Projeto da ONU promove troca de sementes, sabores e saberes com o povo Sateré-Mawê

Os participantes da Feira tiveram a oportunidade de conhecer projetos inovadores, como o sistema de cultivo de guaraná em consórcio com árvores nativas, entre elas o pau-rosa, espécie explorada até a quase extinção para extração do seu óleo essencial.

Plantio de pau rosa em consórcio agroflorestal com açaí e guaraná. Foto: Projeto GATI/Robert Miller

Plantio de pau rosa em consórcio agroflorestal com açaí e guaraná. Foto: Projeto GATI/Robert Miller

O Projeto Gestão Ambiental e Territorial Indígena (GATI) da Fundação Nacional do Índio (FUNAI), com apoio do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), promoveu entre 11 e 13 de junho a 1ª Feira de Troca de Sementes, Sabores e Saberes e a Assembleia Geral do Povo Sateré-Mawê, na Aldeia Simão, Terra Indígena Andirá-Marau, localizada entre os estados do Amazonas e Pará.

Entre os objetivos principais da iniciativa destacam-se a produção de mudas, capacitação na coleta de sementes florestais, implantação de hortas escolares e a produção de composto orgânico, visando à segurança alimentar e geração de renda nas comunidades Sateré-Mawê.

Os participantes da Feira tiveram a oportunidade de participar de diversas atividades e conhecer de perto projetos inovadores como o sistema de cultivo de guaraná em consórcio com árvores nativas, entre elas o pau-rosa, espécie explorada até a quase extinção na região para extração do seu óleo essencial, o linalol, usado na perfumaria.

Hoje, com apoio dos parceiros, a espécie está sendo replantada, com mudas trazidas da floresta ou produzidas em viveiro, com a perspectiva de produção de óleo a partir da poda de folhas e galhos, sem cortar a árvore.

Saiba mais clicando aqui.