Relação entre ataques na Noruega e o Islã são “reveladores” e “constrangedores”, afirma relator da ONU

Relator Especial da ONU sobre liberdade de religião ou crença disse ainda que os indícios desrespeitam as vítimas e suas famílias.

Memorial improvisado em Oslo, Noruega

O Relator Especial da ONU sobre liberdade de religião ou crença, Heiner Bielefeldt, disse nesta terça-feira (26/07) que os relatos iniciais da imprensa, que indicaram uma possível conexão entre o terrorismo islâmico e os ataques na Noruega, são exemplos “reveladores” e “constrangedores” do poder de impacto do preconceito e da consagração de esteriótipos.

“O devido respeito pelas vítimas e suas famílias deveria ter impedido a formulação de conclusões com base em pura conjectura”, afirmou Bielefeldt.

Após os dois ataques que mataram 75 pessoas na última sexta-feira (22/07) na Noruega – uma explosão no centro da capital, Oslo, e um tiroteio em uma ilha próxima – relatos iniciais da mídia apontaram a contribuição norueguesa nas guerras do Iraque e do Afeganistão, sugerindo uma relação com os ataques no país. No entanto, o suspeito pelos ataques não é muçulmano.