Programa Territórios Sociais distribui 250 mil sabonetes para famílias de favelas do Rio

O Programa Territórios Sociais vai distribuir 250 mil sabonetes para cerca de 25 mil famílias dos dez maiores complexos de favelas do Rio de Janeiro (RJ). Os itens foram doados ao município pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF).

O programa é uma iniciativa da Prefeitura do Rio, em parceira com o Programa das Nações Unidas para Assentamentos Humanos (ONU-Habitat).

Este slideshow necessita de JavaScript.

O Programa Territórios Sociais vai distribuir 250 mil sabonetes para cerca de 25 mil famílias dos dez maiores complexos de favelas do Rio de Janeiro (RJ). Os itens foram doados ao município pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF).

O programa, que trabalha identificando e monitorando famílias com os menores índices de desenvolvimento social na capital fluminense, tem adaptado suas ações diante da pandemia de COVID-19.

Segundo Andrea Pulici, coordenadora do programa e atual presidente do Instituto Pereira Passos (IPP), doações possibilitam que as medidas de prevenção se tornem possíveis para muitas famílias em condição de extrema vulnerabilidade social.

“Ficamos verdadeiramente agradecidos pela doação e esperançosos dos reflexos positivos que isso trará no terreno.”

Segundo Rayne Ferretti Moraes, oficial nacional do Programa das Nações Unidas para Assentamentos Humanos (ONU-Habitat), a cooperação entre as agências do sistema ONU e a rapidez das ações, nesse caso, foram fundamentais para o sucesso de processo de doação.

“Com os dados relevantes sobre as famílias que foram levantados ao longo do projeto, podemos dizer que o material chegará às mãos de quem precisa. Agradecemos o empenho de todos os parceiros envolvidos.”

O Programa, que também conta com o apoio da Obra Social Abrace Rio, já distribuiu cerca de 1.951 cestas e fez doação de mais de 500 frascos de álcool em gel, junto com os alimentos.

Desde o início da pandemia, as agentes de campo do Programa já fizeram cerca de 4 mil ligações telefônicas para as famílias monitoradas, reforçando a importância da higiene e do isolamento social.

Nesse processo, os agentes também realizaram 1.244 ligações para as famílias com integrantes no grupo de risco, monitorando os casos suspeitos e confirmados da infecção pela COVID-19.