Projeto indiano aposta em telefones celulares para criar e difundir histórias sobre poluição do ar

Tamseel Hussain, de 30 anos, acompanhou com atenção a escalada da poluição do ar na Índia, que atingiu níveis alarmantes quatro anos atrás. Ele estava tão interessado em documentar o problema que, com um grupo de especialistas em redes sociais e storytelling, construiu a plataforma Let Me Breathe (Me deixe respirar, em tradução livre para o português). O relato é da ONU Meio Ambiente.

Iniciativa na Índia coletou histórias de diferentes pessoas que queriam falar sobre o impacto da poluição do ar em suas vidas. Foto: PLUC

Iniciativa na Índia coletou histórias de diferentes pessoas que queriam falar sobre o impacto da poluição do ar em suas vidas. Foto: PLUC

Tamseel Hussain, de 30 anos, acompanhou com atenção a escalada da poluição do ar na Índia, que atingiu níveis alarmantes quatro anos atrás. Ele estava tão interessado em documentar o problema que, com um grupo de especialistas em redes sociais e storytelling, construiu a plataforma Let Me Breathe (Me deixe respirar, em tradução livre para o português).

Desde então, eles não olharam mais para trás. O que começou como uma hashtag, usada pelos moradores de Nova Déli que queriam criar blogs para registrar a elevada poluição do ar, transformou-se hoje numa plataforma central, unindo histórias fragmentadas sobre poluição, mudanças climáticas e sustentabilidade em toda a Índia.

“Queremos ser parte da solução”, diz Hussain. “A maioria das pessoas na Índia tem celulares. Pela resposta que estávamos vendo nas redes sociais, era evidente que as pessoas queriam contar as suas próprias histórias sobre poluição. Eram essas vozes que queríamos amplificar por meio da nossa plataforma e da nossa rede.”

Hussein criou a iniciativa People Like Us Create (Pessoas como nós criam, em tradução livre), que utiliza vários formatos, incluindo TV e as plataformas Let Me Breathe, para contar histórias sobre poluição compartilhadas por todos — de agricultores a estudantes e catadores de lixo.

O projeto já teve a participação, por exemplo, de estudantes que falaram sobre como descobriram a existência de florestas ao redor das suas casas e sobre como a poluição afetava as árvores. Com isso, os jovens conectavam as suas histórias à narrativa global sobre sustentabilidade e a emergência climática.

Também contribuíram agricultores em Punjab, que queimavam raízes e caules dos arrozais após a colheita. “Percebemos que a queima estava causando muita poluição. E é importante destacar as histórias imparciais de agricultores envolvidos na prática”, conta Hussain.

De acordo com o indiano, em vez de culpar uns aos outros, esses agricultores aprenderam, com cursos sobre storytelling em celulares, a se manifestar e expressar suas preocupações.

Para o fazendeiro Grewal, “com a plataforma e o apoio da Let Me Breathe, agricultores estão finalmente sendo ouvidos, ao mesmo tempo em que aprendem mais sobre o dano que a queima de raízes e caules causa às pessoas que vivem em cidades como Déli, por meio da poluição do ar”.

“Não há razão para que um burocrata, um empreendedor e um agricultor não possam sentar à mesa para encontrar uma solução”, acrescenta.

Em sua essência, a iniciativa Let Me Breathe é uma plataforma de engajamento público e de storytelling, que combina a ética das narrativas feitas no celular com a conscientização social. Agora, a plataforma está trabalhando com outras comunidades para treiná-las na documentação das suas histórias. Desde que o projeto teve início, em 2017, mais de 320 histórias alcançaram um público estimado de 90 milhões de pessoas, em toda a Índia e no exterior.

“Queremos inspirar as pessoas a usar os seus celulares e contar histórias de poluição que talvez não recebam uma cobertura suficiente da mídia tradicional, mas que são cruciais para que as pessoas tomem decisões informadas. Além disso, queríamos simplificar o processo de divulgação dessas histórias e compartilhamos (isso) com as pessoas, em apenas alguns passos simples. Foi aí que entrou a plataforma”, explica Hussain.

Essas histórias online são combinadas ao engajamento offline. Por meio da plataforma, são organizados encontros municipais que reúnem cidadãos, tomadores de decisão e especialistas para discussões presenciais e objetivas, focadas em problemas de poluição numa cidade em particular. A Let Me Breathe conduz essas reuniões em parceria com o Twitter na Índia e com instituições locais.

O último encontro aconteceu em Varanasi, uma das cidades mais poluídas na Índia. O evento mobilizou representantes de diferentes partidos políticos e organizações locais, a fim de discutir os níveis de poluição do município.

“Trata-se de pessoas que fazem coisas incríveis para fazer desse mundo um lugar melhor e que documentam isso, para chegar aos outros”, acrescenta Hussain sobre a Let Me Breathe.

“Em nossa luta contra a poluição do ar, é de absoluta importância buscar um diálogo real, usando todas as formas de comunicação. Os celulares são uma ferramenta poderosa para se comunicar em todos os níveis, especialmente ao lidar com um dos maiores desafios ambientais do nosso tempo”, afirmou o chefe da ONU Meio Ambiente na Índia, Atul Bagai.

Conheça o projeto Let Me Breathe no Facebook e no Twitter. Acesse a plataforma: letmebreathe.in.

A poluição do ar é tema do Dia Mundial do Meio Ambiente deste ano, celebrado em 5 de junho. A qualidade do ar que respiramos depende das escolhas que fazemos todos os dias. Saiba mais sobre como a poluição do ar afeta você e o que está sendo feito para limpar o ar. O que você está fazendo para reduzir a pegada das suas emissões? Compartilhe as suas ações com a hashtag #BeatAirPollution ou #CombaterAPoluicaoDoAr. As celebrações do Dia Mundial do Meio Ambiente 2019 serão sediadas pela China.