Projeto do Banco Mundial modernizará setores energético e mineral do Brasil

O Banco Mundial aprovou empréstimo de 38 milhões de dólares para o Projeto de Fortalecimento dos Setores de Energia e Mineral II (META 2) no Brasil. O objetivo é modernizar esses setores e promover a extração e o processamento sustentáveis de minerais e metais.

O setor de energia do Brasil é considerado um dos mais sofisticados da America Latina. Foto: Banco Mundial/Mariana Ceratti

O setor de energia do Brasil é considerado um dos mais sofisticados da America Latina. Foto: Banco Mundial/Mariana Ceratti

O Banco Mundial aprovou empréstimo de 38 milhões de dólares para o Projeto de Fortalecimento dos Setores de Energia e Mineral II (META 2), no Brasil. O objetivo é modernizar esses setores e promover a extração e o processamento sustentáveis de minerais e metais.

Outra meta é permitir a produção de energia de forma mais competitiva e confiável, a preços mais baixos.

O especialista em energia Jimmy Pannett, do Banco Mundial, explica como o projeto atuará.

“O programa oferecerá a instituições públicas e agências setoriais atividades de assistência técnica, como estudos, treinamentos, metodologias, bases de dados e equipamentos de tecnologia da informação.”

Os setores energético e mineral do Brasil estão entre os maiores entre as economias em desenvolvimento e são essenciais para o crescimento do país.

O setor energético responde por cerca de 3% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro. Petróleo e gás respondem por 13% e Mineração e Processamento Mineral, por 4%. No entanto, esses setores ainda enfrentam desafios para desenvolver todo o seu potencial e promover a sustentabilidade ambiental e a inclusão social.

Além disso, também estão em diferentes estágios de desenvolvimento. O setor energético brasileiro é um dos mais sofisticados da América Latina, mas enfrenta uma série de desafios para promover abastecimento seguro, custo acessível e maior resiliência às mudanças climáticas.

No setor de gás natural, o Brasil começou a adotar diversas medidas em um novo programa com potencial para aumentar a segurança energética e reduzir os custos de energia industrial. Mas ainda precisa solucionar questões regulatórias e de governança. Já o setor mineral precisa se modernizar para alcançar práticas sustentáveis e uma nova estratégia apoiada na sustentabilidade, de acordo com o Banco Mundial.

Na primeira fase, a assistência técnica prestada pelo Projeto META ajudou algumas principais instituições públicas a reduzir o crescimento das emissões de carbono, com sustentabilidade ambiental e social.