Os fundos arrecadados serão usados em projetos de restauração, reflorestamento e regeneração natural de terras desmatadas e degradadas. Foto: IBAMA

Rede Brasil do Pacto Global levanta fundos para reflorestamento em evento pelo clima

Com o apoio de celebridades, a Rede Brasil do Pacto Global das Nações Unidas lança na quinta-feira (26), em Nova Iorque, uma iniciativa de levantamento de fundos para reflorestamento.

Uma obra dos artistas plásticos e grafiteiros brasileiros Os Gêmeos será leiloada em evento paralelo à Assembleia Geral da ONU, como parte da frente de atuação de resposta às mudanças climáticas.

Os fundos arrecadados serão usados em projetos de restauração, reflorestamento e regeneração natural de terras desmatadas e degradadas. O Brasil se comprometeu com o Acordo de Paris a reduzir em 37% suas emissões de gases de efeito estufa até 2025, e em 43% até 2030. Para isso, precisa recuperar 12 milhões de hectares de terras. A Rede Brasil trabalha no engajamento do setor privado para que a restauração ganhe escala.

Iceberg derrete na Groenlândia – Foto: Aline Dassel/Pixabay

Relatório da ONU aponta que nível do mar pode subir mais de um metro até 2100

O Relatório Especial sobre Mudanças Climáticas, Oceanos e Criosfera, divulgado nesta quarta-feira (25) pelo Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC) aponta que os oceanos estão mais quentes, mais ácidos e menos produtivos e o nível do mar está aumentando 3,6 milímetros por ano – o dobro do que no último século. Estes níveis podem aumentar acima de um metro até 2100 se as emissões de gás carbono continuarem a subir intensamente.

Mais de 100 autores de 36 países analisaram a mais recente literatura científica relacionada aos oceanos e criosfera, referenciando cerca de 7.000 publicações científicas. O relatório é uma peça chave para os líderes mundiais que se reúnem em negociações sobre o clima e o meio ambiente, como a Convenção Quadro sobre Mudança Climática da ONU (COP25) que ocorre em dezembro, no Chile.

O IPCC é o órgão das Nações Unidas que analisa dados relativos às mudanças climáticas.

Programa Territórios Sociais. Foto: ONU-HABITAT

Iniciativas de Alagoas e da Prefeitura do Rio em parceria com ONU-HABITAT vencem prêmio do BID

Os programas Vida Nova nas Grotas, do Governo de Alagoas, e Territórios Sociais, da Prefeitura do Rio de Janeiro, ambos realizados em parceria com o Programa das Nações Unidas para os Assentamentos Humanos (ONU-HABITAT), venceram a sexta edição do Concurso Governarte – A Arte do Bom Governo, Prêmio “Eduardo Campos” do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

O concurso tem entre seus objetivos identificar e premiar iniciativas inovadoras de gestão pública que promovam a criatividade e procurem melhorar os serviços aos cidadãos. Também visa apoiar e disseminar tais iniciativas, promovendo uma agenda de modernização do Estado na América Latina e Caribe com vistas a governos eficazes, eficientes e abertos. Pretende ainda facilitar a cooperação entre governos subnacionais, aprofundando o conhecimento de experiências inovadoras em gestão pública e expandindo sua divulgação entre os atores interessados.

Declaração de São Paulo: cidades tomam medidas sustentáveis em seus esforços para desenvolver soluções próprias contra a mudança global do clima. Foto: StockSnap/CC.

Declaração de São Paulo, um chamado para a sustentabilidade urbana

Até 2050, cerca de 143 milhões de pessoas poderão tornar‑se migrantes climáticos. Esse impacto recairá desproporcionalmente sobre as comunidades mais pobres.

Soluções integradas para o desenvolvimento urbano e a desigualdade social que mitiguem a mudança climática podem gerar oportunidades para as cidades se tornarem resilientes, inclusivas e habitáveis.

As cidades são reconhecidas como parte da solução para a mudança climática no âmbito do Acordo de Paris. Por este motivo, o Banco Mundial apoia a Declaração de São Paulo, um chamado pela sustentabilidade urbana e mundial.

“Esperamos que este prêmio inspire outras empresas ao mostrar que podemos ter um negócio próspero e também fazer o bem ao mundo”, Rose Marcario, Diretora Executiva da marca Patagônia. Foto: ONU Meio Ambiente.

Marca de roupas de aventura vence prêmio da ONU na categoria Visão Empreendedora

De uma pequena empresa que fabrica ferramentas para alpinistas, a marca Patagônia se tornou líder global em sustentabilidade.

Seu esforço para preservar os ecossistemas do planeta percorre todo o negócio, desde os materiais usados nos produtos até doações para causas ambientais.

Por esses e outros motivos, a marca venceu o prêmio ‘Campeões da Terra’ da ONU na categoria ‘Visão Empreendedora’. Criado pela ONU Meio Ambiente em 2005, este é o principal prêmio ambiental global das Nações Unidas.

Investimentos são necessários para apoio aos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável - Foto: Nattanan Kanchanaprat/Pixabay

Encontro de Alto Nível discute financiamento para Objetivos de Desenvolvimento Sustentável

A Organização das Nações Unidas reúne nesta quinta-feira (26) líderes de governo, empresários e o setor financeiro para o primeiro Diálogo de Alto Nível para o Financiamento pelo Desenvolvimento desde a adoção da Agenda de Ação de Adis Abeba em 2015.

O objetivo do encontro agora é discutir como as nações podem investir em áreas que apoiem os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

A ONU estima que o alcance dos ODS poderia gerar cerca de 12 trilhões de dólares de valor na economia global, criando 380 milhões de novos empregos até 2030.

O prêmio reconhece leis, políticas e estruturas legais que permitem a jovens desenvolver todo o seu potencial. Foto: PNUD

Prêmio reconhece ações que promovem empregos e participação política da juventude

Em 2019, o Prêmio de Políticas para o Futuro destacará políticas mais impactantes que promovem o acesso da juventude a empregos decentes no mundo, incluindo empregos verdes, e aprimoram a participação cívica e política para o desenvolvimento sustentável e a paz.

As iniciativas vencedoras do Prêmio de Políticas para o Futuro deste ano serão anunciadas em 15 de outubro e celebradas durante a 141ª Assembleia da União Interparlamentar, realizada em 16 de outubro em Belgrado, na Sérvia.

O prêmio é organizado pelo World Future Council, pela União Interparlamentar (UIP) e pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), com o apoio da enviada do secretário-geral da ONU para a juventude, da Organização Internacional do Trabalho (OIT), da Fundação Michael Otto e da Fundação Jua.

Mulheres de diversas nacionalidades se reuniram para o começo de mais uma edição do Empoderando Refugiadas. Foto: Fellipe Abreu

Projeto Empoderando Refugiadas realiza workshop sobre mercado de trabalho em SP

Na próxima quinta-feira (26), as novas participantes do Empoderando Refugiadas irão se reunir no Espaço Fit Carrefour, em São Paulo (SP), para um treinamento sobre mercado de trabalho brasileiro. O evento faz parte da quarta edição do projeto – iniciativa conjunta da Rede Brasil do Pacto Global, Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) e ONU Mulheres, com foco no acesso de mulheres refugiadas ao mercado de trabalho no Brasil.

O trabalho é uma das principais formas de integração de pessoas refugiadas nos países de acolhida. Porém, ainda são várias as dificuldades que estas pessoas encontram na busca por emprego. De acordo com o estudo Perfil Socioeconômico dos Refugiados no Brasil de 2019, publicado pelo ACNUR, a taxa de desemprego entre refugiados no país é de 19% — índice maior que a média nacional.

Dispersão de poluentes na atmosfera pode influenciar equilíbrio climático. Foto: PEXELS (CC)

ONU Meio Ambiente: foco político na crise climática é o maior em uma década

A ONU Meio Ambiente divulgou no domingo (22) relatório mostrando que o foco político na crise climática é o maior em pelo menos uma década, inclusive por meio do Acordo de Paris para o clima. Eleitores e manifestantes do mundo todo, principalmente jovens, estão deixando mais claro que a crise climática é prioridade.

Além disso, cidades, regiões e empresas não estão esperando imposições de governos centrais. Cerca de 7.000 cidades de 133 países, 245 regiões de 42 países e 6.000 empresas com receita de pelo menos 36 trilhões de dólares se comprometeram a reduzir as emissões.

Tudo isso é um progresso importante, mas não chega perto do suficiente, segundo o documento. Os países devem pelo menos triplicar o nível de ambição refletido em suas promessas climáticas sob o Acordo de Paris para alcançar a meta de um aquecimento abaixo de 2°C. Eles devem aumentar a ambição pelo menos cinco vezes para a meta de 1,5 °C.

O astro de "Game of Thrones" e embaixador da Boa Vontade do PNUD, Nikolaj Coster-Waldau, em visita à floresta amazônica peruana. Foto: PNUD/Leonardo Fernandez para a Getty Images

Astro de ‘Game of Thrones’ viaja com PNUD à Amazônia peruana

O astro da série “Game of Thrones” e embaixador da Boa Vontade do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), Nikolaj Coster-Waldau, retornou recentemente da floresta amazônica peruana, para onde viajou acompanhado da agência da ONU com o objetivo de descobrir as causas e os impactos dos incêndios florestais. A missão também visou compreender os efeitos das mudanças climáticas nas comunidades locais.

O ator dinamarquês descobriu que o desmatamento na Amazônia peruana, ao qual os incêndios são atribuídos, pode estar relacionado às desigualdades econômicas e sociais das comunidades que vivem nessa região.

O Laboratório de Inovação visa conhecer em profundidade as contribuições que a Enfermagem faz em vários campos da saúde pública. Foto: EBC

OPAS e Conselho Federal de Enfermagem recebem inscrições para laboratório de inovação

Estão abertas as inscrições para o “Laboratório de Inovação em Enfermagem: Valorizar e Fortalecer a Saúde Universal”, cujo objetivo é mapear, sistematizar e divulgar experiências inovadoras da área de enfermagem no Sistema Único de Saúde (SUS) em gestão de serviços, atenção à saúde, educação e formação profissional.

A iniciativa, promovida pelo Conselho Federal de Enfermagem (COFEN) e pela Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), permitirá ter um panorama das estratégias adotadas pelos profissionais ao enfrentar os desafios do sistema de saúde, como a necessidade de ampliar acesso das pessoas aos cuidados de saúde, melhorar a capacidade resolutiva dos serviços e da qualidade do cuidado ofertado, bem como reduzir custos e gastos em saúde. As inscrições vão até 30 de novembro.

Banners sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) na frente da sede da ONU, em Nova Iorque. Foto: ONU/Conor Lennon

Chefe da ONU pede globalização justa em primeira cúpula dos objetivos globais

Precisamos de mais investimentos, mais ação política, mais prioridade para uma globalização justa, disse o secretário-geral da ONU, António Guterres, em entrevista na quinta-feira (19), quando questionado sobre suas expectativas para a Cúpula dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), que ocorre até quarta-feira (25) na sede das Nações Unidas, em Nova Iorque.

Guterres enfatizou que, com mais de 10 anos de prazo, o mundo não está no caminho de atingir as metas relativas ao desenvolvimento sustentável. Ele pediu aos líderes mundiais que “tomem as decisões necessárias para se unir de maneira mais efetiva e garantir que a Agenda 2030 seja implementada de forma bem sucedida”.

Embaixador Tijjani Mohammad Bande foi eleito presidente da 74ª sessão da Assembleia Geral da ONU. Foto: ONU/Evan Schneider

Presidente eleito da Assembleia Geral da ONU defende paz e prosperidade para mais vulneráveis

O alcance global da ONU a torna a principal esperança para um mundo de paz e segurança, desenvolvimento sustentável e promoção e proteção dos direitos humanos e do progresso social, disse nesta terça-feira (24) o nigeriano Tijjani Muhammad-Bande, presidente eleito da Assembleia Geral das Nações Unidas, durante abertura do debate de alto nível, em Nova Iorque.

Na abertura dos debates da 74ª sessão da Assembleia Geral, ele se comprometeu a “promover parcerias necessárias com todos os atores para atingir nossos objetivos, e em última análise garantir que estejamos fazendo o melhor para garantir paz e prosperidade, particularmente, para os mais vulneráveis”.

Secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, visita Vanuatu em última parada de missão ao Pacífico para ver os efeitos da mudança climática. Foto: ONU/Mark Garten

Saiba o que foi prometido durante a histórica Cúpula de Ação Climática da ONU

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, alertou aos líderes para que não fossem à Cúpula de Ação Climática deste ano somente discursar, mas que apresentassem tanto planos concretos para cortar emissões de gases de efeito estufa quanto estratégias para neutralizar as emissões de carbono até 2050.

Mas o que exatamente foi prometido durante a histórica Cúpula, que ocorreu na sede da ONU, em Nova Iorque, em 23 de setembro? Saiba mais nesta reportagem.

A maior geleira dos Alpes suíços, o Aletschgletscher, está derretendo rapidamente e pode desaparecer completamente em 2100. Foto: Geir Braathen

Cientistas alertam que mudanças climáticas estão acontecendo ‘antes e pior’ do que o previsto

Cientistas especializados em clima apresentaram no domingo (22) um relatório que expõe de que forma, nos últimos anos, o aquecimento global, o aumento de nível dos mares, a diminuição das geleiras e a poluição por carbono aceleraram.

O relatório, apresentado durante Cúpula de Ação Climática das Nações Unidas na segunda-feira (23), destacou a disparidade crescente e evidente entre os objetivos e a realidade do combate às mudanças climáticas.

O documento mostrou que houve aumento recorde da temperatura média global, que está 1,1°C acima dos níveis pré-industriais (1850-1900) e 0,2°C mais quente do que no período de 2011-2015.

Secretário-geral da ONU, António Guterres, abre os debates da 74a Assembleia Geralda ONU - Foto: Cia Pak/ONU

Em discurso, António Guterres lembra que diversidade é uma riqueza e não uma ameaça

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, abriu nesta terça-feira (24), em Nova Iorque, o debate de alto nível da Assembleia Geral afirmando que a diversidade é uma riqueza e não uma ameaça e defendendo o multilateralismo.

Os 193 Estados-membros da ONU participarão em sessões presididas pelo diplomata nigeriano Tijjani Muhammad-Bande. A 74ª sessão terá como prioridades paz e segurança, erradicação da pobreza, fome zero, educação de qualidade, ação climática e inclusão. As reuniões também darão ênfase aos direitos humanos e à paridade de gênero.

A ativista do clima Greta Thunberg durante a abertura da Cúpula de Ação Climática da ONU, em Nova Iorque, em 23 de setembro de 2019. Foto: ONU/Cia Pak

Crianças e adolescentes registram queixa por falta de ação dos países na ação climática

Dezesseis crianças e adolescentes – incluindo a ativista sueca Greta Thunberg – de 12 países apresentaram na segunda-feira (23) uma queixa oficial ao Comitê dos Direitos da Criança das Nações Unidas para protestar contra a falta de ação governamental na crise climática.

Os jovens com idades entre 8 e 17 anos alegam que a falha dos Estados-membros em enfrentar a crise climática constitui uma violação dos direitos da criança. Eles instam o órgão independente a ordenar os países a tomarem medidas para proteger as crianças dos impactos devastadores das mudanças climáticas.

Anunciada em uma conferência de imprensa realizada na sede do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) em Nova Iorque, a denúncia visa inspirar as ações urgentes necessárias para conter o aquecimento global e mitigar o impacto da crise climática.

Vulcão na Costa Rica, país que venceu venceu prêmio ambiental da ONU na categoria Liderança Política. Foto: pixabay/InfiniteThought (CC)

Costa Rica recebe prêmio ambiental da ONU por combate às mudanças climáticas

A Costa Rica recebeu o Campeões da Terra de 2019, o maior prêmio ambiental da ONU, por seu papel na proteção da natureza e seu compromisso com políticas ambiciosas para o combate às mudanças climáticas.

A ONU Meio Ambiente reconheceu o país centro-americano na categoria Liderança Política por seu plano detalhado para descarbonizar a economia até 2050. A iniciativa vai ao encontro das diretrizes do Acordo de Paris para o clima e dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Mais de 98% da energia da Costa Rica é renovável e sua cobertura florestal é superior a 53%, após um meticuloso trabalho para reverter décadas de desmatamento. Em 2017, o país bateu um recorde de 300 dias movido apenas a energia renovável. O objetivo é atingir 100% até 2030. Espera-se que 70% de todos os ônibus e táxis do país sejam elétricos até 2030, com total eletrificação projetada para 2050.

Impacto das mudanças climáticas é ainda maior entre grupos mais vulneráveis, como pessoas vivendo com HIV. Foto: ONU/Eskinder Debebe

Como a mudança climática afeta as pessoas vivendo com HIV

Em meio à Cúpula de Ação Climática das Nações Unidas, que ocorre em Nova Iorque, fica evidente que a mudança climática afeta todos os países e continentes. Mas, frequentemente, o impacto é maior em regiões já afetadas por outros desafios e que têm grande número de grupos vulneráveis, incluindo pessoas vivendo com HIV.

Quando o ciclone Idai atingiu em março a cidade de Beira, em Moçambique, chuvas e ventos fortes causaram inundações repentinas, centenas de mortes e danos generalizados a residências e infraestruturas.

Teria sido um golpe devastador em qualquer lugar, mas foi ainda maior na província de Sofala, onde cerca de um em cada seis adultos vive com HIV. Quando as águas subiram, muitas pessoas tiveram seus medicamentos levados pela enchente. O relato é do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS).

Edifícios em Punta Pacifica, Cidade do Panamá, Panamá. Foto: Gerardo Pesantez/Banco Mundial

Bancos com mais de US$47 trilhões em ativos assinam compromisso com economia verde

Bancos que somam mais de 47 trilhões de dólares em ativos, ou um terço da indústria financeira global, assinaram no domingo (22) os novos princípios de responsabilidade bancária da ONU, em um importante impulso à ação climática e a uma migração para modelos de crescimento econômico sustentável.

De acordo com os novos princípios, lançados um dia antes da Cúpula do Clima em Nova Iorque, os bancos se comprometeram a alinhar estrategicamente seus negócios com os objetivos do Acordo de Paris para o clima e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), além de ampliar a escala de suas contribuições para o alcance das duas agendas.

Patagônia chilena - Foto: LuisValiente/Pixabay

IPCC divulgará relatório especial sobre mudanças climáticas em áreas congeladas

O Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC) divulga, no dia 25 de setembro, o Relatório Especial sobre Mudanças Climáticas, Oceanos e Criosfera. O estudo está sendo analisado ao longo desta semana durante a 51ª sessão do Painel, realizada no Principado de Mônaco.

Para ter acesso ao material embargado e participar da coletiva de imprensa, veículos de mídia devem se credenciar para a coletiva de imprensa, que será transmitida ao vivo.

‘Vocês estão falhando conosco’, diz ativista Greta Thunberg a líderes mundiais

Falando no início da Cúpula de Ação Climática das Nações Unidas nesta segunda-feira (23), em Nova Iorque, a aclamada ativista Greta Thunberg, de 16 anos, não poupou críticas aos líderes mundiais, dizendo que eles não estão sendo capazes de ver a realidade como ela é no que se refere às mudanças do clima.

Ela acrescentou, sem rodeios: “vocês estão falhando conosco, mas os jovens estão começando a entender sua traição”. “Os olhos de todas as gerações futuras estão em vocês, e se vocês escolherem falhar, eu digo que nunca os perdoaremos.”

O secretário-geral da ONU visita o assentamento de Mandruzi, em Moçambique. Foto: ONU/Eskinder Debebe

Ação coletiva é única maneira de enfrentar desafios globais, diz Guterres

Os desafios globais de nosso tempo demandam soluções globais, e devemos demonstrar continuamente os méritos da cooperação multilateral, afirmou o secretário-geral da ONU, António Guterres, nesta segunda-feira (23), ao lançar o relatório anual de 2019 das Nações Unidas.

O relatório de 120 páginas documenta o progresso da Organização no ano passado no que se refere a desenvolvimento sustentável, paz e segurança; desenvolvimento da África, direitos humanos, assistência humanitária, direito internacional, desarmamento e prevenção ao crime, juntamente à luta contra o terrorismo.

Tijjani Muhammad-Bande, presidente da 74ª sessão da Assembleia Geral das Nações Unidas, discursa na reunião de alto nível sobre Cobertura Universal de Saúde. Foto: ONU/Kim Haughton

Líderes mundiais adotam Declaração Política de Alto Nível sobre cobertura universal de saúde

Líderes mundiais adotaram nesta segunda-feira (23) uma Declaração Política de Alto Nível das Nações Unidas sobre cobertura universal de saúde, o conjunto mais abrangente de compromissos já adotado sobre o tema.

“Esta declaração representa um marco para a saúde e o desenvolvimento global”, disse Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS). “O mundo tem 11 anos para cumprir seus objetivos de desenvolvimento sustentável. A cobertura universal de saúde é essencial para garantir que isso aconteça.”

Sede das Nações Unidas em Nova Iorque. Foto: ONU/Manuel Elias

Secretariado da ONU adota plano para cortar as próprias emissões pela metade até 2030

O Secretariado das Nações Unidas adotou um novo Plano de Ação pelo Clima para os próximos dez anos que pretende transformar suas operações para atingir 45% de redução de emissões de gases de efeito estufa e 80% de uso de energia elétrica de fontes renováveis.

O plano foi adotado pouco antes da Cúpula de Ação pelo Clima, que está sendo realizada pelo secretário-geral da ONU para incentivar metas globais mais ambiciosas e aumentar significativamente as ações para limitar as mudanças climáticas.

As operações globais do Secretariado da ONU representam aproximadamente 58% das emissões de gases de efeito estufa reportadas pelo Sistema ONU, de acordo com o mais recente relatório “Greening the Blue”, que apresenta ações ambientais da ONU e foi lançado pela ONU Meio Ambiente na última sexta-feira (20).

OPAS defende sistemas de saúde baseados numa atenção primária forte. Foto: Flickr/Portal PBH

Relatório da OMS aponta que investimento em saúde universal pode salvar 60 milhões de vidas

Mais de 5 bilhões de pessoas correm o risco de não ter atendimento em saúde em 2030, aponta um relatório divulgado neste domingo (22) pela Organização Mundial de Saúde (OMS). O estudo “Atenção primária em saúde no caminho para a Cobertura Universal em Saúde” estima que 60 milhões de vidas podem ser salvas se os países de baixa e média renda investirem 200 bilhões de dólares por ano em atendimento em saúde primária.

Os países precisam aumentar o investimento em atenção primária em saúde em pelo menos 1% do PIB e intensificar esforços para expandir os serviços em todo o território. O mundo precisará dobrar a cobertura em saúde até 2030 e assim aumentar a expectativa de vida em 3,7 anos até lá. O estudo foi preparado pela OMS com contribuições do Banco Mundial, Organização para Cooperação Econômica e Desenvolvimento, Fundo de População da ONU e UNICEF.

Secretário-geral da ONU, António Guterres (centro) e Greta Thunberg (a segunda à direita), na abertura da Cúpula da Juventude pelo Clima - Foto: Kim Haughton/UN Photo

Cúpula da Juventude pelo Clima da ONU: jovens pedem fim dos combustíveis fósseis

Um dia depois que milhares de pessoas marcharam pelo mundo – de Nova Iorque a Nova Deli, de Santiago a São Francisco – pedindo ações urgentes pelo clima, mais de 600 jovens participaram da Cúpula da Juventude para o Clima, no sábado (21), em Nova Iorque. Para eles, é necessário que os líderes políticos façam mudanças radicais no uso de combustíveis fósseis e rumo a energia limpa, proteção dos oceanos e promoção do consumo sustentável.

Organizada pelo secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, a Cúpula da Juventude pelo clima reuniu jovens de mais de 140 países e territórios para que eles compartilhem as soluções num palco global e passem um recado claro aos líderes mundiais: é necessário agir agora para as mudanças climáticas.

Arte: Rede Brasil do Pacto Global

Empresas anunciam ambiciosos planos para reduzir o aumento da temperatura global

Oitenta e sete empresas estão tomando ações para alinhar seus negócios com o que os cientistas avaliam ser necessário para limitar os piores impactos das mudanças climáticas.
Respondendo a um chamado feito em junho por um grupo de líderes empresariais, da sociedade civil e da Organização das Nações Unidas (ONU), estas empresas se comprometeram a estabelecer objetivos de clima em suas operações e cadeias de valores alinhadas para limitar o aumento da temperatura global a 1,5 graus Celsius e alcançar emissões zero de carbono até no máximo 2050.

A informação é divulgada na véspera da Cúpula da Acão do Clima, organizada pelo secretário-geral da ONU, António Gutteres, em Nova Iorque. A cúpula é uma oportunidade para que governos, empresas e outras partes interessadas apresentem planos claros de ação alinhados ao recente relatório do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC), que alertou para as catastróficas consequências para o aquecimento global.

Programas de alimentação escolar podem fortalecer agricultura local e garantir que crianças frequentam o colégio. Foto: PMA / Vinícius Limongi

Em visita ao Brasil, delegações de Chile e Panamá elogiam programa de alimentação escolar

Representantes dos governos de Chile e Panamá visitaram Brasília (DF) na segunda-feira (16) com o objetivo de obter mais informações sobre gestão, monitoramento e aspectos de educação nutricional e compras públicas da agricultura familiar para a alimentação escolar no Brasil.

As delegações conheceram escolas públicas em Brasília, conversaram com gestores públicos responsáveis pela alimentação escolar no nível federal; bem como as ações da Secretaria de Educação do Distrito Federal, responsável pelas escolas visitadas.

A visita foi promovida no âmbito do projeto de cooperação internacional realizado por Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) e governo brasileiro.

Secretário-geral da ONU anuncia nova iniciativa de ação climática para o emprego

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, anunciou uma nova iniciativa que visa garantir que a criação de emprego decente e a proteção dos meios de subsistência estejam no centro dos esforços dos países para impulsionar a ação climática, e instou os países a aderir à iniciativa.

A “Ação Climática para o Emprego” será apresentada na Cúpula de Ação Climática do Secretário-Geral da ONU, a ser realizada na segunda-feira (23) na sede das Nações Unidas, em Nova Iorque.

A iniciativa foi desenvolvida pela Cúpula de Ação Climática, juntamente à Organização Internacional do Trabalho (OIT) e a outros membros da Área de Ação dos Impulsionadores Sociais e Políticos da Cúpula, co-liderada por Espanha e Peru.

Mães brasileiras vão às ruas para pedir partos mais humanizados. Foto: Agência Brasil/Tânia Rêgo

OPAS firma acordo com Pará e Ministério da Saúde para reduzir mortes maternas

A Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) firmou nesta quinta-feira (19) em Belém (PA) um acordo para apoiar, junto ao Ministério da Saúde, o fortalecimento da gestão do Sistema Único de Saúde (SUS) e a redução das mortes maternas no estado.

A assinatura foi feita durante o evento de inauguração do Hospital Regional Dr. Abelardo Santos, que abre as portas para a população paraense a partir desta sexta-feira (20).

Sede da ONU, em Nova Iorque. Foto: ONU/Rick Bajornas

Líderes de todo mundo se reúnem para cinco grande eventos na sede da ONU

Mais de uma centena de líderes de todo o mundo se reúnem na sede da Organização das Nações Unidas (ONU) em Nova Iorque neste mês para sinalizar como irão acelerar ações para responder a temas de preocupação global.

Em cinco grandes eventos ocorrendo entre os dias 23 e 27 de setembro, chefes de Estado e de governo devem se comprometer e mobilizar ações que levarão à transformação necessária para assegurar vidas saudáveis, pacíficas e prósperas para todas e todos.

Os encontros deste ano devem ser o pontapé inicial da ambiciosa década de ação para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) até 2030.

Dr. Jack Sim, fundador da World Toilet Organization, criador do Encontro Mundial de Saneamento, e principal nome por trás do Dia Mundial do Banheiro. Foto: Pacto Global.

Fundador de cúpula mundial sobre saneamento básico participa de evento em São Paulo

O fundador do World Toilet Summit – encontro internacional que reúne especialistas para debater saneamento básico — chega ao Brasil para participar de evento em preparação para a primeira edição latino-americana do Encontro Mundial de Saneamento.

Jack Sim é também fundador da World Toilet Organization e principal nome por trás da criação do Dia Mundial do Banheiro (lembrado em 19 de novembro).

O evento de aquecimento para o encontro global acontece na segunda-feira (23), em São Paulo (SP), e é uma iniciativa da World Toilet Organization e do Instituto Trata Brasil, com apoio do governo do estado de São Paulo e da Rede Brasil do Pacto Global das Nações Unidas.

Protocolo de Nagoia estabelece disposições sobre acesso aos conhecimentos tradicionais de povos indígenas, comunidades tradicionais e agricultores familiares que estejam associados a recursos genéticos, melhorando a perspectiva de que essas comunidades se beneficiem do uso de seus conhecimentos e práticas. Foto: Ministério do Meio Ambiente/Paulo de Araújo

Seminário em Brasília discute acesso e repartição de patrimônio genético natural no Brasil

Representante-residente assistente do PNUD no Brasil, Maristela Baioni destacou a relevância social, econômica e ambiental do acesso e repartição dos benefícios (ABS, na sigla em inglês) do patrimônio genético natural para o Brasil.

Em 2014, entrou em vigor o Protocolo de Nagoia, que detalha as obrigações referentes ao tema e fornece estrutura para a implementação e repartição justa e equitativa dos benefícios resultantes da utilização dos recursos genéticos.

Além disso, estabelece disposições sobre acesso aos conhecimentos tradicionais de povos indígenas, comunidades tradicionais e agricultores familiares que estejam associados a recursos genéticos, melhorando a perspectiva de que essas comunidades se beneficiem do uso de seus conhecimentos e práticas. O Brasil, embora tenha legislação nacional sobre ABS desde 2001, ainda não ratificou o Protocolo de Nagoia.

Os ‘SDG Pioneers’ são jovens profissionais que estão fazendo um trabalho excepcional para fazer avançar os ODS no setor privado. Foto: Pacto Global.

Pacto Global anuncia os jovens líderes SDG Pioneers 2019

O Pacto Global das Nações Unidas anunciou na segunda-feira (16) os nomes dos dez jovens líderes SDG Pioneers 2019. Eles são jovens profissionais que estão fazendo um trabalho excepcional para fazer avançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) no setor privado.

O SDG Pioneers é uma premiação do Pacto Global das Nações Unidas para jovens de até 35 anos que são pioneiros no caminho da sustentabilidade corporativa mundial.

Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) do Brasil tornou-se referência na América Latina e Caribe. Foto: Wokandapix/CC.

FAO, Brasil e governos de América Latina e Caribe compartilham práticas de alimentação escolar

Para conhecer a experiência brasileira do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), representantes desta área dos governos do Chile e do Panamá se reuniram em Brasília com dirigentes do Escritório da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) no Brasil e outros atores.

A visita técnica, que aconteceu entre 9 e 13 de setembro, foi promovida no âmbito do projeto de Cooperação Internacional Consolidação de Programas de Alimentação Escolar, uma iniciativa da FAO e do governo brasileiro para promover a troca de experiências com demais países.

Ativo no Brasil há mais de 60 anos, o PNAE atende diariamente mais de 42 milhões de crianças e jovens. O Programa tem cobertura universal e tornou-se uma iniciativa de alimentação escolar referência na América Latina e Caribe.

Homem resgatado do trabalho escravo no interior do Maranhão - Foto: Marcello Casal/ABr

Maranhão leva projeto de combate ao trabalho escravo a todos os municípios do estado

O governo do Maranhão e a ONG Repórter Brasil lançaram na terça-feira (17) a terceira fase do projeto “Escravo, Nem Pensar!”, cujo objetivo é combater e prevenir o trabalho escravo por meio de ações educativas em escolas da rede estadual de ensino.

O projeto é fruto de uma parceria entre Organização Internacional do Trabalho (OIT), Ministério Público do Trabalho (MPT), Comissão Estadual para a Erradicação do Trabalho Escravo (COETRAE) e Secretarias Estaduais de Direitos Humanos e Participação Popular (SEDIHPOP) e de Educação (SEDUC).

Em 2015, o Maranhão foi o primeiro estado a aderir ao projeto “Escravo, Nem Pensar!”. Agora, com a implementação dessa última etapa, será o primeiro a alcançar todos os municípios com ações educativas em escolas estaduais voltadas à prevenção e ao combate ao trabalho escravo.

Durante a abertura da conferência, o prefeito de Londres, Sadiq Khan, confirmou seu compromisso com Aceleração da Resposta ao HIV em sua cidade, que responde por 38% de todas as pessoas vivendo com HIV no Reino Unido. Foto: UNAIDS

Encontro em Londres reúne 300 cidades para aceleração da resposta ao HIV

Mais de 700 representantes de cidades de todo o mundo se reuniram em Londres para a primeira conferência sobre Cidades Fast-Track — cidades empenhadas na aceleração da resposta ao HIV.

A reunião, organizada pela Associação Internacional de Prestadores de Serviços para a AIDS (IAPAC, na sigla em inglês) em parceria com o Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS) e a Rede Global de Pessoas Vivendo com HIV (GNP+), tem foco nos esforços e no progresso que as cidades tiveram, bem como nos desafios e lições aprendidas nos últimos cinco anos.

Desde 2000, as mortes infantis diminuíram quase a metade e as mortes maternas em mais de um terço, principalmente devido ao acesso melhorado a serviços de saúde disponíveis e de qualidade. Foto: UNICEF

ONU: uma grávida ou um recém-nascido morre a cada 11 segundos no mundo

Novas estimativas de grupo liderado por Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e Organização Mundial da Saúde (OMS) revelam que 6,2 milhões de crianças menores de 15 anos morreram em 2018 e mais de 290 mil mulheres morreram devido a complicações durante a gravidez e o parto em 2017. Do total de mortes infantis, 5,3 milhões ocorreram nos primeiros 5 anos, com quase metade delas no primeiro mês de vida.

As mulheres na África ao sul do Saara enfrentam um risco de morte de 1 em 37 durante a gravidez ou o parto. Em comparação, esse risco para uma mulher na Europa é de 1 em 6.500. A África ao sul do Saara e a Ásia Meridional são responsáveis por cerca de 80% das mortes maternas e infantis globais.

A meta global prevista nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável é reduzir a taxa de mortalidade materna global para menos de 70 por 100 mil nascidos vivos até 2030. O mundo ficará aquém dessa meta em mais de 1 milhão de vidas se o ritmo atual de progresso se mantiver.