Representante do UNFPA apresenta em Nova Iorque experiência do Brasil em Cooperação Sul-Sul

O representante do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) no Brasil, Jaime Nadal, apresentou durante evento na sede da ONU, em Nova Iorque, os avanços alcançados pelo país por meio da Cooperação Sul-Sul e os benefícios deste tipo de modelo durante apresentação voltada para especialistas da agência das Nações Unidas em todo o mundo.

A Cooperação Sul-Sul é um modelo de cooperação em que dois ou mais países em desenvolvimento atuam em conjunto, por meio do intercâmbio de conhecimentos e habilidades, para atingir determinados objetivos. No Brasil, os projetos são viabilizados por meio do diálogo constante e da parceria com a Agência Brasileira de Cooperação (ABC).

Como exemplos, o representante do UNFPA citou o projeto que visa buscar a igualdade de gênero e o empoderamento de mulheres em países africanos, uma cooperação entre Brasil e Moçambique, com a participação do UNFPA; e o projeto do Censo Eletrônico, que leva o pioneirismo da tecnologia do Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE) no levantamento e registro de dados populacionais a países da África.

Países africanos têm buscado cooperação técnica com IBGE. Foto: EBC

Países africanos recebem apoio do IBGE para implementar coleta eletrônica de dados. Foto: EBC

O representante do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) no Brasil, Jaime Nadal, apresentou durante evento na sede da ONU, em Nova Iorque, os avanços alcançados pelo país por meio da Cooperação Sul-Sul e os benefícios deste tipo de modelo durante apresentação voltada para especialistas da agência das Nações Unidas em todo o mundo.

A Cooperação Sul-Sul é um modelo de cooperação em que dois ou mais países em desenvolvimento atuam em conjunto, por meio do intercâmbio de conhecimentos e habilidades, para atingir determinados objetivos. No Brasil, os projetos são viabilizados por meio do diálogo constante e da parceria com a Agência Brasileira de Cooperação (ABC).

Nadal destacou que, aos moldes de como vem sendo praticada, a Cooperação Sul-Sul é bastante diferente do modelo de Cooperação Norte-Sul, feita, em geral, com países desenvolvidos. “A visão de Cooperação Sul-Sul está para além da relação entre país doador e receptor para uma cooperação muito mais horizontal. Neste tipo de modelo, também não se valoriza apenas o financiamento, mas também a expertise e o conhecimento”, lembrou.

Como exemplos, o representante do UNFPA citou o projeto que visa buscar a igualdade de gênero e o empoderamento de mulheres em países africanos, uma cooperação entre Brasil e Moçambique, com a participação do UNFPA; e o projeto do Censo Eletrônico, que leva o pioneirismo da tecnologia do Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE) no levantamento e registro de dados populacionais a países da África.

“Projetos como esses têm um enorme impacto e benefícios para um país, principalmente os países africanos, além de produzir um excelente intercâmbio de tecnologias que é muito produtivo”, ressaltou.

Fórum Político de Alto Nível

Nadal aproveitou a apresentação para destacar a assinatura do acordo de cooperação global firmado com a Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ). O representante do UNFPA está em Nova Iorque por ocasião do Fórum Político de Alto Nível 2019, que reúne especialistas da ONU e atores governamentais do mundo todo para discutir questões relacionadas aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Neste ano, o tema do fórum é a capacitação das pessoas e a garantia de inclusão e igualdade. Nesta linha, serão discutidas questões como o acesso à educação, trabalho e a redução das desigualdades.