Programa da ONU marca presença no 11º Congresso de HIV/AIDS, em Curitiba

O Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS) e alguns de seus copatrocinadores — UNICEF, UNESCO, UNFPA, UNODC e OPAS — participam esta semana do 11º Congresso de HIV/AIDS e do 4º Congresso de Hepatites Virais (HepAIDS 2017), que acontecem na cidade de Curitiba (PR) entre os dias 26 e 29 de setembro. Cerca de 4 mil participantes são esperados no ExpoUnimed Curitiba, entre ativistas, cientistas, gestores e profissionais de saúde de todo o Brasil, além de especialistas internacionais.

Imagem: Divulgação/UNAIDS

Imagem: Divulgação/UNAIDS

O Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS) e alguns de seus copatrocinadores — UNICEF, UNESCO, UNFPA, UNODC e OPAS — participam esta semana do 11º Congresso de HIV/AIDS e do 4º Congresso de Hepatites Virais (HepAIDS 2017), que acontecem na cidade de Curitiba (PR) entre os dias 26 e 29 de setembro. Cerca de 4 mil participantes são esperados no ExpoUnimed Curitiba, entre ativistas, cientistas, gestores e profissionais de saúde de todo o Brasil, além de especialistas internacionais.

O HepAIDS 2017 é organizado pelo Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das Infecções Sexualmente Transmissíveis, do HIV e das Hepatites (DIAHV) da Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS) do Ministério da Saúde, e tem como objetivo reunir a comunidade científica, a sociedade civil, as pessoas vivendo com o HIV e com hepatites virais, profissionais de serviços de saúde e gestores públicos, para discutir os avanços e os desafios da resposta às epidemias de HIV e hepatites no Brasil, com uma abordagem cada vez mais integrada e voltada para as necessidades e características individuais de cada pessoa.

O tema do Congresso deste ano é Prevenção combinada: multiplicando escolhas. A prevenção combinada do HIV busca obter o máximo de impacto na prevenção do vírus por meio da combinação de estratégias comportamentais, biomédicas e estruturais baseadas em direitos humanos e informadas por evidências. O termo prevenção combinada também pode ser utilizado para se referir à estratégia adotada por um indivíduo para se prevenir do HIV combinando diferentes ferramentas ou métodos (ao mesmo tempo ou em sequência), conforme sua atual situação, risco e escolhas.

Como membro do comitê científico do Congresso, o UNAIDS e algumas de suas agências copatrocinadoras propuseram temas e discussões que farão parte da programação do encontro, por meio de mesas-redondas, sessões paralelas e a distribuição de publicações e informações em um estande do Programa Conjunto. O diretor regional do UNAIDS para a América Latina e o Caribe, César Núñez, irá representar as Nações Unidas na cerimônia de abertura do Congresso, marcada para dia 26 de setembro, às 18h30. Além dele, a mesa de abertura também terá a presença da diretora do DIAHV e presidente do Congresso, Adele Banzaken, além de autoridades de saúde, autoridades locais e representantes dos profissionais da saúde e da sociedade civil.

Confira abaixo os detalhes da participação do Programa Conjunto da ONU sobre HIV/AIDS no Congresso:

27 de setembro

Às 8h30, o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) fará a moderação da mesa Experiências e práticas bem-sucedidas no Brasil, que acontece na Sala Cascavel, que terá como tema o Compartilhamento de experiências sobre a educação em sexualidade nos territórios.

No mesmo horário, outro debate sobre Experiências e práticas bem-sucedidas no Brasil contará com a participação da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), que será responsável pela moderação e abordará o tema Georreferenciamento para hepatites virais, na Sala Colombo.

Às 10h30, o UNAIDS será responsável pela moderação da roda de conversa A AIDS que não sai nos jornais, no Auditório Curitiba, um debate organizado pelo DIAHV.

Às 14h30, a diretora do UNAIDS no Brasil, Georgiana Braga-Orillard, participará do painel Acelerando a resposta ao HIV nas cidades para alcançar as metas globais 90-90-90 e as metas de zero estigma e discriminação até 2020. Ela falará sobre o tema A importância das cidades na resposta à epidemia de AIDS e no alcance das metas 90-90-90, no Auditório Curitiba.

No mesmo horário, a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) participará do painel sobre Experiências de prevenção ao HIV e educação em sexualidade: vencendo barreiras e falará sobre o tema Instituições de ensino superior na prevenção ao HIV, educação em sexualidade e gênero no currículo do ensino superior.

28 de setembro

Às 8h30, a OPAS será responsável pela moderação da conversa sobre Experiências e práticas bem-sucedidas no Brasil com o tema Desafios da assistência farmacêutica, na Sala Paranaguá.

Às 10h30, o UNFPA participará da mesa-redonda sobre Preservativo feminino: uma estratégia na prevenção combinada e falará sobre os Desafios para ampliação do acesso e da adesão: experiências internacionais e recomendações para aprimorar a programação do preservativo feminino. O debate acontecerá na Sala Guarapuava.

No mesmo horário, o Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) participará da mesa redonda sobre Prevenção combinada e redução de danos: interseções sobre o uso de drogas entre populações-chave e prioritárias e falará sobre a Prevenção combinada e o panorama das políticas sobre drogas, na Sala Cascavel.

29 de setembro

Às 10h30, o diretor regional do UNAIDS para a América Latina e o Caribe, César Núñez, participará da mesa-redonda Desafios para acabar com a epidemia de AIDS até 2030 no Brasil e América Latina: a Declaração Política de 2016 e a Reunião de Alto Nível do Fórum Político de 2017. O representante do UNAIDS falará sobre o tema Avanços e desafios para o fim da epidemia de AIDS na América Latina até 2030.

Às 14h30, o UNAIDS promoverá a mesa-redonda Palavras não são neutras: intervenções para reduzir o estigma da AIDS no Brasil, marcará o lançamento do Guia de Terminologia do UNAIDS traduzido e adaptado para o português. O debate contará com a participação da diretora do UNAIDS Brasil, Georgiana Braga-Orillard, além dos youtubers Marcos Borges e Gabriel Estrela, bem como do jornalista Nathan Fernandes, editor da Revista Galileu. O Guia de Terminologia do UNAIDS é um documento com diretrizes que apontam a linguagem apropriada sobre os temas em torno do HIV, para fortalecer a resposta global à epidemia de AIDS. O debate acontecerá no Auditório Curitiba.

Além da participação nas mesas e debates, o Programa Conjunto será representado também em um estande conjunto da ONU, uma oportunidade para divulgar e dar visibilidade às ações das agências e programas no campo do HIV e direitos humanos. No estande, serão distribuídas para o público participante do Congresso as publicações mais importantes da ONU relacionadas ao tema — entre estas publicações, está incluído o Guia de Terminologia do UNAIDS, que será lançado em uma mesa-redonda no dia 29. Também serão exibidos vídeos produzidos pelo UNAIDS e alguns de seus copatrocinadores em um telão instalado no estande.

A programação completa do Congresso pode ser encontrada no site oficial.

SERVIÇO
11º Congresso de HIV/Aids e o 4º Congresso de Hepatites Virais
Data: 26, 27, 28 e 29 de novembro de 2017
Local: ExpoUnimed, Rua Prof. Pedro Viriato Parigot de Souza, 5300 – Campo Comprido – Curitiba – PR.

CONTATO
Organização do HepAIDS 2017: hepaids2017@aids.gov.br
UNAIDS no Brasil: Daniel de Castro | tel. +55 61 3038 9221 | decastrod@unaids.org

UNAIDS

O Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS) lidera e inspira o mundo para alcançar sua visão compartilhada de zero nova infecção por HIV, zero discriminação e zero morte relacionada à AIDS. O UNAIDS une os esforços de 11 organizações — ACNUR, UNICEF, PMA, PNUD, UNFPA, UNODC, ONU Mulheres, OIT, UNESCO, OMS e Banco Mundial — e trabalha em estreita colaboração com parceiros nacionais e globais para acabar com a epidemia da AIDS até 2030 como parte dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. Saiba mais em unaids.org.br e se conecte com a gente no Facebook, Twitter e Instagram.