Rio+20 será retrocesso se não incluir direitos humanos no documento final, avaliam Major Groups

Para representantes da sociedade civil, não há desenvolvimento sustentável sem garantia de acesso à terra, alimentação e saúde.

Representantes da sociedade civil pediram hoje (15/06) que os negociadores do documento final da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio+20) olhem cuidadosamente para a questão dos direitos humanos. Para os participantes dos Major Groups, é impossível alcançar um desenvolvimento sustentável sem considerar o tema.

Paul Quintos, da organização não governamental Ibon, avalia ser necessário que o documento final da Rio+20 garanta o acesso democrático ao desenvolvimento sustentável. “Caso elas [questões de direitos humanos] não sejam incluídas, teremos um retrocesso.”

Segundo Gita Sen, da rede de pesquisadoras feministas Dawn, os eventos paralelos à Rio+20 registraram diversas histórias de desrespeito aos direitos humanos em prol do desenvolvimento, como a retirada de terra de povos indígenas e o não cumprimento do direito à alimentação.

“A não inclusão dos direitos humanos em debates de desenvolvimento terá graves consequências, como a captação para a corrupção, a violência. Além disso, não é possível uma produção sustentável se não cuidarmos da saúde, da sobrevivência e do meio ambiente de famílias e comunidades”, afirma.