Representantes do projeto Além do Algodão visitam agricultores de Moçambique

Representantes do Além do Algodão, projeto do Centro de Excelência contra a Fome da ONU e da Agência Brasileira de Cooperação (ABC) para fortalecer a cadeia do algodão em quatro países africanos, iniciaram na semana passada (15) visitas a escolas e agricultores familiares das províncias de Tete e Manica, em Moçambique.

O projeto visa apresentar novos canais de comercialização institucionais e privados aos agricultores familiares, incentivando a diversificação de cultivos e garantindo, além do consumo de subsistência, a venda dos excedentes nos próprios territórios.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Representantes do Além do Algodão, projeto do Centro de Excelência contra a Fome da ONU e da Agência Brasileira de Cooperação (ABC) para fortalecer a cadeia do algodão e de seus subprodutos em quatro países africanos — Benim, Moçambique, Quênia e Tanzânia —, iniciaram na semana passada (15) visitas a escolas e agricultores familiares das províncias de Tete e Manica, em Moçambique.

A visita teve a participação de representantes da Universidade de Lavras (MG), do Instituto Algodão de Moçambique e do Programa Mundial de Alimentos (PMA) do país. A equipe em campo, formada por nutricionistas, engenheiros agrônomos e técnicos, está trabalhando no mapeamento das áreas geográficas prioritárias para a elaboração do projeto no país.

Dentro deste mapeamento, feito com a colaboração de técnicos e agricultores locais, está o estudo dos hábitos alimentares e de novos alimentos que possam ser produzidos e comercializados pelos agricultores familiares, com o intuito de enriquecer a dieta local.

As informações levantadas servirão de insumos para a implantação conjunta de novos métodos de plantio e de rotação de cultivos e agregação de valor aos subprodutos do algodão e dos cultivos alimentares. A visita servirá como norte para a escolha das comunidades que atuarão em projetos-piloto de implementação da iniciativa, além de receber subsídio para replicação em outros territórios no país.

O projeto Além do Algodão visa apresentar novos canais de comercialização institucionais e privados aos agricultores familiares, incentivando a diversificação de cultivos e garantindo, além do consumo de subsistência, a venda dos excedentes nos próprios territórios. O fortalecimento de capacidades técnicas é a principal estratégia utilizada nesta cooperação trilateral, visando impactos de longo prazo e com foco na sustentabilidade.

A ação é uma iniciativa conjunta entre a ABC, o Instituto Brasileiro do Algodão e o Centro de Excelência contra a Fome do Programa Mundial de Alimentos (PMA). A intenção é apoiar produtores familiares de algodão e instituições públicas de países africanos para conectar os subprodutos do algodão e as culturas alimentares associadas à produção de algodão a mercados estáveis, inclusive programas de alimentação escolar.