Programa Mundial de Alimentos discute impulso à alimentação escolar no mundo

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

Representantes de escritórios regionais e de país do Programa Mundial de Alimentos (PMA) reuniram-se na semana passada em Dacar, no Senegal, para discutir a estratégica de atuação do programa no âmbito da alimentação escolar.

Na ocasião, os participantes debateram como as políticas de alimentação escolar do PMA se refletem nas experiências, prioridades, desafios e boas práticas dos escritórios regionais e de país, além de discutirem possíveis caminhos para o futuro.

Alimentação escolar é uma das estratégias defendidas pela ONU para combater a fome na América Latina e Caribe. Foto: FAO/Ubirajara Machado

Alimentação escolar é uma das estratégias defendidas pela ONU para combater a fome na América Latina e Caribe. Foto: FAO/Ubirajara Machado

Representantes de escritórios regionais e de país do Programa Mundial de Alimentos (PMA) reuniram-se na semana passada em Dacar, no Senegal, para discutir a estratégica de atuação do programa no âmbito da alimentação escolar.

Na ocasião, os participantes debateram como as políticas de alimentação escolar do PMA se refletem nas experiências, prioridades, desafios e boas práticas dos escritórios regionais e de país, além de discutirem possíveis caminhos para o futuro.

O Centro de Excelência contra a Fome — fruto de uma parceria entre o governo brasileiro e o PMA — abriu o evento, apresentando detalhes de suas parcerias com governos de outros países, diálogos de políticas públicas e o Fórum Global de Nutrição Infantil.

Os participantes deram um panorama das iniciativas de alimentação escolar em suas respectivas regiões, com foco em desafios, lições aprendidas, abordagens inovadoras e próximos passos.

Contexto

Governos nacionais de diferentes regiões têm demonstrado interesse crescente em iniciativas de alimentação escolar vinculadas à agricultura local, especialmente por causa dos impactos transversais desses programas e das potenciais sinergias com outras iniciativas nacionais de proteção social.

Um exemplo desse interesse crescente é a decisão da União Africana de adotar a alimentação escolar como uma estratégia continental de promoção do desenvolvimento sustentável. Como parte da implementação da Estratégia Continental de Educação para a África (CESA), a União Africana indicou a criação de um grupo de trabalho de alimentação escolar para monitorar as recomendações do estudo “Alimentação escolar sustentável na União Africana”.

Esse estudo, realizado pelo Centro de Excelência contra a Fome e pelo escritório do PMA para a África, fornece um panorama dos benefícios, desafios e lições aprendidas de iniciativas de alimentação escolar no continente africano.

PMA

O PMA vem renovando sua atenção à alimentação escolar vinculada à agricultura local, com foco em abordagens de fortalecimento de capacidades e coordenação intersetorial. É um momento crítico para a instituição capitalizar as lições aprendidas e as boas práticas de diferentes regiões para se posicionar de modo a apoiar programas nacionais de alimentação escolar.

“Uma grande lição que aprendi durante os últimos sete anos trabalhando para apoiar governos na criação de programas sustentáveis de alimentação escolar é que nós precisamos ouvir mais os líderes de governos”, afirmou Daniel Balaban, diretor do Centro de Excelência contra a Fome. “Líderes de governos conhecem as melhores soluções. Só precisamos facilitar e apoiá-los no processo. Ouvir mais, este é o segredo”.

Durante o evento, os participantes se envolveram em painéis de discussão sobre temas transversais, com base nas lições aprendidas em cada país. Discussões facilitadas sobre áreas temáticas específicas aconteceram para ajudar a aprimorar o desenho e a qualidade dos programas e para explorar mais o potencial dos programas de alimentação escolar.

A reunião foi encerrada com uma sessão de trabalho em que os participantes foram divididos em grupos para discutir tópicos específicos e propor recomendações concretas para os próximos passos.


Mais notícias de:

Comente

comentários