Remoção de barreiras para investimento em eficiência energética é imperativa, diz relatório da UNIDO

Eficiência energética industrial é a chave para o desenvolvimento industrial sustentável, especialmente em países em desenvolvimento, de acordo com o relatório lançado nesta terça-feira (17/01), em Abu Dhabi (Emirados Árabes Unidos), pela Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (UNIDO).

O documento intitulado “Eficiência energética industrial para a criação de riqueza sustentável: capturando dividendos ambientais, econômicos e sociais” salienta que a produção de energia sustentável é essencial para superar os grandes desafios que o mundo enfrenta atualmente.

“Um mundo que acaba de chegar a uma população de sete bilhões de pessoas deve levar em conta a eficiência energética industrial se quiser enfrentar desafios como crescimento verde, geração de emprego, segurança, mudança climática, produção de alimentos e redução de pobreza. A eficiência energética industrial é essencial para fortalecer economias, proteger ecossistemas e obter benefícios sociais”, avalia o Diretor-Geral da UNIDO, Kandeh K. Yumkella.

“Melhorar a eficiência energética industrial é a chave para o desenvolvimento industrial sustentável em todo o mundo, mas especialmente nos países em rápido desenvolvimento do sul. Vai ajudar a concretizar a economia global verde e indústrias verdes. Investimentos em tecnologias de eficiência energética, sistemas, processos, treinamento e aperfeiçoamento das competências devem nortear o crescimento verde de baixo carbono”, acrescenta.

O relatório afirma que o consumo de energia poderá crescer ainda mais rápido, já que países em desenvolvimento reduzem a diferença de renda e lidam com populações crescentes, exigindo mais produtos manufaturados. Isto torna imperativa a remoção de barreiras que atualmente impedem investimentos em eficiência energética.

Segundo Yumkella, o novo relatório é a principal contribuição da UNIDO para a iniciativa Energia Sustentável para Todos, lançada pelo Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, para alcançar três metas globais interligadas até 2030: acesso universal a serviços energéticos modernos; a duplicação da eficiência energética; e a duplicação da cota de energia renovável na oferta de energia mundial.

O relatório é voltado especialmente para os países em desenvolvimento e oferece estatísticas sobre valor agregado, tendências de exportação e outros indicadores-chave. Também apresenta o Índice de Performance Industrial Competitiva da UNIDO.