Projeto na Região Sul visa garantir aplicação local dos objetivos globais da ONU

No Sul do Brasil, o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) é considerado o mais alto do país. Para além das médias estatísticas, no entanto, as desigualdades persistem nas cidades da região, o que demanda ações integradas que contemplem estratégias de desenvolvimento voltadas para a erradicação da pobreza, o crescimento econômico inclusivo e a proteção ambiental.

Para fortalecer as capacidades de municípios de Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul afetados por atividades da estatal Petrobras, representantes da empresa e do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) se reuniram esta semana com gestores públicos dessas cidades.

Foto: Caio Cavalcante dos Santos

Foto: Caio Cavalcante dos Santos

No Sul do Brasil, o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) é considerado o mais alto do país. Para além das médias estatísticas, no entanto, as desigualdades persistem nas cidades da região, o que demanda ações integradas que contemplem estratégias de desenvolvimento voltadas para a erradicação da pobreza, o crescimento econômico inclusivo e a proteção ambiental.

Para fortalecer as capacidades de municípios de Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul afetados por atividades da estatal Petrobras, representantes da empresa e do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) se reuniram esta semana com gestores públicos dessas cidades.

O objetivo era apresentar o projeto sobre a “Territorialização dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável”, que visa levar em conta as necessidades locais para acelerar o cumprimento da Agenda 2030.

Em Curitiba (PR), representantes do Instituto Municipal de Administração Pública (IMAP), do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (IPPUC) e de coordenadorias da Prefeitura participaram da apresentação do projeto.

Na ocasião, os gestores públicos discutiram como as metas da Agenda 2030 podem acelerar o desenvolvimento local. No município, diferentes órgãos já trabalham na adaptação dos 231 indicadores globais dos ODS para o contexto curitibano. A cidade sofre impacto direto da presença da Refinaria Presidente Getúlio Vargas, no município vizinho de Araucária.

“Diferentes órgãos já trabalham os ODS em âmbito municipal. Fortalecer novas parcerias com diferentes atores que têm o foco no desenvolvimento local e no cumprimento dos ODS é essencial para melhorarmos a qualidade de vida dos nossos habitantes e termos um cidade muito mais sustentável para o futuro”, disse o assessor de Relações Internacionais da Prefeitura, Rodolpho Feijó.

Localizada a 155 quilômetros da capital paranaense, a cidade de São Mateus do Sul (PR) tem em seu território a Unidade de Industrialização de Xisto, da Petrobras, que iniciou a operação em 1972. A unidade fica sobre uma das maiores reservas mundiais de xisto, produto que gera óleo combustível, gás combustível, gás liquefeito e ainda produtos utilizados nas indústrias de asfalto, agrícola e cerâmica. Para fortalecer o desenvolvimento humano local com base na Agenda 2030, o município também terá impacto do projeto de territorialização dos ODS.

“É muito importante o município estar integrado. Temos que procurar, dentro da nossa realidade, produzir ações para a proteção do meio ambiente, para melhores oportunidades aos nossos habitantes e trabalhar com nossos parceiros, locais e regionais, em prol do nosso desenvolvimento. Com certeza, seremos parceiros na implementação dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável”, afirmou o prefeito de São Mateus do Sul, Luiz Adyr.

A apresentação do projeto conjunto entre a Petrobras e o PNUD também ocorre nas cidades de Navegantes (SC), Esteio (RS) e Canoas (RS) nesta semana. Na primeira fase, que ocorre no primeiro semestre deste ano, serão fornecidos diagnósticos, com base em 30 indicadores dos ODS, que apresentarão dados sobre cada um dos 113 municípios do projeto.

Esses municípios, de 14 estados brasileiros, foram escolhidos por serem impactados, direta ou indiretamente, pelas atividades da Petrobras. Na segunda fase, serão ofertados cursos de capacitação sobre os ODS para gestores públicos locais, membros da sociedade civil e do setor privado.


Comente

comentários