Projeto apoiado pela ONU tem como objetivo prover medicamentos aos necessitados

A medida, tomada em tempos de crise, espera diminuir também o desperdício das drogas.

A medida, tomada em tempos de crise, espera diminuir também o desperdício das drogas.

A habilidade de entregar de forma segura os medicamentos durantes as crises humanitárias no mundo é tão crucial quanto conseguir arranjá-los. E é isso que o novo projeto apoiado pela ONU busca: melhorar esta distribuição de suprimentos.

Organização Mundial da Saúde exemplificou hoje em release um pouco dos problemas que esse projeto tem: “O calor insuportável, as grandes distâncias, as infra-estruturas destruídas e a insegurança estão entre os milhares de desafios que os humanitários enfrentam para poderem tratar as pessoas afetadas pela guerra e os desastres naturais.”

A iniciativa – Certificado de Práticas Médicas Logísticas e Humanitárias (MedLog) – irá treinar logísticos experientes e médicos para uma melhor administração da distribuição das vacinas, dos anti-virais e outras drogas para garantir que estas sejam entregues e administradas mais eficazmente. Muitos dos que trabalham com logística estão envolvidos no setor humanitário, mas nem todos são treinados para organizar o fornecimento dos medicamentos.

“Os suprimentos médicos de algumas ONGs e parceiros transitam por Bangkok, mas nenhum meio foi proposto para que as drogas requeridas fossem transportadas de forma correta. Felizmente, nós intervimos e ajudamos a transportar estes suprimentos. Em diversas emergências eu notei falhas em termos logísticos.” – disse Fred Urlep, um logístico, que também relembrou o caso Myanmar em 2008, – “se criou uma ponte aérea entre Bangkok e Yangon tornando possível a chegada dos suprimentos à região.”

Em muitas crises mundiais, milhares de medicamentos são desperdiçados devido ao manuseio incorreto; alguns são perecíveis e devem ser entregues em “cold chain” – uma ferramenta que tem uma temperatura controlada e é usada para garantir a validade do material até o destinatário. Sem esse recurso, as drogas podem não ser utilizadas pela equipe médica – uma perda imensa em termos humanos e econômicos. Uma interessante maneira de combate a essa perda seria a prevenção de cold chains falsificadas ou a introdução de drogas desqualificadas na cadeia de suprimentos.

Os parceiro-chave envolvidos com a ONU são a Organização Mundial de Saúde, o Programa Mundial de Alimentaçãoo Fundo das Crianças da ONU, o Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV), a Federação Internacional da Cruz Vermelha (FICV) e os Médicos Sem Fronteiras da Suíça. Também contribuíram na parte de logística global o Instituto de Logística e Transporte do Reino Unido, o Grupo de Desenvolvimento Humano e a Aliança de Aprendizado de Logística.

O apoio financeiro foi provido pelo Departamento de Desenvolvimento Internacional do Reino Unido (DDIRU), a Departamento da Comunidade Européia de Ajuda Humanitária (DCEAH) e a Agência Estadunidense pelo Desenvolvimento Internacional (AEDI).