Conselho de Segurança condena escalada de ataques do Boko Haram

Chade enviará soldados para Camarões para ajudar na luta contra o Boko Haram. O grupo extremista sequestrou 80 pessoas – a maioria crianças – na nação camaronense.

Um grupo de refugiados da Nigéria descansam no vilarejo de Mora, em Camarões, depois de ataques do grupo Boko Haram. Foto: ACNUR/D. Mbaoirem

Um grupo de refugiados da Nigéria
descansam no vilarejo de Mora, em Camarões, depois de ataques do grupo Boko Haram. Foto: ACNUR/D. Mbaoirem

O Conselho de Segurança da ONU condenou veemente, nesta segunda-feira (19), a recente escalada de ataques do Boko Haram e mostrou sua preocupação sobre como os últimos eventos podem estar afetando a paz e estabilidade da África Central e Oriental. Através de um comunicado, o Conselho demandou que o grupo armado cesse as hostilidades e condenou as violações de direitos humanos e direito internacional humanitário perpetradas pelos militantes desde 2009. A declaração dos 15 membros do organismos também exigiu a liberação imediata e incondicional das 276 estudantes sequestradas em Chibok, norte da Nigéria, em abril.

A ação do Conselho é uma resposta ao ataque suicida de 10 e 11 de janeiro nos vilarejo de Maiduguri e Potisku, bem como a ofensiva em Baga, que resultou na “destruição massiva de casas de civis e um significativo número de mortos”.

Relatos iniciais indicam que meninas, possivelmente uma de apenas 10 anos, foram usadas nos ataques suicidas nos mercados de Maiduguri e Potiskum, ato condenado tanto pelo secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, como pelo o diretor executivo do Fundo da ONU para a Infância (UNICEF).

O Escritório das ONU para os Direitos Humanos enfatizou que o uso de crianças para detonar bombas “não era apenas moralmente repugnante, mas também constitui em uma notória forma de exploração infantil sob o direito internacional”.

Operações militares regionais contra Boko Haram

Nesta segunda-feira (19), a ONU parabenizou a decisão do Chade de enviar soldados para Camarões para ajudar na luta contra o Boko Haram. A medida ocorreu depois de vários ataques em vilarejos fronteiriços no nordeste de Camarões, que levantaram o receio de que insurgentes estejam ampliando suas ofensivas.

De acordo com relatos da mídia, cerca de 80 pessoas – a maioria crianças – foram sequestradas no último domingo (18) na nação camaronense, em uma das maiores ações do Boko Haram fora da Nigéria. Acredita-se que o exército de Camarões tenha conseguido libertar algumas dessas pessoas nesta segunda-feira.

Estima-se que ao menos 900 mil pessoas tenham fugido do norte da Nigéria. Nas últimas semanas, a Agência para os Refugiados da ONU (ACNUR) informou que o número de nigerianos que buscam abrigo no Chade quadruplicou.

O Conselho parabenizou a organização de uma reunião que acontecerá nesta quarta-feira (20) em Niamey, Niger, em que atores regionais discutirão a ameaça representada pelo Boko Haram. O Conselho elogiou a decisão dos Estados-Membros da Comissão da Bacia do Lago Chade e Benin de operacionalizar uma Força Tarefa Conjunta Multinacional para o envio de contingentes nacionais para conduzir operações militares contra o Boko Haram.


Comente

comentários