São Paulo conclui fase piloto de projeto da ONU sobre governança migratória

Representantes da cidade de São Paulo (SP) participaram neste mês (24) de encontro promovido em Nova Iorque pela Organização Internacional para as Migrações (OIM) para discutir o uso de estatísticas no mapeamento de políticas públicas sobre migrantes.

Evento também teve a participação de delegações de Montreal, no Canadá, e Accra, em Gana. Os três municípios implementaram um projeto da OIM sobre governança migratória.

Refugiados residentes em São Paulo. Foto: ACNUR / L. Leite

Refugiados residentes em São Paulo. Foto: ACNUR/L. Leite

Representantes da cidade de São Paulo (SP) participaram neste mês (24) de encontro promovido em Nova Iorque pela Organização Internacional para as Migrações (OIM) para discutir o uso de estatísticas no mapeamento de políticas públicas sobre migrantes. Evento também teve a participação de delegações de Montreal, no Canadá, e Accra, em Gana. Os três municípios implementaram um projeto da OIM sobre governança migratória.

A reunião em Nova Iorque marcou a conclusão da fase piloto do programa Indicadores Locais de Governança da Migração (Local MGI, na sigla em inglês). Lançada em julho do ano passado, a iniciativa adaptava, para o nível municipal, os indicadores nacionais criados em 2015 pela OIM. Com essas estatísticas, a agência da ONU conseguiu ajudar 50 países a avaliar as suas estruturas de governança migratória.

Agora, o organismo internacional mira os esforços locais para gerir a migração. Os Indicadores Locais de Governança da Migração reúnem 87 índices que orientam as autoridades de municípios a identificar estratégias já implementadas, boas práticas e áreas que podem ser melhoradas. O projeto também permite que governos locais aprendam uns com os outros, discutindo desafios comuns e mapeando soluções potenciais.

“A principal qualidade do Local MGI é o diálogo que ele pode criar, não apenas entre autoridades locais e nacionais, mas também entre cidades que vivem desafios similares com relação à gestão da migração”, afirma o oficial de políticas de migração da OIM, David Martineau.

O encontro entre representantes de São Paulo, Montreal e Accra foi uma oportunidade de as cidades-piloto apresentarem os seus resultados no uso dos indicadores. Durante o evento, as delegações também discutiram como melhorar a metodologia do projeto da OIM para torná-la mais acessível a um número maior de cidades.

Os resultados das avaliações das três cidades, por meio dos indicadores, serão disponibilizados em breve em meio online, no Portal de Dados sobre Migração da OIM. Nos próximos meses, a agência da ONU vai aperfeiçoar a metodologia para realizar a análise em mais cidades.

Para mais informações, entre em contato com David Martineau, do escritório da OIM em Nova Iorque: dmartineau@iom.int.