Ruanda: tribunal da ONU reduz pena de prisão de oficial condenado

A câmara de apelações concluiu que a câmara de julgamento errou e que Ntawukulilyayo não comandou diretamente o genocídio na colina em Kabuye, em abril de 1994.

O tribunal de crime de guerras das Nações Unidas criado após o genocídio de Ruanda reduziu nesta quarta-feira (14/12) a pena de prisão do ex-subprefeito de Butare, que foi condenado no ano passado pela participação em um massacre em abril de 1994, em que milhares de civis da etnia tutsis morreram.

Durante o julgamento, o Tribunal Penal Internacional de Ruanda (TPIR) ouviu como Dominique Ntawukulilyayo conduziu muitas famílias tutsis para a colina Kabuye, prometendo-lhes que eles seriam protegidos e alimentados. Porém, mais tarde acabou transportando soldados para atacar os tutsis, matando milhares de pessoas.

A câmara de apelações concluiu que a câmara de julgamento errou e que Ntawukulilyayo não comandou diretamente o genocídio na colina em Kabuye em 23 de abril de 1994.

Entretanto, o painel de cinco membros da câmera manteve grande parte da condenação de Ntawukulilyayo pela sua ajuda e cumplicidade no genocídio. Dominique Ntawukulilyayo servirá agora 20 anos de prisão, em vez dos 25 anos iniciais.