levar assistência a 430 mil refugiados do Burundi

A Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) e instituições parceiras lançaram em fevereiro (6) um apelo humanitário de 391 milhões de dólares para levar assistência às vítimas da crise do Burundi. Desde 2015, mais de 400 mil refugiados e solicitantes de refúgio deixaram esse pequeno país do centro da África, fugindo de abusos de direitos humanos, instabilidade política e emergências humanitárias.

O superlotado centro de recepção de refugiados de Vathy, na ilha grega de Samos. Foto: ACNUR/Yorgos Kyvernitis

ONU: mulheres e crianças sofrem violência sexual em centros de refugiados na Grécia

Requerentes de refúgio relataram a ocorrência de assédio sexual e violência em alguns centros de recepção de refugiados nas ilhas gregas, onde tomar banho, mesmo durante o dia, pode ser perigoso, disse a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) nesta sexta-feira (9).

Mulheres citaram comportamento inapropriado, assédio sexual e tentativas de ataques sexuais como as formais mais comuns de violência.

“A situação é particularmente preocupante nos centros de recepção e identificação de Moria (Lesbos) e Vathy (Samos), onde milhares de refugiados permanecem em abrigos precários com segurança inadequada”, acrescentou.

Criança em meio a destroços em Alepo, na Síria. Foto: OCHA/Romenzi

Guerra na Síria deixou 59 crianças mortas em janeiro, diz UNICEF

Em janeiro, 83 crianças e adolescentes foram mortos em meio aos confrontos armados em curso no Iraque, Líbia, Palestina, Síria e Iêmen. O conflito sírio foi o mais mortal de todos para meninos e meninas, deixando 59 menores mortos apenas no mês passado. Os números são do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), que criticou o cenário de insegurança enfrentado por jovens em países do Oriente Médio e Norte da África.

Bandeira do orgulho trans hasteada em São Francisco, nos Estados Unidos. Foto: Flickr (CC)/torbakhopper

ONU Brasil abre chamada pública para 2ª edição de projeto Trans Formação

As Nações Unidas no Brasil, por meio da Campanha Livres & Iguais, apresentou nesta sexta-feira (9) a chamada pública para a segunda edição da iniciativa Trans Formação, que visa fomentar as redes de pessoas trans no Distrito Federal (DF) e no entorno, promovendo sua articulação com instituições e espaços de poder locais.

Segundo dados de organizações da sociedade civil, uma pessoa é assassinada no Brasil a cada 27 horas por conta de sua orientação sexual ou identidade de gênero, e o país ocupa o primeiro lugar no ranking mundial de nações que mais matam travestis, transexuais e pessoas trans. Enquanto a expectativa de vida do brasileiro médio é de 75 anos, a de uma pessoa trans não passa de 35.

Secretário-geral da ONU, António Guterres, se encontra com pessoas internamente deslocados em Bangassou, República Centro-Africana, em outubro de 2017. Foto: ONU/Eskinder Debebe

ONU amplia parceria com a União Africana; líderes discutem paz, segurança e combate à corrupção

Parceria com a União Africana vai envolver diálogo com Conselho de Segurança e países que contribuem com fundos e forças de paz. Secretário-geral da ONU, António Guterres, participou de Cúpula dos líderes africanos em Adis Abeba, onde assinou acordo ampliando a cooperação com a organização regional.

As situações urgentes são Sudão do Sul, República Democrática do Congo, República Centro-Africana e Mali. De acordo com a ONU, os respectivos mandatos devem ser mais específicos, além de apoiar soluções políticas e a proteção dos civis.