Reunião em Viena discute impactos do avanço tecnológico na indústria global

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

Oficiais de missões permanentes credenciadas na Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (UNIDO) e representantes do setor privado reuniram-se em Viena na semana passada (27) para sessão informativa sobre a Cúpula Global de Produção e Industrialização (GMIS, na sigla em inglês), que ocorrerá em julho de 2019 na Rússia. A reunião teve como objetivo discutir formas de impulsionar mudanças transformadoras na indústria global.

O vice-diretor-geral da UNIDO, Hiroshi Kuniyoshi, abriu a sessão, observando que “atualmente, estamos vendo uma crescente convergência de indústrias digitais e manufatureiras”. “Tecnologias e processos de fabricação avançados, como impressão 3D, inteligência artificial, robótica avançada, tecnologias vestíveis e a Internet das Coisas, vão revolucionar a indústria em escala global”, declarou.

Realizada à margem da 46ª sessão do Conselho de Desenvolvimento Industrial, a sessão foi organizada em conjunto pela UNIDO, o Comitê Organizador da GMIS e a Missão Permanente da Rússia. Foto: UNIDO

Realizada à margem da 46ª sessão do Conselho de Desenvolvimento Industrial, a sessão foi organizada em conjunto pela UNIDO, o Comitê Organizador da GMIS e a Missão Permanente da Rússia. Foto: UNIDO

Oficiais de missões permanentes credenciadas junto à Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (UNIDO) e representantes do setor privado reuniram-se em Viena na semana passada (27) para uma sessão informativa sobre a Cúpula Global de Produção e Industrialização (GMIS, na sigla em inglês), com o objetivo de discutir formas de impulsionar mudanças transformadoras na indústria.

Realizada à margem da 46ª sessão do Conselho de Desenvolvimento Industrial, a sessão foi organizada em conjunto pela UNIDO, o Comitê Organizador da GMIS e a Missão Permanente da Rússia.

A GMIS, uma iniciativa conjunta entre os Emirados Árabes Unidos e a UNIDO, foi criada em 2015 para construir pontes entre fabricantes, governos, ONGs, tecnólogos e investidores, aproveitando o cenário de quarta revolução industrial para permitir a retomada da economia global, de forma alinhada com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) das Nações Unidas.

Uma série de “roadshows” nacionais e regionais, realizados em países de alta renda e em desenvolvimento, visam criar consensos que contribuirão para a formação do programa e da agenda da próxima GMIS, que acontecerá em julho de 2019 na cidade de Yekaterinburg, na Rússia. A cúpula do ano que vem terá como tema “tecnologias inspiradas na natureza”, destacando as maneiras pelas quais a indústria é inspirada no meio ambiente e nos ecossistemas.

O vice-diretor-geral da UNIDO, Hiroshi Kuniyoshi, abriu a sessão, observando que “atualmente, estamos vendo uma crescente convergência de indústrias digitais e manufatureiras”. “Tecnologias e processos de fabricação avançados, como impressão 3D, inteligência artificial, robótica avançada, tecnologias vestíveis e a Internet das Coisas, vão revolucionar a indústria em escala global”, declarou.

“Vários países implementaram estratégias para capturar os potenciais benefícios da quarta revolução industrial. No entanto, essas estratégias tendem a se concentrar apenas em alguns setores prioritários: o que é necessário é uma perspectiva global, totalmente alinhada com a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável”, disse ele.

O representante permanente da Rússia junto à UNIDO, Mikhail Ivanovich Ulyanov, também falou aos participantes, acrescentando que o desenvolvimento da indústria é uma das prioridades de seu país, incluindo a construção de novos parques e clusters industriais e o desenvolvimento de soluções digitais.

De acordo com Ulyanov, a GMIS é uma plataforma importante para discutir as questões relacionadas ao desenvolvimento industrial, bem como a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, na era da quarta revolução industrial. Ele também aproveitou a oportunidade para convidar o público para a segunda GMIS em julho de 2019 em Yekaterinburg.

O representante permanente dos Emirados Árabes Unidos para a UNIDO, Hamad Al Kaabi, sublinhou a forte relação entre a UNIDO e o seu país e concluiu: “à medida que os Emirados Árabes Unidos se preparam para a segunda edição da cúpula, estou confiante de que esta intensificará o impacto da inovação e das tecnologias da quarta revolução industrial no setor manufatureiro global por meio da disseminação mundial de conhecimento, melhores práticas e padrões”.

Badr Al-Olama, chefe do comitê organizador do GMIS, disse: “embora os avanços tecnológicos sejam a espinha dorsal da competitividade industrial de um país, precisamos de um roteiro para a indústria manufatureira que abra caminho para que ela seja inclusiva e sustentável”. “Há muitos que continuam privados do impacto da era digital, e acreditamos que a Cúpula Global de Produção e Industrialização oferece uma plataforma transformadora para uma discussão significativa e, potencialmente, uma ação nesse sentido”.

“Nossa cúpula atraiu um público de múltiplas partes interessadas de todo o mundo, e isso serve apenas para reforçar nossos esforços para tornar o mundo um lugar melhor, reposicionando a indústria como um meio de promover o bem global e não apenas o comércio econômico. Estamos muito satisfeitos em estar aqui hoje na 46ª sessão do Conselho de Desenvolvimento Industrial para compartilhar a ambiciosa visão estabelecida pela GMIS e conduzir um diálogo global e um consenso sobre o futuro do setor.”

Veronika Peshkova, embaixadora da Boa Vontade da UNIDO, que também participou da sessão, elogiou o potencial dos negócios por meio da GMIS, observando que esta “é uma plataforma frutífera para trocar conhecimento e encontrar clientes e investidores em potencial”. Além disso, afirmou que se as mulheres desempenharem um papel idêntico no mercado de trabalho ao dos homens, até 20 trilhões de dólares poderiam ser adicionados ao PIB anual global até 2025.


Mais notícias de:

Comente

comentários