Reforma policial é urgente para melhorar situação de segurança no Haiti, diz ONU

Mariano Fernández disse que a força policial ainda precisa ser fortalecida e consolidada para que ela garanta a paz no país. Ele pediu também pressa para a escolha de uma nova liderança política.

O Chefe da Missão das Nações Unidas para a Estabilização no Haiti. (MINUSTAH), Mariano Fernández Amunátegui O Chefe da Missão das Nações Unidas para a Estabilização no Haiti (MINUSTAH), Mariano Fernández Amunátegui, ressaltou hoje (08/03) que apesar da situação de segurança no país ter melhorado nos últimos anos, ainda há uma necessidade urgente por reforma policial para garantir a paz e estabilidade.

Fernández disse que a força policial ainda precisa ser fortalecida e consolidada para que ela continue a manter a ordem pública, a proteção de grupos vulneráveis e o combate ao crime organizado. A MINUSTAH tem trabalhado de perto com a Polícia Nacional do Haiti nos últimos anos para treinar seus membros e reformar a sua estrutura.

O Chefe da MINUSTAH notou que a força policial tem 10 mil oficiais, quase três vezes o efetivo de 2004. “Porém, para um país como o Haiti, de 10 milhões de habitantes, ainda é insuficiente”.

Fernández enfatizou que a situação de segurança no país corre o risco de rápida deteriorização sem uma liderança política e pediu ao governo do Haiti que aponte um novo Primeiro Ministro o mais rápido possível. Há duas semanas, o ex-Primeiro Ministro do Haiti Garry Conille renunciou ao cargo.