Reforma na sede do Secretariado da ONU torna edifício ambientalmente correto

Com redução global de 50% no consumo de energia e água e 40% de diminuição na produção de carbono, projeto deve tornar o prédio um dos mais ‘verdes’ e limpos do mundo.

Voltando ao seu escritório permanente pela primeira vez desde que o projeto de restauração da sede das Nações Unidas começou, há quase cinco anos, o Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, manifestou entusiasmo pelas reformas históricas e ecológicas que mudaram o edifício de 60 anos do Secretariado, em Nova York (EUA).

“Hoje marca um passo importante na renovação do Secretariado das Nações Unidas”, disse Ban a repórteres. “Agora, temos sistemas modernos e ambientalmente corretos”, continuou, acrescentando que, com a reforma, a ONU poderá “servir melhor as pessoas do mundo”.

O chefe da ONU estava trabalhando em um espaço temporário, localizado em outra parte do complexo da sede, que cobre 6,9 hectares e inclui seis edifícios, totalizando cerca de 241 mil metros quadrados.

As estruturas originais da ONU foram construídas entre 1950 e 1952, e tinham envelhecido consideravelmente, sem os padrões que se espera de um edifício moderno e seguro.

Com uma redução global de 50% no consumo de energia e água e 40% de diminuição na produção de carbono, o projeto inteiro de renovação – conhecido formalmente como o Plano Diretor Capital e orçado em cerca de 2 bilhões de dólares – deve tornar o Secretariado da ONU um dos edifícios mais ‘verdes’ e mais limpos do mundo.