Relatório do PNUMA revela impactos do comércio mundial no meio ambiente

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

O documento indica que o valor das trocas comerciais internacionais cresceu seis vezes mais e o seu volume mais que dobrou entre 1980 e 2010. A intensificação da extração de recursos afeta, principalmente, as nações em desenvolvimento.

Refinaria de petróleo na Colômbia. Foto: Flickr/Aris Gionis (cc)

Refinaria de petróleo na Colômbia. Foto: Flickr/Aris Gionis (cc)

Ao passo em que os países vêm se tornando cada vez mais dependentes do comércio mundial, com 40% dos recursos extraídos no mundo ligados direta ou indiretamente ao comércio, novas políticas são necessárias para tratar de impactos ambientais adversos, de acordo com novo relatório internacional divulgado nesta quarta-feira (14).

“Comércio Internacional em Recursos: Uma análise biofísica”, produzido pelo Painel Internacional de Recursos (IRP, em inglês), organizado pelo Programa da ONU para o Meio Ambinete, revela que o valor das trocas comerciais internacionais cresceu seis vezes mais e o seu volume mais que dobrou entre 1980 e 2010.

O aumento do comércio vem sendo acompanhado por uma mudança nos processos de intensificação do uso de recursos, e associado as consequências ambientais para nações em desenvolvimento. O relatório examina as exigências de recursos do comércio, como materiais, energia, terra e água usadas no país que produz as mercadorias, mas que acaba deixando para trás resíduos e emissões.

“Os benefícios do comércio internacional podem incluir melhor acesso aos recursos e técnicas de produção ainda mais eficientes de economia de escala”, disse o diretor executivo do PNUMA, Achim Steiner. “No entanto, o aumento do consumo global resulta, sobretudo, em um impacto ao meio ambiente, da poluição à extinção de recursos”.


Mais notícias de:

Comente

comentários