Relator da ONU afirma que alimentação pouco saudável mata mais do que cigarro

“Tal como o mundo se uniu para regular os riscos do tabaco, uma ousada convenção sobre dietas adequadas deve agora ser acordada”, disse Olivier De Shutter.

Foto: Agência Brasil

O relator especial da ONU para o Direito à Alimentação, Olivier De Shutter, afirmou, nesta segunda-feira (19) que “dietas pouco saudáveis são agora uma ameaça muito maior para a saúde mundial que o tabaco”. Para reverter esta situação, ele pede um novo acordo global para regular a alimentação não saudável, e uma ação rápida por parte dos governos para ajudar a mudar a maneira como o mundo come.

“Tal como o mundo se uniu para regular os riscos do tabaco, uma ousada convenção sobre dietas adequadas deve agora ser acordada”, defendeu.

Segundo o relator, existem cinco ações prioritárias para mudar esta situação: taxar produtos pouco saudáveis; regular alimentos ricos em gorduras saturadas, sal e açúcar; reduzir a publicidade da comida pouco saudável; rever os sistemas de subsídios agrícolas; e apoiar a produção local de alimentos.

Porém, diz De Shutter, a comunidade internacional continua prestando pouca atenção a este assunto. “Os governos estiveram focados em aumentar a disponibilidade de calorias, es foram muitas vezes indiferentes ao tipo de calorias que ofereciam” afirmou.