Resultado de cúpula sobre o combate à fome é ‘grande passo’ contra ‘injustiça da desnutrição’, diz ONU

ONU elogiou evento “Nutrição para o Crescimento”, organizado pelos governos do Brasil e do Reino Unido em Londres. No encontro foram definidas medidas para melhorar a nutrição para crianças e mães em todo o mundo.

Uma criança é medida para determinar se está desnutrida no Mali. Foto: OCHA

Uma criança é medida para determinar se está desnutrida no Mali. Foto: OCHA

Funcionários das Nações Unidas parabenizaram os fundos prometidos e acordos políticos alcançados na cúpula “Nutrição para o Crescimento”, realizada no último sábado (8), em Londres, como uma nova oportunidade para garantir que milhões de crianças e mulheres grávidas tenham melhores dietas e para reduzir os casos de crescimento reduzido e mortes por desnutrição.

Em uma mensagem de vídeo para o evento, o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, reafirmou o compromisso da ONU em diminuir a desnutrição em todas as suas formas. “Nenhuma criança deverá sofrer a injustiça da desnutrição. No entanto, uma em cada quatro serão vítimas do atrofiamento causado pela desnutrição crônica – se não agirmos”, disse Ban.

O evento, que reuniu líderes de governos, do setor privado e da sociedade civil, foi organizado pelos governos do Brasil e do Reino Unido em parceria com a Fundação Fundo de Investimento das Crianças (CIFF).

De acordo com o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), a cúpula resultou na renovação de compromissos para acelerar o progresso de reduções significativas no crescimento reduzido e para melhorar a nutrição para as crianças e mães em todo o mundo – incluindo promessas iniciais de recursos superiores a 4 bilhões de dólares.

“Para as crianças que enfrentam a ameaça do crescimento reduzido – algo que não só os priva de uma boa saúde física, mas também enfraquece o seu potencial para aprender, de ganhar uma renda decente e de contribuir para o crescimento de suas comunidades – o encontro de hoje ressalta a determinação global para combater essa ameaça”, disse o diretor executivo do UNICEF, Anthony Lake, em um comunicado para a imprensa.

O Movimento “Scaling Up Nutrition” também saudou o pacto feito pelos líderes mundiais. Desde o seu lançamento em 2010, o grupo se expandiu para 40 países que, juntos, são o lar de 80 milhões de crianças raquíticas, o equivalente a cerca de metade de todas as crianças raquíticas do mundo.

“Uma boa nutrição é essencial para o crescimento dos indivíduos, das nações e economias”, disse David Nabarro, coordenador do Movimento SUN. “Todos no Movimento estão animados com este evento em Londres, que deverá ser lembrado como o dia em que o mundo começou a virar uma esquina e começou a ver o fim do escândalo da desnutrição infantil no mundo de hoje”, disse ele em um anúncio para a imprensa durante o evento.