Programa da ONU apoia avanços de Botsuana rumo ao fim da AIDS

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

O presidente de Botsuana, Mokgweetsi E.K. Masisi, visitou a sede do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS) em Genebra, na Suíça, no fim de outubro (25) para compartilhar visões sobre o HIV, uma importante preocupação de saúde pública no país.

Duas décadas atrás, a AIDS devastou a pequena nação de 2 milhões de habitantes do sul da África. Hoje, apesar de ter uma das maiores taxas de prevalência de HIV no mundo – 23% dos adultos vivem com o vírus – Botsuana tem mostrado progresso notável.

O número de novas infecções caiu 63% desde o pico em 1996 e as mortes relacionadas à AIDS diminuíram para 4,1 mil, de 15 mil em 2008. Botsuana foi o primeiro país da região a fornecer tratamento antirretroviral universal e gratuito para pessoas vivendo com HIV, abrindo o caminho para muitos outros países da região fazerem o mesmo.

Este slideshow necessita de JavaScript.

O presidente de Botsuana, Mokgweetsi E.K. Masisi, visitou a sede do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS) em Genebra, na Suíça, no fim de outubro (25) para compartilhar visões sobre o HIV, uma importante preocupação de saúde pública no país.

Masisi reuniu-de com o diretor-executivo do UNAIDS, Michel Sidibé, e cumprimentou o programa das Nações Unidas por liderar a agenda da AIDS “com humildade e profissionalismo”.

“Continuamos contando com seu gerenciamento,” disse Masisi. “Botsuana está pronto para percorrer o restante do caminho para acabar com a AIDS como uma ameaça à saúde pública”.

Duas décadas atrás, a AIDS devastou a pequena nação de 2 milhões de habitantes do sul da África. Hoje, apesar de ter uma das maiores taxas de prevalência de HIV no mundo – 23% dos adultos vivem com o vírus – Botsuana tem mostrado progresso notável.

O número de novas infecções caiu 63% desde o pico em 1996 e as mortes relacionadas à AIDS diminuíram para 4,1 mil, de 15 mil em 2008. Botsuana foi o primeiro país da região a fornecer tratamento antirretroviral universal e gratuito para pessoas vivendo com HIV, abrindo o caminho para muitos outros países da região fazerem o mesmo.

“Masisi está trazendo nova energia e impulso para a resposta à AIDS em Botsuana, com foco na prevenção do HIV”, disse Sidibé. O presidente do país participou de um diálogo com uma delegação de alto nível que incluiu o ministro de Assuntos Internacionais e Cooperação, o ministro da Saúde e Bem-Estar e a primeira-dama de Botsuana.

Durante as discussões, o Masisi detalhou os investimentos financeiros do país em saúde, HIV e população. Ele destacou que a transmissão do HIV de mãe para filho está prestes a ser eliminada e que mais de 80% das pessoas vivendo com HIV estão em tratamento.

No entanto, os desafios permanecem. “Quando você impede o empoderamento de uma menina por meio de violência ou experiência sexual indesejada, ela é afetada por toda a vida,” disse Masisi.

Para reduzir novas infecções pelo HIV, o presidente de comprometeu a redefinir os papéis e o envolvimento de meninos e homens jovens. Em seguida, Masisi e Sidibé reconheceram os esforços de longa data do ex-presidente Festus Mogae no enfrentamento da crise do HIV.


Mais notícias de:

Comente

comentários