Quirguiz Anastasia Divinskaya é nova representante da ONU Mulheres Brasil

A ONU Mulheres Brasil anunciou nesta segunda-feira (23) que a quirguiz Anastasia Divinskaya assumiu o posto diplomático de representante da organização no país, incorporando-se ao escritório em Brasília (DF).

Com 19 anos de experiência profissional nas Nações Unidas em igualdade de gênero, empoderamento das mulheres e direitos humanos, Divinskaya foi representante da ONU Mulheres Ucrânia. Lá, liderou a criação do escritório no país, o qual possui amplo portfólio programático com ações na região da Ásia Central e Europa.

A quirguiz Anastasia Divinskaya é nova representante da ONU Mulheres Brasil. Foto: ONU Mulheres Ucrânia

A ONU Mulheres Brasil anunciou nesta segunda-feira (23) que a quirguiz Anastasia Divinskaya assumiu o posto diplomático de representante da organização no país, incorporando-se ao escritório em Brasília (DF).

Com 19 anos de experiência profissional nas Nações Unidas em igualdade de gênero, empoderamento das mulheres e direitos humanos, Divinskaya foi representante da ONU Mulheres Ucrânia. Lá, liderou a criação do escritório no país, o qual possui amplo portfólio programático com ações na região da Ásia Central e Europa.

Divinskaya coordenou os trabalhos da equipe-país para fazer avançar a igualdade de gênero e os direitos humanos das mulheres na agenda de recuperação, construção da paz e reforma nacional da Ucrânia.

Entre 2013 e 2015, atuou como vice-representante da ONU Mulheres Timor-Leste nas áreas de programas, operações e coordenação interagencial nas Nações Unidas.

De 2010 a 2013, trabalhou na ONU Mulheres Maldova, liderando o programa de governança e descentralização local com perspectiva de gênero com foco em direitos de minorias políticas.

Entre 2007 e 2010, Divinskaya foi oficial a cargo do escritório do UNIFEM/ONU Mulheres no Quirguistão, trabalhando nos temas liderança e participação das mulheres, financiamento para igualdade de gênero e empoderamento econômico, incluindo o trabalho de coordenação interagencial nas Nações Unidas.

Antes de se somar à equipe da ONU Mulheres, Anastasia Divinskaya trabalhou no Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) e no Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), ambas organizações no Quirguistão.

Divinskaya é mestre em Artes – Literatura e Línguas Germânicas pela Faculdade de Humanidades e pós-graduada em Teoria Econômica pela Kyrgyz Slavic University, no Quirguistão.

“É uma satisfação dar continuidade ao trabalho da ONU Mulheres no Brasil, um país com mulheres tão diversas quanto fortes na busca por seus direitos humanos e justiça social”, declarou.

“No país, a ONU Mulheres tem sólidas parcerias governamentais, empresariais e com a sociedade civil, a qual tem atuação importante em apoio a agendas de direitos dos movimentos de mulheres e feministas.”

“Contamos com todas e todos para construir a igualdade de gênero, raça e etnia e impedir que nenhuma mulher ou menina brasileira fique para trás do desenvolvimento”, afirmou.

Divinskaya destacou o ano de 2020 como um momento de oportunidade para fazer avançar os direitos das mulheres no país.

“Em todo o mundo, a ONU Mulheres está promovendo a campanha Geração Igualdade ao revisitar os 25 anos da Declaração e Plataforma de Ação de Pequim, que conta e contou com a intensa participação das diversas mulheres brasileiras.”

“O objetivo é acelerar os esforços de agentes-chave para o empoderamento de mulheres e meninas em todo o mundo. Serão também os cinco anos dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, cinco anos da Década Internacional de Afrodescendentes e 20 anos da Resolução 1325 sobre paz e segurança com enfoque nos direitos das mulheres.”

“São oportunidades para avaliar conquistas e retomar os esforços os países para que as mulheres e as meninas estejam na centralidade dos acordos assumidos pelas nações”, concluiu.