Relatora da ONU sobre pobreza extrema e direitos humanos inicia primeira visita oficial a Guiné-Bissau

Magdalena Sepúlveda realiza missão oficial entre 24 de fevereiro e 1 de março para avaliar situação das pessoas que vivem em extrema pobreza. No dia 28 relatora realiza coletiva de imprensa em Bissau.

Magdalena Sepúlveda realiza missão oficial entre 24 de fevereiro e 1 de março para avaliar situação das pessoas que vivem em extrema pobreza. No dia 28 relatora realiza coletiva de imprensa em Bissau.

Relatora especial da ONU sobre pobreza e direitos humanos, Magdalena Sepúlveda. Foto: ONU

Relatora especial da ONU sobre pobreza e direitos humanos, Magdalena Sepúlveda. Foto: ONU

A relatora especial da ONU, Magdalena Sepúlveda, realizará uma missão oficial a Guiné-Bissau entre 24 de fevereiro e 1 de março de 2014, para levantar informações de primeira mão sobre a situação das pessoas que vivem em extrema pobreza e para avaliar as iniciativas tomadas por parte das autoridades para melhorar sua situação.

“Em um tempo em que novas eleições têm o potencial de revitalizar as estruturas sociais de Guiné-Bissau, é fundamental chamar a atenção tanto do governo como da comunidade internacional para as necessidades das pessoas que vivem em extrema pobreza”, disse a perita encarregada pelo Conselho de Direitos humanos da ONU de monitorar e relatar sobre a relação entre extrema pobreza e direitos humanos no mundo inteiro.

“Esforços concretos para atingir os segmentos mais pobres da sociedade pelo Estado e um aumento da assistência e da cooperação internacional serão cruciais para enfrentar a pobreza enraizada, a desigualdade e o subdesenvolvimento do país”, ressaltou.

Durante sua missão de seis dias, Sepúlveda vai dedicar especial atenção às mulheres, crianças, pessoas com deficiência e outros grupos que são vítimas de discriminação.

“O cumprimento das metas de redução da pobreza é um grande desafio para Guiné-Bissau”, disse a especialista em direitos humanos, observando que o país ocupa a 176º posição no ranking de 186 países avaliados em 2013 pelo Índice de Desenvolvimento Humano do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), e que três quartos da população vive na pobreza e 45% em situação de extrema pobreza, de acordo com estimativas conservadoras.

“Esta missão vai ajudar a avaliar as necessidades da população da Guiné-Bissau e da importância crítica da assistência e cooperação para melhorar as estruturas de governo e de produção e distribuição de recursos internacionais”, disse a relatora.

A relatora especial terá reuniões com funcionários do alto escalão do governo, incluindo representantes de vários ministérios que trabalham com políticas sociais. Ela também vai se reunir com representantes do sistema das Nações Unidas, a comunidade de doadores e de organizações não governamentais.

Sepúlveda também visitará comunidades que vivem em situação de pobreza na capital Bissau, assim como em áreas rurais e em outros distritos. Suas conclusões e recomendações serão apresentadas em um relatório ao Conselho de Direitos Humanos em junho próximo.

A relator especial apresentará suas observações preliminares sobre a visita em uma coletiva de imprensa às 12h do dia 28 de fevereiro de 2014, no Escritório Integrado das Nações Unidas para a Consolidação da Paz na Guiné-Bissau (UNIOGBIS) em Bissau.

Informações à imprensa

  • Em Genebra (antes da visita): Michael Ferguson (Tel: +41 22 917 92 60 / srextremepoverty@ohchr.org)
  • Em Bisssau (durante a visita): Leilani Elliot (Tel: +245 613 6047 / elliottl@un.org)
  • Para outros pedidos de mídia relacionados com especialistas independentes das Nações Unidas: Xabier Celaya, Unidade de Mídia – Direitos Humanos das Nações Unidas (+ 41 22 917 9383 / xcelaya@ohchr.org)