Relatores Especias pedem a libertação imediata de dois presos políticos no Irã

Um grupo de especialistas independentes das Nações Unidas apelaram pela libertação imediata da prisão iraniana de Nasrin Sotoudeh, uma proeminente advogada de direitos humanos, e Jafar Panahi, cineasta internacionalmente reconhecido, ambos recentemente agraciados pelo Parlamento Europeu com o prestigiado Prêmio Sakharov para a Liberdade de Pensamento.

Os dois fazem parte de um grupo de pelo menos 32 advogados e diversos outros defensores dos direitos humanos relacionados com o Defensores do Centro de Direitos Humanos, fundado pela Prêmio Nobel da Paz, Shirin Ebadi, e detidos atualmente no Irã. A situação de Sotoudeh é particularmente preocupante pois seu estado de saúde está se deteriorando devido à greve de fome que iniciou em 17 de outubro, como forma de denunciar suas condições de prisão.

Os relatores especiais sobre a situação dos direitos humanos no Irã, Ahmed Shaheed; sobre os defensores de direitos humanos, Margaret Sekaggya; sobre a independência de juízes e advogados, Gabriela Knaul; e sobre a liberdade de opinião e expressão, Frank La Rue, ressaltaram o cunho político dessas prisões, que minam o direito a liberdade de expressão, e lembraram que o governo iraniano deve tomar medidas urgentes para garantir que os direitos humanos sejam respeitados no país.