Projeto facilita acesso de famílias pobres a programas sociais em Maricá (RJ)

Cerca de 200 profissionais das secretarias de Assistência Social, Saúde e Educação de Maricá (RJ) participaram em janeiro de treinamentos relativos a protocolos que serão adotados durante a implementação do projeto “Chegou a sua vez” no município.

A iniciativa, apoiada pelo Programa das Nações Unidas para os Assentamentos Humanos (ONU-HABITAT), visa identificar e encaminhar famílias em situação de vulnerabilidade e extrema pobreza a programas sociais e serviços públicos na cidade.

Vista aérea do centro de Maricá (RJ). Foto: Prefeitura de Maricá/Fernando Silva

Vista aérea do centro de Maricá (RJ). Foto: Prefeitura de Maricá/Fernando Silva

Cerca de 200 profissionais das secretarias de Assistência Social, Saúde e Educação de Maricá (RJ) participaram em janeiro de treinamentos relativos a protocolos que serão adotados durante a implementação do projeto “Chegou a sua vez” no município.

A iniciativa, apoiada pelo Programa das Nações Unidas para os Assentamentos Humanos (ONU-HABITAT), visa identificar e encaminhar famílias em situação de vulnerabilidade e extrema pobreza a programas sociais e serviços públicos na cidade. A capacitação foi promovida por ONU-HABITAT, Prefeitura de Maricá e Instituto Darcy Ribeiro (IDR).

A meta do programa, lançado em outubro de 2019, é em um ano reduzir até 80% da vulnerabilidade e do risco social das famílias mais descobertas pela rede de proteção social básica, a partir de sua entrada no projeto. Dividido em três fases, o “Chegou a Sua Vez” consiste na busca ativa dessas famílias, em medidas de atuação com base no protocolo integrado e no monitoramento do progresso.

“Durante os meses de planejamento do programa, foi feita uma análise minuciosa dos protocolos de atendimento das três secretarias centrais do projeto: Educação, Saúde e Assistência Social. Agora, chegou o momento de ouvir e preparar as pessoas que estão na ponta, que vão lidar com as famílias identificadas pelo programa”, explicou o presidente do Instituto Darcy Ribeiro (IDR), Alan Novais.

O projeto também visa criar um banco de dados georreferenciados com informações sobre diversos aspectos da população maricaense, o que permitirá planejar ações que atendam necessidades específicas no território.

“Um trabalho exaustivo permitiu definir a estrutura do questionário que as famílias vão responder. Após a pesquisa, as pessoas identificadas como mais vulneráveis serão encaminhadas aos equipamentos para o devido atendimento”, explicou o coordenador do programa pelo ONU-HABITAT, Antônio Veríssimo.

Nesta primeira fase, cerca de 60% dos domicílios de Maricá receberão a visita da equipe de pesquisa, que deve alcançar aproximadamente 90 mil pessoas.

Sobre o treinamento dos agentes públicos, a subsecretária da Assistência Social de Maricá, Laura Costa, observou que “era uma ansiedade das três secretarias ver essa integração dos protocolos, sobretudo aplicar um questionário amplo para que tenhamos um panorama sobre a população da cidade”. “A gente queria conhecer as famílias mais de perto e suas necessidades, e o projeto ‘Chegou a sua vez’ colocou isso em prática.”

Para as titulares das pastas de Saúde e Educação do município, o trabalho coletivo é uma marca do programa. “O que a gente percebe é um envolvimento de todas as esferas das secretarias envolvidas. O programa tem sido um canalizador de sinergia entre as pastas, além de potencializar as competências de cada profissional que integra a rede de atendimento”, disse a secretária de Saúde de Maricá, Simone Costa e Silva.

“Os profissionais têm respondido de forma positiva à capacitação, e isso é fundamental, porque demonstra a dedicação em promover um atendimento cada vez mais humanizado, focado em resolver o problema das famílias, e que vai impactar diretamente na luta contra a extrema pobreza e a exclusão social”, declarou a secretária de Educação do município, Adriana Costa.

Sobre o ONU-HABITAT

O ONU-HABITAT estabeleceu-se em 1978 como resultado da Conferência das Nações Unidas sobre Assentamentos Humanos (Habitat I). Com sede em Nairóbi, capital do Quênia, a agência da ONU é ponto focal para urbanização sustentável e assentos humanos.

Com o mandato em prol do desenvolvimento urbano social, econômico e ambientalmente sustentável, a equipe do ONU-HABITAT Brasil desenvolve projetos com diversos atores, das esferas governamentais à sociedade civil.

A capacitação foi promovida por ONU-HABITAT, Prefeitura de Maricá e Instituto Darcy Ribeiro (IDR). Foto: ONU-HABITAT

A capacitação foi promovida por ONU-HABITAT, Prefeitura de Maricá e Instituto Darcy Ribeiro (IDR). Foto: ONU-HABITAT