Representantes da ONU iniciam Missão na Nigéria, onde 330 mil crianças correm risco de desnutrição

As representantes da ONU se reuniram com o Primeiro-Ministro nigeriano, Brigi Rafini. O país tem um terço da população em estado de insegurança alimentar.

As mães que esperam para ter os seus filhos avaliados e pesados ​​no centro de alimentação na região do Níger Maradai. (PAM/Phil Behan)Nesta sexta-feira (17/02), duas funcionárias da ONU iniciam uma Missão conjunta na Nigéria para chamar a atenção do mundo para a piora nas taxas de alimentação do país e do Sahel da África Ocidental. A região tem resgistrado baixas colheitas, colocando milhares de pessoas em necessidade de ajuda. Um terço da população da Nigéria sofre de insegurança alimentar e 330 mil crianças com idade inferior a cinco anos correm risco de desnutrição.

A Missão conjunta da Sub-Secretária-Geral para Assuntos Humanitários, Valerie Amos, e da Administradora do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, Helen Clark, busca estabelecer a base para uma abordagem de resposta nacional. “Sabemos o que está vindo, e sabemos o que fazer para salvar vidas”, disse Amos.”Estamos tentando evitar uma catástrofe”.

Em toda a região do Sahel, agências internacionais pediram mais de 724 milhões para financiar a ajuda em resposta à crise. Até agora, os doadores providenciaram 135 milhões. “Precisamos de mais recursos para evitar uma crise de larga escala”, alertou Amos. Helen Clark, por sua vez, ressaltou que a resposta imediata para a crise deve ser seguida de programas de ajuda para o desenvolvimento no longo prazo.

As representantes da ONU encontraram o Primeiro-Ministro Nigeriano Brigi Rafini e outros ministros que trabalham na área da Segurança, assim como representantes de organizações não governamentais e funcionários da ONU no país.