Em Dia Internacional que celebra o esporte como ferramenta para o desenvolvimento e a paz, o chefe da ONU, Ban Ki-moon, foi categórico: “jogando juntos, podemos criar o futuro que queremos”. Foto: UNICEF Brasil / Rocha

Projeto leva esporte e movimento à rede municipal de ensino em Maceió

O movimento é um vetor do desenvolvimento humano e deve estar acessível a todos os indivíduos. Com essa premissa, escolas da rede municipal de ensino de Maceió (AL) participam desde agosto do projeto Escolas Ativas, uma continuação da já consolidada parceria entre Secretaria Municipal de Educação (SEMED) e Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).

A iniciativa busca fazer com que as escolas sejam espaços em que as atividades físicas cotidianas e as práticas corporais – no esporte, na dança, na ginástica, na expressão corporal – sejam tratadas como um capital para a vida e, com isso, tornem as crianças e os adolescentes mais ativos no ambiente escolar e fora dele.

As inscrições poderão ser feitas de forma gratuita, entre os dias 15 de abril e 15 de junho, por Equipes de Saúde da Família, Coordenações de Atenção Básica regionais ou municipais, Secretarias Municipais de Saúde e Secretarias Estaduais de Saúde. Foto: OMS

Prêmio reconhece experiências de sucesso na atenção primária à saúde

O Ministério da Saúde e a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) lançaram na sexta-feira (5) o edital do “Prêmio APS Forte para o SUS: Acesso Universal”. O objetivo é identificar, dar visibilidade, reconhecer e promover iniciativas municipais, estaduais ou regionais que tenham como foco a melhoria da atenção primária à saúde (APS), principalmente o acesso.

As inscrições podem ser feitas de forma gratuita, entre os dias 15 de abril e 15 de junho, por Equipes de Saúde da Família, Coordenações de Atenção Básica regionais ou municipais, Secretarias Municipais de Saúde e Secretarias Estaduais de Saúde.

O relatório irá além do discurso dominante focado apenas nas disparidades de renda, considerando, também, as desigualdades em outras dimensões, como saúde, educação, acesso a tecnologias e até exposição a abalos econômicos e climáticos. Foto: Mariana Costa

Relatório da ONU abordará desigualdades de renda e acesso a saúde e educação

O mundo atual continua profundamente injusto — a vida e as perspectivas de um recém-nascido em um país ou em um domicílio pobre são radicalmente diferentes daquelas das crianças mais ricas.

Em todas as sociedades, formas duradouras de desigualdade persistem, enquanto lacunas se abrem em novos aspectos da vida. O Relatório de Desenvolvimento Humano de 2019, a ser lançado no último trimestre deste ano, abordará as diferentes dimensões da desigualdade no mundo, suas causas e impactos para o bem-estar.

“Embora muitos concordem que a desigualdade seja extremamente importante, o consenso sobre seu motivo e o que fazer a seu respeito é menor. Precisamos aprimorar os cálculos para melhor descrever o que é a desigualdade, e para ter uma compreensão mais profunda de como ela mudará devido às transformações econômicas, sociais e ambientais que estão em desdobramento em todo o mundo”, disse o diretor do Escritório do Relatório de Desenvolvimento Humano do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), Pedro Conceição.

O Brasil registrou um aumento da pobreza monetária de aproximadamente 3 pontos percentuais entre 2014 e 2017, de acordo com o Banco Mundial. Foto: Wikimedia Commons / chensiyuan (CC)

Relatório do Banco Mundial pede mais programas de transferência de renda na América Latina

As economias da América Latina e Caribe enfrentam vários desafios internos e externos, o que ressalta a necessidade de os agentes políticos lançarem mão de ferramentas de assistência social para dar apoio às pessoas pobres e mais vulneráveis em períodos de crises cíclicas, segundo novo relatório do Banco Mundial.

O documento mostrou que o crescimento econômico mais fraco vem tendo um impacto previsível nos indicadores sociais da região. O Brasil registrou um aumento da pobreza monetária de aproximadamente 3 pontos percentuais entre 2014 e 2017, segundo o organismo internacional.

Moradores de favela em Dhaka, capital de Bangladesh. Foto: Banco Mundial/Dominic Chavez

Relatório das Nações Unidas aborda renovação de sistema financeiro e economia global

Um novo relatório das Nações Unidas envolvendo mais de 60 organizações internacionais alerta que uma revisão abrangente do sistema financeiro mundial é necessária caso governos queiram honrar compromissos para responder a questões críticas, como mudança climática e erradicação da pobreza até 2030. O documento apresenta uma série de recomendações sobre como gerar um sistema financeiro e uma economia global mais sustentável.

As recomendações incluem uma mudança para investimentos de longo prazo e a inclusão da sustentabilidade como fator central de risco; uma renovação do sistema de comércio multilateral; uma resposta à concentração dos mercados nas mãos de um pequeno número de companhias poderosas, o que não é limitado às fronteiras nacionais.

Profissionais de saúde no Hospital Docente de Calderón, em Quito, capital do Equador. Foto: OPAS

Agência da ONU diz que faltam médicos e recursos para garantir saúde universal nas Américas

Por ocasião do Dia Mundial da Saúde, lembrado em 7 de abril, a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) aponta que um terço da população das Américas não tem acesso a cuidados de saúde. Na maioria dos países da região, os níveis de gastos diretos dos indivíduos com saúde representam mais de 25% das despesas domésticas.

A OPAS estima ainda que, atualmente, são necessários 800 mil profissionais a mais para atender às necessidades dos sistemas de saúde das Américas. Agência da ONU pede mais investimentos públicos no atendimento.

Associação Espoir pour Demain em Burkina Faso apoia saúde sexual e reprodutiva de jovens no país. Foto: UNAIDS

Associação apoia conscientização de jovens sobre HIV e saúde sexual em Burkina Faso

Diante de um público de jovens em Burkina Faso, a presidente da Associação Espoir pour Demain, Christine Kafando, faz perguntas provocadoras. “Você se sente pressionado por outros meninos e meninas?”; “você se sente abandonado por conta da pobreza?”; “você tem todas as informações necessárias sobre sua saúde e HIV? Se não, pode me perguntar ou perguntar aos seus parceiros”.

Os 40 meninos e meninas participantes da oficina acenam. O evento ocorreu em Bobo-Dioulasso, e teve como objetivo criar espaço para que jovens aprendam sobre saúde sexual e façam o treinamento para que se tornem educadores de pares.

Em Burkina Faso, os jovens representam mais de 60% da população e os dados mostram que muitos deles não conhecem seu estado sorológico para o HIV. O relato é do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS).

Mais de 200 milhões de meninas e mulheres não estão usando contraceptivos modernos, apesar de não quererem engravidar, reportou a 52º Comissão de População e Desenvolvimento. Na foto, um abrigo de emergência para adolescentes grávidas na Tailândia apoiado pelo UNFPA. Foto: UNFPA/Ruth Carr

Países aprovam declaração sobre direitos sexuais e reprodutivos de mulheres e meninas

Ministros e representantes de diversos países aprovaram na segunda-feira (1) na sede da ONU, em Nova Iorque, uma declaração política que reafirma o apoio ao Programa de Ação da Conferência Internacional sobre População e Desenvolvimento (CIPD), que estabeleceu que a saúde reprodutiva, os direitos individuais e o empoderamento das mulheres são cruciais para atingir o desenvolvimento sustentável.

O Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) e o Departamento de Assuntos Econômicos e Sociais das Nações Unidas, juntos, monitoram a dinâmica populacional e os progressos feitos de forma a atingir os objetivos do CIPD. Relatórios entregues à Comissão mostraram que progressos foram feitos para expandir o acesso à saúde reprodutiva, reduzindo a mortalidade materna, combatendo práticas nocivas e a violência contra a mulher.

Homem resgatado do trabalho escravo no interior do Maranhão - Foto: Marcello Casal/ABr

Ferramenta da ONU aponta falhas no destino de investimentos para combate à escravidão

Uma nova ferramenta interativa de dados das Nações Unidas mostrou um desencontro entre locais onde a escravidão contemporânea ocorre e onde governos estão gastando recursos para responder a esse crime.

A ferramenta, desenvolvida pelo Centro de Pesquisas Políticas da Universidade das Nações Unidas, pode ajudar os debates sobre o tema. Atualmente, mais de 40 milhões de pessoas vivem em situação de escravidão contemporânea.

Jogadores celebram prêmio de competição de futebol em campo de refugiados no norte de Darfur. Foto: ONU/Albert González Farran

Vice-chefe da ONU exalta esporte como meio de fortalecer laços e promover a paz

Celebrando o Dia Internacional do Esporte para o Desenvolvimento e pela Paz (6 de abril), a vice-secretária-geral da ONU, Amina Mohammed, disse em evento em Nova Iorque na quarta-feira (3) que o “esporte ajuda a encontrar lugar comum” durante tempos de divisões. A data é lembrada em 6 de abril e tem o objetivo de fortalecer laços sociais e promover os ideais de paz, fraternidade, tolerância e justiça.

“O esporte tem o poder de alinhar nossa paixão, energia e entusiasmo em torno de uma causa coletiva”, afirmou. “E é precisamente quando a esperança pode ser nutrida e a confiança pode ser reconquistada”.

Equipe do UNOPS e da RedePPP. Foto: UNOPS

UNOPS colabora com iniciativa intergovernamental em Parcerias Público-Privadas

O Escritório das Nações Unidas de Serviços para Projetos (UNOPS) e a Rede Intergovernamental para o Desenvolvimento das Parcerias Público-Privadas (RedePPP) renovaram em março um acordo para troca de informações sobre experiências na área de parcerias público-privadas (PPPs).

O acordo tem como objetivos a promoção dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), da sustentabilidade e da igualdade de gênero nas políticas públicas relativas às PPPs. Também impulsiona a cooperação para realização de eventos e intercâmbios de boas práticas e o trabalho conjunto para aprimorar o marco legal e as capacidades do setor público na área de PPPs.

Idosa em Muse Township, no estado de Shan, norte de Mianmar. Foto: OCHA/Htet Htet Oo

Mulheres vivem mais do que homens na maior parte dos países, diz relatório da ONU

A expectativa média de vida global aumentou cinco anos e meio desde a virada do século, e as mulheres sobrevivem mais do que os homens “em todos os lugares”, informou a Organização Mundial da Saúde (OMS) nesta quinta-feira (4). Diferentes atitudes de homens e mulheres em relação à saúde ajudam a explicar a discrepância na expectativa de vida entre os gêneros, sugeriu o relatório.

Em países com epidemia generalizada de HIV, por exemplo, os homens “são menos propensos a fazer o teste de HIV do que as mulheres, menos propensos a ter acesso à terapia antirretroviral e mais propensos a morrer de doenças relacionadas à AIDS do que as mulheres”, concluiu o estudo.

O mesmo princípio se aplica aos portadores de tuberculose, com pacientes do sexo masculino menos propensos a procurar atendimento do que as mulheres.

Em 2016, dados indicaram que a probabilidade de um homem de 30 anos morrer de uma doença não transmissível — como problemas cardíacos — antes dos 70 anos é 44% maior do que para uma mulher de mesma idade.

Empresas pequenas e de médio porte como "start-ups" apostam em inovação das tecnologias e podem encontrar soluções práticas e avançar desenvolvimento em países emergentes. Foto: Pexels

CEPAL alerta para informalidade trabalhista associada a novas tecnologias

Estratégias para enfrentar a informalidade no mercado de trabalho latino-americano e caribenho devem ser repensadas para lidar com formas inéditas de precariedade laboral, geradas pela adoção de novas tecnologias produtivas.

O alerta é da Comissão Econômica da ONU para a América Latina e Caribe (CEPAL), que reuniu especialistas da ONU e de organismos financeiros nesta semana (3), no Chile, para um seminário sobre desafios trabalhistas regionais.

O Programa EletriCidadania de Voluntariado Corporativo conseguiu, em 14 anos, mudar a cultura de atividades sociais da COPEL. Foto: COPEL

Empresa promove voluntariado para apoiar organizações da sociedade civil no Paraná

Quando, em 2004, a Companhia Paranaense de Energia (COPEL) decidiu estimular seus funcionários a realizar ações sociais por meio da utilização de até quatro horas mensais de sua jornada de trabalho para trabalhos voluntários, não imaginava a espiral virtuosa que geraria.

Vencedor do Prêmio Viva Voluntário 2018 na categoria Voluntariado no Setor Público, o Programa EletriCidadania de Voluntariado Corporativo conseguiu, em 14 anos, mudar a cultura de atividades sociais da empresa.

O Programa Nacional de Voluntariado, Viva Voluntário, é uma iniciativa do governo federal implementada pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).

ONU Meio Ambiente lança publicação detalhando suas atividades no Brasil

A ONU Meio Ambiente lançou uma publicação que detalha o portfólio de atuação da agência no país, com foco especial para o período de 2017 a 2018. O documento, voltado ao público geral e atores ambientais, apresenta os projetos desenvolvidos nas seis áreas temáticas do organismo: eficiência de recursos, mudança do clima, ecossistemas saudáveis e produtivos, meio ambiente em estudo, governança ambiental e químicos, resíduos e qualidade do ar.

Primatologista e mensageira da Paz da ONU, Jane Goodall. Foto: Instituto Jane Goodall/Michael Neugebauer

Ambientalista e mensageira da paz da ONU completa 85 anos

A primatologista e mensageira da Paz da ONU, Jane Goodall, completa 85 anos neste 3 de abril com um apelo para cada cidadão do planeta: fazer escolhas sustentáveis que permitam reparar os danos causados pela humanidade à natureza, revertendo a trajetória de destruição dos ecossistemas e da vida silvestre.

Nascida em Londres, a britânica revolucionou o estudo dos primatas com a sua descoberta em 1960 de que chimpanzés são capazes de construir e usar ferramentas.

Sessenta por cento dos resíduos e três quartos do uso de recursos e emissões de gases de efeito estufa vêm das cidades. Foto: EBC

Cúpula das Cidades pede abordagem integrada para infraestrutura urbana

Embora os Estados-membros tenham adotado uma resolução sobre infraestrutura sustentável na Assembleia Ambiental das Nações Unidas (UNEA), em março, a Cúpula das Cidades reforçou no mesmo mês em Nairóbi, no Quênia, a importância da ação local e a necessidade de uma abordagem integrada para a infraestrutura urbana.

Sessenta por cento dos resíduos e três quartos do uso de recursos e de emissões de gases de efeito estufa vêm das cidades, o que as torna ótimos lugares para promover o consumo e a produção sustentáveis.

Mas preservar o bem-estar de uma população cada vez mais urbana, incluindo pessoas que ainda não têm acesso a moradias e serviços básicos acessíveis e adequados, é tão importante quanto a busca por atingir as metas de desenvolvimento sustentável. Uma abordagem integrada à infraestrutura urbana poderia ajudar a fazer as duas coisas, de acordo com a ONU Meio Ambiente.

Fotografia do planeta Terra feita pelo satélite Suomi NPP, a 826 km de altitude. Foto: NASA/NOAA/GSFC/Suomi NPP/VIIRS/Norman Kuring

Humanidade consome recursos da Terra a taxas insustentáveis, alerta agência da ONU

George Monbiot, correspondente do jornal britânico The Guardian e conhecido por seu ativismo ambiental e político, fez um apelo surpreendente para que as pessoas no Reino Unido reduzissem o uso de carros em 90% ao longo da próxima década.

Muitos indivíduos podem se mostrar avessos a essa ideia, mas talvez ela soe um pouco menos bizarra à luz de um novo relatório da ONU Meio Ambiente sobre a taxa com que estamos abocanhando os recursos do planeta Terra.

Porto de Fortaleza (CE). Foto: MTUR/Jade Queiroz

Movimento de carga nos portos da América Latina e do Caribe sobe 7,7% em 2018

O movimento de carga em contêineres nos portos da América Latina e do Caribe aumentou 7,7% em 2018 na comparação com o ano anterior, segundo dados divulgados nesta quarta-feira (3) pela Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL). A análise inclui o comportamento de uma amostra de 31 países e 118 portos e zonas portuárias da região.

Dez países responderam por 84,1% do total de volume de cargas movimentado. São eles (ordenados do maior para o menor, segundo a quantidade de TEU mobilizados): Brasil, México, Panamá, Colômbia, Chile, Peru, Argentina, Equador, República Dominicana e Jamaica.

António Guterres na mesquita de al-Azhar, no Cairo, capital do Egito. Foto: ONU/Mahmoud Abd ELLatiff

Chefe da ONU alerta para avanço do discurso de ódio nas democracias

Em passagem pelo Egito, o chefe da ONU, António Guterres, pediu na terça-feira (2) que os cidadãos do mundo rejeitem líderes políticos e religiosos que fomentam a intolerância. Durante visita à histórica mesquita de al-Azhar, na capital Cairo, o secretário-geral alertou para o avanço do discurso de ódio e da polarização nas democracias, onde mulheres, minorias, refugiados e migrantes têm sido cada vez mais estigmatizados.

São Paulo terá atividades esportivas e de lazer nas ruas no domingo (7). Foto: Rede Esporte Pela Mudança Social

ONU e parceiros promovem atividades esportivas e de lazer em sete cidades brasileiras

A Rede Esporte pela Mudança Social (REMS), em parceria com a fabricante de artigos esportivos Nike e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) lembram o Dia Internacional do Esporte para o Desenvolvimento e pela Paz, 6 de abril. Para marcar a data, as organizações promovem no próximo fim de semana em diversas cidades brasileiras a terceira edição do “Esporte na Rua”.

Mais de 500 voluntários — entre educadores, assistente sociais e atletas — estarão à frente de atividades físicas, esportivas e brincadeiras gratuitas oferecidas à população. No sábado, o evento ocupará espaços públicos em Brasília (DF), Ribeirão Preto (SP), Curitiba (PR) e Rio de Janeiro (RJ). No domingo (7), de São Paulo (SP), Maracanaú (CE) e Jequitinhonha (MG). Veja a programação.

A inauguração do novo Centro de Excelência aconteceu em Abidjan, capital da Costa do Marfim. Foto: PMA

Costa do Marfim inaugura novo Centro de Excelência contra a Fome

Inspirando-se na experiência brasileira, a Costa do Marfim inaugurou no fim de março (25) um novo Centro de Excelência Regional contra Fome e Má-Nutrição na África do Oeste e Central, fruto de uma parceria entre o governo do país e o Programa Mundial de Alimentos (PMA) das Nações Unidas.

A iniciativa é inspirada no Centro de Excelência contra a Fome no Brasil, criado a partir de parceria entre o governo brasileiro e o PMA. A unidade da Costa do Marfim é a primeira do tipo no continente africano.

Criança lava o rosto no Sudão do Sul (2018). Foto: UNICEF/Meyer

Falta de água e saneamento deixa milhões de vidas em risco no mundo, diz OMS

Mais de 2 bilhões de pessoas enfrentam riscos graves à saúde porque serviços básicos de água não estão disponíveis em um em cada quatro hospitais no mundo, afirmaram as Nações Unidas nesta quarta-feira (3), em apelo para países fazerem mais para prevenir a transmissão de doenças infecciosas evitáveis.

Em primeira avaliação sobre o assunto, o relatório Higiene, Saneamento e Água em Instalações de Assistência de Saúde, da Organização Mundial da Saúde (OMS) e do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), também mostra que um em cada cinco centros de assistência de saúde não possui banheiro ou latrina. O problema afeta ao menos 1,5 bilhão de pessoas, o que provavelmente reflete uma falta de instalações em comunidades como um todo.

Crianças com autismo em escola na Espanha. Foto: Observatorio de la Infancia en Andalucía/Creative Commons

Em dia mundial, ONU pede mais acesso das pessoas com autismo a tecnologias assistivas

Em mensagem para o Dia Mundial de Conscientização sobre o Autismo, lembrado nesta terça-feira (2), o secretário-geral da ONU, António Guterres, defendeu o uso da tecnologia para promover a inclusão e independência de pessoas que vivem com essa condição neurológica. O dirigente máximo das Nações Unidas enfatizou a necessidade de tornar as chamadas tecnologias assistivas acessíveis para todos.

Política local de governança das migrações de São Paulo é reconhecida internacionalmente por seu caráter inclusivo e inovador. Foto: Defensoria Pública da União (DPU)

São Paulo participa de projeto da OIM sobre boas práticas em políticas de migrações

Autoridades de oito órgãos da administração municipal de São Paulo participarão na segunda-feira (8) de exercício para avaliar a abrangência das estruturas de governança da migração na cidade, identificar boas práticas e apontar prioridades para seu desenvolvimento.

O encontro é promovido pela Organização Internacional para as Migrações (OIM) e faz parte da iniciativa Indicadores de Governança da Migração (MGI, na sigla em inglês), um projeto global liderado pela OIM e executado pela Unidade de Inteligência da revista britânica The Economist.

A política local de governança das migrações de São Paulo, reconhecida internacionalmente por seu caráter inclusivo e inovador, levou a cidade a ser selecionado para o projeto-piloto da aplicação do MGI no nível local, juntamente com Acra, em Gana, e Montreal, no Canadá.

Ao centro, o governador de Goiás, Ronaldo Caiado, e a primeira-dama Gracinha Caiado. Foto: Octacilio Queiroz

Programa da ONU discute parcerias com Goiás em políticas sociais

Representantes do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) estiveram em Goiânia (GO) na semana passada (27) para discutir possíveis parcerias com o Gabinete de Políticas Sociais do Governo de Goiás, coordenado pela primeira-dama do estado, Gracinha Caiado. Agência da ONU apresentou iniciativas já desenvolvidas em nível nacional e global para combater a pobreza e promover o crescimento sustentável.

Festival de filmes busca curtas-metragens sobre pessoas ou projetos que contribuam com a agenda de desenvolvimento sustentável da ONU. Foto: PEXELS (CC)/Terje Sollie

ONU promove festival de cinema sobre objetivos de desenvolvimento sustentável; inscrições até 26/4

Até 26 de abril, o Festival de Filmes ODS em Ação recebe inscrições de curtas-metragens sobre projetos ou pessoas que estão promovendo o cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas. Essas metas são conhecidas pela sigla ODS, que dá nome à mostra. Serão aceitos filmes de cineastas amadores e profissionais, de até 20 minutos de duração. Podem ser inscritas produções audiovisuais de animação ou live-action.

Secretário-geral da ONU faz discurso durante Cúpula da Liba Árabe em Túnis no fim de março (31). Foto: Reprodução

Secretário-geral pede mais cooperação entre ONU e Estados árabes

Na Cúpula da Liga Árabe, na Tunísia, o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, reconheceu no domingo (31) a importância da região para o cenário internacional, e pediu cooperação ainda maior entre a ONU e os Estados árabes.

“O Norte da África e o Oriente Médio são lar de memorável dinamismo e potencial. É uma região que há tempos busca construir paz e prosperidade. Acredito ser vital para esta região assumir este destino”, disse ao salão repleto de líderes políticos dos 22 Estados-membros da Liga. “As Nações Unidas não têm outra agenda além de apoiar estas aspirações, em espírito de solidariedade e união”.

Quase dois terços das pessoas que passam fome aguda estão em apenas oito países: Afeganistão, Etiópia, Nigéria, República Democrática do Congo, Sudão do Sul, Sudão, Síria e Iêmen. Foto: FAO

Fome aguda afeta 113 milhões de pessoas no mundo, diz relatório da ONU

Um relatório apresentado nesta terça-feira (2) conjuntamente por União Europeia, Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) e Programa Mundial de Alimentos (PMA), concluiu que cerca de 113 milhões de pessoas em 53 países tiveram insegurança alimentar aguda em 2018, na comparação com 124 milhões em 2017.

A insegurança alimentar aguda ocorre quando a incapacidade de uma pessoa de consumir alimentos adequados coloca em perigo imediato sua vida ou seus meios de subsistência. Apesar do recuo em 2018, o número de pessoas no mundo que enfrentam crise alimentar se manteve acima dos 100 milhões nos últimos três anos, e o volume de países afetados aumentou.

À esquerda, o chefe da FAO, José Graziano da Silva. À direita, o papa Francisco. Foto: FAO

Acesso à água é indispensável para erradicar fome, diz chefe da FAO em carta ao papa Francisco

Em carta enviada ao papa Francisco neste mês (1º), o chefe da FAO, o brasileiro José Graziano da Silva, ressaltou que o acesso à água potável e ao saneamento é indispensável para a eliminação da pobreza e da fome.

Os dados mais recentes das Nações Unidas mostram que cerca de 4 bilhões de pessoas — quase dois terços da população mundial — enfrentam escassez grave de água pelo menos um mês ao ano.

Sede do UNAIDS, em Genebra. Foto: UNAIDS

UNAIDS apresenta plano para criar ambiente de trabalho saudável e acolhedor para funcionários

O Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS) apresentou um novo plano de ação para criar uma cultura organizacional positiva e aumentar a consciência dos gestores e funcionários sobre as suas responsabilidades, direitos e deveres.

“Estamos transformando um momento difícil em um momento de oportunidades”, disse Michel Sidibé, diretor-executivo do UNAIDS, sobre a estratégia.

Missões promovidas por PNUD e SEBRAE buscam melhores práticas internacionais para empreendimentos de impacto socioeconômico no Brasil. Foto: Arquivo Pessoal

Missões internacionais buscam melhores práticas para negócios de impacto social

O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE) promovem missões internacionais para conhecer experiências com o objetivo de impulsionar os negócios de impacto — empreendimentos com impacto socioeconômico positivos — no Brasil.

Além de estimular o conhecimento de outros ecossistemas de negócios de impacto, a iniciativa ajuda a identificar os principais atores do setor, os desafios dos empreendedores sociais e os mecanismos de apoio existentes.