Programa Mundial de Alimentos realiza missão em Moçambique sobre restaurantes comunitários

O Centro de Excelência contra a Fome, do Programa Mundial de Alimentos (PMA), realizou no início de junho uma missão em Moçambique para o Seminário sobre Restaurantes Comunitários, organizado pelo gabinete da primeira-dama do país, Isaura Nyusi.

O objetivo da parceria é garantir que o governo de Moçambique receba a assistência técnica necessária para a implementação de uma iniciativa de restaurantes comunitários similar à do Brasil.

Participantes validaram um plano de ação para a Política Nacional de Alimentação Escolar do Benim.Foto: Flickr/vredeseilanden (cc)

Moçambique pretende implementar iniciativa de restaurantes comunitários similar à do Brasil. Foto: Flickr/vredeseilanden (cc)

O Centro de Excelência contra a Fome, do Programa Mundial de Alimentos (PMA), realizou no início desta semana uma missão a Moçambique para o Seminário sobre Restaurantes Comunitários, organizado pelo gabinete da primeira-dama do país, Isaura Nyusi.

O seminário contou com a participação do Governo do Distrito Federal (GDF) do país e da Agência Brasileira de Cooperação (ABC). O objetivo da parceria com o centro é garantir que o governo de Moçambique receba a assistência técnica necessária para a implementação de uma iniciativa de restaurantes comunitários similar à do Brasil.

Após a visita da primeira-dama ao Brasil em 2015 para conhecer programas sociais, seu gabinete decidiu priorizar a estratégia dos restaurantes comunitários como forma de ampliar o acesso à alimentação de qualidade em áreas vulneráveis à desnutrição.

O governo moçambicano solicitou então o apoio do centro para facilitar o diálogo com a ABC, responsável pelas ações de cooperação Sul-Sul do Brasil, e o GDF, que gere 13 restaurantes comunitários no entorno de Brasília.

O seminário foi organizado pelo gabinete da primeira-dama, com apoio da Embaixada do Brasil e do escritório de país do PMA. Diversas instituições locais estiveram envolvidas, como ministérios, governadores de distritos, sociedade civil e representantes de organizações internacionais.

As discussões realizadas durante o seminário vão servir de subsídio para o processo de planejamento da implementação do projeto. O centro foi o responsável por conduzir as sessões técnicas e os trabalhos de grupo e preparar o relatório, que vai embasar o desenho do projeto-piloto.

“Esta iniciativa não deve ser encarada como um gasto para o Estado, mas sim, como um investimento, com retornos que se refletem na melhoria da qualidade de vida dos nossos concidadãos, na redução de gastos com aquisição de medicamentos e na elevação da capacidade intelectual do nosso capital humano”, disse a primeira-dama Isaura Nyusi, no fim do seminário.

O assistente de programa Vinícius Limongi, que representou o centro no seminário, aproveitou a viagem a Moçambique para discutir com o Ministério da Educação e Desenvolvimento Humano de Moçambique e o escritório de país do PMA os próximos passos do apoio ao Programa Nacional de Alimentação Escolar.

O programa moçambicano de alimentação escolar está sendo implementado com apoio do centro, do escritório de país do PMA, em parceria com a Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID) e a Universidade da Flórida.