Programa da ONU pede financiamento completo de fundo para AIDS, tuberculose e malária

Jovem sul-africana exibe miçanga com o símbolo do movimento pelo fim da AIDS. Foto: Peace Corps/PEPFAR

O Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS) pediu que doadores internacionais apoiem o financiamento pleno do Fundo Global de Combate à AIDS, Tuberculose e Malária — que lançou neste mês (11) um apelo orçamentário de 14 bilhões de dólares para cobrir atividades pelos próximos três anos. Iniciativas implementadas com a verba devem ajudar a salvar 16 milhões de vidas, reduzindo pela metade a taxa mundial de mortalidade das três doenças.

“Em julho de 2018, o UNAIDS avisou — os recursos disponíveis para a resposta à AIDS não correspondem aos compromissos políticos definidos e há um déficit anual de 5 bilhões de dólares”, disse nesta semana (14) o diretor-executivo do UNAIDS, Michel Sidibé.

Investir no fundo global é essencial. Até o momento, a instituição estima que garantiu o acesso ao tratamento do HIV para 17,5 milhões de pessoas, mantendo-as vivas e saudáveis. Os recursos também apoiam o acesso a serviços de HIV para populações-chave e marginalizadas, além de serem aplicados em estratégias de prevenção, programas para adolescentes e estratégias para mulheres jovens e meninas. O montante gerido pelo organismo é investido ainda na integração dos serviços de HIV, tuberculose e coinfecções.

O UNAIDS continuará a fortalecer a parceria estabelecida há muito tempo com o fundo global para maximizar o impacto dos investimentos, acelerar respostas inclusivas e centradas nas pessoas e acabar com a AIDS como ameaça à saúde pública. O trabalho do programa da ONU com o fundo ocorre em diversos setores, aprimorando o capital humano e fortalecendo os sistemas para alcançar resultados sustentáveis, salvar vidas e não deixar ninguém para trás.

“Estou confiante de que o presidente da França, Emmanuel Macron, e seus parceiros assegurarão que o fundo global seja totalmente financiado e manterão o alto padrão para assegurar que fundos adicionais sejam levantados”, acrescentou Sidibé.

As Nações Unidas estimam que a resposta à AIDS exigirá 26,2 bilhões de dólares em 2020. Em 2017, o orçamento disponível era de 21,3 bilhões de dólares, em países de baixa e média renda. O UNAIDS pede a ampliação dos recursos para o HIV, a fim de acabar com a lacuna de financiamento e com as epidemias de HIV, tuberculose e malária até 2030. O desafio é uma das metas da Agenda 2030 da ONU para o Desenvolvimento Sustentável.

O apelo do fundo global será discutido por líderes em saúde numa reunião em Nova Déli, na Índia, em 9 de fevereiro de 2019.