Relatório da FAO aponta que preço dos alimentos pode subir em até 40% na próxima década

Um novo relatório da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, divulgado na semana passada, revela que o preço dos alimentos pode subir até 40% na próxima década. Trigo e outros grãos são os que mais devem subir, seguidos pelos óleos vegetais e os derivados do leite.

Trigo e outros grãos podem subir em até 40%. Foto: UN.Um novo relatório da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), divulgado na semana passada, revela que o preço dos alimentos pode subir até 40% na próxima década.

O relatório Perspectivas da Agricultura 2010-19 antecipa que os preços do trigo e de outros grãos podem pular para níveis entre 15% e 40% maiores do que costumavam oscilar entre 1997 e 2006. Outros produtos que também devem subir mais de 40% são os óleos vegetais e os derivados do leite. Já os picos nos preços para a pecuária não devem ser tão acentuados, mesmo com a demanda global crescente por carne, projetada para superar a demanda por outras commodities, já que alguns segmentos da população em economias emergentes estão mudando seus hábitos alimentares devido ao aumento de seu poder de consumo.

O relatório, publicado em parceria com a Organização para Cooperação Econômica e Desenvolvimento (OECD), observa que a produção agrícola mundial vai diminuir na próxima década, mas vai atender à demanda gerada pelo forte crescimento populacional até 2050.

No entanto, mesmo que haja comida suficiente para alimentar a população mundial, os picos de preços e a crise econômica resultaram na intensificação da fome e em insegurança alimentar – acredita-se que exista hoje no mundo cerca de um bilhão de pessoas subnutridas. “O papel dos países em desenvolvimento no mercado internacional está crescendo rapidamente, e à medida que seu impacto aumenta, aumenta também a influência de suas políticas no mercado global”, afirmou o Diretor-Geral da FAO, Jacquers Diouf, durante o lançamento do relatório, em Roma.