Rio de Janeiro é sede da 11ª Copa dos Imigrantes

Centro de Informação das Nações Unidas promove em conjunto com a Liga Nacional dos Imigrantes evento que utiliza o futebol para promover os direitos humanos e valores de solidariedade.

Rio de Janeiro é sede da 11ª Copa dos ImigrantesCentro de Informação das Nações Unidas promove em conjunto com a Liga Nacional dos Imigrantes evento que utiliza o futebol para promover os direitos humanos e valores de solidariedade.

O Centro de Informação das Nações Unidas para o Brasil (UNIC Rio) e a Liga Nacional dos Imigrantes realizaram nesta quinta-feira (25 de setembro), no Rio de Janeiro, a abertura da 11ª edição da Copa dos Imigrantes, evento que promove valores como tolerância e cooperação através do esporte. Este ano a Copa celebra o 60º aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos.

A Copa dos Imigrantes é realizada desde 1992 com o propósito de reunir comunidades estrangeiras no Rio de Janeiro. Este ano participam da competição as seleções de Angola, Cabo Verde, Espanha, França, Israel, Itália, Japão e Portugal, e serão realizadas partidas, dentre outros, no Estádio Olímpico João Havelange (Engenhão), em São Januário e no Maracanã.

Segundo o Diretor do UNIC, Giancarlo Summa, a Copa dos Imigrantes neste ano tem como objetivo “celebrar a amizade entre os povos, os 60 anos Declaração Universal dos Direitos Humanos e o centenário da imigração japonesa ao Brasil”. Ele afirmou que “os princípios fundamentais do esporte, como o respeito pelos adversários e pelas regras, o trabalho em equipe e a diversão, sempre estiveram em sintonia com os princípios da ONU“. O futebol, destacou Summa, é talvez o esporte mais popular do mundo e a prática desportiva coletiva é “um meio poderoso pelo qual a ONU pode trabalhar para alcançar os direitos humanos, além de transmitir uma mensagem de integração em uma época que muitas fronteiras estão sendo erguidas”.

Presidente da Liga Nacional dos Imigrantes, Carlos Henrique Jassus, disse “se sentir emocionado por conseguir realizar mais uma edição da Copa”, e observou que a parceria com as Nações Unidas foi fundamental para a realização da competição. Para Jassus, os direitos humanos começam na igualdade, na integração entre os povos e no convívio pacífico. Jassus também homenageou o Centenário da Imigração Japonesa para o Brasil e desejou sorte aos participantes.