Projeto em El Salvador alia boas práticas de alimentação escolar e participação social

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

A prefeitura de Atiquizaya, em El Salvador, desenvolveu a iniciativa “Escolas Sustentáveis”, uma metodologia que promove atividades de alimentação escolar, participação social e educação nutricional por meio de hortas pedagógicas, compra da agricultura familiar local e adoção de menus saudáveis.

A ação está em linha com o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS) número 2, que prevê extinguir a fome no mundo, alcançar a segurança alimentar, melhorar a nutrição e promover a agricultura sustentável até 2030. O projeto tem apoio da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) e do governo brasileiro.

A prefeitura de Atiquizaya, em El Salvador, desenvolveu a iniciativa “Escolas Sustentáveis”. Foto: FAO

A prefeitura de Atiquizaya, em El Salvador, desenvolveu a iniciativa “Escolas Sustentáveis”. Foto: FAO

Extinguir a fome no mundo, alcançar a segurança alimentar, melhorar a nutrição e promover a agricultura sustentável são ações que sintetizam o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS) número 2 – parte da Agenda 2030 definida pelos países-membros das Nações Unidas em 2015.

Com o título “Fome Zero e Agricultura Sustentável”, este ODS elenca oito metas para todos os países adotarem de acordo com suas prioridades e desafios ambientais. As metas visam acabar com todas as formas de fome e má nutrição até 2030, garantindo o acesso suficiente a alimentos nutritivos durante todos os anos.

Alinhada a esses desafios, a prefeitura de Atiquizaya, em El Salvador, desenvolveu a iniciativa “Escolas Sustentáveis”, uma metodologia que promove atividades de alimentação escolar, participação social e educação nutricional por meio de hortas pedagógicas, compra da agricultura familiar local e adoção de menus saudáveis.

A iniciativa foi finalista no último Prêmio de Tecnologia Social e integra o Banco de Tecnologias Sociais da Fundação Banco do Brasil para ser reaplicada em outras localidades.

O projeto também tem o apoio da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) e do governo brasileiro, por meio de uma cooperação internacional para o fortalecimento de programas de alimentação escolar na América Latina e no Caribe.

Na iniciativa “Escolas Sustentáveis”, a alimentação escolar é complementada com a aquisição da produção dos agricultores familiares da região. “O projeto permitiu que muitos atores se juntassem para promover o desenvolvimento da economia local, com a compra de produtos da agricultura familiar, e assegurou uma alimentação completa para crianças em idade escolar, assim como contribuiu para a mudança cultural na alimentação das famílias”, disse o chefe da Unidade de Segurança Alimentar e Nutricional de Atiquizaya, Moisés Moran Murga.

Segundo dados das Nações Unidas, a agricultura é a maior empregadora única no mundo, provendo meios de vida para 40% da população global atual. Ela é a maior fonte de renda e trabalho para famílias pobres rurais. Dessa forma, investir em pequenos agricultores é um modo importante de aumentar a segurança alimentar e a nutrição para os mais pobres, bem como a produção de alimentos para mercados locais e globais.

Hortas escolares

De 2013 a 2017, por meio das “Escolas Sustentáveis”, foram implantadas hortas escolares em 22 unidades de ensino em Atiquizaya, das quais 17 são mantidas pelo município.

Diariamente, mais de 30 mil alunos recebem alimentos, incluindo frutas e verduras, além de educação alimentar e nutricional. Participam 147 associações de produtores que fornecem frutas, verduras e ovos às escolas. O projeto foi reproduzido em outros dois municípios do país, Izalco e Jiquilisco.

Agenda 2030

Definidos pela ONU durante a Cúpula de Desenvolvimento Sustentável, os ODS, também conhecidos como Objetivos Globais, fazem parte da Agenda 2030 que se baseia nos progressos e lições aprendidas com os oito Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM), entre 2000 e 2015.

Esta agenda é fruto do trabalho conjunto de governos e cidadãos de todo o mundo que pretendem criar um novo modelo global para acabar com a pobreza, promover a prosperidade e o bem-estar de todos, proteger o meio ambiente e combater as alterações climáticas.

No total, são 17 ODS e 169 metas que estimulam ações até 2030 em áreas de importância crucial para a humanidade e para o planeta.


Mais notícias de:

Comente

comentários