Profissional de saúde verifica os níveis de açúcar no sangue de um paciente diabético. Foto: OMS | A.Loke.

No Dia Mundial da Diabetes, ONU lidera iniciativa de oferta de insulina mais acessível

Hoje (14) é lembrado anualmente como o Dia Mundial da Diabetes. Na véspera da data (13), a Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciou um plano piloto para diversificar a produção global de insulina, medicamente utilizado no controle da doença, e, por consequência, diminuir os preços.

Atualmente, três fabricantes controlam a maior parte do mercado global de insulina, que foi descoberto como um tratamento para o diabetes em 1921. Segundo as Nações Unidas, é essencial democratizar o acesso ao medicamento, já que, em todo o mundo, o número de pessoas com a doença quadruplicou desde 1980 – são 420 milhões de pessoas em todo o mundo, principalmente vivendo em países de baixa e média renda.

Segundo a OMS, esse aumento excessivo de casos é atribuído à má alimentação e à falta de exercício. A organização da ONU explicita que dos 65 milhões de pessoas com diabetes tipo 2 que precisam de insulina, apenas metade tem possibilidade de obtê-la.

Secretário-geral da ONU, António Guterres, em discurso no Fórum da Paz de Paris - Foto: Christelle Alix/UNESCO

Guterres: multilateralismo deve resistir aos desafios de hoje e do futuro

Em discurso no Fórum da Paz de Paris, na segunda-feira (11), o secretário-geral da ONU, António Guterres, afirmou que o multilateralismo deve se adaptar para responder aos desafios de hoje e de amanhã, lembrando que “os conflitos persistem, criando sofrimento e deslocamento”. Sua fala aconteceu enquanto celebrações do fim da Primeira Guerra Mundial, em 1918, aconteciam em diversos países.

Para ele, o multilateralismo deve estar em rede e próximo às pessoas, trabalhando de mãos dadas com organizações regionais, mas também com instituições financeiras internacionais, bancos de desenvolvimento e agências especializadas. Também deve ser inclusivo com a plena participação da sociedade civil, incluindo jovens, empresas, círculos acadêmicos e filantrópicos, e combater a desigualdade de gênero, com uma estratégia para alcançar a paridade bem antes de 2030.

O Projeto Paulo Freire impulsiona, desde 2013, a produção sustentável e o aumento da renda em territórios do Ceará. Foto: FIDA | Irshad Khan.

Missão do FIDA realiza avaliação do Projeto Paulo Freire desenvolvido no Ceará

De 4 a 8 de novembro, uma Missão de Avaliação e Acompanhamento do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola das Nações Unidas (FIDA) se reuniu com técnicos e diretores da Secretaria do Desenvolvimento Agrário (SDA) do Ceará para analisar os resultados obtidos com o Projeto Paulo Freire (PPF).

Executado pela SDA, o PPF é uma iniciativa que conta com recursos de investimento do FIDA a fim de diminuir a pobreza e alavancar o desenvolvimento sustentável nas localidades com os menores Índices de Desenvolvimento Humano (IDH) da região.

O Projeto Paulo Freire impulsiona, desde 2013, a produção sustentável e o aumento da renda a partir de atividades agrícolas e não agrícolas desenvolvidas pelos grupos prioritários do projeto: jovens, mulheres e povos tradicionais.

Lixo recolhido em 2017 em praia de Bali, onde a ONU Meio Ambiente lançou a campanha Mares Limpos. Foto: ONU Meio Ambiente/Shawn Heinrichs

Campanha do PNUMA pretende diminuir uso de plástico em produtos de higiene e beleza

O Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) lançou um desafio online para que os internautas diminuam a quantidade de plásticos e microplásticos encontrados nos banheiros. “O que há no SEU banheiro?” faz parte da Campanha Mares Limpos, lançada em 2017 para gerar um movimento global para combater a poluição por plásticos.

O desafio convida que as pessoas façam vídeo ou foto dos plásticos e microplásticos encontrados no banheiro e postem nas redes sociais marcando o Programa – @UNEP_PT e a Campanha #MaresLimpos, além de se comprometerem a reduzir o consumo deste tipo de produto. A campanha digital acontece no mês de novembro.

PNUMA recebe prêmio pelos seus esforços em integrar dados de observação terrestre em um aplicativo web global. Foto: Guillen Perez/CC.

ONU Meio Ambiente recebe prêmio por trabalho sobre ecossistemas de água doce

O Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) foi premiado pela Earth Observations for the Sustainable Development Goals (“Observações da Terra para alcance dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável”, na tradução livre) pelos seus esforços em integrar dados de observação terrestre em um canal de monitoramento on-line.

O aplicativo web criado pelo PNUMA com a ajuda de parceiros – como o Centro de Pesquisa Conjunta da Comissão Europeia; Google; NASA; Agência Espacial Europeia; entre outros – permite o monitoramento e a geração de relatórios oficiais sobre o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS) 6, “Água portável e Saneamento”, especificamente o indicador 6.6: “interromper a degradação e a destruição de ecossistemas relacionados à água e auxiliar a recuperação dos que já estão degradados”.

O trabalho foi um esforço conjunto das Divisões de Ciência e de Ecossistemas do PNUMA e reforça a importância das parcerias e dos usos inteligentes da tecnologia para o alcance dos ODS até 2030.

O diretor da ABC, Embaixador Ruy Pereira; a secretária de Planejamento, Orçamento e Gestão do RS, Leany Lemos; a representante-residente do PNUD, Katyna Argueta; e o governador do RS, Eduardo Leite. Foto: Pedro Maziero

PNUD assina acordo para ajudar a modernizar gestão pública gaúcha

A Secretaria de Planejamento, Orçamento e Gestão do Estado do Rio Grande do Sul, o PNUD e a Agência Brasileira de Cooperação (ABC) firmaram, nesta segunda-feira (11), um acordo de cooperação técnica internacional que visa à modernização e à promoção de inovação na gestão pública no estado.

O diretor da ABC, Embaixador Ruy Pereira; a representante-residente do PNUD, Katyna Argueta; e o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, participaram do evento, em Brasília.

Projeto ajudará a fornecer dados sobre uso de florestas - Foto: Pedro Dias/Pixabay

Novo projeto florestal da ONU ajudará países a cumprir compromissos com mudanças climáticas

A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) anunciou na última segunda-feira (11) um novo projeto que possibilitará 26 países de fornecer dados aprimorados sobre o uso de suas florestas e terras – uma promessa de todos os representantes signatários do Acordo de Paris. A iniciativa, que já apoia 70 nações, investirá 7,1 milhões de dólares no monitoramento de matas nativas, a fim de garantir um manejo mais sustentável da terra.

De acordo com a FAO, o monitoramento preciso sobre o uso das florestas e terras é essencial para que os países acompanhem o progresso em relação aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), à medida que adotam medidas de mitigação de mudança climática e de adaptação.

“Na América Latina e no Caribe, muitas crianças comem pouca comida saudável e muita comida processada”, Bernt Aasen, diretor regional do UNICEF para a América Latina e o Caribe. Foto: Kwanchai.c | Shutterstock.

ONU pede ações urgentes para frear o aumento da fome e da obesidade na América Latina e no Caribe

Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS), Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e Programa Mundial de Alimentos das Nações Unidas (PMA) pediram ações urgentes aos países da América Latina e do Caribe para combater o aumento da má nutrição na região.

As quatro agências das Nações Unidas que trabalham com o tema da Alimentação lançaram hoje (12) o Panorama de Segurança Alimentar e Nutricional 2019. O relatório apresenta dados do cenário alimentar da América Latina e do Caribe, e destaca que a região está pior que o resto do mundo na maioria dos indicadores de má nutrição relacionados ao consumo excessivo de calorias – enquanto que a fome voltou a crescer: 11%, ou 4,5 milhões de pessoas, desde 2014.

Segundo a diretora da OPAS/OMS, Carissa F. Etienne, “precisamos do compromisso de toda a sociedade e de políticas públicas que regulem produtos alimentares pouco saudáveis, criem ambientes propícios à atividade física e promovam uma alimentação saudável na escola e na mesa das famílias”.

CEPAL revisa para baixo projeções de crescimento na América Latina em 2019

A Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL) revisou para baixo as projeções de crescimento da atividade econômica da região para 2019, ano em que se espera uma expansão média de 0,1% na América Latina e no Caribe.

Para 2020, no entanto, a CEPAL projeta que a região continue em um caminho de baixo crescimento, com uma expansão estimada do Produto Interno Bruto (PIB) de 1,4%.

No caso do Brasil, o crescimento do PIB em 2019 está estimado em 0,8%, chegando a 1,7% em 2020.

Evento aconteceu em Addis Abeba, capital da Etiópia, e debateu o tema da “Assistência Alimentar Transformativa para um Mundo Sem Fome”. Foto: PMA.

Centro de Excelência da ONU participa de convocação global contra a fome

Programa Mundial de Alimentos das Nações Unidas (PMA) na Etiópia e Comissão Nacional de Gerenciamento de Riscos de Desastres da Etiópia (NDRMC) realizaram uma Convocação Global com intuito de reunir líderes para debater a crescente necessidade de transformação dos sistemas alimentares para superar a fome e a desnutrição.

O encontro ocorreu em Adis Abeba, capital da Etiópia, entre 4 e 6 de novembro, e teve como tema a “Assistência Alimentar Transformativa para um Mundo Sem Fome”. Na ocasião, líderes discutiram a criação de um Centro Global de Excelência para Assistência Alimentar Transformativa, com base na Etiópia.

Diretor adjunto do Centro de Excelência contra a Fome do PMA, Peter Rodrigues, compartilhou resultados de políticas públicas desenvolvidas e implementadas nos países assistidos pelo Centro.

Os capacetes-azuis apoiaram a transição do Haiti para a democracia, a reconstrução do país e os esforços para estabilidade após o terremoto de janeiro de 2010. Estimados 220 mil haitianos morreram como resultado do terremoto. Os capacetes-azuis distribuíram materiais para abrigo temporário a pessoas de Porto Príncipe que ficaram sem-teto após o desastre. Foto: Minustah/Logan Abassi, 2010

Em Cuiabá, UNDRR participa do Primeiro Seminário Mato-Grossense sobre Redução do Risco de Desastres

O Escritório das Nações Unidas para a Redução do Risco de Desastres (UNDRR, na sigla em inglês) participou, entre 30 e 31 de outubro, em Cuiabá, do Primeiro Seminário Mato-Grossense sobre Redução do Risco de Desastres.

Presente no evento, o vice-chefe do UNDRR para as Américas e o Caribe, Nahuel Arenas Garcia, destacou a importância de um enfoque multisetorial e colaborativo entre os vários atores que trabalham com a Redução do Risco de Desastres (RRD), e insistiu no desafio econômico que os desastres representam para a região.

A agência da ONU avalia que com a organização do seminário, o Estado do Mato Grosso reconhece a importância desse tema para a agenda do desenvolvimento sustentável e a necessidade de aumentar a sensibilização sobre as oportunidades e os desafios que a Redução do Risco de Desastres traz para a região.

Grãos de soja. Foto: Jonas Oliveira/ANPr

FAO completa 40 anos de presença no Brasil

Em comemoração ao aniversário de 40 anos de presença da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) no Brasil, a Câmara dos Deputados sediou, na última quarta-feira (6), um evento solene no Plenário Ulysses Guimarães que rememorou a atuação da agência no país. Juntos, Brasil e FAO têm trabalhado para erradicar a insegurança alimentar e a má nutrição, e para melhorar as condições de vida no meio rural.

O evento, que também marcou o Dia Mundial da Alimentação (16 de outubro), reuniu representantes da ONU; do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento; do Ministério da Cidadania; da Agência Brasileira de Cooperação; do Ministério das Relações Exteriores; da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil; e da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura.

“Passados 40 anos da nossa atuação oficial, podemos afirmar com orgulho que a experiência da FAO no Brasil é um dos exemplos mais bem-sucedidos da organização, não só por colaborar com o êxito do país em contornar um cenário grave de insegurança alimentar, mas por contribuir com a expansão de um marco institucional voltado ao combate à fome e à pobreza”, afirmou Rafael Zavala, representante da FAO no Brasil.

Evento de lançamento da Cartilha de Informações reuniu servidores públicos, representantes do sistema financeiro e sociedade civil, além de refugiados e migrantes. Foto: ACNUR | Alan Azevedo.

Cartilha de Informações Financeiras para Refugiados impulsiona integração econômica no Brasil

Cartilha de Informações Financeiras para Migrantes e Refugiados traz orientações sobre Sistema Financeiro Nacional, abertura de contas e aquisição de crédito, colaborando para a inserção laboral e financeira de refugiados e migrantes.

Lançada na última quinta-feira (7) pelo Banco Central, Ministério da Justiça e Segurança Pública e Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), a cartilha também serve para sensibilizar e orientar as próprias instituições financeiras acerca dos direitos dos refugiados, avaliou o ACNUR.

“Trabalhei empreendendo por 27 anos na Venezuela. Agora, com a cartilha, vou ter informações de como obter crédito, que será fundamental para expandir meu negócio”, Ismael Navas (54), venezuelano no Brasil. O material será distribuído em locais onde há grande fluxo de migrantes e refugiados, e a versão web já está disponível nos sites do Banco Central, do Ministério da Justiça e Segurança Pública, e do ACNUR.

Escoteiros são incentivados a inspirar suas famílias, escolas e comunidades a mudar seus hábitos de consumo. Foto: Asociación de Scouts de México

Escoteiros da América Latina e do Caribe juntam-se à luta global contra a poluição por plástico

Milhares de escoteiros da América Latina e do Caribe irão participar dos esforços globais contra o lixo marinho com o desafio de reduzir o uso de plásticos por 10 semanas – parte da campanha Mares Limpos do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA).

Todo ano, mais de 8 milhões de toneladas de plástico chegam aos oceanos, ameaçando os ecossistemas marinhos do mundo.

O guia procura preencher a lacuna da falta de compreensão entre os profissionais da educação sobre como desempenhar melhor o papel da educação na construção de sociedades justas e pacíficas. Foto: Edward Lich/CC.

UNESCO e UNODC lançam guia sobre o papel da educação na construção de sociedades justas e pacíficas

A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) e o Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) lançaram, nesta quinta-feira (7), o guia “Fortalecimento do Estado de Direito por meio da educação” para formuladores de políticas.

A publicação apresenta orientações para gestores e educadores que queiram trabalhar temas de justiça, direitos humanos e combate à corrupção com estudantes dos ensinos fundamental e médio.

São Gabriel da Cachoeira é um município localizado no estado do Amazonas e relatou a segunda maior incidência de casos de malária no país em 2018. Foto: OPAS/OMS.

OPAS premia cidade no Amazonas por redução no número de casos de malária

No Dia da Malária nas Américas (6), a Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS) e parceiros anunciaram os três municípios vencedores do prêmio Campeões contra a Malária nas Américas.

Em seu 11º ano, a iniciativa premiou as cidades de São Gabriel da Cachoeira, no estado do Amazonas, Brasil; La Gomera, na Guatemala; e Puerto Lempira, em Honduras. Os três municípios reduziram pela metade ou mais os índices de infecção devido aos esforços implementados na resposta à doença.

A malária é uma doença potencialmente fatal, causada por parasitos transmitidos às pessoas por meio da picada de mosquitos infectados. Nas Américas, 132 milhões de pessoas vivem em áreas com risco de transmissão. A OMS lembra que a malária é uma doença que pode ser prevenida e curada.

A crescente crise alimentar, que afeta tanto as comunidades urbanas quanto as rurais, se vê agravada pelo aumento dos preços dos alimentos; pelas perdas em larga escala na pecuária; e ao aumento do desemprego. Foto: FAO | Telcinia dos Santos.

Agências de alimentação da ONU pedem mais apoio para vítimas da fome na África Austral

Segundo agências de alimentação das Nações Unidas, até 45 milhões de pessoas em 16 países da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC) sofrerão grave insegurança alimentar nos próximos seis meses.

A crescente crise alimentar, que afeta tanto as comunidades urbanas quanto as rurais, se vê agravada pelo aumento dos preços dos alimentos; pelas perdas em larga escala na pecuária; e ao aumento do desemprego.

“As chuvas tardias, largos período de seca, ciclones de grande magnitude e os problemas econômicos têm demonstrado ser uma combinação desastrosa para a segurança alimentar e os meios de subsistência em toda a África Austral”, afirmou Alain Onibon, coordenador sub-regional da FAO para a África Austral.

O objetivo da oficina é capacitar dirigentes dos sindicatos de trabalhadoras domésticas para serem formadoras. Foto: Pagefact/CC.

OIT promove formação para dirigentes de sindicatos de trabalhadoras domésticas

A Organização Internacional do Trabalho (OIT) promoveu, entre 1 e 3 de novembro, a Primeira Oficina de Formação de Formadoras. Organizada em parceria com a Federação Nacional das Trabalhadoras Domésticas (Fenatrad) e o Solidarity Center, a capacitação aconteceu em Brasília, sob o título “Fortalecendo os Sindicatos de Trabalhadoras Domésticas”.

O curso visou compartilhar conhecimentos para a conscientização, mobilização, empoderamento e sindicalização desta categoria profissional, que apresenta cerca de 5 milhões de trabalhadoras na informalidade.

Comemorando 100 anos em 2019, a OIT é a única agência com estrutura tripartite das Nações Unidas. Ela reúne governos, empregadores e trabalhadores para estabelecer normas trabalhistas, desenvolver políticas e elaborar programas que promovam o trabalho decente para todas as pessoas.

A premiação aconteceu em Roma (Itália) durante a 31ª Reunião das Partes do Protocolo de Montreal (MOP-31). Foto: UNIDO.

Projeto brasileiro de refrigeração sustentável recebe prêmio internacional

Projeto brasileiro de refrigeração via propano para uso comercial em supermercados recebeu nesta terça-feira (05/11), em Roma (Itália), prêmio internacional.

A iniciativa premiada é coordenada pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA) e executada no Brasil em parceria com a Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento industrial (UNIDO) e a empresa paranaense Eletrofrio Refrigeração.

O prêmio foi concedido pela Sociedade de Engenheiros de Aquecimento, Refrigeração e Ar Condicionado (ASHRAE), sediada em Atlanta (EUA), e pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA).

Pacto visa reduzir as emissões de gases que provocam o aquecimento do planeta através do reforço da resposta global a esta ameaça. Foto: Banco Mundial | Curt Carnemark.

EUA apresentam à ONU pedido formal de retirada do Acordo de Paris

As Nações Unidas anunciaram que o secretário-geral, António Guterres, foi informado pelo governo dos Estados Unidos que o país começará a se retirar formalmente do Acordo de Paris sobre a mudança climática.

Notificação de saída foi feita à ONU no dia do quarto aniversário da entrada em vigor do pacto. Pelos termos do acordo, saída norte-americana deve acontecer em 4 de novembro de 2020.

O Acordo de Paris visa reduzir as emissões de gases que provocam o aquecimento do planeta através do reforço da resposta global a essa ameaça.

Ilustrações do artista Ivan Ciro Palomino promovem reflexão sobre os desafios globais da atualidade. Foto: Unic Rio/Paulo Portilho

No Rio, exposição da ONU sobre objetivos globais é prorrogada até 19 de janeiro

A exposição Consciência, inaugurada em 25 de setembro, teve seu encerramento prorrogado em função do grande fluxo e interesse do público durante os 40 dias em cartaz no Centro Cultural Correios do Rio de Janeiro.

Até agora mais de 65 mil pessoas visitaram a mostra, que ficará em cartaz até o dia 19 de janeiro de 2020.

A exposição é uma iniciativa do Centro de Informação das Nações Unidas para o Brasil (UNIC Rio) em parceria com Centro Cultural Correios e Instituto Claro.

Ação do projeto do Pró-Semiárido na Bahia.

FIDA realiza missão de avaliação do projeto Pró-Semiárido na Bahia

Representantes do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA) estiveram na Bahia, entre os dias 23 de outubro e 1º de novembro, em missão de supervisão do projeto Pró-Semiárido – iniciativa da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR) vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Rural.

Além de mapear o que está dando certo nas intervenções do projeto junto aos agricultores e agricultoras, a missão também avaliou o que precisa melhorar para qualificar ainda mais o trabalho que vem sendo realizado.

Alicia Bárcena, secretária-executiva da CEPAL, em aula ministrada na Universidade Nacional Autónoma do México (UNAM). Foto: CEPAL México.

“Não somos a região mais pobre, mas sim a mais desigual”, avalia chefe da CEPAL

A secretária-executiva da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL), Alicia Bárcena, concedeu uma aula na Universidade Nacional Autónoma do México (UNAM), instituição onde é doutora honoris causa.

Sua palestra aconteceu em 30 de outubro, na Faculdade de Economia da UNAM, sob o título “Mudança de época e novo modelo de desenvolvimento: uma interpretação estruturalista”. Ela pediu por novos pactos sociais e a revisão das conversações entre Estado, mercado e sociedade.

No evento, Bárcena afirmou que o desencanto e a raiva latente na região representam um ponto de ruptura à continuidade de um modelo que se associa a três décadas de concentração de riqueza e deterioração ambiental, aliadas a um crescimento que avaliou como “insuficiente”.

Chama na Solução é uma iniciativa do UNICEF Brasil que apoia mudanças positivas que possam potencialmente impactar a vida das crianças dos adolescentes do país. Foto: Generation Unlimited.

Iniciativa do UNICEF convida jovens cariocas a enviarem soluções para problemas locais

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) em parceria técnica com o Centro de Promoção da Saúde (CEDAPS) abre inscrições para a iniciativa Chama na Solução.

O objetivo da iniciativa é envolver os jovens na criação de soluções para problemas que os afetam, e nesse processo proporcionar seu desenvolvimento como cidadãos, potencializando habilidades e competências para a vida.

Meninas e meninos que possuem entre 14 e 24 anos e moram na periferia da cidade do Rio de Janeiro podem inscrever suas ideias. O edital segue aberto até 10 de novembro.

Campanha Mares Limpos da ONU premia escola de Cananéia (SP)

A Escola Municipal de Ensino Fundamental Deborah Silva Camargo de Cananéia, litoral paulista, venceu o Desafio Volta às Aulas. A iniciativa é da Campanha Mares Limpos, do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA).

Ao todo, 25 escolas brasileiras participaram da mobilização no primeiro semestre de 2019 para reduzir o uso de plástico descartáveis nas instituições de ensino e no dia a dia das crianças.
O projeto “Plástico, PERIGO, jamais será amigo!”, desenvolvido pelos alunos do 5º ano, envolveu familiares e o governo municipal, além de outras escolas.

A cidade de Cananéia fica no litoral sul de São Paulo e possui em seu entorno a maior porção de Mata Atlântica preservada do país. Ela integra o Complexo Estuarino Lagunar, declarado pela UNESCO como Sítio do Patrimônio Mundial.

Segundo o PNUMA, a urbanização pode representar uma ferramenta crucial para o alcance dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). Foto: Foster and Partners via PNUMA.

Iniciativas do Programa da ONU para o Meio Ambiente auxiliam desenvolvimento sustentável das cidades

Segundo o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), com mais da metade da população global vivendo em cidades, elas concentram tanto os desafios do combate às mudanças climáticas quanto as soluções, por serem berço das inovações tecnológicas que podem impulsionar o alcance da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável.

O PNUMA trabalha em parceria com o Programa de Assentamentos Humanos das Nações Unidas (ONU-HABITAT) e outros organismos para promover o desenvolvimento sustentável dos centros urbanos, como o Centro de Conhecimento sobre Cidades e Mudanças Climáticas, um repositório on-line de informações sobre a mudança climática para apoiar a tomada de decisão de governanças locais.

Leia o relato do PNUMA para o Dia Mundial das Cidades (celebrado em 31 de outubro).

“Para que as cidades prosperem, todos precisam de serviços que melhorem sua saúde", Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor-geral da OMS.

Novo relatório da OMS auxilia lideranças a combater principais causas de mortes urbanas

O relatório “O poder das cidades: combatendo doenças não transmissíveis e lesões no trânsito” (na tradução livre), da Organização Mundial da Saúde (OMS), é voltado para prefeitos, funcionários dos governos locais e planejadores de políticas para cidades.

O documento, lançado no Dia Mundial das Cidades (31 de outubro), reúne 19 estudos de caso e destaca as principais áreas em que os líderes podem melhorar a segurança nas vias e abordar os fatores determinantes das doenças não transmissíveis – incluindo uso de tabaco, poluição do ar, falta de exercício e má nutrição e alimentação.

“Para que as cidades prosperem, todos precisam de serviços que melhorem sua saúde”, afirmou diretor-geral da OMS. Segundo a organização, 41 milhões de pessoas morrem anualmente devido a doenças cardíacas, acidente vascular cerebral (AVC), câncer e diabetes. Já os acidentes de trânsito matam 1,35 milhão ao ano.

Governo espanhol fez oferta para acolher conferência. Foto: ONU News | Anton Uspensky

ONU confirma Madri como sede da 25ª Conferência sobre Mudança Climática

As Nações Unidas confirmaram que Madri, na Espanha, irá acolher a 25ª Conferência Internacional sobre Mudança Climática (COP 25).

Nota da secretária-executiva da Convenção Sobre Mudança Climática, Patricia Espinosa, informou que evento será mantido para acontecer entre 2 e 13 de dezembro.

A COP 25 seria realizada no Chile, mas presidente Sebastián Piñera cancelou a possibilidade de sediar o evento devido à onda de protestos no país.

Cerca de 420 mil pessoas estão sob cerco na Síria – sem alimentos e remédios, famílias com fome e crianças malnutridas e definhando. Elas precisam de ajuda agora, precisam de paz agora. O Programa Mundial de Alimentos das Nações Unidas (PMA) precisa de financiamento e acesso para ajudar.

Centro da ONU realiza seminário em Brasília para discutir combate à deficiência nutricional infantil

Realizado conjuntamente pelo Centro de Excelência contra a Fome do Programa Mundial de Alimentos das Nações Unidas (PMA) e pela Royal DSM – empresa global de ciências atuante nas áreas da Nutrição, Saúde e Vida sustentável, o seminário “Micronutrientes: contribuindo para a infância no Brasil” debaterá políticas públicas para a fortificação de alimentos.

Dados das Nações Unidas apontam que o Brasil está entre os 51 países mais suscetíveis à prevalência da desnutrição, alcançando a marca de aproximadamente 5,2 milhões de pessoas desnutridas no ano de 2017.

O evento acontece no dia 7 de novembro, em Brasília, e reunirá representantes do governo, de empresas, universidades e organizações que atuam em diferentes âmbitos da cadeia alimentar para discutir maneiras de combate à fome e à deficiência nutricional infantil. O seminário é gratuito e, para participar, é necessário realizar inscrição prévia.

Família de refugiados Rohingya em abrigo em Kutupalong, Bangladesh - Foto: Andrew McConnell/ACNUR

ACNUR lança estratégia de energia limpa e renovável para refugiados

Energia limpa e renovável nos campos de refugiados e locais de hospedagem. A iniciativa é parte da Estratégia Global de Energia Sustentável do ACNUR, a Agência da ONU para Refugiados, e tem por objetivo impulsionar o acesso dos refugiados à energia segura e sustentável, minimizando o impacto ambiental.

O ACNUR estima que mais de 90% dos refugiados nos campos têm acesso limitado à eletricidade. Como resultado, muitos refugiados queimam lenha ou carvão para suprir as necessidades domésticas básicas, enquanto as instalações comunitárias e de apoio são frequentemente alimentadas por geradores a diesel. Essas fontes de energia têm custos ambientais e financeiros altos.

A Estratégia de Energia Sustentável tem duração de quatro anos e se baseia em iniciativas atuais para integrar o acesso à energia sustentável e minimizar o impacto ambiental nas operações de campo do ACNUR em todo o mundo.

Foto: Ministério da Saúde | Erasmo Salomão.

OPAS e Ministério da Saúde divulgam vencedores do Prêmio APS Forte para o SUS

A Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) e o Ministério da Saúde do Brasil divulgaram nesta terça-feira (29), em Brasília (DF), as três experiências vencedoras do “Prêmio APS Forte para o SUS: Acesso Universal”.

O Prêmio foi lançado no dia 5 de abril pela OPAS e o Ministério da Saúde durante um evento para marcar o Dia Mundial da Saúde, lembrado anualmente em 7 de abril, e recebeu mais de 1,2 mil inscrições de todos os estados brasileiros.

A premiação tem como objetivo identificar, dar visibilidade, reconhecer e promover iniciativas municipais, estaduais ou regionais que tenham como foco a melhoria da atenção primária à saúde (APS). Confira os ganhadores.

Cerimônia de encerramento da cooperação técnica do PNUD com a Secretaria Municipal de Educação de Maceió - Foto: Adalberto Farias/Divulgação

Parceria com PNUD melhora educação básica em Maceió

O município de Maceió conseguiu aumentar a média do Índice de Desenvolvimento De Educação Básica (Ideb) graças à parceria de cinco anos entre a Secretaria Municipal de Educação e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). A cooperação técnica terminou nesta semana, com um evento na capital alagoana.

Ao longo do projeto, foram produzidos livros e relatórios que ajudaram na reorganização da gestão escolar e educacional do município, incluindo novas propostas pedagógicas.

Energia eólica, limpa e renovável. Foto: Alexander Droeger/CC.

CEPAL e Senado Federal realizam seminário para debater desenvolvimento e sustentabilidade

A Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe das Nações Unidas (CEPAL) e o Senado Federal realizam, em Brasília, o Seminário Grande Impulso para a Sustentabilidade no Brasil.

O intuito é debater um desenvolvimento social e econômico que leve em consideração a sustentabilidade ambiental.

O evento acontece em Brasília, no Auditório Petrônio Portello do Senado, no dia 05 de novembro. A entrada é gratuita, sujeita à inscrição prévia.

Yilmara e Ghazal, ex-participantes do Empoderando Refugiadas, compartilharam suas experiências com o empreendedorismo gastronômico. Foto: ACNUR | Fellipe Abreu.

Mulheres refugiadas compartilham experiências sobre empreendedorismo em São Paulo

No Museu da Imigração de São Paulo, workshop do Projeto Empoderando Refugiadas reuniu na última segunda-feira (28) mulheres refugiadas e profissionais do mercado para um debate sobre empreendedorismo.

O encontro foi realizado em parceria com Migraflix e MRV, e contou com a presença e depoimentos de refugiadas que abriram seus negócios na área da gastronomia depois de participarem de edições anteriores do projeto.

O Empoderando Refugiadas é uma iniciativa conjunta da Rede Brasil do Pacto Global, Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) e ONU Mulheres com foco na empregabilidade de mulheres em situação de refúgio no Brasil.

Cidade de Fortaleza, no Ceará, foi escolhida pela categoria Design. Foto: Mtur | Jade Queiroz.

Belo Horizonte e Fortaleza entram na lista da Rede de Cidades Criativas da UNESCO

Belo Horizonte, pela Gastronomia, e Fortaleza, pelo Design, foram as duas cidades brasileiras escolhidas neste ano para integrar a Rede de Cidades Criativas da Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (UNESCO). Elas se juntam à Paraty (RJ), Salvador (BA), Brasília (DF), Belém (PA), Curitiba (PR), Santos (SP), João Pessoa (PB) e Florianópolis (SC), que já fazem parte da Rede.

As 246 cidades que integram o projeto funcionam como um laboratório de ideias e de práticas inovadoras, trazendo contribuições concretas para o cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 das Nações Unidas.

A divulgação da lista com os 66 municípios escolhidos pela UNESCO aconteceu no Dia Mundial das Cidades, lembrado anualmente em 31 de outubro.

Agricultora brasileira da associação da comunidade negra de Jatobá. Foto: Banco Mundial/Romel Simon

ARTIGO: O papel das mulheres na segurança alimentar

Em artigo, o representante da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) no Brasil, Rafael Zavala, analisa o papel das mulheres na segurança alimentar à luz dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). Ao mesmo tempo em que são responsáveis por mais da metade da produção de alimentos, mais de 60% das pessoas com gome crônica no mundo também são mulheres e meninas. Leia o artigo completo.

Tóquio é a maior cidade do mundo, com 37 milhões de habitantes. Foto: Banco Mundial | Antony Tran.

No Dia Mundial das Cidades, ONU propõe debate acerca dos desafios da urbanização global

Concentrando mais de 70% das emissões globais de dióxido de carbono, os centro urbanos “são onde a batalha climática será amplamente vencida ou perdida”, afirmou o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, em sua mensagem oficial para o Dia Mundial das Cidades, celebrado anualmente em 31 de outubro.

Sob o tema “Mudando o mundo: inovações e uma vida melhor para as gerações futuras”, a Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (UNESCO) sediará hoje (31) uma conferência em Paris para debater com representantes de cerca de 24 municípios de todas as partes do mundo os desafios e as oportunidades trazidos com o processo de urbanização.

Segundo o Departamento de Assuntos Econômicos e Sociais das Nações Unidas (UN Desa), até 2050, cerca de 6,7 bilhões de pessoas estarão vivendo em cidades – tornando o mundo quase 70% urbano.

Santiago do Chile. Foto: Santiago do Chile. Foto: B1mbo/Wikipédia/CC

Chile desiste de sediar conferência sobre mudança climática; ONU busca alternativas

As Nações Unidas confirmaram nesta quarta-feira (30) a informação sobre a desistência do Chile de sediar a Conferência Internacional sobre Mudança Climática (COP 25).

Em nota, a secretária-executiva da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (IPCC, na sigla em inglês), Patricia Espinosa, disse ter recebido a comunicação direta do presidente chileno, Sebastián Piñera, de que seu país não sediará mais o evento, marcado para ocorrer de 2 a 13 de dezembro.

Espinosa disse que o Chile está “atravessando uma situação difícil”, e que ela e sua equipe já começaram a pensar em alternativas para que a conferência seja realizada em outro lugar.

CEPAL e OIT lançaram 21ª edição da publicação Conjuntura Laboral na América Latina e no Caribe (outubro de 2019). Foto: OIT

Igualdade de gênero no mercado de trabalho é crucial para crescimento latino-americano

O acesso das mulheres a atividades remuneradas e a redução das lacunas de gênero no mercado de trabalho são cruciais para o crescimento, a igualdade e a diminuição da pobreza na América Latina e no Caribe, destacou estudo de Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL) e Organização Internacional do Trabalho (OIT) divulgado na segunda-feira (28).

Apesar de redução recente, a diferença entre a taxa de participação de homens e mulheres no mercado de trabalho latino-americano era de 25,9 pontos percentuais em 2018, indicou a publicação.