República Democrática do Congo: ausência de fundos dificulta assistência a desabrigados

Aproximadamente 1,9 milhão de pessoas na República Democrática do Congo (RDC) – metade crianças – continuam morando longe de suas casas após terem sido desalojadas em decorrência de conflitos armados, relatou nesta terça-feira (01) o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF).

República Democrática do Congo: ausência de fundos dificulta assistência a desabrigados. Foto: UN.Aproximadamente 1,9 milhão de pessoas na República Democrática do Congo (RDC) – metade crianças – continuam morando longe de suas casas após terem sido desalojadas em decorrência de conflitos armados, relatou nesta terça-feira (01) o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF).

A ausência de fundos dificulta a assistência aos desabrigados. Para alcançar as necessidades humanitárias dos que precisam de ajuda neste ano, o UNICEF requisitou 133 milhões de dólares, mas apenas pouco mais de 20 milhões de dólares foram recebidos até agora.

Uma campanha de vacinação liderada pelo UNICEF alcançou mais de 400 mil pessoas, incluindo 85 mil crianças até cinco anos de idade e quase 43 mil mulheres grávidas na região leste da RDC, onde o conflito se iniciou há mais de uma década. Entretanto, a falta de fundos dificultou a imunização de mais 80 mil crianças até um ano de idade e de mais de 16 mil grávidas.

Os programas do UNICEF na República Democrática do Congo são focados em saúde, educação, higiene, água e imunização. De acordo com agências humanitárias da ONU, civis tem sido alvos frequentes de ataques, estupros e recrutamentos para grupos armados por parte de combatentes na RDC.