Representantes da ONU repudiam violência durante eleições na República Democrática do Congo

“Diferenças políticas não podem ser resolvidas através de assassinatos e forças de segurança não devem reprimir multidões”, diz Alta Comissária para Direitos Humanos.

Representantes das Nações Unidas condenaram hoje (1/12) a violência durante as eleições na República Democrática do Congo e pediram a todos os lados para que resolvam qualquer diferença por meios pacíficos. O escritório conjunto da ONU para os direitos humanos no país está investigando relatos sobre a morte de mais de 10 pessoas, supostamente por forças de segurança e por membros de partidos políticos.

Milhões de congoleses foram às urnas na segunda-feira (28/11) para votar em suas eleições presidenciais e parlamentares – esta foi apenas a segunda vez  que o país participou de um processo democrático de eleição desde a independência de 1960 . Eles aguardam agora o anúncio dos resultados preliminares da Comissão Eleitoral Nacional Independente.

“Claramente, as diferenças políticas não podem ser resolvidas através de assassinatos e as forças de segurança não devem tomar medidas repressivas para controlar as multidões”, disse a Alta Comissária para os Direitos Humanos, Navi Pillay. “Tais violações, bem como a violência cometida pelos afiliados dos partidos políticos devem ser levadas à investigação e os criminosos à justiça sem demora.”