Ressurgimento de ebola na Libéria mostra importância de permanecer vigilante, afirma ONU

O país agora terá que esperar o período de incubação de 42 dias sem novos casos de transmissão do vírus para confirmar que está novamente livre do ebola.

Clínica móvel para fornecer serviços básicos de saúde na Libéria. Foto: UNMEER / Simon Ruf

Clínica móvel para fornecer serviços básicos de saúde na Libéria. Foto: UNMEER / Simon Ruf

A Organização Mundial da Saúde (OMS) informou nesta quarta-feira (1) que o ebola ressurgiu na Libéria depois que testes confirmaram o contágio de um adolescente, que morreu no início desta semana. Há dois meses, o país que tinha sido declarado livre da transmissão do vírus.

“O ressurgimento do ebola na Libéria mostra a importância de permanecer vigilante. Precisamos nos manter concentrados até zerarmos o número de casos”, disse a Missão das Nações Unidas para a Resposta de Emergência ao Ebola (UNMEER). “O surto de ebola na África Ocidental ainda não acabou. Devemos permanecer comprometidos até que o trabalho esteja feito”.

Em sua atualização semanal sobre ebola, a OMS informou que sua vigilância de rotina detectou em 29 de junho um caso do vírus na Libéria – o primeiro confirmado no país desde 20 de março. A Libéria agora terá que esperar o período de incubação de 42 dias sem novos casos de transmissão do vírus para confirmar que está novamente livre do ebola.

Até o momento, houve um total de 27.514 casos de ebola na Guiné, Libéria e Serra Leoa, com 11.220 mortes relatadas, de acordo com a OMS.