Projeto de microirrigação recebe Prêmio Mundial da Alimentação 2012

Durante cerimônia de entrega, Secretário-Geral da ONU ressaltou a importância de abordagens e tecnologias inovadoras, além de política dos países, para combater a fome no mundo.

Secretário-Geral discursa durante cerimônia de premiação. UN PhotoAbordagens e tecnologias inovadoras, bem como uma forte vontade política dos países, são essenciais para combater a fome, ressaltou o Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, ontem (18) durante a cerimônia de entrega do Prêmio Mundial da Alimentação 2012, em Iowa, Estados Unidos.

Acabar com a fome em nossas vidas “apela para o aproveitamento da criatividade dos cientistas e economistas”, disse Ban. “É preciso desenvolver novas abordagens e tecnologias para responder às mudanças climáticas, à escassez de água e à desertificação.”

Em seu discurso, Ban elogiou o vencedor deste ano — o cientista israelense Daniel Hillel — por seu trabalho, um novo modo de levar água para culturas em regiões áridas e secas, a “microirrigação”. Segundo o Secretário-Geral, o sistema de irrigação por gotejamento criado por Hillel “fez o deserto florescer” em seis milhões de hectares de terra árida de mais de 30 países. “Sua realização começou como uma inovação técnica, mas fez uma contribuição significativa para a harmonia, a estabilidade e a paz global”.

O prêmio foi criado em 1986 e é patrocinado por um empresário local e filantropo. Ele reconhece, “sem distinção de raça, religião, nacionalidade ou convicções políticas”, as conquistas de indivíduos que têm ajudado o avanço do desenvolvimento humano e da melhoria da qualidade, quantidade ou disponibilidade de alimentos.

Ban ressaltou que a questão da segurança alimentar é uma prioridade na agenda das Nações Unidas e que iniciativas como a de Hillel são medidas necessárias para combater a insegurança alimentar, que está acontecendo em muitas partes do mundo devido a uma combinação de secas, o aumento dos preços dos alimentos e a instabilidade financeira em várias regiões.

“Em nosso mundo de abundância, ninguém deve viver na fome. Nenhuma criança deve ter seu crescimento retardado pela desnutrição. Nenhuma criança deve ter a sua oportunidade de uma vida melhor reduzida mesmo antes de nascer, porque sua mãe estava subnutrida”, disse Ban.