Rappers da Baixada Fluminense reúnem-se na primeira batalha de MCs apoiada pela ONU

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

Rappers, DJs e músicos da Baixada Fluminense, região metropolitana do Rio de Janeiro, participam de projeto-piloto do Centro Mundial para o Desenvolvimento Sustentável (Centro RIO+) das Nações Unidas. A iniciativa usa a música para traduzir a Agenda 2030 e os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) e mobilizar jovens das periferias das grandes metrópoles.

Reunidos na Casa de Cultura de Belford Roxo, mais de 250 artistas e novos talentos musicais da Baixada Fluminense travaram a primeira batalha de MCs apoiada pelas Nações Unidas. Foto: Reprodução

Reunidos na Casa de Cultura de Belford Roxo, mais de 250 artistas e novos talentos musicais da Baixada Fluminense travaram a primeira batalha de MCs apoiada pelas Nações Unidas. Foto: Reprodução

Rappers, DJs e músicos da Baixada Fluminense, região metropolitana do Rio de Janeiro, participam de projeto-piloto do Centro Mundial para o Desenvolvimento Sustentável (Centro RIO+) das Nações Unidas. A iniciativa usa a música para traduzir a Agenda 2030 e os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) e mobilizar jovens das periferias das grandes metrópoles.

Reunidos na Casa de Cultura de Belford Roxo na quinta-feira (19), mais de 250 artistas e novos talentos musicais da Baixada Fluminense travaram a primeira batalha de MCs apoiada pelas Nações Unidas, estimulando a produção de conteúdo musical sobre os ODS e os grandes temas da agenda de desenvolvimento sustentável e de direitos humanos.

Participaram do evento DJ Nino Leal, MC Therlu, DJ Jesus, Gunjahclan, Bonde 2 Cria — B2C, Roberto Silva MC Eddi, Renato Biguli, LC do Cantão, Raiteck, Marsal, Eminente, Sturt, Andrinno, JP, Jamall, Bokinha, Nick, L.O e Tafari.

Além de produzir conteúdo musical inédito, incluindo cinco músicas que serão lançadas em um CD promocional em fevereiro, um dos objetivos do projeto-piloto é estimular a reflexão crítica sobre a realidade do desenvolvimento, estimular os cidadãos, especialmente os jovens, a cobrar responsabilidade e ação concreta por parte de todas as esferas de governo no sentido de cumprir os compromissos da Agenda 2030.

Mais ambicioso e detalhado plano internacional de ação para o desenvolvimento sustentável, a Agenda 2030 estabelece metas concretas que devem ser atingidas por todos os países até 2030. Esta nova agenda mundial para a sustentabilidade visa a melhorar a qualidade de vida da população ao mesmo tempo em que se preservam os limites naturais da Terra, garantindo condições de vida para as gerações futuras.

O projeto-piloto com os músicos da Baixada começou a ser executado em junho de 2016 e produzirá uma nova metodologia de trabalho que será replicada pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) nos 166 países em que atua, estimulando as contribuições da classe artística, com foco nos novos talentos das periferias.

Alguns dos eventos já desenvolvidos pelo Centro RIO+ incluem oficinas de capacitação no Centro Cultural Donana, em Belford Roxo, que sedia grande parte das atividades na Baixada; um show de músicos da Baixada no Cine Odeon, no centro do Rio, em agosto de 2016; produção de um CD com 17 faixas inéditas, inteiramente dedicadas aos temas da Agenda 2030; e a consolidação do coletivo aberto de músicos BXD Nunca Se Rende, a primeira rede de talentos das periferias apoiada pelas Nações Unidas.

Foco de atuação do projeto do Centro RIO+, Belford Roxo é uma das cidades mais populosas do estado do Rio de Janeiro, com 500 mil habitantes, situada na posição 53ª do ranking do IDH-M dos 92 munícipios fluminenses.

A cidade ganhou visibilidade internacional no final da década de 1980, tendo sido classificada como a mais violenta do mundo em termos de homicídios por cada 100 mil habitantes. Superando um passado sombrio, os cidadãos de Belford Roxo encontraram na música e na arte um apoio fundamental para a construção de uma cidadania mais ativa e engajada na construção de um futuro melhor para todos.

Com um cenário musical em plena efervescência, o município é hoje um dos principais polos nacionais de desenvolvimento de novos talentos musicais, representativos de uma ampla diversidade de ritmos e gêneros, com destaque para rap e reggae.


Mais notícias de:

Comente

comentários