República Centro-Africana: ONU condena assassinato de integrante marroquino das forças de paz

Força de paz da ONU no país foi atacada enquanto se dirigia a aldeia que estava sendo atacada pelo grupo terrorista Exército de Resistência do Senhor (LRA). Chefe da ONU pediu que autores sejam levados à justiça.

Membros das forças de paz perto de Bangui, capital da República Centro-Africana. Foto: ONU/Catianne Tijerina

Membros das forças de paz perto de Bangui, capital da República Centro-Africana. Foto: ONU/Catianne Tijerina

O secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, condenou o assassinato de um membro marroquino das forças da paz da ONU na República Centro-Africana (MINUSCA). O atentado ocorreu no domingo (17) na cidade de Rafai, Mbomou.

Em um comunicado atribuível ao seu porta-voz, o secretário-geral disse que o incidente ocorreu quando uma patrulha da MINUSCA seguia para Rafai em resposta a um ataque contra a aldeia vizinha de Agoumar. Segundo as informações recebidas pela ONU, os ataques estavam sendo promovidos pelo Exército de Resistência do Senhor (LRA).

O integrante da força de paz foi baleado por agressores desconhecidos e não resistiu aos ferimentos.

“O secretário-geral reitera que os ataques contra aqueles que estão trabalhando para a paz e a segurança na República Centro-Africana são inaceitáveis”, disse o comunicado. “Ele exorta o governo recém-eleito a garantir que os seus autores sejam levados à justiça.”

O chefe da ONU também ofereceu suas condolências à família da vítima e ao governo e povo de Marrocos.

No final do dia, os membros do Conselho de Segurança da ONU também condenaram o ataque, assim como todos os ataques e provocações contra a MINUSCA por parte de grupos armados.

Os membros do órgão da ONU reiteraram que os ataques contra as forças de paz podem constituir crimes de guerra e lembraram a todas as partes sobre suas obrigações sob o direito internacional humanitário. Eles apelaram ao governo para investigar o ataque e responsabilizar judicialmente os criminosos.

Os membros do Conselho reiteraram o seu apoio total à MINUSCA, que busca ajudar o governo recém-eleito – responsável primariamente por proteger a sua população. A ONU também apoia as pessoas na RCA em seus esforços para trazer a paz e a estabilidade duradouras para o seu país.